Cel. Av. Luiz Ricardo de Souza Nascimento

Report
XIII SITRAER
COPA 2014
DECEA
OBJETIVO
• Apresentar à audiência aspectos
ocorridos na Copa FIFA 2014 e
expectativas sobre os Jogos Olímpicos
2016, sob o ponto de vista do Controle
do Espaço Aéreo.
ROTEIRO
• Planejamento
Operacional
Técnico
• Execução
• Lições aprendidas
• Expectativas Jogos Olímpicos
PLANEJAMENTO
OPERACIONAL
PLANEJAMENTO
Portarias:
083 - T/DGCEA, de 23 de maio de 2011 –
cria o Comitê de Coordenação.
115 – T/VICEA, de 06 de junho de 2011 –
aprova o Plano de Ação do DECEA.
PLANEJAMENTO
Módulo 1 - Capacidade
Medição e declaração das capacidades de pistas dos
aeródromos, envolvidos.
Medição e declaração das capacidade dos setores de
controle das regiões de informação de voo e das
terminais de controle do espaço aéreo brasileiro.
PLANEJAMENTO
Módulo 2 – Projeção da Demanda
Pesquisas junto ao Ministério dos Esportes, ABEAR,
SNETA, ABAG quanto à demanda esperada para a
Copa do Mundo FIFA Brasil 2014.
Estudo levando-se em consideração a demanda ocorrida
durante as Copas da Alemanha (2006) e África do Sul
(2010), Eurocopa (2012), Jogos Olímpicos (2012),
Superbowl (2014).
PLANEJAMENTO
Módulo 3 – Configuração do Espaço Aéreo
Redimensionamento das FIR BS, CW, RE e AZ.
Implantação do PBN nas TMA Rio de Janeiro e São
Paulo.
Realização do CDM Rotas (Decisão Colaborativa com
as Empresas Aéreas Nacionais e Internacionais).
PLANEJAMENTO
Módulo 4 – Monitoramento da Operacionalidade
Coordenação com SDTE quanto à execução das
manutenções preventivas e corretivas nas infraestruturas
instaladas e consideradas críticas.
Coordenação com o GEIV quanto à execução de
inspeções em voo nas infraestruturas instaladas.
Modernização do salão operacional do Centro de
Gerenciamento da Navegação Aérea.
PLANEJAMENTO
Módulo 5 – Gerenciamento de Fluxo
Criação de cenários (aeródromos e espaço aéreo) por
meio de simulação (TAAM).
Finalização do recebimento do SIGMA (software do CGNA
para gerenciamento de movimento aéreo).
PLANEJAMENTO
Módulo 6 – Legislação
Documentos elaborados (também versões em inglês):
PCEA (Plano de Comunicações e Eletrônica); AIC (Circular
de Informação Aeronáutica) 08/14 – Regras de alocação de
SLOT para aeronaves que efetuam serviço de táxi aéreo e
de aviação geral em aeródromos coordenados durante a
Copa; AIC 12/14 Alterações temporárias no espaço aéreo
brasileiro durante a realização da Copa do Mundo; e outros
diversos NOTAM.
PLANEJAMENTO
Módulo 7 – Gerenciamento da Segurança Nacional
Realização da análise do Gerenciamento de risco, em
virtude das modificações da circulação aérea
(Recomendação da OACI).
Elaboração do Plano de Contingência especificamente
para a Copa do Mundo.
PLANEJAMENTO
Módulo 8 – Segurança e Defesa
Estreita coordenação junto ao COMDABRA, com relação à
criação das áreas de exclusão.
Criação de áreas e corredores para uso exclusivo das
aeronaves de segurança e defesa.
PLANEJAMENTO
Módulo 9 – Recursos Humanos
Realização, em coordenação com ICEA e Regionais, do
PROSIMA (Programa de Simulação) para controladores
de tráfego aéreo.
Realização do Programa Especial para AIS.
Realização de brifins nos Regionais.
PLANEJAMENTO
Módulo 9 – Recursos Humanos
Visitas operacionais aos Centros de Controle e
Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo dos Estados
Unidos e Europa e visitas técnicas aos países sede de
competições internacionais (grandes eventos).
Visitas operacionais e acompanhamento da EURO 2012, dos
Jogos Olímpicos de Londres 2012 e Superbowl 2014.
PLANEJAMENTO
Módulo 10 – Comunicação Social
Elaboração do Guia Prático do DECEA para a Copa do
Mundo de Futebol FIFA Brasil 2014.
PLANEJAMENTO
TÉCNICO
PLANEJAMENTO TÉCNICO
• Avaliação das necessidades - pessoal e material;
• Aquisição de equipamentos para a COL (Célula de
Operação Local);
• Aquisição de novos
Videoconferência;
equipamentos
para
a
• Coordenação e apoio junto ao CINDACTA II para a
implantação do CCDA, em Curitiba;
• Apoio técnico às necessidades do CGNA para
estruturação da Sala Master (KF e canalização).
PLANEJAMENTO TÉCNICO
• Auxílios à navegação, nas cidades sedes - 100% de
disponibilidade;
• Consolidação de escalas técnicas do pessoal de
serviço;
• Serviço técnico (aterramento) para proporcionar
emprego do míssil Python 4 em EG, CY e CT;
• Serviço (canalização BASC – KT radar) para
proporcionar emprego do ARP Hermes 900 em SBSC;
PLANEJAMENTO TÉCNICO
• Implementação de novas DLRS;
• Instalação pelo SRPV-SP de 2 rádios (Itaquera e
Maracanã); e
•Coordenação de sobreaviso “LIFE” (segurança da
informação).
DESMONTAGEM, DESLOCAMENTO E MONTAGEM DO RADAR
DLRS / CEL-COL
A ESTRUTURA CONSOLIDADA
ATENDEU
PLENAMENTE
ÀS
NECESSIDADES OPERACIONAIS
DOS
COPM,
COMGAR,
COMDABRA.
OPERAÇÃO GCC.
COL-SP
CCDA-CT
Mobilização de Suporte Logístico
Em maio/2014, foi realizada, no PAME-RJ, uma reunião com as
Empresas com Contrato de Suporte Logístico (CSL), listadas abaixo:
CSL
Técnicos de Sobreaviso
ATC SYSTEMS (sistema torre)
15
AIRNAV (aux. navegação aérea)
10
ATECH (SAGITARIO)
19
ATMOS (radar MET)
4
EMBRATEL (canalização telecom)
1
HOBECO (estações meteorologia)
6
IACIT (radares MET)
30
LOCKHEED MARTIN (radares)
8
MASTER (TELESAT)
2
OMNISYS (radares)
11
RAYTHEON (radares SIVAM)
4
SAIPHER (TATIC Flow)
1
SITTI (sistema comunicações)
9
STAR ONE (canalização satélite)
1
TELEAR (aux. navegação aérea)
3
THALES (radares)
Total geral
2
124
5.344 Militares do DECEA
SALA MASTER
42 DIAS/24hs
17 Organizações / 82 pessoas
C
O
M
D
A
B
R
A
R
F
B
D
P
F
V
I
G
I
A
G
R
O
A
N
V
I
S
A
I
B
A
M
A
P
E
T
R
O
C
O
L
A
N
A
C
S
A
C
P
R
A
S
C
O
M
I
A
T
A
X
N
G
C
O
M
G
A
R
CGNA
INFRAERO
CHEFE/ADJ SALA MASTER
170 BRIFINS / DEBRIFINS
Defesa Aérea / CTA
Sala Máster
CHEGADA DAS SELEÇÕES
• 1ª Austrália : 28.05.14 (Curitiba - Vitória).
• 31ª Portugal : 11.06.14 ( Campinas).
• 07 diferentes aeroportos de entrada:
• GRU, VCP, GIG, CNF, SSA, CWB e POA.
• Nenhuma aeronave alternou.
• Nenhuma delegação atrasou motivo CEA.
COMANDO DA AERONÁUTICA
Dia 28 de maio de 2014.
Chegada da Delegação da Austrália, em Curitiba.
COMANDO DA AERONÁUTICA
Dia 14 de julho de 2014.
Saída da Delegação da Alemanha (GIG – FRA).
Ações Operacionais Táticas
• Decolagens das duas pistas (BR,GR e GL);
• Posição “autorização de tráfego” extra;
• Equipe sala AIS foi “dobrada” com Oficias presentes
em todas as Salas;
• Envio pessoal SDOP/CGNA para TWR, APP e Salas
AIS;
• Oficiais nos órgãos de controle 100% do tempo de
operação;
• Aplicação de “Programa de Atraso em Solo” após os
jogos.
Voos acompanhados pela Sala Master:
865
321 (255 domest. e 66 internac.)
- Árbitros:114
- Chefes de Estado: 106
- Dopping: 174
- Pres/Sec FIFA: 102
Fretamento da HBS: 48
- Seleções:
Inglaterra x Itália
Manaus
522
JOGOS PRINCIPAIS
• BRASIL X CAMARÕES (Brasília, 23.06)
• SBBR:
• Charter: 72
• Aviação Geral: 152
• Aumento tráfego total: 16%
• 67 decolagens (AG) a partir das 20:30p.
• Tráfego aéreo 00:23p:
• 300 anvs (média para o horário 215).
263
JOGOS PRINCIPAIS
• Argentina x Nigéria (Porto Alegre, 25.06)
• SBPA:
• Charter: 24
• Aviação Geral: 92 (47 argentinos)
• VIP FIFA na BACO
• Aumento tráfego total: 23%
Presidente FIFA
Pres. Federação Argentina
212
179
291
TMA - BH 963 mov.
827
TMA – SP 1564 mov.
SEMIFINAL / AVIAÇÃO GERAL
08 DE JULHO - SEDE BELO HORIZONTE
09 DE JULHO - SEDE SÃO PAULO
AERÓDROMO
TOTAL
MOVIMENTOS
TOTAL
AERONAVES
AERÓDROMO
TOTAL
MOVIMENTOS
TOTAL
AERONAVES
SBCF
135
68
SBGR
192
96
SBBH
299
150
SBKP
45
23
TOTAL
434
217
SBSP
126
63
SBMT
146
73
TOTAL
509
255
FINAL
ALEMANHA x ARGENTINA
13/07/2014 – 16:00h – RIO DE JANEIRO
357
378
ARGENTINA X ALEMANHA (RIO DE JANEIRO - 14.07)
Dia seguinte da Final
• TERMINAL RIO DE JANEIRO
REGULAR
CHARTER
GERAL
MILITAR
TOTAL
Total do dia
769
96
838
58
1761
Passado*
661
14
404
41
1120
Variação %
16%
585%
107%
41%
57%
01 movimento a cada 49 segundos.
Horário pico, 01 a cada 32 segundos.
TWR-GL: Duplicação das posições operacionais
AVIAÇÃO GERAL X SLOTS
• Nacionais: 2839 aeronaves (21.537 slots)
• Internacionais: 635 aeronaves (1.518 slots)
• Obs1: 19.035 slots de pouso
• Obs2: Somente Congonhas e Carlos Prates necessitam slots para
decolagem
AERONAVES AG X SLOTS
ORIGEM DAS AERONAVES AG
AMÉRICA CENTRAL
AMÉRICA DO SUL
País
Aeronaves
Alocadas
Slots
Alocados
Argentina
Bolívia
Chile
Colômbia
Equador
Guiana
Guiana Francesa
Paraguai
Peru
Suriname
Uruguai
Venezuela
TOTAL
121
14
23
26
8
5
2
28
9
7
31
66
340
357
15
33
67
12
5
2
43
10
10
42
100
696
País
Aeronaves
Alocadas
Slots
Alocados
Antigua e Barbuda
4
4
Antilhas Holandesas
Aruba
Bahamas
Barbados
Bermuda
Costa Rica
Cuba
Haiti
Honduras
Panamá
Porto Rico
4
2
4
15
2
2
6
1
2
9
5
5
2
4
16
7
2
9
1
6
9
5
República Dominicana
2
2
Trinidad e Tobago
TOTAL
4
62
4
76
ORIGEM DAS AERONAVES AG
AMÉRICA DO NORTE
País
Aeronaves
Slots
Alocadas Alocados
Canadá
4
9
Estados Unidos
92
118
México
4
5
TOTAL
100
132
OCEANIA
País
Aeronave Slots
s Alocadas Alocados
Nauru
32
469
TOTAL
32
469
ÁSIA
País
Qatar
TOTAL
Aeronaves Slots
Alocadas Alocados
4
4
6
6
ORIGEM DAS AERONAVES AG
ÁFRICA
País
África do Sul
Angola
Benin
Burkina Faso
Cabo Verde
Congo
Costa do Marfim
Gabão
Gâmbia
Gana
Guiné
Guiné Equatorial
Marrocos
Moçambique
Namíbia
Nigéria
Senegal
TOTAL
Aeronaves Slots
Alocadas Alocados
10
7
4
1
45
6
3
1
1
5
1
2
2
1
2
4
2
97
21
12
6
2
50
7
6
1
1
8
1
2
7
1
2
9
3
139
TOTAL DE AERONAVES AG INT.: 635
TOTAL DE SLOTS ALOCADOS: 1.518
RESULTADO FINAL:
Média diária 485 mil passageiros (21 aeroportos / 12 cidades-sede)
Média de atrasos de voos de 7,46%
Média internacional: 15% / Padrão europeu: 7,6%.
LIÇÕES APRENDIDAS
LIÇÕES APRENDIDAS
•Envolvimento dos Comandantes, Chefes e Diretores;
• Palestras dos Regionais com o efetivo operacional e pilotos locais;
• PROSIMA BCT, Programa Especial AIS, vídeo explicativo AIS;
• Antecipação das AIC, Guia Prático do Espaço Aéreo e PCEA;
• Agilidade no “redesenho” de setores do Espaço Aéreo (Exemplos: TMAFZ, Setor 8 da TMA-SP, FIR-BS e FIR-RE).
LIÇÕES APRENDIDAS
• Resolução 316 ANAC;
• A interação com os Órgãos Governamentais na Sala Master;
• Elemento de Defesa Aérea nas TWR de interesse; e
• Equipe de pronta resposta (rede operacional e energia).
'Parabéns, Brasil', diz escocês que
pegou 29 voos sem atraso na Copa
Repórter esportivo do jornal "The National" dos Emirados
Árabes Unidos, o escocês Gary Meenaghan, pegou 29 voos
sem nenhum atraso, em 28 dias e visitou 10 das 12 cidadessede na Copa.
Um ‘Maracanã’ de aviões
Coluna do Ancelmo Gois
“Veja como estavam ontem os pátios de
estacionamento dos aeroportos Galeão
e Santos Dumont pouco antes da final
da Copa do Mundo, no Rio.
Eram quase mil aeronaves e jatinhos
particulares. Tiveram lotação esgotada.
Mas todo mundo conseguiu pousar com
segurança. E o Brasil mostrou mais uma
vez que, sim, podemos receber milhares
de turistas, delegações, autoridades
e presidentes com segurança no país.
É só repetir o padrão Copa”.
Referência Elogiosa
Departamento de Controle do Espaço Aéreo – DECEA e/ou
Prezado Ten. Brigadeiro do Ar Rafael Rodrigues Filho
Após o encerramento da Copa do Mundo de 2014, não poderíamos deixar de registrar os
nossos sinceros agradecimentos e o nosso genuíno reconhecimento àqueles que se
destacaram na organização e na condução das operações aéreas que ocorreram
durante esse período.
As equipes do DECEA e do CGNA, com esforço contínuo e com dedicação exemplar,
conseguiram integrar e coordenar diversos setores, processos e ações, com total
segurança, acomodando todo o movimento da aviação geral durante esse evento de
repercussão global.
A liderança, a maestria e o profissionalismo dessas pessoas foram essenciais para termos
alcançado os padrões de primeiro mundo na aviação brasileira, durante esses
atribulados trinta dias.
Para a Líder foi uma honra e motivo de grande orgulho trabalhar lado a lado com esse time,
que fez desse evento, um momento fundamental para ratificação da importância da
Aviação Geral no Brasil.
Aceite, pois, os nossos parabéns pela sua competência e de toda a sua equipe, sendo ela a
palavra que resume o motivo do sucesso de toda a operação.
Cordialmente,
Eduardo Vaz
Presidente – President/CEO
EXPECTATIVAS JOGOS OLÍMPICOS
EXPECTATIVAS JOGOS OLÍMPICOS
EXPECTATIVAS JOGOS OLÍMPICOS
 PREVISÃO DE DEMANDA POR SEGMENTO DE AVIAÇÃO,
NACIONAL E INTERNACIONAL;
 ALTA TAXA DE OCUPAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO
DURANTE TODO O PERÍODO;
 CLIMATOLOGIA;
 CENTRALIZAÇÃO DE CHEGADAS E PARTIDAS;
 DEFINIÇÃO DO PADRÃO DA DEFESA AÉREA;
EXPECTATIVAS JOGOS OLÍMPICOS
 PÁTIOS DE ESTACIONAMENTO;
 DEFINIÇÃO DA VOCAÇÃO DOS AEROPORTOS;
 TEMPO DE PROCESSAMENTO NOS AEROPORTOS;
 PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS;
 MODERNIZAÇÃO DA SALA MASTER; e
 CAPACITAÇÃO OPERACIONAL (PROSIMA BCT e AIS 2015
e 2016).
COORDENAÇÃO JOGOS OLÍMPICOS
 REUNIÕES APO, COI e COMAER;
 REUNIÕES CTOE (COMITÊ TÉCNICO DE OPERAÇÕES
ESPECIAIS);
 CONAERO; e
 SAC e ANAC.
ROTEIRO
• Planejamento
Operacional
Técnico
• Execução
• Lições aprendidas
• Expectativas Jogos Olímpicos
OBJETIVO
• Apresentar à audiência aspectos
ocorridos na Copa FIFA 2014 e
expectativas sobre os Jogos Olímpicos
2016, sob o ponto de vista do Controle
do Espaço Aéreo.

similar documents