Lupus eritematoso hipertrófico tratado com

Report
9508963
Lupus eritematoso hipertrófico
tratado com infiltrações intralesionais
de esteroides e antimalárico
Mariana Campos Souza Menezes
Chan I Lym
Tullia Cuzzi
Beatriz Moritz Trope
Serviço de Dermatologia, Curso de Graduação e Pós-Graduação HUCFF-UFRJ,
Faculdade de Medicina - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Lupus erıtematoso hıpertrófıco tratado com ınfıltrações ıntralesıonaıs de esteroıdes e antımalárıco
INTRODUÇÃO
• O Lupus Eritematoso hipertrófico ou verrucoso (LEH) é uma variante do
lupus eritematoso crônico, descrita em 1940.
• Ocorre em 2% dos pacientes portadores de Lupus discoide.
Lupus erıtematoso hıpertrófıco tratado com ınfıltrações ıntralesıonaıs de esteroıdes e antımalárıco
MÉTODOS
• Acompanhamento ambulatorial do caso relatado e revisão bibliográfica.
Lupus erıtematoso hıpertrófıco tratado com ınfıltrações ıntralesıonaıs de esteroıdes e antımalárıco
RELATO DE CASO
• Feminino, 61 anos, negra.
• Apresenta-se com placas hipercrômicas, hiperceratósicas, verrucosas,
no tronco, antebraços e face.
• Histopatológico compatível com líquen plano hipertrófico e lúpus
eritematoso.
• Devido ao aspecto incomum, hipertrófico, verrucoso e fixo das lesões,
nova biópsia realizada confirmou LEH.
• Paciente apresentou bons resultados com infiltração intralesional de
triancinolona acetonida e tratamento oral com cloroquina.
• Falha na fotoproteção, com subsequente reativação da doença.
Antes do tratamento
HISTOPATOLÓGICO
Hiperceratose compacta e acantose irregular.
Processo inflamatório de interface acometendo
principalmente estrutura follicular presente.
Aumento de mucopolissacarídeos
dérmicos (ferro colloidal).
Após tratamento
Lupus erıtematoso hıpertrófıco tratado com ınfıltrações ıntralesıonaıs de esteroıdes e antımalárıco
DISCUSSÃO
• Histopatologia característica de LEH se assemelha a evidenciada no
líquen plano hipertrófico e ceratoacantoma, o que dificulta o diagnóstico.
• Trata-se de um caso com evolução prolongada e tratamento melindroso,
uma vez que é uma doença de evolução crônica e resistente ao
tratamento.
• Esteróides tópicos fluorados, 5-fluorouracil, ácido retinóico e outros
imunossupressores têm um desempenho ruim nas lesões verrucosas.
• Antimaláricos administrados por via oral, isoladamente, não são muito
eficazes no tratamento do lupus verrucoso.
• Esteróides intralesionais foram discutidos como tratamento mais eficaz
do lupus verrucoso.
Lupus erıtematoso hıpertrófıco tratado com ınfıltrações ıntralesıonaıs de esteroıdes e antımalárıco
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. Sontheimer RD. Clinical manifestations of cutaneous lupus erythematosus. In: Wallace DJ, Hahn BH.
Dubois'lupus erythematosus. Pennsylvania: Lea & Febiger; 1993. p.285-301.
2. Berbert ALCV, Mantese SAO. Lúpus eritematoso cutâneo - Aspectos clínicos e laboratoriais. An Bras
Dermatol. 2005; 80(2):119-31.
3. Tan EM, Cohen A, Fries JF, Masi, AT, Mcshane DJ, Rothfield NF, et al. The 1982 revised criteria for the
classification of systemic lupus erythematosus. Arthritis Rheum. 1982; 25:1271-7.
4. Sontheimer RD, Rothfield N, Gilliam JN. Lupus erythematosus. In: Fitzpatrick TB, Eisen AZ, Wolff K,
Austen KF, Golsmith LA, Katz SI. Dermatology in general medicine. New York: MacGraw-Hill; 1987.
p.1993-2009.
5. Gilliam JN, Sontheimer RD. Skin manifestations of SLE. Clin Rheum Dis. 1982 Apr; 8(1):207-18.
6. Sontheimer RD, Provost TT. Lupus erythematosus. In: Wallace DJ, Hahn BH. Dubois'lupus erythematosus.
Pennsylvania: Lea & Febiger; 1993. p.1-65.

similar documents