Aula - 1 Parte OS ORIXAS

Report
Manifestação do Espírito para a Caridade.
Manifestação do Espírito para a Caridade
Palavras de RAMATIS
• “...o vocábulo trinário Umbanda, em sua vibração
intrínseca e real, significa “Lei Maior Divina”, regendo sob
o ritmo septenário o desenvolvimento da Filosofia,
Religião e a existência humana pela atividade da Magia em
todas as latitudes do Universo, ...”
• Sabemos que a palavra Umbanda é síntese vibratória e
divina, abrangendo o conjunto de leis que disciplinam o
intercâmbio do Espírito e a Forma, em vez de doutrina
religiosa ou fetichista. Ela é conhecida desde os Vedas e
demais escolas iniciáticas do passado...
• Devido à ancestralidade divina existente no Espírito
humano, Umbanda será expressa e compreendida na
sua elevada significação cósmica, mercê do trabalho
perseverante dos próprios umbandistas estudiosos e
descondicionados do fetichismo escravizante de seita!
ROTEIRO
•
•
•
•
•
•
Breve comentário histórico das Religiões.
Considerações iniciais.
Religiões africanas e o Brasil.
Orixás da Umbanda (masculinos e femininos).
Sincretismo religioso.
Orixás e sua relação com:
- elemento e força da natureza
- data comemorativa e dia da semana
- cores e indumentária
- chacras (ligações mediúnicas)
- planeta regente
- nota musical
- saudação
- Amalá, otis e local de entrega
Breve comentário
• Os principais sistemas religiosos e tradições espirituais do mundo
podem ser classificadas em um pequeno grupo de religiões
mundiais, mas não há um critério definido para o termo. A busca
por uma definição começou no século XVIII, quando tentou-se
observar o nível de civilidade das sociedades humanas ao redor
do mundo.
• Estas tradições espirituais podem ser também combinadas em
grupos maiores. O cristianismo, islamismo e o judaísmo podem
ser unidos como religiões abraâmicas. O hinduísmo, budismo,
sikhismo e jainismo são classificados como religiões indianas.
• A religião tradicional chinesa, confucionismo, taoísmo e
shintoismo são classificados como religiões da Ásia Oriental(ou
Chinesas, ou Taóicas).
• As religiões tradicionais africanas também referidas
como religiões indígenas africanas, englobam
manifestações culturais, religiosas e espirituais e há
uma multiplicidade de religiões dentro desta
categoria.
• Envolvem ensinamentos, práticas e rituais, e visam
compreender o divino. São religiões que não foram
significativamente alteradas pelas outras religiões
(cristianismo, islamismo, judaísmo e outras).
• Os africanos quase sempre reconhecem a existência
de um Deus Supremo que criou o Universo
(Olodumare , Olorun, Ifá, etc).
• Religiões tradicionais africanas são definidas em
grande parte por linhagens étnicas e tribais.
Considerações iniciais
• Durante o processo de colonização do Brasil, a utilização dos
africanos como mão de obra escrava estabeleceu um amplo
leque de novidades em nosso cenário religioso. Oriundos de
várias regiões da África, os escravos traziam consigo várias
crenças que se modificaram no espaço colonial. De forma geral,
o contato entre nações africanas diferentes empreendeu a
troca e a difusão de um grande número de divindades.
• Aparentemente, a participação dos negros nas manifestações
de origem católica poderia representar a conversão religiosa
dessas populações e a perda de sua identidade. Contudo,
muitos escravos, mesmo se reconhecendo como cristãos, não
abandonaram a fé nos orixás, voduns e inquices oriundos de
sua terra natal. Ao longo do tempo, a coexistência das
crendices abriu campo para que novas experiências religiosas –
dotadas de elementos africanos, cristãos e indígenas – fossem
estruturadas no Brasil.
Religiões africanas e o
Brasil
• O Candomblé chega ao Brasil através dos negros que vieram
como escravos. Entre eles se destacavam dois grupos: os
bantos (que vinham de regiões como o Congo, Angola e
Moçambique) e os sudaneses, que vinham da Nigéria e do
Benin (e que são os iorubas ou nagôs, e os jejes).
• Este culto africano, que se tornou afro-brasileiro, era
encarado como bruxaria. Por isso era proibido e sua prática
reprimida pelas autoridades policiais. Assim, passaram a
cultuar suas divindades e seguir seus costumes religiosos
secretamente. Para disfarçar, identificavam seus deuses com
os santos da religião católica.
Umbanda
• No início do século 20, duas décadas depois da abolição da
escravatura no Brasil, originou-se na cidade de Niterói, no Rio de
Janeiro, um culto afro-brasileiro muito importante: a Umbanda.
• Incorporou práticas do candomblé, do catolicismo e do
espiritismo. É um culto mais brasileiro, mais simples e mais
popular, até porque seu idioma é o português e não as línguas ou
dialetos africanos. Também sofreu perseguições e muitos terreiros
foram invadidos pela polícia e os rituais foram proibidos.
• Com a Proclamação da Republica a Igreja e o Estado se separam e
a partir daí, torna-se um contra-senso a polícia discriminar uma
religião.
O Inicio
• Foi através do jovem Zélio Fernandes de Moraes, na
casa de sua família, na rua Floriano Peixoto, nº 30,em
Niterói,RJ, que às 20:00 h, do dia 16 de novembro de
1908, manifestou-se o Caboclo das Sete Encruzilhadas.
• Declarou que naquele momento se iniciava um novo
culto, em que os espíritos de velhos africanos que
haviam servido como escravos e que, desencarnados,
não encontravam campo de atuação nos
remanescentes das seitas negras; e os índios nativos de
nossa terra, poderiam trabalhar em benefício de seus
irmãos encarnados, qualquer que fosse a cor, a raça, o
credo e a condição social.
• "Se julgam atrasados esses espíritos dos pretos,
índios, caboclos, devo dizer que amanhã estarei
em casa desse aparelho (corpo do médium Zélio),
para dar início a um culto em que esses pretos e
esses índios poderão dar a sua mensagem e,
assim, cumprir a missão que o plano espiritual
lhes confiou. Será uma religião que falará aos
humildes, simbolizando a igualdade que deve
existir entre todos os irmãos, encarnados e
desencarnados. E se querem saber meu nome que
seja esse: Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque
não haverá caminhos fechados para mim."
Orixás da Umbanda
• A Umbanda acredita que os Orixás não tiveram
vida corpórea na terra.
• São a representação da energia, força oriunda da
natureza, e é tal força que auxilia os seres
humanos nas dificuldades do dia a dia.
• Na Umbanda, os orixás não incorporam
(diferentemente do Candomblé), o que se vê é a
manifestação dos Falangeiros dos Orixás, que são
os Guias que trabalham sob ordens de um
determinado Orixá.
• Cada pessoa recebe a influência de um Orixá, que
será seu protetor por toda a vida.
OLORUM
• Na Mitologia Yorubá, Olorun ou Olorum, é o
Dono do Orun (céu) e Criador do Orun e do Aiye,
o céu e a terra.
• É o Deus Pai Criador de tudo e de todos. Embora
reconhecido e louvado como Único e Soberano,
não existe templo individual para Ele.
• De acordo com um dos mitos da criação Yorubá,
ele delegou os poderes de criação do Aiye para
seu primeiro e mais velho filho Oxalá ou Obatalá.
KOSI OBA KAN AFI OLORUN
(Não há outro Senhor senão Deus)
OLORUM
TUPÃ
ZAMBI
ZEUS
ALAH
JEOVÁ
IFÁ
BRAHMA
DEUS
DEUS é a INTELIGENCIA SUPREMA, causa primaria de
todas as coisas. Não há efeito sem causa
• Oxalá é o maior Orixá da Umbanda, estando
abaixo apenas de Olorum, Deus Supremo.
• Senhor do branco, da pureza, da PAZ.
• Responsável pela criação dos seres humanos que
povoam o mundo.
• Ele envia vibrações que estimulam a fé individual,
assim como irradiações que geram sentimentos
de religiosidade.
• Representa o amor, bondade, pureza espiritual, e
tudo aquilo que indica positividade.
• Representado por uma estrela de cinco pontas.
• Como OXALÁ OXAGUIAN, é jovem, guerreiro, ousado e
brincalhão.
• Carrega uma espada, um escudo e uma espécie de
batedor de pilão chamado “enidô”.
• Como OXALÁ OXALUFÃ, é idoso, e sempre está curvado,
arrastando os pés e amparado por um cajado chamado
“opaxorô”, que leva na extremidade superior um
pássaro de metal.
• Foi com este cajado que separou o mundo dos homens
e o mundo dos deuses.(...)
• Na Umbanda, Oxalá é o Orixá mais alto da escala
hierárquica e tem como sincretismo o próprio Divino
Mestre – JESUS.
• Oxalá se apresenta na Umbanda de três formas
diferentes, ou seja:
• Oxalá Menino - OXAGUIAN - Menino Jesus de Praga.
• Oxalá Velho - OXALUFAM - Jesus Cristo no Monte das
Oliveiras.
• OXALÁ - Jesus Cristo, o Governador excelso da 2ª
Galáxia.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Elemento e Força da natureza : o ÉTER e a LUZ.
Dia da semana de melhor vibração: sexta-feira
Data comemorativa: 25 de dezembro
Chacra atuante: coronário
Planeta regente: Sol
Nota musical: si
Cor vibratória: cristalino, com raias douradas
Cor representativa: branco (roupas, etc.)
Cor da Guia: contas brancas leitosas (miçangas)
Saudação: Babá-Ekê ou Aê-Babá/ Oxalá meu Pai!
Amalá: para Oxalá não se dá Amalá, faz-se agrado com uma
mesa de frutas, não podem ter espinhos nem farpas. É o
único Orixá que não exige matança, em tempo algum.
• Otí : água mineral, vinho branco e vinho tinto (Sangue de
Cristo)
• Local de entregas: campo gramado, limpo
• Conhecido como senhor dos caboclos e das matas.
• Também chamado de ODÉ , o caçador, e por extensão
foi-lhe outorgada a responsabilidade sobre a mata que
originalmente pertencia a Ossaim (orixá das ervas
medicinais e seus segredos curativos).
• É o caçador das almas dos homens e dele emana altivez.
• Encoraja e dá segurança a todos seus seguidores.
• Protetor dos animais, é conhecido por aliar sua grande
força com o bom senso.
• É um lutador, grande guerreiro, está sempre pronto para
defender aqueles que se colocam sob sua guarda.
• Oxossi traz a cor azul no Candomblé e verde na Umbanda
SÃO SEBASTIÃO
(256dc – 286dc)
• Nasceu em Narbonne, França, e se tornou cidadão de
Milão, foi um mártir e santo cristão. O seu nome deriva
do grego sebastós, que significa divino, venerável (que
seguia a beatitude da cidade suprema e da glória
altíssima).
• De acordo com “Actos Apócrifos”, atribuídos a Santo
Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado do exército
romano.
• Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiano,
que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de
um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua
guarda pessoal, a Guarda Pretoriana.
• A sua conduta branda para com os prisioneiros
cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente
como traidor, tendo ordenado a sua execução por
meio de flechas (que se tornaram símbolo constante
na sua iconografia).
• Foi dado como morto e atirado no rio, porém,
Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido
por Irene (Santa Irene), apresentou-se novamente
diante de Diocleciano, que ordenou então que ele
fosse espancado até a morte.
• Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma.
Luciana (Santa Luciana) resgatou seu corpo, limpouo, e sepultou-o nas catacumbas.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Elemento e Força da natureza: as matas
Dia da Semana: quinta-feira
Data comemorativa: 20 de janeiro
Chacra atuante: esplênico
Planeta regente: Vênus
Nota musical: ré
Cor vibratória: azul
Cor representativa: verde (roupas, etc.)
Cor da guia : verde e branco
Saudação: Okê Caboclo!, Okê Arô!
Amalá: milho cozido com mel de abelha, mandioca cozida e
todas as frutas
• Otí: cerveja branca, vinho tinto ou aluá (cachaça de milho)
• Local de entrega: matas (ou ao pé de uma árvore).
• É o Orixá da justiça e da sabedoria.
• Simboliza a lei de causa e efeito, responsável
a dar a quem merece o devido castigo e a
vitória aos que foram injustiçados.
• É quem dá solução às pendências. A maioria
dos seguidores que recorrem ao Xangô são os
que sofrem de injustiças, perseguições
espirituais e materiais.
• Desse Orixá, emanam também o saber e a
autoridade, é o protetor de todos que tem
contato com as práticas da lei.
• Um dos mais populares no Brasil.
• É atribuído a ele o reinado de Oyó, segundo lendas e
tradições Yorubás.
• É o Orixá do raio e do trovão sendo estas as armas que
usa para fazer justiça.
• Tem uma semelhança com deuses de outras mitologias,
tais como Zeus (grego) e Thor (nórdico).
• O símbolo de Xangô é um machado de duas laminas o
“oxé”.
• No Candomblé a cor é o vermelho e na Umbanda o
marrom escuro.
SÃO JERONIMO
• Eusébio Sofrônio Jerônimo, nasceu na Dalmacia
(Croacia) foi padre e é conhecido sobretudo como
tradutor da Bíblia do grego antigo e do hebraico para o
latim.
• A edição de São Jerônimo, a “Vulgata” (tradução feita
para o povo ou vulgo), é ainda o texto bíblico oficial da
Igreja Católica Romana, que o reconhece como um dos
fundadores do dogma católico e doutor da Igreja.
• Faleceu perto de Belém em sua cela, próximo à gruta da
Natividade.
• Elemento e força da natureza: as pedras (vivas),
pedreiras à beira mar, etc.
• Dia da semana: quarta-feira
• Data comemorativa: 30 de setembro
• Chacra atuante: cardíaco
• Planeta regente: Júpiter
• Nota musical: fá
• Cor vibratória: verde-musgo
• Cor representativa: marrom e todas suas nuanças
• Cor da guia: marrom e branco
• Saudação: Kaô Cabecile
• Amalá: rabo de vaca, quiabo e camarão
• Otí: cerveja preta
• Local de entrega: pedreira
• Ibejí ou Ibejís são os Orixás que protegem as
crianças.
• São conhecidos na Umbanda como os Orixás de
amor e alegria.
• A palavra Igbeji que dizer gêmeos. Forma-se a
partir de duas entidades distintas que cooexistem, respeitando o princípio básico da
dualidade, os opostos que caminham juntos.
• Em todas as circunstancias tudo tem dois lados e
que a justiça só pode ser feita se as duas medidas
forem pesadas, se os dois lados forem ouvidos.
• O poder de Igbeji jamais pode ser
negligenciado, pois o que um Orixá faz Igbeji
pode desfazer, mas o que um Igbeji faz
nenhum outro Orixá desfaz. E mais: eles se
consideram os donos da verdade.
• Conhecidos nos terreiros de Candomblé,
como ÊRES.
• No Candomblé as cores são vermelho e verde,
na Umbanda o rosa e o azul
• Foram sincretizados a São Cosme e São Damião.
• Os santos católicos que viveram no oriente e
também foram perseguidos por Diocleciano.
• Historicamente pouco se sabe sobre eles, sabese que eram gêmeos e médicos.
• Em grego eram chamados de “anargiros”, isto é,
sem dinheiro, porque não cobravam por seus
préstimos e curavam não somente os homens,
mas também os animais e pouco se sabe sobre a
morte de ambos.
• O elemento e força da natureza: são todos, de acordo com a
necessidade, utilizar qualquer dos elementos.
• Dia da semana: domingo
• Data comemorativa : 27 de setembro
• Chacra atuante: cervical
• Planeta regente: Mercúrio
• Nota musical: Sol
• Cor vibratória: vermelho
• Cor representativa: rosa e azul escuro (roupas, etc.)
• Cor da guia : contas rosas e brancas, azuis e brancas, ou ainda,
rosas, brancas e azuis em conjunto
• Saudação: Ori Beijada!
• Amalá : doces de qualquer qualidade
• Otí : guaraná, soda água com açúcar ou refrescos
• Local de entrega : jardins floridos ou beira da praia
• Obaluaê ou Omolu representam o mesmo Orixá.
• Obaluaê está ligado à manifestação jovem deste Orixá,
guerreiro, caçador e lutador.
• Omulu representa a sua manifestação velha, de sábio,
feiticeiro e guardião.
• A palavra Obaluaê vem do Yorubá Obàlúwàiyé que quer
dizer "Rei Senhor da Terra" e Omolu significa "Filho do
Senhor".
• Considera-se ser duas formas de um só Orixá que leva o
nome de “Xapanã” (um nome perigoso de ser
pronunciado).
• Obaluaê tem seu corpo coberto por palha da costa, em
razão de possuir feridas na pele. Também representa o
mistério, especificamente, o mistério da morte que para
nós encarnados ainda não está revelado.
• Obaluaê é tido como senhor da cura, e é o transmutador
de energias, aquele que encaminha as almas recém
desencarnadas. Assim, sempre que se adentra em um
cemitério se saúda Obaluaê, assim como se saúda Iansã.
• No Candomblé e na Umbanda as cores são preto e
branco.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Elemento e força da natureza: o fogo e a Terra
Dia da semana: segunda-feira
Data comemorativa: 16 de agosto // 17 de dezembro
Chacra atuante: básico ou sacro
Planeta regente: Saturno
Nota musical: dó
Cor vibratória: violeta
Cor representativa: roxa ou carijó (roupas , etc.)
Cor da guia : contas pretas e brancas
Saudação: Atotô Obaluaiê
Amalá: pipoca estourada com areia da praia e sem sal;
velas brancas e pretas; flores brancas e água
• Otí: vinho ou água mineral
• Local de entrega: calunga pequena (cemitério)
SÃO ROQUE
• Nasceu em 1295, na França,
filho de família rica, fica
órfão muito cedo e resolve
doar aos pobres parte de
sua fortuna. Preferiu seguir o
mesmo caminho de Cristo
ajudando os mais carentes.
• Curava os doentes de um
hospital que trabalhava com
o sinal da cruz.
• Padroeiro dos inválidos, dos
médicos cirurgiões e é
sempre lembrado para curar
doenças contagiosas
SÃO LAZARO
• Lázaro de Betânia é um
personagem bíblico descrito
no Evangelho, segundo João,
como um amigo que Jesus
teria ressuscitado, irmão de
Marta e de Maria.
• Seu nome, provavelmente
do grego, corresponde ao
hebraico Eleazar e significa
literalmente "Deus ajudou".
• É o orixá de todos os movimentos, de todos os ciclos, da
transformação.
• Quase desconhecido na Umbanda e geralmente
associado, de forma errônea, ao Orixá Oxum.
• Considerado um Orixá dual, seis meses é masculino
(representado pelo arco-íris) e os outros seis, feminino
(representado por uma cobra).
• Oxumaré é identificado com Dã, a Serpente do Arco-íris,
pois irradia as sete cores que caracterizam as sete
irradiações divinas que dão origem às Sete Linhas de
Umbanda. E ele atua nas sete irradiações como
elemento renovador.
• Oxumaré é a renovação do amor na vida dos seres.
• Sua imagem tem estreita relação com o
símbolo dos alquimistas e ocultistas, o
“Ourobouros”.(o movimento do Universo)
• A ele se consagram o verde e amarelo e todas
as cores do arco-íris.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Elemento e Força da natureza: céu e a Terra
Dia da semana: terça-feira
Data comemorativa : 24 de agosto
Chacra atuante: laríngeo
Planeta regente: -Nota musical: -Cor vibratória: todas as do arco-íris
Cor representativa: verde e amarelo e todas as cores
do arco-íris(roupas, etc.)
Cor da guia: verde e amarela
Saudação: “Arrobobô!”
Amalá: feijão fradinho,batata doce em forma de cobra,
ovos cozidos, cortados em rodelas
Otí: água mineral
Local de entrega: próximo a queda da cachoeira
• Bartolomeu, também chamado Natanael, foi um
dos doze primeiros apóstolos de Jesus.
• Bartolomeu nasceu em Caná, na Galiléia, uma
pequena aldeia perto de Nazaré.
• Em hebraico, a palavra "bar" quer dizer "filho" e
"tholmai" significa "agricultor".
• Depois de convertido, tornou-se um dos apóstolos
mais ativos e presentes na vida pública de Jesus.
• Após a morte de Jesus foi evangelizar nas regiões da
Índia, Armênia Menor e Mesopotâmia.
• Foi na Armênia, depois de converter o rei Polímio e
sua esposa em cristãos, que ele teria sofrido o
martírio, motivado pela inveja dos sacerdotes
pagãos, os quais insuflaram Astiages, irmão do rei, e
conseguiram uma ordem para matar o apóstolo.
• Bartolomeu foi esfolado vivo e, como não morreu,
foi decapitado.
• Era o dia 24 de agosto de 51.
• Orixá das guerras e demandas, é um dos mais
populares do Brasil.
• Dentro das lendas Yorubas é filho mais velho de
Odudua (divinação yorubana da Terra e mulher
de Obatalá (o Céu).
• Chefiava o exercito de Ifé (capital religiosa dos
Yorubas), defendia sua cidade dos inimigos e
saqueava os reinos vizinhos.
• Ogum representa todas as batalhas da vida
• Representado por São Jorge, é o Orixá protetor
contra as guerras e contra diversas demandas
espirituais.
• É ele quem protege os seguidores da Umbanda
e as pessoas que sofrem perseguições espirituais
ou materiais. Ogum também é o senhor das
estradas, é a jornada do dia a dia e sua
responsabilidade é a manutenção da lei e da
ordem.
• Logum ou Ologum (olo = senhor, gum = guerra, ou seja, o
senhor da guerra ou guerreiro) é uma divindade da
cultura Iorubá, hoje região da Nigéria.
• Considerado irmão de Exu, tem caráter igualmente
instável e descontrolado, além do domínio sobre os
caminhos.
• É o primeiro Orixá a ser saudado após se despachar Exu
nas tradições dos cultos de Nação e mesmo na Umbanda
se utiliza tal procedimento.
• Foi uma das primeiras figuras do candomblé incorporada
por outros cultos, notadamente pela Umbanda, onde é
muito popular.
• Ogum é a vibração que nos impulsiona à luta, é a nossa
coragem, o nosso ânimo para vencer as constantes
guerras que travamos em nosso cotidiano.
• Todos que dominam a técnica de forjar o ferro são
considerados protegidos de Ogum.
• No Candomblé consagra-se a ele a cor azul-marinho e na
Umbanda o vermelho, por certa aproximação com Exu
que tem o vermelho e preto como cores.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Elemento e força da natureza: todos os metais / siderurgia
Dia da Semana: terça-feira
Data comemorativa: 23 de abril
Chacra atuante: solar
Planeta regente: Marte
Nota musical: mi
Cor vibratória: laranja
Cor representativa: vermelho (roupas, etc.)
Cor da guia: vermelho e branca
Saudação: Ogum-Iê
Amalá: feijão fradinho, lombo e lingüiça
Otí: cerveja branca
Local de entregas: praia ou campina
• São Jorge nasceu na Capadócia, Turquia, em 280 dC.
Vinte anos depois, mudou-se com a mãe (viúva) para
a Palestina, vindo a ingressar no exército do
imperador romano Diocleciano, que gostava dele e o
promoveu a conde.
• Diocleciano começou a implacável perseguição aos
cristãos e Jorge se opôs a ele e à corte, defendendo
cada vez mais a sua fé em Cristo.
• O imperador, então, condenou-o às mais terríveis
torturas. Mas Jorge conseguiu sobreviver às lanças
dos soldados, permaneceu firme sob o peso de uma
imensa pedra e "fez o milagre" de resistir às
navalhadas que recebeu, e ao calor de uma fornalha
de cal. O imperador, enlouquecido de ódio, mandou
então decapitá-lo em 23 de abril do ano 303.
FIM DA 1ª PARTE

similar documents