Treinamento

Report
Treinamento
“Mercado de Rações
e
Rações Copagra”
José Waldir Baraviera
Zootecnista – Nutrijara
Marco Yuri S. M. Lima
Médico Veterinário
Programação
8:30 as 8:45 –
8:45 as 9:15 –
9:15 as 9:45 –
9:45 as 10:00 –
10:00 as 10:30 –
10:30 as 11:00 –
Abertura
Conceitos de Nutrição Animal
Mercado de rações e matérias primas
Intervalo
Estrutura da Nutrijara e principais diferenciais das Rações Copagra
Parceria Copagra X Nutrijara
Pedidos
Logística
Politica comercial
Argumentos de venda
Ações de marketing
Apoio técnico e comercial da Nutrijara
11:00 as 12:00 – Apresentação da linha rações Copagra
José Waldir Baraviera – Zootecnista – Nutrijara
Conceitos sobre
Nutrição Animal
A produção animal é uma ciência em constante evolução
Sanidade
Manejo
Nutrição
Genética
- Volumosos
- Concentrados
- Água
Evolução
Mudanças
Evolução
Mudanças
Tablets
Evolução
Mudanças
Evolução
Mudanças
Evolução na alimentação
animal
Evolução na alimentação
animal
Evolução na alimentação
animal
Evolução na alimentação
animal
Melhoramento genético
Capacidade ingestão das
diferentes espécies
10 kg de Matéria Seca
ou
40 kg de pastagem
6 kg de Matéria Seca
ou
25 kg de pastagem
2 kg de Matéria Seca
ou
8 kg de pastagem
Composição de alimentos
(volumosos e concentrados)
Alimentos Volumosos
% Proteína Bruta
% NDT (Energia)
Brachiaria Brizantha
7%
51
Mombaça
9%
54
Silagem de Milho
8%
63
Alimentos concentrados
% Proteína Bruta
% NDT (Energia)
Farelo de soja comum
45%
76%
Farelo de algodão
28%
67%
Milho Grão
9%
81%
Trigo Farelo
16%
63%
O que é uma ração?
É uma mistura de vários ingredientes de elevado
valor nutritivo, sendo que a inclusão de cada dos
ingredientes varia de acordo com:
-
Animal – Espécie, idade, período fisiológico, genética;
Composição dos ingredientes – P.B., N.D.T., fibras, estabilidade;
Econômicos – Custo, disponibilidade, recursos.
De que depende a
qualidade de uma ração?
Em 95 % de qualidade das matérias primas
e o restante....
-
Formulação;
Qualidade de mistura;
Conservação (transporte, estocagem, embalagem, etc.).
Entendendo a composição das
rações:
1 – Fonte energética
2 – Fonte proteica
3 – Fontes mistas
4 – Minerais
5 – Vitaminas
6 – Aditivos
1 – Fontes energéticas
Milho e seus derivados
 Sorgo

2 – Fontes proteicas
Farelo de soja
 Farelo de algodão
 Uréia – atenção!

3 – Fontes mistas




Casca de soja
Farelo de trigo
Resíduos de pré-limpeza (plantas invasoras)
Alta inclusão indica baixa qualidade
4 – Fontes minerais
Minerais orgânicos ou inorgânicos?
 Fonte de fosforo?

FLOR DE ENXOFRE
(insolúvel )
X
CARBOQUELATO DE ENXOFRE
(solúvel)
SINTOMAS COMUNS DE CARÊNCIAS MINERAIS
RELACIONADOS A CRIAÇÃO DE BOVINOS
SINTOMAS
CLÍNICOS
ELEMENTOS MINERAIS DEFICIENTES
Fósforo
Cálcio
Ferro
Cobre
Cobalto
Iodo
Manganês
Zinco
Crescimento lento








Falta de Apetite






Anemias





Pelagem irregular




Baixa fertilidade



Diarréias

Problemas de casco


Selênio











5 – Fontes de vitaminas

Vitaminas
São moléculas instáveis
 Vitaminas protegidas – camada lipídica

A – Aumenta o apetite e diminui o estresse
 D – Melhora a absorção do P
 E – Melhora a Sist. Imune

6 – Aditivos

Monensina Sódica (Rumesin)

Usado na nutrição de ruminantes para
selecionar as bactérias benéficas no Rúmen
3.500 trabalhos de pesquisa publicados
 Melhora a conversão alimentar

COMENTÁRIOS
 Pesquisas na área de nutrição de ruminantes tem
evidenciado a importância da população microbiana para
um melhor aproveitamento das dietas.
- 10 a 50.000.000 microrganismos/ml
- 70% de digestão é bacteriana
MICROBIÓTA RUMINAL
Seleciona as bactérias que
melhoram a digestibilidade
dos alimentos !!!
Atenção!!!
A monensina é extremamente
tóxica para equinos !!!
Usada nas formulas de
bovinos e ovinos
Quais os outros fatores que influenciam
na qualidade de uma ração?

Formulação

Bovinos formulado pelo Dr. Juliano Beleze


Ovinos e Equinos pelo Dr. Alexandre Bombardelli


Supervisor Nacional da Linha E.C.O.
Qualidade de mistura


Doutorado em Nutrição de Ruminantes
B.P.F. - Nutrijara
Conservação


Embalagem, transporte.
Estocagem em local adequado
Ração farelada X peletizada
O pelet não muda o valor nutricional da ração

Farelada



O pelet não garante qualidade
Melhor visualização dos ingredientes
Maior desperdício de ração (3 a 8%)
Não causa problemas respiratórios
Diferenças básicas de formulas para
bovinos de corte e leite

Leite
 Maior exigência energética
 Maior exigência proteica
 Maior dependência de tamponamento
 Maior exigência de Vit. A.D.E.
 Maior resposta ao uso de aditivos
O mercado de rações e
parceria
Copagra X Nutrijara
Como esta o mercado de
rações no Brasil?
Copagra e o mercado de ração
regional

Mercado regional significativo

Bovinos – 700 mil cabeças



Ovinos


Vários criadores e espécie com particularidades
Equinos


Corte (Confinamento, Semi-confinamento, Seca)
Leite (pleno crescimento)
Mercado exigente e com foco em resultados
Dep. Comercial com foco em parcerias



Busca de uma ração de qualidade superior
Busca de lucratividade para o cooperado
Vários marcas sem acompanhamento técnico
A parceria Copagra X Nutrijara

Nutrijara não terá atendimento direto ao cooperado, ou
seja, o atendimento na região ficará exclusivamente via
Copagra.

A Copagra irá comercializar preferencialmente as
“Rações Copagra”, produzida pela Nutrijara

Misturadores (exceção)

Marilena, Nova Londrina, Santa Cruz, Loanda.
Área de atuação da Copagra onde será realizada a parceria.
INTERVALO...
Nutrijara:
Infraestrutura – Produção e
armazenagem
Nutrijara

Fundação em 2006



Zootecnistas – Nivaldo Trevisan e José Waldir Baraviera
Trabalho de assistência técnica a pecuaristas
Carência regional por uma ração de qualidade
Uma empresa que
nasceu
com foco na qualidade !!!
Infraestrutura – Produção e armazenagem











Produção de 1.200 ton./mês de ração (1 turno)
Moega de recebimento automatizado com elevador de 40 ton./r
3 Silos armazenamento de milho com capacidade total de 900 ton.
1 Silo armazenamento de soja com capacidade de 120 ton.
1 Moinho de 40 CV de capacidade produção de 4 ton./hr
1 Misturador vertical com capacidade de 6 ton./hr;
Área de armazenagem de produto acabado de 300 ton.;
Linha de ensaque com capacidade de 7 ton./hr (saca/40 kg);
Extrusora de soja com capacidade de 1 ton./hr;
Peletizadora de 50 CV com capacidade de 4 ton./hr.
Área expedição coberta (caminhão, carreta e bi trem);
Recebimento de
matérias primas
e armazenagem
Área de expedição coberta (truk, careta, bi-trem).
Peletizadora com capacidade
de 4 ton./hora
Peletizadora
Principais diferencias da
Ração Copagra
“Produto Premium”
1º Diferencial – Extrusora de soja

Fábrica farelo de soja de alto valor energético



Diferencial de qualidade


85,4% de N.D.T.
Farelo de Soja – 2º ingrediente de maior inclusão
Influência positivamente no nível de energia da dieta

Mais leite

Maior GP e melhor acabamento nas carcaças
Fabricação da fonte de proteína

Menor oscilação em nossas formulas no decorrer do ano
Farelo de soja de alto valor energético com
85,4% de N.D.T.
Extrusora de soja para produção do farelo de soja de alta
energia com capacidade de produção de 1 ton./hr.
Laudo de análise bromatológica de
farelo de soja comum
(Extrato etéreo 1,84% e Energia 69,5%)
Laudo – Farelo de Soja comum
Laudo de análise bromatológica do farelo de soja de alta
energia produzido pela Nutrijara
(Estrato etéreo 9,61% e N.D.T. 85,4%)
Laudo – Farelo de Soja da Nutrijara
Comparação de 2 rações de 24% de P.B.
leite com a mesma formula com:
-
Farelo de soja comum
Farelo de soja de alta energia
(Nutrijara)
27,19% P.B. na M.S.
25,11% P.B. na M.S.
2º Diferencial – Núcleos minerais da
Tortuga

Tecnologia dos minerais na forma orgânica
 “Os




quelatos”
↑ a flora de Rúmen
↑ Digestibilidade da dieta (ração e pastagens)
↑ Resultados – Leite e ganho de peso
Ortofosfato bicálcico da Tortuga
 98,66%
de biodisponibilidade
 Maior aproveitamento pelos bovinos
 Fostatos comuns – 50 a 92%
Núcleos minerais utilizados nas
Rações Copagra
Equinos
Ovinos
Leite
Corte
3º Diferencial – Logística

Viabilidade da operação

Distância da MP, fábrica de ração e clientes
Nutrijara esta estrategicamente instalada em
uma região de fronteira agrícola-pecuária


Tapejara – PR
A distância média dos
entrepostos da Copagra
é de apenas de 150 km.
:
Distâncias
- Nova Londrina
- Loanda
- Planaltina do Paraná
- Santa Isabel do Ivaí
- Querência do Norte
- Terra Rica
- Marilena
- Santa Cruz do M. Castelo
163 km
129 km
142 km
114 km
158 km
207 km
170 km
132 km
Controle de qualidade da
Nutrijara
Controle de qualidade das
“Rações Copagra”

Nutrijara → B.P.F. (I.N. 4 de 2007)
Exigência do Ministério da Agricultura para fabricação de
produtos destinados a alimentação animal


Controle via retém dos lotes produzidos



Amostra para eventuais analises
Formulas com a supervisão técnica da Tortuga
Analises bromatológicas constantes


Universidade Federal do Paraná
Universidade Estadual de Maringá
Selo do S.I.F. – Serviço de Inspeção Federal
Embalagem obedecendo todas as determinações
do Ministério da Agricultura – MAPA
Embalagem laminada das rações Nutrijara,
garante a boa apresentação dos seus produtos
Rótulo com os níveis nutricionais obedecendo
todas as determinações do MAPA
Balanças são verificadas frequentemente pelo Imetro.
Retém da Nutrijara
Ações de Marketing da
parceria
Trabalho com a equipe de
vendas da Copagra

Suporte técnico terá o apoio da Nutrijara



Treinamento da equipe de vendas





Dr. Nivaldo Trevisan – Zootecnista
20 anos de experiência – Consultoria na área de Nutrição Animal
Nutrijara será responsável pelo constante treinamento dos balconistas
sobre as linhas das Rações Copagra
1º treinamento logo no inicio dos trabalhos
Treinamentos serão anuais
Confecção de uma apostila de consulta rápida para uso dos balconistas
Organização e participação de eventos para os Cooperados
Material de marketing e
lançamento das Rações Copagra


Lançamento das rações Copagra – 3 de fevereiro/2012
Folders e banners
 Aprovação pelo Dep. Técnico e Comercial da Copagra
“Ajudar o pecuarista da região a conhecer
uma ração de qualidade”
As linhas de rações serão estabelecidas pelo Dep. técnico
da Copagra e Nutrijara (rações fareladas e peletizadas):
● Linha Leite
– 18% de P.B. Alta Energia
– 20% de P.B. Alta Energia
– 22% de P.B. Alta Energia
– 24% de P.B. Alta Energia
● Linha Corte
– 16% de P.B. Alta Energia
– 18% de P.B. Alta Energia
– 20% de P.B. Alta Energia
– 22% de P.B. Alta Energia
● Equinos
– Ração Copagra Equinos
● Ovinos
– Ração Copagra Ovinos
Argumentos de venda
√ Minerais Orgânicos
√ Alta Energia
√ Alta Digestibilidade
√ Reprodução
√ Resultados – GP e mais leite
Aspectos comerciais da
parceria
Aspectos Comerciais da Parceria

Tabela da preços



Pedidos



Uma tabela de preços para todos os 8 entrepostos
Atualização quando necessário (via e-mail)
 Nutrijara → Copagra (sede)
5 dias úteis para a entregar – 1 semana
E-mail para a sede (Sueli) com copia para a Nutrijara
 A Nutrijara ira aguardar a confirmação para realizar o
faturamento e entrega
Planejamento dos pedidos



Cooperados que compraram com frequência
Importante!!! – ligar para antecipar o pedidos
Fazer uma escala de pedidos
Aspectos Comerciais da Parceria

Ração Fareladas X Peletizadas (+ 2%)
Politica de quantidade – Margens da Copagra
Sacas (kg)
Margens
1 a 188 (40 a 7.520 kg)
0%
189 a 374 (7.560 a 14.960)
- 2%
+ 375 (15.000 kg)
- 4%
Logística de entregas dos pedidos

Exemplo 1:
 Cooperado A – 15.000 kg
 A Nutrijara entrega e o cooperado fica responsável pela descarga

Exemplo 2
Cooperado A – 10.000 Kg
Cooperado B – 5.000 kg
A Nutrijara entrega e o cooperado fica responsável pela descarga.

Exemplo 3:
 Cooperado A – 10.000 kg
 Cooperado B – 2.500 kg
 Cooperado C – 2.500 kg
 A Nutrijara entrega a carga no entreposto e a Copagra realiza a
entrega (+ que 3 entregas).
Nas entregas realizadas pela
Nutrijara

No pedidos enviados para a Nutrijara deverá constar:




Nome dos cooperados que iram receber a ração
Nome da propriedade
Numero do telefone
Roteiro a mais detalhado possível com referencias fixas






Placas, Escolas, Igrejas
Colocar as distâncias
Telefone do cooperado
O cooperado devera ser avisado da hora de chegada
Descarga por conta do Cooperado – Sempre !!!
O motorista é contratado da dirigir o caminhão.
Analise do potencial da parceria






15 ton./semana/entreposto (1 carga)
60 ton./mês/entreposto
8 entrepostos
480 ton./mês
5.760 ton./ano
Custo/kg: 0,70 Reais/kg
4.032.000,00 Reais/ano
Em resumo

Temos a total possibilidade de ganhar um grande
espaço no mercado regional de rações







Mercado regional de 700 mil/bovinos – Corte, Leite;
Produto Premium;
Boa condição comercial;
Carência regional por esse produto;
Ações de MKT buscando fomentar o mercado local;
Treinamento constante da equipe de vendas da Copagra;
Diálogo constante para definir ações conjuntas a avaliar
resultados.
Rações Copagra
Abrace esse projeto!!!

similar documents