Apresentação do PowerPoint

Report
“PLATAFORMA NACIONAL
DE DIÁLOGO NO SECTOR DE
SEMENTES”
I I A M – S A L A S AV E
15 DE SETEMBRO DE 2014
R U I S A N TO S
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Surge como resposta aos constrangimentos arrolados pela SDC
aquando do estudo da cadeia de valores de semente em
Moçambique, que constatou que existe pouca ou nenhuma sinergia
entre os vários actores da cadeia de semente.
É resultado da colaboração da:
 Direcção Nacional dos Serviços Agrários (DNSA),
 INOVAGRO - um projecto financiado pela Agência de Cooperação
Suíça (SDC),
 AGRA e SPEED (ambos financiados pela USAID).
Parceria estruturada entre o diversos actores da cadeia de
sementes:
 Sector público,
 Sector privado,
 Comunidade de Desenvolvimento.
2
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Foi formalizada a 24 e 25 de Abril de 2014, em sessão plenária,
no Hotel Cardoso.
Foram eleitos como membros da Comité de Coordenação:
• Rui Santos – MOSTA (eleito Presidente da Comissão)
• Kevin Gifford – Phoenix Seeds
• Paula Pimentel – USAID
• Peter Waziweyi – Sementes Nzarayapera
• Suzie Aline Aly - PIAIT
• Elsa Timana – DNSA
• Agostinho Bento – UNAC
• Casimiro Alves Alberto - HELVETAS Swiss Intercooperation
A comissão tem o apoio do Eng. Leocádio Gonçalves (DNSA) e
da Sra. Tiana Campos (INOVAGRO).
3
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
A plataforma tem como missão, melhorar a
colaboração entre os actores chaves da cadeia de
semente com vista ao desenvolvimento sustentável
do ambiente de negócio no sector de semente:
aumentando a disponibilidade e
acessibilidade da semente certificada aos
pequenos produtores, aumentando assim,
a produção e
produtividade agrícola.
4
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
A Plataforma foi criada com a visão de valorizar a
semente certificada, assentando nos seguintes pilares:
Intercâmbio do sector Público e Privado na pesquisa e
desenvolvimento;
Disseminação e transferência de tecnologia;
Produção;
Mercado.
Tudo com o objectivo de contribuir para a fortalecimento
do que está preconizado no Plano Estratégico para o
Desenvolvimento do Sector Agrário (PEDSA).
5
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Para que esta plataforma se efective concluiu-se que
esta deve ter as seguintes características:
Comité de Coordenação
Secretariado permanente – pequeno e funcional,
representando todas as componentes da cadeia de
valor da semente;
 Um Coordenador da Plataforma, a tempo inteiro
para (i) interagir com diferentes actores,
(ii)mobilizar recursos, (iii)coordenar a
implementação do plano de negócios da plataforma
6
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Modus Operandi
Reuniões semestrais
Reuniões anuais
Deve-se formar núcleos da Plataforma nas
províncias/regiões para criar espaço de diálogo a nível
provincial e local e os seus representantes poderiam
participar nas discussões a nível central
Os documentos dos encontros devem ser partilhados
por todos os actores
Utilização de tecnologias de informação para partilha
de informação relevante para o sector
7
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Financiamento
Em virtude das condições actuais dos diversos
intervenientes da cadeia de valor, sugeriu-se desta
forma que:
Plataforma deverá nos primeiros 2 anos, continuar a
ser financiada pelos parceiros de desenvolvimento;
Durante
estes 2 anos o comité de coordenação
deveria estudar formas de financiamento para a
sustentabilidade da plataforma.
8
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Será contratado um consultor (SET/14) para
elaborar :
Plano Estratégico detalhado sobre a estrutura
e sistema de funcionamento do comité eleito
tendo em conta as diferentes entidades que o
compõem e o contexto real moçambicano,
bem como, o seu funcionamento legal para
um período compreendido de três (3) anos
(1+2).
9
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
O relatório final do consultor deve conter:
Um plano estratégico da plataforma dum período de (2+1)
anos;
Formular claramente os objectivos da Plataforma;
Definir as principais actividades ou intervenções, incluindo o
orçamento e fontes de financiamento, prazos e
responsabilidades;
Funcionamento do comité e responsabilidades dos seus
membros;
Estratégias para a sustentabilidade da plataforma, tendo em
conta o período da transição.
10
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
Para uma maior abrangência e melhor
cometimento serão realizados encontros
regionais (Norte, Centro e Sul), para a
divulgação do plano estratégico desenvolvido
e obter mais subsídios dos membros da
plataforma.
O documento final deverá ser entregue a 28 de
Novembro de 2014.
11
PLATAFORMA NACIONAL DE DIÁLOGO NO SECTOR DE SEMENTES
MUITO OBRIGADO!
12

similar documents