Palavra primitiva

Report
Processos de
formação de
palavras
Um idioma só consegue aumentar o número de vocábulos
através de mecanismos próprios de formação de palavras. Os
principais processos da Língua Portuguesa são a derivação e a
composição.
Antes de falarmos de cada um deles, façamos uma distinção
entre TRÊS tipos de palavras:
•Palavra primitiva: é toda palavra que não nasce de outra. Ex:
rua, sol, pedra, ovo, etc.
•Palavra derivada: é toda palavra que se forma a partir de
uma outra palavra pré-existente. Ex: novidade, ensolarada.
•Palavra composta: é toda palavra que se forma a partir da
união de duas ou mais palavras (ou radicais). Ex: pontapé, azulclaro.
DERIVAÇÃO
Processo pelo qual uma palavra nova se forma a
partir de uma única outra palavra já existente. Em geral, a
derivação se dá pelo acréscimo de um prefixo ou sufixo ao
radical da palavra primitiva.
AHN??? PREFIXO??? SUFI... O QUÊ???? E “RADICAL” NÃO É
GÍRIA DE GENTE VELHA??
Radical: é a base da palavra, seu elemento principal, que
não muda. No caso de verbos, é também chamado de tema,
que é o seu radical mais a vogal característica de sua
conjugação, ou seja, a vogal temática. Ex: amAr, bebEr,
dormIr.
As palavras formadas a partir do mesmo radical são
chamadas de cognatas.
AMar
AMante
AMoroso
Desinência: é o elemento que se acrescenta ao radical para
indicar flexão/mudança. Pode ser nominal (indica gênero,
número e grau) ou verbal (indica modo, tempo, número e
pessoa).
Ex: casAS (A: desinência nominal de gênero; S: desinência
nominal de número)
faláVAMOS (VA: desinência de modo e tempo ou modotemporal; MOS: desinência de número e pessoa ou númeropessoal)
Afixos: são elementos significativos secundários que se
juntam ao radical da palavra, dando origem a palavras
novas. Quando vem antes do radical, chama-se prefixo;
quando vem depois, chama-se sufixo.
OBS IMPORTANTE: Como diferenciar o sufixo de uma
desinência?
O sufixo é dotado de significado (ex: o sufixo –mente
exprime a ideia de modo), enquanto a desinência apenas
indica flexão.
Vogais e consoantes de ligação: não possuem significado
algum, apenas ligam o radical ao sufixo, para facilitar ou
melhorar a pronúncia (eufonia). Ex: gasOduto, cafeTeira.
Derivação prefixal: quando acrescentamos um prefixo à
palavra primitiva. Ex: refazer, infeliz.
Derivação sufixal: quando acrescentamos um sufixo à
palavra primitiva. Ex: goleiro, felizmente.
Derivação parassintética: acrescentam-se,
tempo, um prefixo e um sufixo. Ex: expatriar.
ao
mesmo
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE, DE NOVO: a palavra só é
formada por parassíntese se, ao tirarmos o prefixo e o
sufixo, ela ficar sem sentido. Caso contrário, dizemos que
ela foi formada por derivação prefixal e sufixal.
Derivação regressiva ou deverbal: ao contrário dos
exemplos anteriores, a palavra não aumenta sua forma,
mas diminui. A partir de um verbo forma-se um
substantivo, sempre formado pelas desinências A, E ou O,
e indica uma ação (SIM, os substantivos indicam ações).
Ex: O resgate dos passageiros foi feito por meio de botes.
Derivação imprópria: mudança de classe gramatical por
meio da estrutura da frase. Ela muda de classe, mas SEM
mudar sua forma.
Ex: Fumar é prejudicial à saúde. (fumar é verbo, mas nesse
caso é substantivo)
COMPOSIÇÃO
Consiste na formação de vocábulos mediante
reunião de dois ou mais radicais em um só todo com
significação própria. A composição pode se dar por:
Justaposição: os radicais se reúnem sem nenhuma
modificação, conservando cada um sua independência e sua
acentuação. Ex: público-alvo, malmequer.
Aglutinação: os radicais se modificam e se fundem, a
composição fica aparentemente irreconhecível. Ex:
fidalgo, vinagre.
OUTROS PROCESSOS
Hibridismo: junção de elementos de línguas diferentes.
Ex: bígamo (bi – latim + gamo –grego)
Redução: apresentação da palavra original de modo
resumido.
Ex: cine; foto  abreviações
OAB; AIDS (siglas)
MG (Minas Gerais); p. (página)  abreviaturas

similar documents