Ruth - Apresentação Power Point - SENABRAILLE

Report
Acessibilidade em Bibliotecas
“As Técnicas da Inteligência Emocional
que Poderão ser Aplicadas no Atendimento
a Usuários com
Deficiência em Unidade de Informação”
Apresentadora: Ruth Hosana Cezarino da Silva
Instituição: Universidade Estadual de Campinas
O que emoção?
Segundo Goleman (1995),
“Todas as emoções são em essência, ]
impulsos, legados pela evolução, para uma
ação imediata, para planejamentos
instantâneos que visam a lidar com a vida...”
A Inteligência Emocional
Inteligência Emocional é um termo utilizado
na psicologia, para designar a inteligência
que envolve habilidades para manipular
as emoções.
Habilidades para o Desenvolvimento
Auto consciência
Auto conhecimento
Auto Controle
Consciência Social
Desenvolvimento de
Pessoas
As 7 Teorias Definidas por Howard Gardner
(1990)
Inteligência Intrapessoal: auto compreensão;
Inteligência Interpessoal: compreensão do
outro. (Professores, médicos, psicólogos,
gestores de equipes, etc.);
Inteligência
Verbal ou
Linguística: fala/
escrita (Poetas,
Escritores,
Compositores,
Jornalistas, etc.);
Inteligências
Lógico Matemática:
calculo/raciocínio
dedutivo
(Matemáticos,
engenheiros, Físicos);
Espacial: espaço e
direção ( arquitetos,
decoradores);
Inteligências
Cinestésica
Corporal: agilidade
com o corpo
(Dançarinos,
Mímicos, etc.)
Musical: habilidade
musical (Músicos).
Inteligências
Moral: interligada aos
bons costumes.
Espiritual: interligada
a fé.
Definições identificadas por Daniel Goleman
(1995)
➢
Inteligência da
Auto estima:
sentimentos e
emoções a favor
de suas
expectativas.
Justificativa para o Trabalho
Motivação pessoal: surdez súbita em 1993;
experiências vividas com a mãe, com
deficiência visual total.
Justificativa para o Trabalho
Motivação profissional: Inspiração no tema
do TCC: “Avaliação dos Serviços Prestados aos
Usuários da Biblioteca do CEPRE – Centro de
Pesquisa e Reabilitação para Deficientes Auditivos
e Visuais” (CEZARINO,1995),
Objetivo Geral
Chamar a atenção das organizações,
que buscam a otimização nos serviços de
atendimento, tangente á usuários e gestão
de equipes; para o lado emocional das
pessoas.
Objetivo Específico
Propôr a aplicação das técnicas da
Inteligência Emocional para o atendimento
a usuários com deficiência, em unidade de
informação.
Objetivo Específico
Estimular á gestores de equipes, uma visão
direcionada para as questões emocionais
(Usuário/Funcionário), promovendo a
otimização no atendimento prioritário.
Desenvolvimento
Em primeira instância foram selecionadas as
4 Inteligencias: intrapessoal, Interpessoal,
Cinestésica Corporal e Linguística, a serem
consideradas aplicáveis no atendimento.
Aplicações práticas - Inteligência
Intrapessoal á Usuários com Deficiência:
Humor (riso)
Motivação (gostar do que faz)
Aplicações Práticas - Inteligência Linguística
Verbal á Usuário com Deficiências
Boa dicção – para leitura labial
Tecnicas de Comunicação (emissor /receptor)
Aplicações práticas - Cinestésica Corporal
a Pessoas com Deficiência:
Uso das Mãos (mímicas): Lingua Brasileira de
Sinais – LIBRAS, desenhos e indicações
invisiveis.
Exemplo no vídeo de “Leonardo Castilho”
http://youtu.be/_swlBh9298c
Agilidade Corporal:
espontaniedade
para auxiliar o
usuário.
Aplicações Práticas - Inteligência
Interpessoal a Usuários com Deficiência
Empatia
Uma Afirmação da Psicologia sobre os
Sentimentos de uma Pessoa com
Deficiência
“Perda dos mecanismos de descarga
emocional; fontes de recompensa e prazer;
perda da independência física e econômica”
(Vash ,1988, p. 204).Disponível no portal
“Rede Saci” em:
http://www.planetaeducacao.com.br/portal/
artigo.asp?artigo=1788
Caso 1- Parte de Entrevista á uma Pessoa
com Deficiencia Motora
“As pessoas que atendem nas bibliotecas,
deveriam sorrir mais, pois assim ficamos
mais á vontade para pedir ajuda...Também
é importante que não fiquem somente atráz
dos balcões...”
Caso 1 - Entrevista como parte da
metodologia aplicada (não divulgada).
Caso 1 -Identificação das Emoções
Sentimentos da Usuária: sensação de
abandono, timidez, insatisfação.
Inteligências Aplicáveis: Intrapessoal,
Interpessoal, Cinestésica Corporal.
Caso 2 - Parte de depoimento de uma
cadeirante ao assistir um show ao vivo:
“É extremamente desconfortável ser carregada
em uma cadeira de rodas, principalmente
por seguranças ...”
Caso 2 - Identificação das Emoções
Sentimentos da Cadeirante: constrangimento
/ irritabilidade.
Inteligência Aplicável: Interpessoal,
Cinestésica Corporal.
Caso 2
Disponível no portal da “REDE SACI”,
em: http://saci.org.br/index.php?modulo=
akemi&parametro=20811
Caso 3 – Depoimento de um cadeirante
jovem
“Quando entro em uma biblioteca,
sinto dificuldades para pegar um livro e
emprestá-lo normalmente: Sinto a
necessidade de alguém para me ajudar, ...”
Caso 3 - Continuação
...pois em alguns momentos me atrapalho
entre segurar o livro, abrir uma porta e
dirigir minha cadeira com as mãos...”
Caso 3
Parte da Pesquisa Exploratoria
(participação em depoimento durante o
curso AIU/UNICAMP na disciplina:
“Acessibilidade em Bibliotecas” )
Caso 3 - Identificação das Emoções
Sentimenos do Cadeirante: ansiedade/
abandono/insatisfação.
Inteligências Aplicáveis: Interpessoal
(empatia) / Cinestésica Corporal
(agilidade física).
Caso 4 - Parte de um bate-papo com um
jovem cadeirante (via e-mail)
“...o grande problema é com a pessoa surda,
a grande maioria costuma fingir que não vê a
pessoa, por não saber como se comunicar. ..”
Caso 4 – Indentificação das Emoções
Sentimentos do Cadeirante: sensação de
abandono.
Inteligência Aplicável: Interpessoal /
Cinestésica Corporal/Linguística.
Caso 4
Fonte: e-mail profissional da pesquisadora:
[email protected]
Metodologia Aplicada no Trabalho
➢
Pesquisa exploratória: livros, blogs,
➢
revistas, sites como: o Laboratório de
➢
Acessibilidade do SBU (LAB),
➢
“Bengala Legal”, “USP Legal - Rede Saci” ,
➢
etc.
Metodologia
Livros sobre Inteligência Emocional
disponível em:
http://books.google.com.br/booksid=ZLwXgaEiJtwC&
printsec=frontcover&dq=inteligencia+emocional+no+trabalho&hl
=ptBR&ei=SnmdTr32N6P30gGaguWKCQ&sa=X&oi=
book_result&ct=result&resnum=1&ved=0CDoQ6AEwAA#v=
onepage&q&f=false
Metodologia
Participações em palestras, depoimentos de
pessoas com deficiência, diálogo com
psicólogo do CEPRE/UNICAMP, etc.
Estudo comparativo (diagnóstico)
para a aplicação das teorias.
Resultados
Questionário - resultado não satisfatório.
Entrevista – resultado parcialmente satisfatório.
Diálogos presencial / via E-mail – satisfatório.
Pesquisas em site, depoimentos - satisfatório.
Conclusões
Aplicações das técnicas á nível de prioridade:
1- Intrapessoal,
2- Interpessoal (empatia),
3- Linguística Verbal,
4- Cinestésica Corporal.
Conclusões
Ninguém deve ser “superdotado”
das inteligências. Porém é importante
a consideraçao da metodologia proposta,
com relação ás 4 técnicas da Inteligência
Emocional...
Conclusões
Intrapessoal, Interpessoal, Cinestésica
Corporal e Linguistica, por parte de gestores
de equipes. Isto por ser uma iniciativa
coerente com o mundo em que vivemos,...
Conclusões
... onde a atenção de muitas pessoas está
mais voltada para o desenvolvimento da
tecnologia: o mundo digital.
Conclusões
...O lado humano no entanto passa a estar
em segundo plano dentro dos projetos
de muitas empresas.
Conclusões
Os líderes tendem a ter maior sucesso
no mundo corporativo, se possuirem
conhecimento das técnicas da Inteligência
Emocional e as aplicarem em seu trabalho.
Conclusões
Cabe ás autoridades competentes nas
organizações, oferecerem subsídios para
projetos e campanhas, tangentes ás
temáticas que norteiam a questão da
acessibilidade.
Conclusões
Pois ainda existem pessoas com
deficiência, que enfrentam situações de
discriminação, implicando até mesmo no
seu lado emocional ...
Conclusões
É recomendável que também se
promova debates dentro das temáticas com
relação a Acessibilidade e Inteligência
Emocional, no âmbito da UNICAMP e
demais instituições.
Referência Bibliográficas
CEZARINO, Ruth Hosana. Avaliação dos
Serviços Prestados aos Usuários do CEPRE –
Centro de Pesquisa e Reabilitação de Deficientes
Auditivos e Visuais. 1995. 48 f. Monografia
(Bacharelado) Curso de Biblioteconomia,
Departamento de Biblioteconomia, Puccamp,
Campinas, 1995.
Referência Bibliográfica
GOLEMAN, Daniel. Inteligência Emocional: a
teoria revolucionária que redefine o O que é Ser
Inteligente. 78. ed. Rio de Janeiro - Rj: Objetiva,
1995. 370 p.
MARTIN, John. Como Usar a Inteligência
Emocional. Grã-bretanha: Peak
Performancethrough Nlp, 2001. (Sucesso Profissional).

similar documents