Imagens na História

Report
EU LEIO TEXTOS, IMAGENS, CIDADES, ROSTOS, GESTOS E
CENAS. (ROLAND BARTHES)

Escravo no Pelourinho sendo açoitado. Gravura de Debret, 1835.
O USO DE IMAGENS EM PROVAS DE VESTIBULARES
-As
imagens deixam de ser simples ilustrações e passam a ser categorias
de fonte histórica, linguagem, e indícios de revelação de realidades.
-Como
documento, as imagens revelam desejos, anseios, valores,
sentimentos, e representações que os homens fazem de si, do outro e do
mundo;
-O
conhecimento histórico e o conhecimento artístico não somente podem
beneficiar-se mutuamente, como são mutuamente interdependentes (Artur
Freitas);
-Observar
o público ao qual a obra se destinou e perceber os silêncios,
ausências, vazios e lacunas deixados pelo produtor, dado que a imagem
não é uma realidade total, embora traga porções, traços, aspectos,
símbolos, representações e códigos registrados.
HISTÓRIA E IMAGEM ARTÍSTICA: POR UMA ABORDAGEM
TRÍPLICE – ARTUR FREITAS
-Proposta
de Artur Freitas: As fontes visuais e as
artísticas devem ser vistas em função de três
dimensões:
a)Perspectiva formal: abrange a estecidade do
visual;
b)Perspectiva semântica:interconexão com as
demais representações culturais de um certo
período;
c)Perspectiva social: releitura de suas condições
de produção e a genealogia de suas recepções: é a
história.
PROPOSTA PARA ANALISE DE IMAGENS (EKFRASIS)
Começar com exercício de descrição da imagem;
 “Isolar metodologicamente”
 Escrever a partir do que se vê;

A)aspecto formal;
 B)Conceitos;
 C)Referências (objetos);
 D)Pessoas;
 E)Contexto político e social;

 1)
Procedência: Por quem foi elaborado? Onde?
Quando? Como foi sua conservação? Existe alguma
inscrição em seu corpo?
 2) Finalidade: Qual seu objetivo? Por que e/ou para
quem foi feito? Qual sua importância para a sociedade
que o fez? Em que contexto foi feito? Com quais
finalidades? Onde se encontra o objeto atualmente?
 3) Tema: Possui título? Existem pessoas retratadas?
Quem são? Como se vestem? Como se portam? Percebe-se
hierarquia na representação? Que objetos são retratados?
Como aparecem? Que tipo de paisagem aparece?
 Qual é o tempo retratado? Há indícios de tempo histórico
na representação? É possível identificar práticas sociais
no
objeto
iconográfico
retratado?
Percebe-se
relação/aproximação com a realidade da sociedade ou
período retratados?
VAMOS PRATICAR?
Cartaz militar inglês da I Guerra. Legenda:
Mulheres da Inglaterra, digam: “vá!”
Cartaz militar estadunidense da II Guerra.
Legenda: Nós podemos fazer!



UFG (2011/1): Na primeira metade do século XX, durante
as duas guerras mundiais, os cartazes foram importantes
ferramentas para a mobilização de pessoas, orientando suas
ações e seus sentimentos em relação aos conflitos. Com base
na comparação entre os cartazes acima,
a) descreva como a atitude da figura feminina é
representada em cada um deles;
Resposta esperada: No primeiro cartaz, a mulher é
representada de maneira passiva, restrita ao ambiente
doméstico e às funções tradicionalmente relegadas à
condição feminina, como, por exemplo, o cuidado dos filhos.
Neste sentido, o cartaz incita as mulheres a apoiarem
moralmente os homens engajados militarmente. Já, no
segundo cartaz, a representação da passividade feminina é
substituída por uma imagem ativa, que associa a mulher à
força, à capacidade e à confiança no cumprimento de seu
dever. Desse modo, o cartaz incita a participação das
mulheres no esforço de guerra norte-americano

b) explique a utilização da força de trabalho das
mulheres no período de cada uma das guerras;
Resposta esperada: Desde a Primeira Guerra
Mundial (1914-1918), as mulheres contribuíam com
sua força de trabalho para a indústria, muito
embora essa participação fosse reduzida. Além
disso, essa participação tinha pouca visibilidade,
pois era considerada antinatural à condição
feminina. Já na Segunda Guerra Mundial (19391945), a força de trabalho feminina adquire
maior visibilidade, principalmente na
indústria bélica, com o objetivo de substituir
a mão de obra masculina, garantindo assim o
incremento da produtividade deste setor.
UFG 2012/1...
As duas imagens datam do século XV e integram
estudos sobre o corpo humano. A primeira ilustra um
manuscrito anônimo do início do século, enquanto a
segunda retrata o “Homem vitruviano”, esboçado por
Leonardo da Vinci em 1492. Elas expressam o convívio
entre representações distintas do corpo humano. Tendo
em vista essas informações e comparando as duas
imagens,
A) relacione a mudança na representação do corpo
humano ao desenvolvimento científico no período;

B) identifique um elemento pictórico, explicando de que
forma ele exemplifica essa mudança
RESPOSTA ESPERADA PELA UFG...

a) Comparando as imagens, a relação entre a representação
do corpo e o desenvolvimento científico encontra-se no fato
de que o conhecimento matemático passava a orientar
o olhar dirigido ao corpo e à sua representação. Dessa
maneira, a representação do corpo humano, com o estudo de
Da Vinci (figura 2), passava a comportar elementos tais
como a simetria, o cálculo matemático, o
conhecimento da musculatura e de novas técnicas de
desenho. A representação anterior à de Da Vinci (figura 1)
incorpora elementos de simetria e proporcionalidade,
porém, esses elementos não se assentavam em
cálculos matemáticos. Cabe anotar, ainda, que o
desenvolvimento científico foi devedor, dentre outros, do
aprofundamento dos estudos no campo da Medicina
(Anatomia), impulsionados pelo Renascimento.
b) A seguir, identificam-se os elementos pictóricos,
explicando de que forma eles exemplificam a mudança da
imagem 01 para a imagem 02 (o candidato deve identificar
e explicar apenas um elemento):
• uma região abdominal mais definida, na qual se
observa o aperfeiçoamento na representação da
musculatura. Esse elemento pictórico se associa ao
conhecimento anatômico;
• uma melhor simetria e proporcionalidade no
desenho dos membros do corpo humano (o uso de
formas geométricas no desenho de Da Vinci). Esses
elementos estão relacionados ao aprofundamento dos
estudos matemáticos;
• a exposição da região pubiana, que antes aparecia
encoberta. Esses elementos relacionam-se à distinção entre
os dogmas morais impostos pela religião e os interesses
científicos

UFG 2010/2
AMOÊDO, Rodolpho. “O último Tamoio”,
1883.Museu Nacional de Belas Artes, Rio de
Janeiro
ECKHOUT, Albert. “Mulher Tapuia”,
1641. Museu Nacional de Copenhague
QUESTÃO:

As pinturas expressam olhares distintos sobre os nativos,
da Colônia ao Império. Enquanto a primeira pintura, datada
de 1641, foi feita pelo holandês Albert Eckhout, integrante
da comitiva de artistas e cientistas trazidos para o Brasil
por Maurício de Nassau, a segunda foi elaborada, em 1883,
por Rodolpho Amoêdo, pertencente à geração de pintores
românticos. Considerando estas informações e a análise dos
elementos compositivos das pinturas, explique a mudança
ocorrida na representação do indígena.

Resposta esperada: Na pintura de Albert Eckhout, a
mulher tapuia é representada como uma selvagem, o
canibalismo está explícito nas imagens do pé na cesta e da
mão decepada que a índia segura. A nudez corrobora a
ideia do afastamento da civilização. Cabe notar que, no século
XVII, os elementos que compõem a pintura explicitam uma
visão europeia sobre o mundo americano. Já, na pintura
romântica de Amoêdo, retrata-se um índio ferido,
amparado pelo religioso, o que indica a aproximação
do índio com o mundo do branco; no lugar da
selvageria, a civilização. Assim, comparando as pinturas, a
principal mudança alude a um índio que, por meio da
religião, é incorporado à nação, construção fundamental
patrocinada pelo Império, após 1840. Desde então, a
representação romântica se aproxima de um ideal nacional,
sendo mais do que a expressão do olhar europeu sobre o
nativo; nesse contexto, embora a Europa ainda seja o modelo,
tratava-se de incorporar o índio a uma nação independente
Critério de correção:
 Atendeu plenamente ao que foi solicitado a resposta do
candidato que:
 1) no caso da pintura de Albert Eckout, identificou a
representação da selvageria (oposta à civilização) e/ou do
canibalismo e associou tal identificação aos elementos
que compõem o quadro (a nudez, o pé na cesta, a mão
que a mulher tapuia segura);
 2) no caso da pintura de Amoêdo, identificou a
religiosidade como elemento de civilização e associou tais
elementos (religião e civilização) aos que compõem o
quadro (o índio ferido e o padre como “amparo”);
 3) expressou que as representações pictóricas são fruto,
no primeiro caso, do olhar europeu sob o nativo
americano e, no segundo caso, de um desejo de
incorporar o índio à nação, sendo esse último tomado
como elemento passível de civilização.
PROFESSORA NATHÁLIA DE FREITAS
BIBLIOGRAFIA:
 BITTENCOURT,
Circe M. F. Ensino de História:
fundamentos e métodos. São Paulo:Cortez Editora, 2005.
 FREITAS, Artur.História e imagem artística: por uma
abordagem tríplice.In: Estudos Históricos, Rio de
Janeiro, n 34, julho-dezembro de 2004, p.3-21.
 MENESES, Ulpiano T. Bezerra. Fontes visuais, cultura
visual, História visual: balanço provisório, propostas
cautelares. V. 23, nº 45, pp. 11-36, 2003. Disponível
em<http://www.scielo.br/pdf/rbh/v23n45/16519.pdf>
 SILVA, Nádia Moreira Terra. Grafite: arte do
imaginário urbano: Goiânia, 2006.

similar documents