Ivonete Thiebault – SECONT-ES – GT Banco Mundial

Report
PARCERIA
OBJETIVO
Desenvolvimento
dos
Controles
Internos
das
instituições
governamentais
visando
o
aprimoramento da gestão pública, sob
os aspectos da integridade das
informações, transparência e da
eficácia das ações.
CONDIÇÕES NECESSÁRIAS:
ÂMBITO DE AÇÃO
(PARCERIA)
1. Envolvimento e comprometimento dos
titulares dos órgãos de controle para
aderência
e
implementação
das
proposições
destinadas
ao
aprimoramento dos procedimentos e
ações de controle;
CONACI
2.
Viabilização
dos
meios/recursos
necessários à realização das iniciativas
idealizadas;
BANCO MUNDIAL
CRONOLOGIA
NOV/14
NOV/14
AGO/14
JUL/14
MAI/14
Seminário CI –
Foz do Iguaçu
GT Banco
Mundial
Reunião Brasília
Apresentação
da Proposta de
Parceria Conaci
x Banco
Mundial
12ª RTC-RJ
Entrega de
Documento:
Informações
Preliminares
para a
Preparação do
Projeto de Apoio
ao
Fortalecimento
do Controle
Interno
Governamental
Banco Mundial
autoriza a
contratação de
Consultoria
para Avaliação
do Ambiente de
Controle
Interno das
CGEs
13ª RTC-Recife
Definir
Ações/Atuação
do Conaci e
Órgãos de
Controle
INICIATIVAS IDEALIZADAS
Atualização do diagnóstico do Perfil Organizacional e Funcional dos Órgãos Centrais de Controle Interno
Realização de estudo das condições pré-existentes para definição da estratégia para implementação da
estrutura dos controles internos, em consonância com os padrões internacionais baseada no modelo do COSO
Elaboração de um conjunto de indicadores para avaliação do desempenho dos Órgãos Centrais de
Controle Interno
Desenvolvimento/implantação de ferramenta informatizada para avaliação de desempenho (SAIPMF)
Elaboração de um manual de normas aplicáveis ao controle interno governamental em consonância
com as normas internacionais
Capacitação dos profissionais de controle para implementação das normas internacionais aplicáveis ao
controle interno e à auditoria governamental
Desenvolvimento de ferramenta informatizada para execução do processo de auditoria interna
AÇÕES PROPOSTAS
BANCO MUNDIAL
COMPROMETIMENTO
BANCO MUNDIAL
CONACI/CGE
GT CONACI
BANCO MUNDIAL
• Contratação de Consultoria para Avaliação do Ambiente de
Controle Interno das CGEs;
• GAP ANALYSIS - Análise avaliação da conformidade das CGEs
com as normas internacionais
• Treinamento das equipes das CGEs e do CONACI
responsáveis pelas auto-avaliações, definição das informações a
ser coletadas, aplicação dos questionários, etc..
• Consolidação das informações, elaboração dos relatórios com
as conclusões, planos de ação e recomendações;
• Apresentação do resultado no Seminário de Controle Interno Maio/junho/2015.
CONACI/CGE
• Classificar os órgãos de CI em 3 grupos, conforme características
similares, com base nos Diagnósticos existentes;
• Selecionar as 3 CGE’s piloto deverão representar as diversas realidades
dos OCI, diferentes estruturas de governança de Auditoria Interna, etc
• Designar equipe, pelo menos 3 pessoas, que possam se dedicar por
cerca de 3 meses à execução da auto-avaliação com orientação do
consultor;
• Perfil desejável para a equipe: O líder da equipe deve ser Certified Internal
Auditor e ter alguma experiência em Quality Assurance Reviews; Pelo menos
uma pessoa da equipe das CGEs piloto deverá ter bons conhecimentos de
Inglês; estar motivado e ter disponibilidade para o trabalho.
GT CONACI
• Definir, juntamente com o BM, o modelo mais adequado para fazer a avaliação. Ex:
modelo IA-CM do IIA ;
• Elaborar, juntamente com BM, os Termos de Referência para a contratação dos serviços
de consultoria;
• Ter disponibilidade para viajar, quando for necessário fazer reunião presencial;
• Revisão da documentação suporte dos trabalhos e Atestação/homologação da
qualidade dos trabalhos desenvolvidos;
• Apoio às equipes das CGEs;
• Ser o elemento de ligação entre o Consultor, as CGEs e o BM, esclarecendo as dúvidas e
garantindo o atendimento dos objetivos pactuados;
• Ajudar o consultor para desenvolver o Self-Assessment Framework IA-CM, ferramentas,
recursos e orientação adaptada à realidade brasileira e levando em consideração todas as
avaliações feitas anteriormente;
• Conhecer a estrutura de auto-avaliação IA-CM;
• Auxiliar nos serviços de tradução necessários.
GAP ANALYSIS
Análise de Necessidades
É uma técnica utilizada para determinar as medidas devem ser adotadas
a fim de mover-se de seu estado atual para o seu o estado futuro
desejado.
Consiste em:
(1) Identificar os fatores característicos (como atributos, competências,
níveis de desempenho) da situação atual ("o que é");
(2) Identificar os fatores necessários para alcançar os objetivos futuros ("o
que deveria ser"); e depois
(3) Destacar as lacunas que existem e precisam ser preenchidos.
Gap Análise obriga a empresa a refletir sobre quem ele é e o que querem
ser no futuro.
BANCO
MUNDIAL
GT
CONACI
CONSULTOR
CGEs
PILOTOS
ÓRGÃOS PILOTO
pioneiro e apresentar primeiro os resultados;
usufruir da análise e recomendações do
consultor;
VANTAGENS
DESVANTAGENS
deter o conhecimento originário;
Tradução de alguns documentos, ajudar
outras CGEs;
Designar uma equipe para trabalhar a
tempo integral durante 3 meses na autoavaliação, com os respetivos custos
inerentes ao processo; etc.
GT BANCO MUNDIAL
SECONT-ES
COGE-CE
CGE-PI
SEF/DIAG-SC
CV/CGA-SP
• Mª IVONETE BEZERRA DE SÁ THIEBAUT
• SILVIA HELENA CORREIA VIDAL
• DARCY SIQUEIRA ALBUQUERQUE JÚNIOR
• FREDERICO A. S. DA LUZ
• RAPHAEL RODRIGUES SORÉ
SECOT-FORTALEZA/CE • WILFRIDO TIRADENTES DA ROCHA NETO
Brasília – DF, 14 de julho de 2014.
(IA-CM) - Modelo de Auditoria Interna
para o Setor Público
Internal Audit Capability Model (IA-CM) for the Public Sector
• É uma estrutura que identifica os fundamentos necessários para a
auditoria interna eficaz no governo e no setor público mais amplo.
• Ilustra os níveis e estágios através dos quais uma atividade de
auditoria interna (IA) pode evoluir; como ela define e implementa
medidas e controles, e melhora os seus processos e práticas.
• O modelo destina-se a auto-avaliação, capacitação e advocacy.
Seus principais usuários são profissionais de auditoria interna em
conjunto com os principais stakeholders da profissão (por exemplo,
quadros superiores, membros do Conselho Fiscal, órgãos sociais, e
dos auditores externos.
GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
SECRETARIA DE ESTADO DE CONTROLE E TRANSPARÊNCIA
www.secont.es.gov.br
MARIA IVONETE BEZERRA DE SÁ THIEBAUT
AUDITORA DO ESTADO/ASSESSORA
(27) 3636-5395
[email protected]
Brasília – DF, 14 de julho de 2014.

similar documents