Extensão Universitária

Report
Políticas de extensão e meios de
comunicação de massa: o caso da UNESP
ALBERTO AGGIO
Comunicação a ser apresentada no Seminário Internacional La terza
missione delle Università.Le politiche di Extensión delle Università
latinoamericane e italiane nel settore del patrimonio culturale. Esempi di
buone pratiche a ser realizado entre 26 e 27 de setembro de 2013 na
Universidade Roma3, Roma, Itália
NÚMEROS DA
UNESP
24 Cidades do Estado de são Paulo
34 Faculdades e Institutos
69 Carreiras e Cursos
179 opções de cursos e 118
programas de pós-graduação
35.485 alunos de graduação
14.803 alunos de pós-graduação
(Lato Sensu e Strict Sensu)
924 alunos de ensino a distância
(Unesp/Univesp)
Total: 51.282 alunos
3.625 Professores
7.257 Funcionários
30 bibliotecas, 3 colégios técnicos, 5
fazendas de Ensino e Pesquisa, 3
Hospitais Veterinários e 1900
laboratórios
O Estado de São Paulo tem
43.663.672 habitantes
Fonte: anuário estatístico 2013
(base de dados 2012)
• Transição da ditadura à democracia impactou as
universidades brasileira.
• Constituição de 1988 evidencia o momento e a consagração
do processo de democratização social e institucional.
• A Extensão Universitária encontra-se estabelecida no Artigo
207 da Constituição de 1988;
• A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB), de
1996, Cap. V, Art. 43, indica que dentre as finalidades do
Ensino Superior está a de “promover a extensão, aberta à
participação da população, visando à difusão das conquistas
e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa
científica e tecnológica geradas na instituição”
• A partir da década de 1990, definem-se e desenvolvem-se políticas
especificas para a Extensão Universitária, estabelecendo-se um terceiro
polo de atividades universitárias.
• Plano Nacional de Extensão Universitária foi elaborado em 1997/1998.
• Os Pró-Reitores de Extensão Universitária estabelecem uma nova visão
institucional: a “Universidade Cidadã”, que busca uma inserção inovadora
das universidades no processo de democratização do país.
• Atualmente, planeja-se o avanço da extensão em “programas decenais”.
O Congresso Nacional discute se estabelece um decreto no qual o Plano
Nacional de Extensão faria parte do Plano Nacional de Educação. Projetase para 2014 a realização de uma Conferência Nacional de Extensão
Universitária a fim de avaliar os resultados e estabelecer novas diretrizes,
metas e estratégias do Plano Nacional de Extensão para o período de
2015-2020.
Extensão Universitária: qual o conceito e qual o objetivo?
1. Sentido de Mão Dupla>< processo educativo, cultural e científico que
articula o Ensino e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação
transformadora entre universidade e sociedade.(...) uma via de mão
dupla, com trânsito assegurado à comunidade académica, que encontrará,
na sociedade, a oportunidade de elaboração da práxis de um
conhecimento acadêmico.(...) Visa a democratização do conhecimento
acadêmico mediante a participação efetiva da comunidade na atuação da
Universidade.
2. Sentido de Vetor >>designa uma atividade acadêmica que objetiva
"ampliar" a presença da universidade na sociedade por meio da
transferência e difusão de conhecimento, fazendo com que este possa se
tornar um promotor do desenvolvimento cultural, social e econômico,
tanto a nível local e regional.
Na UNESP, a Extensão Universitária é pensada sobretudo como “trabalho
coletivo que busca a emancipação do cidadão”, visando contribuir com o seu
desenvolvimento, ao mesmo tempo que responde às necessidades emergenciais
e estruturais da sociedade.
OBJETIVOS DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNESP
I. Sedimentar a excelência da extensão universitária como processo educativo,
cultural e científico articulador do ensino e da pesquisa.
II. Promover a democratização da cultura científica, artística e humanística para
viabilizar uma relação transformadora entre a Universidade e a sociedade.
III. Contribuir para a permanência e o fortalecimento da memória social por meio
da preservação, criação e divulgação de acervos de valor histórico e cultural.
IV. Implementar as ações de Extensão Universitária que contemplem as grandes
questões político-sociais, tais como: meio ambiente, violência, direitos
humanos e cultura material e imaterial (popular e erudita).
A partir de 2000, a Extensão Universitária na UNESP ganhou a estrutura que
existe atualmente. Desde 2010 faz parte do Plano de Desenvolvimento
Institucional (PDI) da universidade, em consonância com o Plano Nacional de
Extensão Universitária. As atividades de Extensão Universitária foram
incluídas na progressão na carreira docente, valorizando esta dimensão
acadêmica e incentivando os docentes a elaborarem projetos e a executarem
ações extensionistas.
A UNESP desenvolve projetos de extensão em 11 áreas temáticas,
subdivididas em 50 linhas programáticas, e direcionadas:
1. ao público interno (alunos, professores e servidores).
2. ao público externo (sociedade em geral).
Em 2005, a financiou 540 projetos de extensão
Em 2012 foram financiados 1.417 projetos de extensão
Extensão ao Público Interno (alguns
exemplos)
1. Apoio Institucional ao Estudante: diversas
modalidades de bolsas; em 2012 foram
financiadas mais de 4.260 bolsas
2. Organização e apoio a atividades culturais
e artísticas (eventos em geral, coral,
teatro, cinema, exposições, palestras, etc)
3. Projeto Cooperativa – apoio ao
empreendedorismo popular.
4. Universidade Saudável
5. Projetos e programas de cunho social
(cursos abertos à comunidade, educação
continuada em matemática, ciências e
cultura,
alfabetização
solidária,
universidade aberta à terceira idade,
educação de jovens e adultos, o projeto
núcleo negro para pesquisa e extensão
universitária, o projeto cursos prévestibular).
Extensão ao Público Externo (alguns
exemplos)
1.
2.
Prestação de Serviços à Comunidade por meio
de organismos universitários específicos, em
diversas áreas do conhecimento, notadamente
nas áreas da Saúde (hospitais universitários e
similares) e do Direito (Centro Social e
Jurídico).
Fomento ao Empreendedorismo por meio da
criação de Empresas Juniores (EJ): formação
diferenciada visando a inserção no mercado de
trabalho e o oferecimento de conhecimentos e
serviços à comunidade. Em 2012, a UNESP
contava 57 Empresas Juniores. O projeto EJ
está em sintonia com o potencial de
empreendedorismo paulista e a busca de
novos horizontes para o desenvolvimento
econômico (http://w3.UNESP.br/junior/)
UNESP discute e difunde as reflexões
sobre Extensão Universitária
UNESP discute e difunde as reflexões
sobre Extensão Universitária
A Revista Ciência em Extensão é publicada desde 2003 e procura ser uma síntese
entre a prática e a reflexão da extensão universitária, dentro e fora da UNESP. Tem
uma periodicidade quadrimestral e a partir de 2008 existe apenas na versão
eletrônica.
Nestes 10 anos, a Revista Ciência em Extensão tornou-se um espaço privilegiado para
docentes, pesquisadores, técnico-administrativos, graduandos e pós-graduandos
publicarem suas experiências de extensão nos mais diferentes setores de
desenvolvimento do ensino e da pesquisa colocados em interconexão com as
atividades de extensão.
O último editorial reconhece que “apesar do avanço e divulgação dessa dimensão em
diferentes âmbitos, há ainda confusões conceituais acerca do universo de estudo e
pesquisa da Extensão Universitária atribuindo, muitas vezes equivocadamente a ela,
pesquisas que não tem como alvo a comunidade, resultado da ação em extensão
universitária”.
Fica claro assim que a UNESP está preocupada também em refletir em torno da ampla
gama das atividades de extensão que são desenvolvidas dentro e fora dela. E, para
isso, vem mobilizando os recursos da pesquisa científica em áreas que possam ajudar
na investigação de “comunidades” que sofrem e participam das ações extensionistas.
“Assessoria de Comunicação e Imprensa” (ACI)
representa a estrutura centralizada de difusão das
atividades acadêmicas e culturais da UNESP. Tem
como atribuições “prestar assessoramento em
assuntos relacionados com a imprensa e demais
órgãos de comunicação” ou “divulgar os trabalhos
que se realizam no âmbito da Universidade, por
meio de diversos instrumentos de comunicação
social, promovendo o conhecimento e o
reconhecimento da instituição, interna e
externamente”, ou mesmo, “promover, na área de
sua competência, novas formas de inserção da
Universidade na vida acadêmica e cultural do
País”. Considerando diversos veiculos de
comunicação, como jornal, Revista, TV, Radio e
Internet, a ACI produziu ou foi replicada em
28.747 inserções no ano de 2012, considerando
as cidades onde estão localizados os campi da
UNESP. O Portal da UNESP registrou 260.000
visitas/mês, em abril/maio de 2013.
ACI – Produtos
O Jornal UNESP, voltado tanto para o
público interno ou externo, cujo foco
principal é a divulgação de atividades de
ensino e extensão da universidade, além
da divulgação da publicação de livros de
docentes, seja pela Editora UNESP ou por
outras casas editoriais. É uma publicação
mensal com 16 páginas e tiragem de 25
mil exemplares, com 11 edições anuais;
em 2012 foram impressos 275.000
exemplares. Inclui o Caderno Fórum, com
quatro páginas, contendo uma entrevista
e três artigos de profissionais de
reconhecida competência sobre um
determinado tema em evidência
(http://www.UNESP.br/jornal);
ACI – Produtos
A Revista UNESP Ciência, cujo
principal objetivo é dar destaque
para as pesquisas que são feitas na
instituição, ao mesmo tempo em que
traz reportagens aprofundadas sobre
os grandes temas da ciência nacional
e mundial. Lançada em setembro de
2009, a publicação tem 48 páginas e
circula de fevereiro a dezembro; em
2012 foram publicados 275.000
exemplares.
(http://www.UNESP.br/revista).
ACI – Produtos
O Podcast UNESP. Lançado em outubro
de 2011, é um serviço que disponibiliza
arquivos de áudio com pesquisas e
opiniões
de
especialistas
da
Universidade sobre os mais diversos
assuntos em todas as grandes áreas do
conhecimento. Podcast UNESP oferece
quatro serviços: Rádio Release; Perfil
Literário; Mídia e Cotidiano e VUNESP
Informa. Além de ouvir os áudios em
http://podcast.UNESP.br/, os arquivos
podem ser transferidos gratuitamente
para computadores, celulares e outros
aparelhos portáteis, como iPod e mp3
players (http://podcast.UNESP.br). O
Podcast UNESP registrou 8.000
visitas/mês em abril/maio de 2013.
ACI – Produtos
O Guia de Profissões é destinado a
orientar o estudante do Ensino Médio
e o vestibulando sobre os cursos
oferecidos pela UNESP. É uma
publicação anual, com 350 mil
exemplares, editado em parceria com a
Fundação VUNESP. O Guia traça o perfil
de cada uma das carreiras oferecidas,
aborda o mercado de trabalho e a vida
na Universidade. Totalmente ilustrado,
a publicação tem 162 páginas e é
distribuído gratuitamente
http://www.UNESP.br/guiadeprofissoes).
ACI – Produtos
A UNESP Agência de Notícias (UnAN)
difunde as principais atividades e
pesquisas publicadas nos diversos
veículos
de
comunicação
da
universidade e da grande imprensa,
além de servir como uma base de
sugestão de pautas e fontes. A Agência
reúne os destaques do dia nos
seguintes canais: Notícias do Portal
UNESP, Podcast UNESP, Releases,
Destaques na Mídia, Minuto UNESP,
Notas e comunicados, Vestibular,
Ações, Link direto para a Rádio UNESP
e TV UNESP
(http://www.UNESP.br/agenciadenoticias).
Considerações Finais
1. A Extensão Universitária veio para ficar em função da democratização e dos
processos culturais de “crise da modernidade”, com a emergência da
“hipermodernidade” (afirmação do individuo e de sua subjetividade).
2. Ainda estamos distantes, além de ser questionável a busca da legitimação da
universidade na “diluição” das atividades de Extensão Universitária nas
dimensões da pesquisa e do ensino, como profetiza Boaventura de Souza
Santos.
3. Na “sociedade do conhecimento” a legitimação da universidade
exclusivamente por meio da instrução é uma ideia superada. A educação
avança enquanto “instrução” visa “educar” para uma sociedade que “já
existiu”. Daí a importância da difusão produtiva da universidade, como um
ato criativo e de troca, por meio de diversos veículos de comunicação.
4. A contemporaneidade demanda uma “sociedade educante”, que possa
contribuir para a superação da fratura entre “escola e vida”. Este talvez seja o
melhor derivativo do “pessimismo da inteligência” de que falava Antonio
Gramsci.

similar documents