Hobsbawm

Report
Música...4:13
http://mais.uol.com.br/view/9lcpjrpj6pm3/asky-full-of-stars--coldplay--legendado-04024E993572C0895326?types=A&
“Porque você é um céu, porque você é um céu cheio de
estrelas”...
“Não me importo, vá em frente e me deixe em pedaços
Não me importo se fizer isso...”
A ideia só pode ser romântica pois, historicamente tal
submissão em contexto político e econômico deveriam
ter acabado na “Era das Revoluções”...
Tal período (1789 a 1848) faz parte
do livro...
“Era das Revoluções”...
O livro tenta demonstrar como
a
Revolução
Francesa
e
a Revolução Industrial abriram
caminho para a renascença das
ciências, da filosofia, da religião e
das artes...
Além
da
nova
imagem
de
“autoridade”
Com destaque da figura de
Napoleão...
Música...4:00
http://xa.yimg.com/kq/groups/21736577/2053964560/name/HOBSBAWM,%2BEric%2BJ..%2BA%2BEra%2Bdas%2BRevolu%25C3%25A7%25C3%2
5B5es.pdf
Capa do CD da
música...
(Unesp 2011) - A tela de Eugène Delacroix celebra a revolução de julho de
1830 na França, que derrubou o rei Carlos X e encerrou o período da
Restauração.
Explique o significado do movimento de 1830 e identifique, através da análise
da tela, dois elementos que atestem sua relação com a Revolução de 1789.
R: O movimento revolucionário de 1830 contou com ampla participação
burguesa sob a influência do liberalismo herdado da Revolução Francesa,
bem como do nacionalismo que se intensificara devido às Guerras
Napoleônicas. O rei Carlos X foi destronado, instalando-se na França um
regime monárquico liberal com a coroação de Luís Filipe de Orleans que pôs
fim ao Absolutismo. Na tela de Delacroix, a liberdade personificada em uma
mulher carrega a bandeira tricolor idealizada no lema tradicional da
Revolução Francesa, além da própria representação dos dois grupos sociais
mais destacados daquele mesmo evento: os sans-culottes e a burguesia.
e. (Unicentro) Uma série de mudanças
políticas e econômicas ocorreu na Europa, a partir
do fim da Idade Média. O quadro “A liberdade guiando
o povo” (1830), de Eugène Delacroix, alude a um dos
mais importantes acontecimentos decorrente desse
período na história europeia, a Revolução Francesa.
Sobre a ligação entre as mudanças referidas no texto e o surgimento da
Sociologia, é correto afirmar:
a) O desenvolvimento da indústria se opunha à formação do processo de
instalação da sociedade moderna.
b) A credibilidade da vida social, nas cidades, passa a ser buscada na
coerência dos textos sagrados e na adoração religiosa.
c) A vida religiosa foi adquirindo cada vez mais importância, o que fez com
que a história do cotidiano fosse concebida por um olhar sagrado.
d) A arte renascentista, ao apresentar a forte ligação entre Deus e os
homens, expressou as transformações sociais de forma contundente.
e) O desenvolvimento tecnológico e a nova postura do homem ocidental
decorrentes das transformações desse período histórico propiciaram o
interesse pelo entendimento da vida social.
A “Era das Revoluções” é uma das principais obras do
historiador Eric Hobsbawm, junto com Era do Capital, A
Era dos Impérios e a Era dos Extremos...
No dia 1º. de outubro de 2012...
Hobsbawm morreu em Londres, vítima de pneumonia,
considerado um dos historiadores mais importantes da
atualidade... 03:23
http://globotv.globo.com/globo-news/jornal-das-dez/v/historiador-erichobsbawm-morre-em-londres/2167167/
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/hobsbawm-a-inteligencia-a-servico-doobscurantismo/
Hobsbawm não é consenso...
Crítica Veja:
A Inglaterra deu ao mundo extraordinários historiadores...
Eric Hobsbawm, morto aos 95 anos na semana passada,
não forma nesse time por ter deixado sua devoção religiosa
ao marxismo embaçar sua visão do século XX.
O marxismo é um credo que tem profeta, textos sagrados e
promete levar seus seguidores ao paraíso...
http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/conteudo/sugestao_leitura/sociologia/era_capital.pdf
Tal crítica refere-se ao livro que Hobsbawm escreveu após
“Era das Revoluções”, intitulado
“A Era do Capital” (1848-1875)
...Mil novecentos e quarenta e oito, a famosa "primavera
dos povos", foi a primeira e última revolução europeia no
sentido (quase) literal, a realização momentânea dos
sonhos da esquerda...pg.18
Tais idéias acabaram também em música...
p/ chegarem ao...4:21
http://www.youtube.com/watch?v=lnbO3LJaARw
Na sequencia...
“Era das Revoluções”,
“A Era do Capital” (1848-1875)
Escreveu “A Era dos Impérios” (18751914).
Com uma análise dos anos que definiram o
mundo no século XX, quando um longo
período de paz, expansão capitalista e
dominação europeia desembocou na
Primeira Guerra Mundial...
Na sequencia...
“Era das Revoluções”,
“A Era do Capital” (1848-1875)
“A Era dos Impérios” (1875-1914).
Em 1994 publicou A Era dos
Extremos, que abrange o período
subsequente à Revolução Russa de
1917...
Muito “enemente” interessante...
e. (Enem) Os 45 anos que vão do lançamento das bombas
atômicas até o fim da União Soviética, não foram um período
homogêneo único na história do mundo. (...) dividem-se em
duas metades, tendo como divisor de águas o início da década
de 70. Apesar disso, a história deste período foi reunida sob
um padrão único pela situação internacional peculiar que o
dominou até a queda da URSS.
(HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos. São Paulo: Cia das
Letras, 1996)
.
O período citado no texto e conhecido por " Guerra Fria" pode
ser definido como aquele momento histórico em que houve
a) corrida armamentista entre as potências imperialistas
europeias ocasionando a Primeira Guerra Mundial.
b) domínio dos países socialistas do sul do globo pelos países
capitalistas do Norte.
c) choque ideológico entre a Alemanha Nazista/União
Soviética Stalinista, durante os anos 30.
d) disputa pela supremacia da economia mundial entre o
Ocidente e as potências orientais, como a China e Japão.
e) constante confronto das duas superpotências que emergiam
da Segunda Guerra Mundial.
c. (Enem) Um banco inglês decidiu cobrar de seus clientes
cinco libras toda vez que recorressem aos funcionários de
suas agências. E o motivo disso é que, na verdade, não
querem clientes em suas agências; o que querem é reduzir o
número de agências, fazendo com que os clientes usem as
máquinas automáticas em todo o tipo de transações.
Em suma, eles querem se livrar de seus funcionários.
HOBSBAWM, E. O novo século. São Paulo: Companhia das
Letras, 2000 (adaptado).
O exemplo mencionado permite identificar um aspecto da
adoção de novas tecnologias na economia capitalista
contemporânea. Um argumento utilizado pelas empresas e
uma consequência social de tal aspecto estão em
a) qualidade total e estabilidade no trabalho.
b) pleno emprego e enfraquecimento dos sindicatos.
c) diminuição dos custos e insegurança no emprego
d) responsabilidade social e redução do desemprego.
e) maximização dos lucros e aparecimento de empregos.
(Unesp 2013) - Leia o texto para responder à(s) seguinte(s) questão(ões):
Enquanto a economia balançava, as instituições da democracia liberal praticamente
desapareceram entre 1917 e 1942; restou apenas uma borda da Europa e partes da
América do Norte e da Austrália. Enquanto isso, avançavam o fascismo e seu
corolário de movimentos e regimes autoritários.
A democracia só se salvou porque, para enfrentá-lo, houve uma aliança temporária e
bizarra entre capitalismo liberal e comunismo [...]. Uma das ironias deste estranho
século é que o resultado mais duradouro da Revolução de Outubro, cujo objetivo era
a derrubada global do capitalismo, foi salvar seu antagonista, tanto na guerra quanto
na paz, fornecendo-lhe o incentivo — o medo — para reformar-se após a Segunda
Guerra Mundial [...].
(Eric Hobsbawm. Era dos extremos, 1995.)
b1. Ao mencionar a aliança temporária e bizarra entre capitalismo liberal e
comunismo, o texto refere-se
a) ao esforço conjunto de União Soviética, França, Inglaterra e Estados Unidos na
reunificação da Alemanha, após a Segunda Guerra Mundial.
b) à articulação militar que uniu Estados Unidos e União Soviética, na Segunda
Guerra Mundial, contra os países do Eixo.
c) à constituição da Entente que, na Primeira Guerra Mundial, permitiu que países do
Ocidente e a Rússia lutassem lado a lado contra a Alemanha.
d) à corrida armamentista entre União Soviética e Estados Unidos, que estimulou o
crescimento econômico e industrial dos dois países.
e) aos acordos de paz que, ao final das duas guerras mundiais, ampliaram a
influência política e comercial da Rússia e dos países liberais europeus.
Ainda com base no texto anterior...
a2. (Unesp 2013) Segundo o texto, a economia balançava e as
instituições da democracia liberal praticamente desapareceram
entre 1917 e 1942, devido
a) à crise financeira que culminou com a quebra da Bolsa de
Valores de Nova Iorque e à ascensão de projetos totalitários de
direita.
b) ao avanço do socialismo no continente africano e ao
armamentismo alemão após a chegada dos nazistas ao poder.
c) à ascensão econômico-financeira dos Estados Unidos e à
Guerra Fria entre Ocidente capitalista e Oriente socialista.
d) ao desenvolvimento do capitalismo industrial na Rússia e à
derrota alemã na Segunda Guerra Mundial.
e) ao fim das democracias liberais no Ocidente e ao surgimento
de Estados islâmicos no Oriente Médio e Sul asiático.
1. (Unicamp) A Primeira Guerra Mundial abalou profundamente
todos os povos envolvidos, e as revoluções de 1917-1918 foram,
acima de tudo, revoltas contra aquele holocausto sem
precedentes, principalmente nos países do lado que estava
perdendo. Mas em certas áreas da Europa, e em nenhuma outra
mais que na Rússia, foram mais que isso: foram revoluções
sociais, rejeições populares do Estado, das classes dominantes e
do status quo. (Adaptado de Eric Hobsbawm, Sobre História.
São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 262)
a) Relacione 1ª.G. Mundial e a situação da Rússia na época.
a) Quando do início da guerra, a Rússia era um país atrasado,
absolutista, apoiado na autocracia czarista, e que procurava se
desenvolver industrialmente, apoiado em capitais externos,
notadamente ingleses e franceses. O envolvimento do país na
guerra foi responsável pela ruína da economia, por
desabastecimento e grande miséria, determinantes para as
rebeliões de operários e deserções de soldados, que formaram a
base do movimento revolucionário de 1917.
b) Cite e explique um princípio da Revolução Russa de 1917.
b) Pode-se considerar que os princípios revolucionários que
nortearam a tomada do poder pelos bolcheviques, foram
expostos por Lênin nas “Teses de Abril” e sintetizadas na frase
“Paz, pão e terra”, que exigia a saída da guerra, a formação de
um governo baseado nos sovietes que garantisse o
abastecimento das cidades e a realização de uma reforma
agrária.
2. (Unicamp)
Existem épocas em que os acontecimentos
concentrados num curto período de tempo são imediatamente
vistos como históricos. A Revolução Francesa e 1917 foram
ocasiões desse tipo, e também 1989. Aqueles que acreditavam
que a Revolução Russa havia sido a porta para o futuro da
história mundial estavam errados. E quando sua hora chegou,
todos se deram conta disso. Nem mesmo os mais frios ideólogos
da guerra fria esperavam a desintegração quase sem resistência
verificada em 1989.
(Adaptado de Eric Hobsbawm, “1989 – O que sobrou para os
vitoriosos”. Folha de São Paulo, 12/11/1990, p. A-2.)
a) No contexto entre as duas guerras mundiais, quais seriam as
razões para a Revolução Russa ter simbolizado uma porta para o
futuro?
a) A Revolução Russa representou, no início do século, a
possibilidade de construção de sociedades mais justas e
igualitárias, de destruição de um modelo capitalista opressor e
concentrador de riquezas e estimulou milhões de pessoas,
principalmente trabalhadores e jovens, em diversos países do
mundo, a uma luta política pela construção de um novo mundo.
b) Identifique dois fatores que levaram à derrocada dos regimes
socialistas da Europa após 1989.
b) O ano de 1989 tornou-se emblemático para a crise do
socialismo, com a “queda do muro de Berlim”, símbolo da divisão
do mundo em blocos antagônicos, que é a principal característica
da Guerra Fria. A queda do muro apenas refletiu a crise do
modelo soviético, estagnado há décadas, tanto que foi mais uma
festa do que uma revolução. A crise do modelo soviético está
associada à incapacidade da antiga URSS manter sua política de
corrida armamentista que tentava acompanhar os Estados Unidos
e pela debilidade de seu potencial industrial.
A Era dos Extremos abrange o período subsequente à
Revolução Russa de 1917 e que vai até queda do regime
soviético, em 1991 >92, que para Hobsbawm não
representa o fim do marxismo, mas a oportunidade de
promover novas reflexões...
WIND OF CHANGE--Scorpions
1990
...5:31
http://www.youtube.com/watch?v=tXU07XSZ3yQ
http://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2013/04/19/a-falencia-da-democracia-eric-hobsbawm/
Segundo Hobsbawm ... vamos enfrentar os problemas do século
21 armados com um conjunto de mecanismos políticos
gravemente inadequado para lidar com eles.
Esses mecanismos estão confinados dentro das fronteiras de
Estados-nação...
Eles enfrentam e competem com uma economia mundial que
opera por meio de unidades totalmente diferentes e às quais as
considerações de legitimidade política e interesse comum não
se aplicam: as empresas transnacionais. E, sobretudo,
enfrentam uma era em que o impacto da ação humana sobre a
natureza e o globo já se transformou em força de proporções
geológicas...
http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/v/relatorio-da-onu-mostra-que-a-temperatura-da-terra-continua-aumentando/2852597/
Jabor resgata preocupação de Hobsbawm com
interesses capitalistas acima do elemento
“humano”...1:03
http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/v/natureza-continua-numa-boa-ea-humanidade-e-que-pode-acabar/2853994/
http://www.cronopios.com.br/site/resenhas.asp?id=3163
Hobsbawm adverte: "O século XX foi a era mais
extraordinária da história da humanidade, combinando
catástrofes humanas de dimensões inéditas, conquistas
materiais substanciais e um aumento sem precedentes da
nossa capacidade de transformar e talvez destruir o planeta e até de penetrar no espaço exterior". O próprio historiador
questiona: "Qual é a melhor maneira de refletir sobre essa
`ERA DOS EXTREMOS` e imaginar as perspectivas da nova
era que surge a partir da antiga?“ que começou com o abalo
do absolutismo...
Música...4:00

similar documents