O que são tecidos?

Report
O QUE SÃO TECIDOS?
Os tecidos são grupos de células com determinado
tipo de especialização que organizam-se em grupos.
Podem ser classificados em quatro categorias:
epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso
TECIDO EPITELIAL
. Funções: proteção, absorção, secreção,
percepção de sensações.
 São classificados em dois tipos principais:
epitélios de revestimento e epitélios
glandulares

EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
Podem
ser:
Uniestratificados (simples): formados só por uma
camada de células.
 Estratificados: formados por mais de uma
camada de células.
 Pseudo-estratificados: formados por uma única
camada de células mas de tamanhos diferentes.

Quanto à forma podem ser:
 Pavimentosos: quando as células são achatadas
como ladrilhos;
 Cúbicos: quando as células têm forma de cubo
 Prismáticos: quando as células são alongadas, em
forma de coluna.

LOCALIZAÇÃO DE ALGUNS TIPOS DE EPITÉLIOS
DE REVESTIMENTO
Esquerda: 1-Epitélio pseudo-estratificado, 2-Epitélio cúbico simples, 3-Epitélio
colunar. Direita: Epitélio pavimentoso estratificado, 2-Epitélio pavimentoso
simples, 3-Epitélio prismático simples
ESPECIALIZAÇÃO DAS CÉLULAS EPITELIAIS
Desmossomos: pode ser comparado a um botão
de pressão, estando uma metade localizado na
membrana de uma célula, e a outra na célula
vizinha.
 Zona de oclusão:é uma espécie de cinturão
adesivo situado junto a borda livre das células.
Impede a passagem de moléculas entre as
células.

Linha basal:espécie de tapete de moléculas de
proteínas ao qual as células se ligam.
 Hemidesmossomos:estruturas celulares especiais
que aderem as células epiteliais à lâmina basal.

ESQUERDA: ZONA DE OCLUSÃO
DIREITA: DESMOSSOMO
EXEMPLOS DE EPITÉLIOS DE
REVESTIMENTO
 Epiderme:
camada mais superficial da
nossa pele, é um epitélio estratificado
que exerce função de proteção. Está
em constante multiplicação e sempre
se soltando nas camadas mais
superficiais.
 Epitélio de revestimento intestinal:
reveste internamente o intestino. Tem
a função de absorção de nutrientes,
devido às microvilosidades.
Epitélio dos túbulos renais: tem a função de
reabsorção das substâncias úteis da urina, possui
grande número de invaginações.
 Epitélio olfativo: especializada em receber
estímulos externos, reveste internamente o nariz e
é responsável pelo olfato.

EPITÉLIOS GLANDULARES
Ficam no interior das glândulas e são
especializadas na produção e eliminação de
secreções.
 Podem ser: exócrinas e endócrinas.

GLÂNDULAS EXÓCRINAS

Eliminam suas secreções para cavidades internas
dos orgãos (glândulas salivares) ou para fora do
corpo (glândulas sudoríparas).
Quanto
a forma da poção
secretora podem ser:
Tubulosas: porção secretora tubular. Ex.: glândulas
da mucosa estomacal.
 Acinosa ou alveolar: porção secretora arredondada.
Ex.: glândulas sebáceas da pele.
 Túbulo-acinosa ou túbulo-alveolar: dutos tubulares
com porções secretoras arredondadas. Ex.:
glândulas mamárias

Quanto
a forma do duto
podem ser:
Simples: Duto sem ramificação. Ex.: glândulas
sudoríparas.
 Composta: Duto ramificado. Ex.: porção exócrina do
pâncreas.

RESPECTIVAMENTE, SIMPLES TUBULOSA, SIMPLES
ACINOSA, COMPOSTA TÚBULO-ACINOSA
Quanto
ao modo de secretar
podem ser:
Merócrina: células secretoras eliminam apenas as
secreções, sem perda citoplasmática. Ex.: glândulas
salivares
 Holócrina: células secretoras eliminam todo o
citoplasma junto com as secreções. Ex.: glândulas
sebáceas.
 Apócrina: células secretoras eliminam parte do
citoplasma junto com as secreções. Ex.: glândulas
mamárias.

GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

Eliminam suas secreções, genericamente
denominadas homônios, diretamente no sangue.
GLÂNDULA MISTA OU ANFÍCRINA:
PÂNCREAS

Desempenha simultaneamente funções
endócrinas e exócrinas.
TECIDO CONJUNTIVO
Unem outros tecidos sustentando-os e dando
conjunto ao corpo, daí o nome conjuntivo.
 Células separadas por material produzido e
secretado por elas, que podem ser classificados
em: frouxo, denso, cartilaginoso, ósseo e
sangüíneo.

TECIDO CONJUNTIVO FROUXO
Está presente em praticamente todos os órgãos.
 É constituído por: células de vários tipos, três
tipos de fibras e substância fundamental ou
amorfa, uma espécie de gelatina que envolve as
células e fibras.

Tipos
de fibras:
Colágenas: grossas e resistentes. Dão resistência a
nossa pele.
 Elásticas: dão elasticidade a nossa pele.
 Reticulares: são ramificadas e ligam o tecido
conjuntivo aos outros tecidos vizinhos.

Tipos
de células:
Fibroblastos: forma estrelada e núcleo grande.
Fabricam e secretam as proteínas que constituem
as fibras e a substância amorfa.
 Macrófagos:deslocam-se continuamente entra as
fibras à procura de bactérias e restos de células.
 Plasmócitos: alta capacidade de multiplicação e
permitem a regeneração do tecido conjuntivo.

TECIDO ADIPOSO

É um tipo especial de tecido conjuntivo frouxo no
qual existem células que acumulam grande
quantidade de gordura.
TECIDO CONJUNTIVO DENSO
Abundância de fibras colágenas.
 Grande resistência.
 Tecido conjuntivo denso fibroso: fibras
entrelaçadas, resistente e elástico . Forma
cápsulas envoltórias nos órgãos.
 Tecido conjuntivo denso modelado: muito
resistente e pouco elástico. Forma os tendões e os
ligamentos.

TECIDO CARTILAGINOSO
Forma o esqueleto de alguns animais
vertebrados. Ex.: cações, raias e tubarões (peixes
cartilaginosos). Porém, todos os vertebrados
retêm cartilagem em algumas partes do corpo.
 Esse tecido é avascular.
 Componentes da cartilagem: fibras colágenas e
condrina.

TIPOS DE CARTILAGEM
Hialina: é a mais comum. Poucas fibras coláginas. Ex.:
laringe, traquéia, bronquios e nas extremidades de
ossos que se articulam.
 Elástica: além das fibras coláginas, apresentam fibras
elásticas. Ex.: septo nasal e epiglote da ovelha.
 Fibrosa: é a mais resistente, apresenta grande
quantidade de fibras colágenas. Ex.:ossos pubianos da
bacia e discos intervertebrais.

ESTRUTURA DO TECIDO ÓSSEO
TECIDO ÓSSEO
Formados por um tipo de tecido conjuntivo no
qual as células secretam fibras colágenas e
fosfato de cálcio.
 Inúmeras unidades chamdas de sistemas de
Havers.

TIPOS DE CÉLULAS DO OSSO
Jovens: osteoblastos
 Maduras: osteócitos
 Osteoclastos: destruição de áreas lesadas ou
envelhecidas do osso. Abre caminho para a
regeneração do tecido pelos osteoblastos.

TIPOS DE OSSIFICAÇÃO
Endocondral:ossificação dentro da cartilagem.
Substituição gradativa do tecido cartilaginoso
pelo tecido ósseo. Assim se forma a maior parte
dos osso de nosso corpo
 Intramembranosa: formação de tecido ósseo no
interior de uma membrana de tecido conjuntivo.
Ex.: caixa craniana

TECIDO SANGÜINEO

Função sangüínea: transporte de gases (oxigênio e
carbônico), alimento e excreções e proteção.

Matriz extracelular: plasma

Plasma: sais minerais, proteínas e água.

Soro: Plasma sem o fibrionogênio

Eritrócitos ou hemácias (células vermelhas): as mais
abundantes no sangue. Forma discoidal. Transportam
gás oxigênio para os tecidos.


Leucócitos (células brancas): são esféricas, maiores
que as hemácias.
Podem ser de dois tipos, granulosos (neutrófilos,
oesinófilos e basófilos) e agranulosos (linfócitos e
monócitos).
Neutrófilos: fagocitam bactérias.
 Eosinófilos: protege contra substâncias estranhas.
 Basófilos: rações alérgicas a corpos ou substâncias
estranhas.

Linfócitos (B e T): em conjunto são os responsáveis
pela imunidade.
 Monócitos: fagocitam microorganismos invasores,
resíduos e células mortas.
 Plaquetas (trombócitos): coagulação do sangue.

GLÓBULOS BRANCOS (LEUCÓCITOS) E
HEMÁCIAS
TECIDO MUSCULAR
Células longas com alta capacidade de contração.
 A contração é responsável pela locomoção e pela
movimentação dos órgãos internos.
 Os músculos podem ser: estriado, esquelético,
estriado cardíaco e liso.

TIPOS DE TECIDOS MUSCULAR: RESPECTIVAMENTE,
TECIDO MUSCULAR ESTRIADO ESQUELÉTICO, TECIDO
MUSCULAR ESTRIADO CARDÍACO E TECIDO MUSCULAR
LISO
TECIDO MUSCULAR ESTRIADO
ESQUELÉTICO.
Constitui a maior parte da musculatura do corpo
dos vertebrados.
 São chamados estriados porque o arranjo dos
filamentos de actina e miosina nas fibras cria um
padrão bem-definido de estrias.
 Células polinucleadas
 Contração rápida e voluntária.

TECIDO MUSCULAR ESTRIADO CARDÍACO
Localização: coração
 Apresenta estrias transversais ramificadas e
células com um ou dois núcleos.
 Discos intercalares: fazem a conexão elétrica
entre todas as células do coração.
 Contração espontânea e rápida.

TECIDO MUSCULAR LISO
Presente em órgãos viscerais como estômago,
intestino útero e vasos sangüíneos.
 Células uninucleadas
 Contração lenta e involuntária.

MECANISMO DE CONTRAÇÃO MUSCULAR
Miofibrilas: actina (filamento fino) e miosina
(filamento grosso).
 Miosina: forma de um taco de golfe. Unem-se
umas às outras formando feixes.
 Unidade funcional: sarcômero.
 Contração: filamentos de actina deslizam sobre os
filamentos de miosina.

Na contração as moléculas de miosina deslizam sobre as de actina, o que faz o
sarcômero encurtar.De cima para baixo estágios sucessivos da contração de um
sarcômero. À direita, desenhos de cortes transversais realizados em três diferentes
regiões do sarcômero, mostrando o arranjo dos filamentos de actina e miosina.
O PAPEL DO CÁLCIO NA CONTRAÇÃO
MUSCULAR.

Na presença de íons cálcio, moléculas de ATP
reagem com as moléculas de miosina, fazendo
com que suas “cabeças” se dobrem com força e
rapidez. Isso faz com que as fibras de actina se
desloquem sobre o feixe de miosina.
TECIDO NERVOSO

É responsável pela recepção e escolha da resposta
adequada aos estímulos.
NEURÔNIO, A CÉLULA NERVOSA
São células alongadas podendo atingir, em alguns
casos, cerca de 1 m.
 Três partes: corpo celular, dendritos e axônios.
 Corpo celular: núcleo, retículo endoplasmático,
aparelho de Golgi e ribossomos
 Dendritos:recebe os estímulos provenientes do meio.
 Axônio: conduz impulsos do corpo celular até alvos
distantes.

OUTRAS CÉLULAS DO TECIDO NERVOSO
Células de Schwann: se enrolam em torno do axônio e
formam uma capa chamada bainha de mielina, que
aumenta a velocidade de propagação do impulso.
 Células da glia: astrócitos (suporte mecânico e alimento),
aligodentrócitos (bainhas protetoras nos axônios dos
neurônios do encéfalo e medula espinhal), micróglias
(fagocitam detritos e restos celulares.

TRANSMISSÃO DO IMPULSO NERVOSO
Os estímulos são recebidos pelos dendritos, seguem
pelo corpo celular, percorrem o axônio e, da
extremidade deste, são passados à célula seguinte.
 O impulso é de origem elétrica.
 A membrana das células nervosas é polarizada, isto é,
existe uma diferença entre as cargas elétricas da
superfície interna e da superfície externa, sendo o
interior negativo em relação ao exterior.

O impulso nervoso se
transmite como uma
onda de inversão de
polaridade na
membrana do axônio.
A velocidade de
transmissão de impulso
pode atingir mais de
300 km/h.
POTENCIAL DE AÇÃO
Potencial de ação é a inversão momentânea da
polaridade, ficando o exterior negativo em relação
ao interior, em uma pequena região da
membrana.
 A estimulação de um dendrito desencadeia um
potencial que se transmite até a extremidade do
axônio.

SINAPSES NERVOSAS E MEDIADORES
QUÍMICOS
Espaço sinaptico é um pequeno espaço entre um
axônio e os dendritos do neurônio seguinte.
 Os neurotransmissores ou mediadores químicos
(acetilcolina e adrenalina) são substâncias que são
liberadas na extremidade do axônio na região da
sinapse que provocam alterações elétricas na
membrana da célula seguinte.

VISÃO AMPLIADA DA REGIÃO SINÁPTICA MOSTRANDO
A LIBERAÇÃO DE MEDIADORES QUÍMICOS.
Referências bibliográficas:
•Amabis & Martho, Biologia das célulasVol. 1, 1995
•Coleção objetivo, livro 2- Biologia
Animal.

similar documents