o sus - Idisa

Report
SUS:
SISTEMA
CONSTITUCIONAL
PARA GARANTIR
VIDA E SAÚDE PARA
O BRASILEIRO
gilson carvalho
1
ESTE TEXTO FOI PRODUZIDO POR
GILSON CARVALHO
MÉDICO PEDIATRA E DE SAÚDE PÚBLICA
E ADOTA A POLÍTICA DO COPYLEFT PODENDO SER USADO,
REPRODUZIDO, MULTIPLICADO, POR QUALQUER MEIO, INDEPENDENTE
DE AUTORIZAÇÃO DO AUTOR.
TODO CONTATO,SUGESTÃO, OPINIÃO,
CRÍTICA SERÁ SEMPRE BENVINDA
GILSON CARVALHO
RUA SAUL VIEIRA 84
JARDIM DAS COLINAS
CEP 12242140
São José dos Campos - SP
TEL. 0 –XX- 12- 39217874
[email protected]
WWW.IDISA.ORG.BR
gilson carvalho
2
SAÚDE TEM DETERMINAÇÃO ALÉM DAS AÇÕES E
SERVIÇOS DE SAÚDE
GENÉTICA
AMBIENTE
FÍSICO
BIOLOGIA
SAÚDE
AMBIENTE
SOCIO-ECONÔMICO
ESTILO DE VIDA
AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE
gilson carvalho
3
SAÚDE É
VIVER
MAIS E
MELHOR
gilson carvalho
4
POLÍTICA DE ESTADO:
AQUELA INSCRITA NA CF
POLÍTICA DE GOVERNO:
É A PRATICADA PELOS
GOVERNANTES PODE SER
ALÉM DA POLÍTICA DE
ESTADO, MAS, NUNCA MENOS
gilson carvalho
5
O DIREITO DO CIDADÃO À SAÚDE GERA O DEVER DO ESTADO EM
GARANTÍ-LA DE DUAS MANEIRAS DISTINTAS: CF 196
1) EXTRASETORIAL: POLÍTICAS
ECONÔMICAS E SOCIAIS PARA
DIMINUIÇÃO DO RISCO DE
DOENÇAS E AGRAVOS;
2) SETORIAL: GARANTIA DE AÇÕES
E SERVIÇOS DE SAÚDE PARA
PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E
RECUPERAÇÃO DA SAÚDE – O SUS
gilson carvalho
6
O SISTEMA DE SAÚDE DO BRASIL
SISTEMA PÚBLICO
SUS – SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE
(FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL)
O SUS REGULA, FISCALIZA, CONTROLA E EXECUTA
SISTEMA PRIVADO
LUCRATIVO – PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA DIRETAMENTE
OU PLANOS E SEGUROS DE SAÚDE
NÃO LUCRATIVO – FILANTRÓPICAS OU SEM FINS
LUCRATIVOS OU AUTO-GESTÃO (OS E OSCIPS)
O SUS REGULA, FISCALIZA E CONTROLA
gilson carvalho
7
OBJETIVOS DO SUS
I - a identificação e divulgação dos fatores
condicionantes e determinantes da saúde;
II - a formulação de política de saúde destinada a
promover, nos campos econômico e social, diminuição do
risco de doenças e agravos;
III - a assistência às pessoas por ações de
promoção, proteção e recuperação da saúde,
por ações assistenciais e das atividades preventivas
FUNÇÕES DO SUS
REGULAR - FISCALIZAR
CONTROLAR - EXECUTAR
8
DIRETRIZES E PRINCÍPIOS TÉCNICOS ASSISTENCIAIS
UNIVERSALIDADE
IGUALDADE
EQUIDADE
INTEGRALIDADE
INTERSETORIALIDADE
DIREITO À INFORMAÇÃO
AUTONOMIA DAS PESSOAS
RESOLUTIVIDADE
BASE EPIDEMIOLÓGICA
gilson carvalho
9
DIRETRIZES E PRINCÍPIOS TÉCNICOS GERENCIAIS
DESCENTRALIZAÇÃO
REGIONALIZAÇÃO
HIERARQUIZAÇÃO
GESTOR ÚNICO EM CADA ESFERA DE
GOVERNO
COMPLEMENTARIEDADE DO PRIVADO
SUPLEMENTARIEDADE DO PRIVADO
FINANCIAMENTO
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
gilson carvalho
10
ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE GERAL:
DADOS DE 2005 – AMS
77.044 ESTABELECIMENTOS
(55 MIL PÚBLICOS)
APENAS 6 SEM UNIDADES SAÚDE
2,9 POSTOS MÉDICOS POR MIL HAB
QUASE 70% UNIDADES PRIVADAS
ATENDEM O SUS
CRESCEU OFERTA
DE MAMÓGRAFOS E ULTRA-SOM
FONTE: IBGE-ASSISTÊNCIA MÉDICO SANITÁRIA 2005
11
GILSON CARVALHO
LEITOS
TOTAL - 443.210
PRIVADOS - 294.244 – 66,4%
PÚBLICOS -148.966 -33,6%
(FED. (17.189) – EST. (61.699) MUN. (70.078) )
DISTRIBUIÇÃO LEITOS PÚBLICOS:
NO (57,7%) NE(45,3%) CO(36,6%)
SE (27,9%) SUL(19,9%)
FONTE: IBGE-ASSISTÊNCIA MÉDICO SANITÁRIA 2005
12
GILSON CARVALHO
AÇÕES E SERVIÇOS PRODUZIDOS PELO
SUS EM 2010
TOTAL -3,6 BI
BÁSICO – 1,7 BI
MAC – 1,9 BI
INTERNAÇÕES – 11,1 MI
DIÁLISE – 11,2 MI
EXAMES BIOQUÍMICOS – 495 MI
EXAMES DE IMAGEM – 92 MI
VACINAS – 138 MI
gilson carvalho
13
FEITOS SUS – 2010
TODOS OS PROCEDIMENTOS EM SAÚDE - SUS
ATENÇÃO BÁSICA (PRIMEIROS CUIDADOS)
AÇÕES DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO (VIGILÂNCIA)
CONSULTAS + ATENDIMENTOS
VACINAS
ATENÇÃO DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE (MAC)
INTERNAÇÕES
INTERNAÇÕES CIRÚRGICAS
INTERNAÇÕES CLÍNICAS
TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA (97% DA OFERTA)
EXAMES BIOQUÍMICOS – ANATOMOPATOLÓGICOS
IMAGEM: RX (70 mi); TOMO (2,3mi); U. SOM (19 mi)
RM (502 mil); Med. Nuclear (347 mil)
MEDICAMENTOS (ESTRATÉGICO/EXCEPCIONAL)
ÓRTESES - PRÓTESES AMBULATORIAIS
FISIOTERAPIAS
SAÚDE BUCAL
FONTE-MS-DATASUS – 5/4/2011
gilson carvalho
3,6 bi
1,6 bi
535 mi
1,3 bi
138 mi
1,9 bi
11,1 mi
4,0 mi
7,6 mi
11,2 mi
495 mi
92 mi
624 mi
3,5 mi
47,4 mi
220 mi
14
FORÇA DE TRABALHO NA SAÚDE:
PÚBLICOS: 1,5 MI
(FEDERAL 7% - ESTADUAL 24% MUNICIPAL 69%)
PRIVADO: 1 MI
TOTAL 2.5 MI
FONTE: AMS-2005
gilson carvalho
15
EMPREGOS SAÚDE - BRASIL – 1980- 1992-2005
EMPREGOS
1980
%
1992
%
2005
%
PUBLICO
265.946 ...
735.820
51
FEDERAL
113.29 43
7
113.987
15
105.686
7
-7%
ESTADUAL
109.57 41
3
315.328
43
345.926
24
215%
16
306.505
42
997.137
69 2.214%
702.888
49
MUNICIPAL 43.086
PRIVADOS
...
...
TOTAL
...
...
1.448.749 56
CRESC.
%
80/05
1.117.945 44
1.438.708 100 2.566.694 100
444%
...
...
FONTE: AMS-1980-1992-2005 – ESTUDOS GC
gilson carvalho
16
GASTO SAÚDE BRASIL – 2009
PÚBLICO R$127 BI
(MS-58; ESTADOS-34; MUNICÍPIOS-35)
PRIVADO R$ 143 BI
(PLANOS-64; PRIVADO PURO-24; MEDICAMENTOS-55)
TOTAL - R$ 270 BI
GILSON CARVALHO
17
ESTIMATIVA GASTO SAÚDE BRASIL - 2009
R$ BI % PP % TOT %PIB
FONTES
58
46
22
1,9
FEDERAL
34
27
13
1,0
ESTADUAL
35
27
13
1,1
MUNICIPAL
127 100
47
4,0
TOTAL PÚBLICO
64
45
24
2,0
PLANOS SEGUROS
24
17
9
0,8
GASTO DIRETO
55
38
20
1,7
MEDICAMENTOS
143 100
53
4,5
TOTAL PRIVADO
270
100 8,5
TOTAL BRASIL
FONTE: MS/SPO; MS/SIOPS;ANS;IBGE/POF-2008 – ESTUDOS GC
% PP=% PÚBLICO E PRIVADO;% TOT= TOTAL;PIB 2009 3,14 TRI;GASTO DIRETO= PESSOAS
PAGANDO DIRETAMENTE OS SERVIÇOS DE SAÚDE.
GILSON CARVALHO
18
GASTO SAÚDE BRASIL –
ESTIMATIVA 2010
PÚBLICO R$140 BI
PRIVADO R$ 160 BI
TOTAL - R$ 300 BI
GILSON CARVALHO
19
ÍNDICE EJ & RG
GASTO PÚBLICO
BRASILEIRO-DIA
COM SAÚDE - 2009
R$1,82
POR DIA
GILSON CARVALHO
20
RENÚNCIA FISCAL SAÚDE
2005-2011
EM BI DE REAIS
2005 – 5,0
2006 – 5,9
2007 – 7,7
2008 – 8,9
2009 – 12,6
2010 – 12,4
2011 – 13,5
Fonte: M.Fazenda
GILSON CARVALHO
21
RENÚNCIA FISCAL SAÚDE ESTIMA.2010
IRPF R$3,3 bi
IRPJ R$3,0 bi
TOTAL IR: 6,3
Produtos Químicos/Farmacêuticos R$1,0 bi
E. Sem Fins Lucrativos Saúde R$2,6 bi
Medicamentos R$2,5 bi
TOTAL: R$ 12,4 bi
Fonte: M.Fazenda
GILSON CARVALHO
22
RENÚNCIA FISCAL SAÚDE ESTIMA.2011
IRPF R$4.4 bi
IRPJ R$2,9 bi
TOTAL IR: 7,3
Produtos Químicos/Farmacêuticos R$1,0 bi
E. Sem Fins Lucrativos Saúde R$2,2 bi
Medicamentos R$3,0 bi
TOTAL: R$ 13,5 bi
Fonte: M.Fazenda
GILSON CARVALHO
23
CUMPRIMENTO DOS MÍNIMOS
CONSTITUCIONAIS DE 2000 A 2008
UNIÃO
DEVE CERCA DE 20 BI
ESTADOS
DEVEM CERCA DE 28 BI
MUNICÍPIOS
COLOCARAM A MAIS
CERCA DE 30 BI
(2009 - 11,5 BI A MAIS)
GILSON CARVALHO
24
RESUMO DAS ESTIMATIVAS DE NECESSIDADES DE
RECURSOS PARA GARANTIR COBERTURA DE AÇÕES DE SAÚDE
UNIVERSAL E INTEGRAL - BRASIL-2010
GASTOS PÚBLICOS 2009 UEM
R$ 127 BI
10% DO PIB
R$ 314 BI
5,5% PIB – Média mundo
R$ 172 bi
PC PLANOS
R$ 284 BI
PC -PÚBLICO DOS DE MAIOR RENDA
R$ 714 BI
PC-PÚBICO DA EUROPA
R$ 411 BI
PC-PÚBLICO DAS AMÉRICAS
TOTAL
DA
IMEDIATA
NECESSIDADE
R$ 402 BI
FEDERAL
R$162 BI
25
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
gilson carvalho
26
NOSSO PROBLEMA NESTE CAMINHAR DE
IMPLANTAÇÃO DO SUS ESTÁ NA:
INEFICIÊNCIA:
MAU USO DOS POUCOS RECURSOS
INSUFICIÊNCIA:
FALTA DE RECURSOS DE TODA ORDEM, EM ESPECIAL
DO FINANCEIRO QUE É DETERMINANTE DAS OUTRAS
INSUFICIÊNCIAS (PESSOAL, SALÁRIOS, MATERIAL E
MEDICAMENTOS, APARELHOS, LEITOS…)
gilson carvalho
27
TRANSIÇÕES NA SAÚDE AUMENTANDO
CUSTOS
• DEMOGRÁFICA
• EPIDEMIOLÓGICA
• NUTRICIONAL
• TECNOLÓGICA
• CULTURAL
GILSON CARVALHO
28
SUS PARA SER VIÁVEL DEPENDE DE:
LEI DOS “5 MAIS”
MAIS BRASIL
MAIS SAÚDE
MAIS EFICIÊNCIA
MAIS HONESTIDADE
MAIS DINHEIRO
gilson carvalho
29
“É FUNDAMENTAL
DIMINUIR A
DISTÂNCIA ENTRE O
QUE SE DIZ E O QUE
SE FAZ, DE TAL
MANEIRA QUE, NUM
DADO MOMENTO A
TUA FALA SEJA A
TUA PRÁTICA”
PAULO FREIRE
gilson carvalho
30

similar documents