Operações Lexicais - Cursinho Vitoriano

Report
Estrutura e Formação das palavras
Operações Lexicais
 Adjunção: acréscimo de morfemas às formas primitivas
(ex: sufixo –ada em Molecada)
 Supressão: retirada de morfemas da palavra primitiva (ex:
cinematógrafo - cinema – cine)
 Adjunção-supressão: adjunção e ao mesmo tempo
supressão de morfemas (ex: vossa mercê – vosmecê – você)
 Nenhuma das situações anteriores: os vocábulos
resultantes provêm de alterações semânticas (ex: rocha –
Rocha)
Formação das palavras:
 Primitivas: não se formam a partir de nenhuma palavra da
língua: sol, feliz, honra
 Derivadas: se formam a partir de palavras primitivas: solar,
felicidade, honraria
 Simples: palavras que contêm um único radical: vinho,
tempo, perna
 Composta: se formam com a união de duas ou mais palavras
primitivas ou de doi ou mais radicas: vinagre (vinho + acre),
passatempo (passa + tempo)
Processo:
 Derivação
Pelo processo de derivação, forma-se uma palavra nova a
partir de outra já existente na língua.
 Composição:
adjunção de dois ou mais radicais, ou adjunção e supressão de
vocábulos.
Derivação sem afixo
 Derivação regressiva: supressão do segmento final (vogal
temática e desinência) de um verbo no infinitivo e na
adjunção de uma das três vogais temáticas nominais (-a, -e, o)
 Ex: ajudar – ajuda
 Atacar – ataque
 Abalar – abalo
Observe que a derivação regressiva resulta em substantivos
abstratos que nomeiam o verbo do qual derivam.
Diferentemente de “alfinete” e “pedra” substantivos concretos
em relação a alfinetar e apedrejar.
Derivação sem afixo
 Derivação Imprópria: a palavra primitiva e a derivada são
um mesmo vocábulo, mas usados em contextos distintos.
Ex: o olho azul(adj) – O azul dos seus olhos (subst)
Homem alto (adj) – falava alto (adv)
 Além desse caso em que a palavra primitiva e a derivada são
distintas, há também conversões, em que substantivos
comuns se tornam próprios
Ex: leão – Leão
Neves - Neves
Derivação com afixo
 Derivação prefixal: ocorre com acréscimo de prefixo ao
radical
Ex: ver – antever – prever – rever
Vir - convir – intervir – provir
 Derivação sufixal: adjunção de sufixos ao radical.
Diferentemente da derivação prefixal, pode acarretar
mudanças semânticas e morfológicas (adjetivos, advérbios,
verbos e substantivos)
Ex: acolher – acolhimento
Feliz - felizmente
Derivação com afixo
 Parassíntese: se agregam prefixos e sufixos aos mesmo
radical
Ex : apedrejar, infelizmente, descontentamento,
desinformação, etc.
Composição
 Composição por Justaposição: palavras que apenas se
justapõem , sem que haja alteração ou supressão dos termos
elementos formadores
Ex: guarda-civil, guarda-chuvas, pé de moleque, etc
 Composição por aglutinação: adjunção de duas ou mais
palavras primitivas, mas com supressão ou alteração fônica
em alguma delas.
Ex: aguardente, alvinegro, embora, etc
Casos Especiais
 Hibridismo: chama-se híbrido o vocábulo resultante da
adjunção de morfemas provenientes de distintas línguas.
Ex: decímetro (latim e grego)
Goiabeira (tupi e português)
 Abreviação: Supressão de fonemas de um vocábulo.
Ex: extra (extraordinário)
Pornô (pornográfico)
 Abreviatura: quando ocorre supressão da maioria dos
fonemas, o resultado fica tão desprovido de autonomia
fonética que se torna um símbolo
 Ex: Drª (Doutora)
Casos Especiais
 Sigla: diferentemente da abreviação e da abreviatura, a
siglonimização ocorre a partir de duas ou mais palavras
primitivas; porém, além dessa adjunção, suprimem-se
grandes segmentos dessas primitivas. Ex: USP (Universidade
de São Paulo)
 Onomatopeia: representa sons, ruídos, vozes de animais,
etc. Gera basicamente substantivos (bangue-bangue, recoreco), interjeições (pá!, poft!) e verbos (mugir, urrar, etc)
Casos Especiais
 Neologismos: termo que designa qualquer palavra de uso
recente no idioma (deletar, lance = situação, jogada =
acordo, etc.)
 Empréstimos lexicais: a língua dinamicamente se renova
com palavras de outras línguas e culturas. (ex: fast food).

similar documents