Slide 1

Report
Mundo Moderno
Os séculos XV e XVI marcam o começo de
um período histórico chamado Idade
Moderna, que se estende até o final do
século XVIII. Três grandes
acontecimentos se destacam nesse
período: a Expansão Marítima, o
Renascimento e a Reforma.
Crise do século XIV
É a expressão utilizada para denominar
um conjunto de fatores e eventos
ocorridos no século XIV e que
aceleraram a decadência do feudalismo e
o fim da Idade Média na Europa
Ocidental.
O termo "Europa Ocidental" era usado
para designar a parte da Europa que
tinha raízes católicas ou protestantes,
ou seja, a área ocupada por França,
Irlanda, Reino Unido, Países Baixos,
Bélgica, Luxemburgo, Islândia, Suíça,
Noruega, Áustria, Dinamarca, Itália,
Portugal, Espanha, etc.
A crise teve origem na época em que não havia
novas terras a serem ocupadas fazendo com
que a produção não crescesse.
Com a produção estagnada e uma população
maior, a fome se espalhou na Europa.
Além disso, a destruição das florestas e do meio
ambiente causou sérias mudanças climáticas,
como por exemplo, severas chuvas. A Europa
devastada pela fome, estava mais vulnerável
a doenças como a Peste negra.
Peste Negra
É uma doença causada pela bactéria Yersinia pestis ,
transmitida ao ser humano através das pulgas dos
ratos-pretos (Rattus rattus).
Após o contato com a doença, a pessoa tinha poucos
dias de vida. Febre, mal-estar e bulbos (bolhas) de
sangue e pus espalhavam-se pelo corpo do doente,
principalmente nas axilas e virilhas.
A doença pode também causar manchas na pele que
apresentam primeiramente uma cor avermelhada e
então se torna negra.
Como os conhecimentos médicos eram pouco
desenvolvidos, a morte era certa.
Proteção usada pelos médicos
durante a Idade Média quando
visitavam doentes vítimas da
Peste Bubônica.
Rattus rattus, a espécie de
ratazana responsável pela
disseminação da peste
durante a Idade Média.
Vítimas da Peste
Mudanças na Idade Moderna
Uma das mudanças mais importantes foi o
desenvolvimento do comércio.
Renascimento
Foi um movimento de renovação cultural e
intelectual, começou no século XIV na
Itália e difundiu-se pela Europa no
decorrer dos séculos XV e XVI,
apresentando uma nova visão de mundo.
Características Principais
• Valorização da cultura greco-romana. Para os
artistas da época renascentista, os gregos e
romanos possuíam uma visão completa e humana
da natureza, ao contrário dos homens medievais;
• Racionalismo: as qualidades mais valorizadas no
ser humano passaram a ser a inteligência, o
conhecimento e o dom artístico;
• Humanismo;
• Naturalismo.
Adão e Eva
Dürer
O nascimento da Vênus
Sandro Botticelli
Mona Lisa
Leonardo da Vinci
O pecado original e a
expulsão do Paraíso
Michelangelo
Reforma
A Reforma Protestante foi um movimento
que começou no século XVI com uma
série de tentativas de reformar a Igreja
Católica Romana e levou
subsequentemente ao estabelecimento do
Protestantismo.
Motivos
Um dos motivos da Reforma foi a necessidade
de uma nova moral religiosa que atendesse
aos interesses econômicos da burguesia em
ascensão, já que a Igreja Católica condenava
a usura (empréstimo de dinheiro a juros), a
avareza e a cobiça e os banqueiros
multiplicavam seu capital. Além de condenar
a usura, a moral religiosa pregada pela Igreja
Católica defendia a doutrina do "justo preço",
o que contrariava o ideal burguês de
obtenção do maior lucro possível.
A Reforma Luterana
O monge alemão Martinho Lutero foi um dos primeiros a
contestar fortemente os dogmas da Igreja Católica. Afixou
na porta da Igreja de Wittenberg as 95 teses que
criticavam vários pontos da doutrina católica.
As 95 teses de Martinho Lutero condenava a venda de
indulgências e propunha a fundação do luteranismo
( religião luterana ).
De acordo com Lutero, a salvação do homem ocorria pelos
atos praticados em vida e pela fé. Embora tenha sido
contrário ao comércio, teve grande apoio dos reis e
príncipes da época.Em suas teses, condenou o culto à
imagens e revogou o celibato.
Reforma Calvinista
Na França, João Calvino começou a Reforma
Calvinista no ano de 1534. De acordo com Calvino
a salvação da alma ocorria pelo trabalho justo e
honesto. Essa ideia calvinista, atraiu muitos
burgueses e banqueiros para o calvinismo. Muitos
trabalhadores também viram nesta nova religião
uma forma de ficar em paz com sua religiosidade.
Calvino também defendeu a ideia da
predestinação.
Reforma Anglicana
Na Inglaterra, o rei Henrique VIII
rompeu com o papado, após este se
recusar a cancelar o seu casamento com
Catarina de Aragão. Henrique VIII
funda o anglicanismo e aumenta seu
poder e suas posses, já que retirou da
Igreja Católica uma grande quantidade
de terras.
Martinho Lutero
Calvino
Henrique VIII
Contrarreforma
Preocupados com os avanços do protestantismo e com a
perda de fiéis, bispos e papas reúnem-se na cidade
italiana de Trento ( Concílio de Trento ) com o
objetivo de traçar um plano de reação. No Concílio de
Trento ficou definido:
- Catequização dos habitantes de terras descobertas,
através da ação dos jesuítas;
- Retomada do Tribunal do Santo Ofício - Inquisição :
punir e condenar os acusados de heresias;
- Criação do Index (Índice de Livros Proibidos): evitar a
propagação de ideias contrárias à Igreja Católica.
Métodos de Tortura
Roda de Despedaçamento
Esmaga Cabeça
Cadeira de Inquisição
Pêndulo
As Monarquias Nacionais
Além das atividades comerciais, das novas
classes sociais e do trabalho assalariado,
outro elemento que saiu fortalecido da
crise do século XIV foi a monarquia
centralizada. O enfraquecimento da
nobreza feudal e o apoio da burguesia ao
rei foram determinantes para a
centralização política através da
monarquia nacional .
Características dos Estados
Nacionais
• Poder centralizado;
• Monarquia Absolutista;
• Território nacional;
• Exército nacional;
• Impostos nacionais;
• Língua nacional .
Absolutismo
O absolutismo foi um sistema de
centralização política que vigorou nas
monarquias européias durante os séculos
XV ao XVIII.
Características do Absolutismo
• a concentração de poder nas mãos dos reis:
comandava a justiça, economia e sociedade;
• absoluto = sem limites;
• uso da violência e injustiças para governar;
• transmissão hereditária de poder;
• altos gastos para manter o luxo e as festas da
corte.
Teóricos do Absolutismo
•Jacques Bossuet : (1627-1704), para
este bispo e teólogo francês o rei era o
representante de Deus na Terra.
Portanto, todos deveriam obedecê-lo sem
contestar suas atitudes.
•Jean Bodin: (1530-1596), teórico
francês, em A República, afirmava que
a autoridade do rei se assemelhava à do
pai: era, por isso, ilimitada.
• Nicolau Maquiavel : (1469-1527). Escreveu
um livro, " O Príncipe", onde defendia o
poder dos reis. De acordo com as ideias deste
livro, o governante poderia fazer qualquer
coisa em seu território para conseguir a
ordem. De acordo com o pensador, o rei
poderia usar até mesmo a violência para
atingir seus objetivos. É deste teórico
italiano a famosa frase : " Os fins justificam
os meios."
•Thomas Hobbes : (1588-1619). Este
pensador inglês, autor do livro " O
Leviatã ", defendia a ideia de que os
homens vivem em constante competição:
o homem é o lobo do homem. E a única
forma de evitar a destruição da
humanidade é cada um abrir mão da sua
liberdade e entregar o poder de governar
a uma única pessoa.
Jacques Bossuet
Jean Bobin
Nicolau Maquiavel
Thomas Hobbes
Mercantilismo
O mercantilismo foi o sistema econômico
utilizado pelos monarcas absolutistas,
cujo objetivo principal era enriquecer os
cofres das cortes.
Características do Mercantilismo
• Metalismo ( quanto mais ouro tivesse um
país, mais rico ele seria e o rei mais poderoso);
• Balança comercial favorável (exportar mais
do que importar);
• Protecionismo alfandegário (criação de
impostos e taxas para barrar a entrada de
produtos estrangeiros);
• Exploração das colônias ( exemplo: Brasil foi
explorado por Portugal).
Principais práticas mercantilistas
Bulionismo ou metalismo é uma teoria
econômica que quantifica a riqueza de
acordo com a quantidade de metais
preciosos possuídos.
Exemplo de países bulionistas: Portugal e
Espanha
Colbertismo ou Industrialismo nasceu no
século XVII e é o Mercantilismo
característico da política econômica
francesa.
Sob a orientação do ministro das finanças
Colbert, o colbertismo propunha que o
volume de exportações fosse maior que o
de importações para que se obtivesse
uma balança comercial favorável.
O Mercantilismo na Inglaterra ficou
conhecido como Comercialismo.
Mercantilismo Comercial e Marítimo –
baseava-se na teoria de comprar barato e
vender caro.

similar documents