Toxina Botulínica no terço inferior da face

Report
Toxina Botulínica no terço
inferior da face
D1 Dermatologia
Brunno Zeni de Lima
Introdução
•
•
•
•
•
•
Sorriso gengival
Risório e rugas das bochechas
Lábios
Mento
Depressor do ângulo da boca
Masseter e contorno mandibular
Sorriso gengival
• Sorriso normal é considerado normal quando
visualizamos até três quartos da altura do
dente incisivo e no máximo 1 a 2 mm da
mucosa gengival
Sorriso gengival
Sorriso gengival – técnicas
• A aplicação do medicamento no músculo
elevador do lábio superior e da asa nasal fazse com a agulha direcionada na posição
medial craniana à linha imaginária que
traçamos a partir da margem lateral da asa
nasal
• Injeta-se de 2-4 U, com palpação bidigital
• Pode-se fazer através da mucosa jugal
Sorriso gengival
• Abaixamento da ponta nasal, formando ruga
transversal na região do lábio superior ao
sorrir:
– Participação do depressor do septo nasal
– Aplicar de 3-5 U (mesmo tto para levantar a ponta
nasal, mas de 3-8 U)
Sorriso gengival
• Participação do músculo elevador do lábio
superior:
– 2-4 U próximas ao orifício nasal bilateral
– Tb minimizam as rugas dos lábios superiores
• Desvantagem = alongamento caudal do lábio,
e pctes com lábios finos podem piorar a
apresentação
Sorriso gengival - complicações
• Assimetria
• Dificuldade de: fazer ´bico´, assoprar, tocar
instrumento musical, articular p/b/i, sorriso
pleno (não há como corrigir)
• Aplicação inadvertida ou quantidade
exagerada pode levar a incontinência
alimentar
Risório e rugas das bochechas
• Bochecha – risório, zigomáticos, elevador da
asa nasal e dos lábios, SMAS
Risório e rugas das bochechas técnicas
• Ruga lateral ao sulco nasolabial
– Localiza-se exatamente sobre a inserção do risório
– Aplicar 1-2 U no plano intradérmico, menor dose
possível
Risório e rugas das bochechas técnicas
• Rugas da bochecha (entre região zigomática e
modíolo)
– Apenas consegue amenizá-las
– 1-3 U por ponto (inicialmente 1U, ideal 2U)
Risório e rugas das bochechas complicações
• Assimetria
• Equimose
• Modificação do sorriso, não conseguindo dar
o sorriso pleno
Lábios
• Considerada a parte mais fácil da região
inferior da face
• Rugas periorais moderadas e profundas, ideal
técnicas combinadas
– TB 2 semanas antes de peeling profundo,
dermabrasão, subcisão, laser, preenchedores
Lábios - técnicas
• Tto da ruga transversal do lábio superior –
mesma técnica descrita para o músculo do
septo nasal
• Rugas próximas ao lábio superior
– 1-2 mm acima do limite do vermelhão do lábio
– 2-4 pontos para todo lábio superior (máximo
4U/ponto, ideal quantidades menores), superficial
– *aumenta o volume do lábio superior pelo
relaxamento da musculatura perioral
Lábios - técnicas
• Lábio inferior:
– Seu tto concomitante traz resultado cosmético
melhor
– Máximo 4 U em 2 pontos, superficiais
• Rugas do lábio até a narina
– Pontos próximos a narina na mesma projeção dos
pontos para os elevadores do lábio superior,
porém superficialmente
– Máximo 6 U, em 2-4 pontos equidistantes
Lábios - complicações
• Relaxamento exagerado da musculatura (por
isso, inicialmente menor dose possível)
• Dificuldades na articulação de palavras e
sucção
• Assimetria (pp se aplicar nos m. elevadores e
depressores dos lábios)
• equimoses
Mento
• Indicado para amenizar a formação de
pequenas depressões na região do mento,
assim como amenizar a ruga transversal
abaixo do lábio inferior
• Remodelar o contorno facial = associar
técnicas
– Masseter, platisma, depressor do ângulo da boca
Mento - técnica
• 3-5 U, um ponto de cada lado da linha média,
mantendo uma distância cerca de 1 cm entre
eles
• Injeta-se profundamente na margem da
mandíbula direcionado para baixo e para trás
• Pode-se entrar com a agulha por baixo da
mandíbula com a agulha para cima, rente ao
osso
Mento - complicações
• Assimetria, sendo a mais temida decorrente
da injeção da TB em um músculo adjacente
(pp o m. depressor do lábio inferior)
Depressor do ângulo da boca
• Sinal da marionete
– Ângulo da boca direcionado para baixo
– Idade, rugas profundas
– Ruga do ângulo da boca a margem da mandíbula,
piorada com a contração do m. depressor do
ângulo da boca
– Este músculo se insere na mandíbula (melhor local
para aplicação da TB)
Depressor do ângulo da boca - técnicas
• Localizar a margem anterior do m. masseter
sobre a margem da mandíbula (morder os
dentes)
• Ponto de aplicação de 0,5-1 cm anterior a esse
limite
• Confirmar pedindo para o paciente fazer um í
prolongado
• Aplicar TB profundamente, pelo menos 3
U/ponto
Depressor do ângulo da boca complicações
• Dor transitória
• Assimetria transitória (até 48h) – um lado
começou a atuar antes do outro
• Não melhora?
– Dose suficiente?
– Participação do m. platisma?
• Tratar com 2-4 U na região próxima a inserção do DAB,
porém, abaixo da mandíbula
Masseter e contorno mandibular
• M. envolvidos: masseter, mentual, DAB, platisma
• Indicação tto do masseter:
– Contratura ou hipertrofia, fazendo um contorno
mandibular (junto com queixo angulado) de aspecto
masculino e agressivo do rosto (queixa frequente em
mulheres de origem oriental)
• Localiza-se o músculo facilmente pedindo para
paciente morder os dentes forte e repetidamente
• Cuidar com ducto parotídeo (ver fig) e glândula
parotídea (pré-auricular)
Masseter - técnica
• 5U/ponto, pelo menos 35 U de cada lado,
máximo de 50 U por lado, utilizando o menor
número de pontos
• Fazer as aplicações abaixo da linha de referência
do ducto parotídeo
• Aplica-se profundamente no corpo do músculo
• Primeiros sinais após 8 semanas
• Algumas vezes a hipertrofia melhora somente a
partir do 2º tto
Masseter - complicações
• Punção traumática do ducto parotídeo (leva a
drenagem e fístula salivar na pele)
• Aplicação diretamente na glândula pode levar
ao bloqueio da secreção
• Dificuldade na fala, mastigação e sorriso

similar documents