arquivo

Report
Benedito C. Silva
IRN / UNIFEI
PRECIPITAÇÃO
Precipitação
 Precipitação: água da atmosfera depositada
na superfície terrestre.
 Formas: chuvas; granizo; neve; orvalho;
neblina; geada.
 Variabilidade temporal e espacial.
Nosso maior interesse está na precipitação em forma
de chuva
Formação das nuvens de chuva  Massa de ar úmido
se eleva  temperatura diminui, mais vapor se
condensa  gotas crescem, vencem as forças de
sustentação e se precipitam
CLASSIFICAÇÃO
Do ponto de vista do hidrólogo a chuva tem três
mecanismos fundamentais de formação:
•chuva frontais ou ciclônicas;
•chuvas orográficas;
•chuvas convectivas térmicas.
CLASSIFICAÇÃO
Tipos de chuva
• chuva frontais ou ciclônicas: interação entre
massas de ar quentes e frias  grande duração,
grandes áreas e intensidade média;
• chuvas
orográficas:
ventos
em
barreiras
montanhosas  pequena intensidade, grande
duração e pequenas áreas;
• chuvas convectivas térmicas: brusca ascenção
local de ar aquecido no solo  áreas pequenas,
grande intensidade e pequena duração.
Frontais ou Ciclônicas
Ocorrem ao longo da linha de descontinuidade,
separando duas massas de ar em de características
diferentes. São chuvas de longa duração.
Frontais ou Ciclônicas
Brasil  muito freqüentes
na região Sul, atingindo
também as regiões Sudeste,
Centro Oeste e, por vezes, o
Nordeste
Frontais ou Ciclônicas
Orográficas
Ocorre quando o ar é forçado a romper barreiras
naturais, esfriam e precipitam-se. São chuvas de média
abaixa intensidade e curta duração.
Orográficas
As chuvas orográficas ocorrem em muitas regiões do
mundo, e no Brasil são especialmente importantes ao
longo da Serra do Mar  Ocorre sempre no mesmo local
Convectivas
São provocadas pela ascensão do ar devido às diferenças
de temperatura na camada vizinha da atmosfera. São
chuvas de curta duração, grande intensidade e ocorre em
pequenas extensões
Convectivas
Problemas de inundação em áreas urbanas estão,
muitas vezes, relacionados às chuvas convectivas
Convectivas
Convectivas
Convectivas
Resumo
Medida com :
•Pluviômetros - leitura diária às 7 horas
•Pluviógrafos – leituras automáticas
Pluviômetro
Pluviômetro
Pluviômetro
Pluviômetros
2. Um pluviômetro tipo Ville de Paris possui boca de 400
cm2. A chuva de 1,0 mm medida por esse pluviômetro
corresponde a qual volume (em ml)?
3. A capacidade máxima do pluviômetro Ville de Paris é 4
litros. Qual a máxima intensidade média do dia (mm/hora)
que pode ser medida por esse aparelho?
Pluviógrafo de Caçamba (ou cubas
basculantes)
Pluviógrafo de flutuador
Pluviógrafo
Estação Pluviográfica
Estação
Pluviográfica
com
Telemetria
Pluviógrafo
Pluviômetro de báscula
4. Um pluviógrafo com boca de 200 cm2 possui cubas com
capacidade de 2ml cada uma. Qual a lâmina de chuva
medida toda vez que uma das cubas é esvaziada?
5. Em uma chuva com intensidade de 20mm/hora, registrada
por 10minutos por este pluviógrafo, quantas “caçambadas”
serão dadas?
Radar Meteorológico
• Radar (Radio Detection and Ranging ou Detecção
e Telemetria pelo Rádio)
• Possibilidade de quantificar a precipitação de forma
contínua, tanto no tempo quanto no espaço 
alternativa às medidas pontuais de pluviômetros
• Não mede diretamente chuva  nível de retorno dos
alvos de chuva  refletividade
• Determinar a partir do espectro de gotas observado a
relação entre a chuva e a refletividade  relação Z-R
Temos que calibrar o Radar
Radar Meteorológico
• transmissor  propagação a partir da antena  objeto
 retorno para a antena  comutador  receptor 
processamento
Radar Meteorológico
• Ondas eletromagnéticas à velocidade da luz enviadas
para as nuvens  na nuvem, cada gota irradia ondas em
todas as direções  parte da energia gerada pelo volume
total de gotas iluminado pelo feixe de onda do radar volta
ao prato do radar  distância pelo tempo de ida e volta
Radar Meteorológico
relação Z-R
Z = a.Rb
Mapas indicadores (produtos do Radar)
• Indicadores ou varredura  PPI (Plan-Position
Indicator) e RHI (Range-Heigth Indicator)
• CAPPI (Constant PPI)  Campo de
precipitação em um plano de altitude
constante  localização e intensidade da
chuva em tempo real
Radar Ufal
http://www.radar.ufal.br/
Dowloads  Dissertações  Quintão (2004)
RHI
Mapas indicadores (produtos do Radar)
• SIRMAL  imagens em PPI a cada 3 horas nas resoluções de 30,
130, 250 e 380 km com cartografia. Para usuários especiais,
geradas durante 24 horas nas resoluções de 30, 130, 250 e 380 km,
com intervalos de tempo de 2 a 60 minutos.
Z = 176,5.R1,29
MORAES, M. C. S.
Distribuição de Gotas de
Chuva e a Relação Z-R para
Radar na Costa Leste do
Nordeste do Brasil. 2003.
112p. Dissertação (Mestrado) –
Maceió, AL.

Estimativas baseadas em temperatura de
brilho do topo de nuvem (Lei de Planck):
B (T ) 


2 hc

2

1
e
1
Quanto mais quente a nuvem “parece”,
mais água ela contém
Imagens no IR e MW (MW mais precisas)
5
hc / kT



Instrumentos do TRMM:
Sensor Microondas e
Radar
Além disso: validação em
terra
Produto 3B42 (dados de 3
em 3 horas, resolução de
0.25°)




Pluviômetros (pontual e manual)
Pluviógrafos (pontual e automático)
Radar (abrange grandes áreas)
Satélite (abrange grandes áreas)
Radar e satélite necessitam de calibração com
as medições em terra

похожие документы