Oficina de Língua Portuguesa - saero

Report
Objetivo geral
 Analisar e interpretar os resultados do SAERO para (re)planejamento das
ações pedagógicas implementadas em sala de aula, a serem definidas
pelas unidades escolares envolvidas no processo de avaliação.
Objetivos específicos
 Apresentar a Matriz de Referência, analisando os descritores que
norteiam a elaboração dos itens presentes nos testes de Língua
Portuguesa.
 Apresentar e interpretar a Escala de Proficiência, considerando os
agrupamentos de seus intervalos (Padrões de Desempenho Estudantil).
 Analisar e interpretar pedagogicamente os resultados da avaliação de
Língua Portuguesa.
É
refletir
realidade
sobre
a
uma
partir
de
determinada
dados
e
informações, e emitir um julgamento que
possibilite uma ação.
Tipos Avaliação
Avaliação Interna
• Processo de Aprendizagem
• Diversos Instrumentos de Avaliação
• Avaliação Formativa
• Teoria Clássica dos Testes (Nota)
Tipos Avaliação
Avaliação Externa
• Produto (habilidades)
• Teste de Múltipla Escolha
• Teoria de Resposta ao Item (TRI)
Por que avaliar um sistema educacional?
Obter informações sobre o nível de
desenvolvimento das habilidades dos
estudantes com vistas à implementação
de políticas públicas e à organização dos
processos de ensino e de aprendizagem
Melhorar a qualidade da
educação com promoção
da equidade
Menor periodicidade
entre os ciclos
avaliativos (ciclos
anuais de avaliação)
Por
quê?
Desenho próprio da
avaliação com vistas ao
atendimento das
necessidades específicas
Rapidez no acesso às
informações (menor tempo
de processamento da base
de resultados)
Sistema de Avaliação Educacional de
Rondônia
•Edições:
- 2012 e 2013
•Etapas avaliadas:
- 2°,5º, 6° e 9º anos do Ensino Fundamental
- 1°, 2° e 3° ano do Ensino Médio
•Disciplinas avaliadas
- Língua Portuguesa
- Matemática
Testes de
Proficiência
Questionários
Contextuais
Oferecem
uma medida
do
DESEMPENHO
ESCOLAR
Os Testes de Proficiência têm como objetivo aferir
habilidades que são esperadas dos estudantes em
diferentes etapas de escolarização.
 Elemento base de origem dos testes utilizados no Saero.
 Garante legitimidade e transparência à avaliação.
 A Matriz não esgota o conteúdo a ser trabalhado em sala de aula e,
portanto, não pode ser confundida com propostas curriculares, estratégias
de ensino ou diretrizes pedagógicas.
 É formada por um conjunto de tópicos ou temas que representam uma
subdivisão de acordo com conteúdo, competências de área e
habilidades.
 Cada tema apresenta um conjunto de habilidades
 Cada habilidade é descrita por um descritor.
 Os descritores apresentam as habilidades consideradas básicas e
possíveis de serem aferidas por meio do instrumento utilizado em
avaliações em larga escala.
 Segundo Perrenoud (1999), competências referem-se ao domínio
prático de um tipo de tarefas e de situações. Tais domínios práticos
só podem ser alcançados se junto com eles forem desenvolvidos
as habilidades dos estudantes, o que só se pode realizar a partir da
compreensão do conteúdo que explica aquele domínio.
 Exemplo:
 Para realizar procedimentos básicos de leitura, por exemplo, o
estudante precisa acionar diversas habilidades leitoras tais
como localizar, identificar, inferir e distinguir elementos textuais
presentes na superfície textual ou sugeridas pelo texto.
 O conjunto dessas habilidades em tópicos/eixos temáticos
constituem uma competência.
PERRENOUD, P. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação. Lisboa: Dom Quixote, 1993
 Língua: interação entre sujeitos em contextos sociais
específicos.
 Letramento: práticas sociais de leitura e escrita que se
constituem na interação entre sujeitos ou grupos de sujeitos.
 Perspectiva dos tipos e gêneros textuais.
 Papel da escola: instância de aprendizagem da escrita em
seus aspectos gráficos e formais e de vivências de práticas
de letramento.
• I. PROCEDIMENTOS DE LEITURA
• II. IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU DO ENUNCIADOR NA
COMPREENSÃO DO TEXTO
• III. RELAÇÃO ENTRE TEXTOS
• IV. COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO
• V. RELAÇÕES ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO
• VI. VARIAÇÃO LINGUÍSTICA
Atividade – Matriz de Referência
Atividade de cada grupo:
descrever e distinguir os conteúdos trabalhados em
cada um dos tópicos da disciplina (o grupo poderá
relacionar conteúdos de modo geral, para todas as
etapas de escolaridade, ou limitar apenas uma etapa
avaliada pelo sistema);
Atividade – Matriz de Referência
Atividade de cada grupo:
• discutir os conteúdos de Língua Portuguesa do tópico
selecionado;
• desenvolver uma atividade para sala de aula, com
base em um ou mais conteúdos apresentados;
Atividade – Matriz de Referência
Atividade de cada grupo:
• Associar os conteúdos das atividades com os descritores da
matriz;
Quais os conteúdos abordados na atividade?
Quais deles estão presentes na matriz?
Quais desses conteúdos não estão presentes na
matriz?
Apresente possíveis motivos para esses conteúdos não
serem avaliados pelo sistema.
ENUNCIADO
SUPORTE
GABARITO
DISTRATORES
COMANDO
 É uma questão do teste de larga escala;
 Avalia uma única habilidade, portanto o item é
unidimensional;
 Obtém um resultado por estudante, que permite
avaliar as hipóteses levantadas por ele.
O comando não delimita a habilidade que o item pretende avaliar. As
informações apresentadas nas alternativas encontram-se no texto, permitindo
considerar todas como gabarito possível para informação explícita, como
pode ser inferido pelo comando como sendo a habilidade avaliada.
 Um item é inadequado quando:
 Avalia mais de uma habilidade.
 Avalia apenas o conhecimento de mundo do estudante.
 É formulado fora dos padrões técnicos e pedagógicos.
 Contém referência discriminatória quanto a etnia, religião,
gênero ou orientação sexual.
 Contém imagens de produtos e marcas registradas.
 Vale-se de “pegadinhas” e “dicas”.
 Não delimita a habilidade avaliada.
 Utiliza termos como “sempre”, “nunca”, “todo”, “totalmente”...
D4 – INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM
TEXTO
GABARITO
D10 – IDENTIFICAR
OCONFLITO
GERADOR E OS
ELEMENTOS QUE
CONSTROEM A
NARRATIVA
GABARITO
GABARITO
D1 - Esse item avalia a
habilidade de o estudante
localizar
uma
informação
explícita no corpo textual.
D5 A habilidade
avaliada por esse
item é a de
interpretar um
texto que conjuga
linguagem verbal
e não verbal.
GABARITO
A ESCALA DE PROFICIÊNCIA foi desenvolvida com o
objetivo de traduzir medidas em diagnósticos
qualitativos do desempenho escolar. Ela orienta, por
exemplo, o trabalho do professor com relação as
competências que seus estudantes desenvolveram,
apresentando os resultados em uma espécie de régua
onde os valores obtidos são ordenados e categorizados
em intervalos ou faixas que indicam o grau de
desenvolvimento das habilidades para os estudantes
que alcançaram determinado nível de desempenho.
Identificam o tema em textos
menos familiares que exijam a
realização de inferências.
Esses estudantes já
consolidaram essa habilidade.
Ainda não
desenvolveram
a habilidade.
Começam a
desenvolver a
competência.
Identificam o tema de
textos curtos, de
linguagem simples,
cujo tema vem
indicado no título.
Identificam o
tema de um
texto valendo-se
de pistas
textuais.
Identificam o tema a partir da
conjugação das pistas textuais
e do conhecimento de mundo
do leitor, desde que seja em
textos de temática e gênero
familiares.
Atividade – Escala de Proficiência
• Atividade de cada grupo:
– Discutir e associar o desenvolvimento de cada
competência;
Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de
cortes numéricos que agrupam os níveis da Escala de Proficiência,
com base nas metas educacionais estabelecidas pelo SAERO.
Esses cortes dão origem a quatro Padrões de Desempenho –
Abaixo do Básico, Básico, Adequado e Avançado–, os quais
apresentam o perfil de desempenho dos estudantes.
GRAU DE
REALIZAÇÃO DAS
AÇÕES
EDUCACIONAIS
CARACTERIZAÇÃO
DO DESEMPENHO
ESCOLAR
ESTABELECIMENTO E
MONITORAMENTO
DAS METAS DE
QUALIDADE
EDUCACIONAL
PADRÕES DE
DESEMPENHO
ESTUDANTIL
POLÍTICAS
PÚBLICAS
VOLTADAS À
PROMOÇÃO DA
EQUIDADE
IDENTIFICAÇÃO DO
PERCENTUAL DE
ESTUDANTES EM
RISCO PEDAGÓGICO
(EVASÃO,
REPROVAÇÃO OU
ABANDONO)
Padrões de Desempenho em Língua Portuguesa
Etapa de
Abaixo do
Escolaridade
Básico
Básico
Adequado
2º Ano EF
5º Ano EF
6º Ano EF
9º Ano EF
1º Ano EM
2º Ano EM
3º Ano EM
Avançado
até 400
400 a 450
450 a 500
acima de 500
até 125
125 a 175
175 a 225
acima de 225
até 150
150 a 200
200 a 250
acima de 250
até 200
200 a 250
250 a 300
acima de 300
até 225
225 a 275
275 a 325
acima de 325
até 225
225 a 275
275 a 325
acima de 325
até 225
225 a 275
275 a 325
acima de 325
Qual é o significado desses
intervalos?
Vamos fazer a leitura dos Padrões
de Desempenho Estudantil?
ABAIXO DO BÁSICO
até 225 pontos
Analisando-se as habilidades presentes neste Padrão de Desempenho,
constata-se que os estudantes cuja média de proficiência os posiciona
neste padrão ainda estão em processo de desenvolvimento de habilidades
mais sofisticadas envolvidas na compreensão de textos.
Com relação às operações inferenciais, esses estudantes depreendem
informações implícitas, o sentido de palavras ou expressões, o efeito do
uso de pontuação e de situações de humor.
No que diz respeito ao tratamento das informações globais, eles
identificam o assunto e interpretam textos que conjugam linguagem verbal
e não verbal, cuja temática se relaciona ao seu cotidiano.
Neste padrão, os estudantes evidenciam indícios da apropriação de
elementos que estruturam o texto, expressa pela retomada de
informações por meio de pronomes pessoais retos, por substituição
lexical. Além disso, reconhecem relações lógico-discursivas, indicadas por
advérbios e locuções adverbiais e por marcadores de causa e
consequência.
Constata-se, também, que, em relação às informações da base textual,
eles identificam elementos da estrutura narrativa e distinguem fato de
opinião.
No campo da variação linguística, identificam interlocutores por meio das
marcas linguísticas.
Percebe-se, ainda, que esses estudantes estão em contato mais intenso
com eventos de letramento, pois conseguem identificar a finalidade de
alguns textos que circulam em uma sociedade letrada.
A habilidade mais complexa demonstrada pelos estudantes neste padrão
é a capacidade de construir relações de intertextualidade, comparando
textos que tratam do mesmo tema.
Após doze anos de escolaridade, os estudantes que apresentam este
padrão de desenvolvimento de habilidades estão muito aquém da
competência leitora esperada. Seu desempenho corresponde ao que seria
esperado para estudantes ao final de apenas cinco anos de estudos.
Esse item avalia a habilidade de o estudante localizar uma informação
explícita no corpo textual. Essa informação pode estar expressa nas
alternativas idêntica à forma encontrada no texto ou pode apresentar-se
por meio de uma paráfrase, isto é, dizer de outra maneira o que se leu.
BÁSICO
De 225 a 275 pontos
Neste Padrão de Desempenho encontram-se habilidades mais complexas, que exigem
dos estudantes uma maior autonomia de leitura em face das atividades cognitivas que
lhes são exigidas e dos textos com os quais irão interagir. Esses estudantes já interagem
com textos expositivos e argumentativos com temáticas conhecidas e são capazes de
identificar informações parafraseadas e distinguir a informação principal das secundárias.
Eles demonstram conhecimento acerca das relações estabelecidas por conjunções,
preposições, pronomes e advérbios, que constroem um texto coeso e coerente, e geram
os efeitos de sentido pretendidos pelo autor. Além disso, recuperam informações em
textos por meio de referência pronominal (além dos pronomes pessoais e dos indefinidos,
acrescentem-se os pronomes demonstrativos e os possessivos). Recuperam, ainda,
informações referenciais baseadas na omissão de um item, elipse de uma palavra, um
sintagma ou uma frase.
Quanto à variação linguística, esses estudantes identificam expressões próprias de
linguagem técnica e científica.
No que se refere à intertextualidade, fazem a leitura comparativa de textos que tratam
do mesmo tema, revelando um avanço no tratamento das informações apresentadas.
O processo inferencial, durante a leitura, é feito por esses estudantes
pelo reconhecimento do tema do texto; do sentido de expressões
complexas; do efeito de sentido decorrente do uso de notações em textos
que conjugam mais de uma linguagem; do efeito de sentido decorrente do
uso de recursos morfossintáticos. Observa-se, assim, uma ampliação das
ações inferenciais realizadas pelos estudantes que apresentam um
desempenho que os posiciona neste Padrão.
Com relação à leitura global de textos, os estudantes, conseguem
identificar a tese e os argumentos que a sustentam; reconhecem a função
social de textos fabulares e de outros com temática científica.
Percebe-se, portanto, que os estudantes localizados neste Padrão de
Desempenho já desenvolveram habilidades próprias de uma leitura
autônoma.
Esse item avalia a habilidade de os estudantes reconhecerem o efeito de
sentido decorrente do uso de notações. as notações apresentam funções
discursivas, como aquelas ligadas à ênfase, à reformulação, a humor, por
exemplo. Nesse caso, especificamente, avalia-se se os estudantes
conseguem perceber o efeito provocado pelo uso do negrito um guia para os
visitantes de um museu, no qual são listadas dicas e orientações para que as
pessoas aproveitem melhor o local e não infrinjam regras.
ADEQUADO
De 275 a 325 pontos
As habilidades características deste Padrão de Desempenho revelam um avanço
no desenvolvimento da competência leitora, pois os estudantes demonstram ser
capazes de realizar inferência de sentido de palavras ou expressões em textos
literários, em prosa e verso; interpretar textos de linguagem mista; reconhecer o
efeito de sentido do uso de recursos estilísticos e de ironia e identificar o valor
semântico de expressões adverbiais pouco usuais.
No campo da variação linguística, reconhecem expressões de linguagem
informal e marcas de regionalismo. Além de reconhecerem a gíria como traço de
informalidade.
Quanto ao tratamento das informações globais do texto, distinguem a informação
principal das secundárias e identificam gêneros textuais diversos.
No que concerne à construção do texto, reconhecem relações lógicodiscursivas expressas por advérbios, locuções adverbiais e conjunções. Na
realização de atividades de retomada por meio do uso de pronomes, esses
estudantes conseguem recuperar informações por meio do uso de
pronomes relativos.
Eles demonstram, ainda, a capacidade de localizar informações em textos
expositivos e argumentativos, além de identificar a tese de um artigo de
opinião e reconhecer a adequação vocabular como estratégia
argumentativa.
Neste Padrão, os estudantes demonstram, portanto, uma maior
familiaridade com textos de diferentes gêneros e tipologias.
AVANÇADO
Acima de 325 pontos
Analisando as habilidades posicionadas neste Padrão, pode-se concluir que os
estudantes que nele se encontram conseguem interagir com textos de alta
complexidade estrutural, temática e lexical.
No campo dos efeitos de sentidos, eles demonstram ser capazes de reconhecer
os efeitos do uso de recursos morfossintáticos diversos, de notações, de repetições
e de escolha lexical, em gêneros de várias naturezas e temáticas, revelando maior
conhecimento linguístico associado aos aspectos discursivos dos textos.
Eles realizam operações de retomada com alta complexidade, como as realizadas
por meio de pronomes demonstrativos e indefinidos, retos, incluindo também
elipses.
São capazes de analisar, com maior profundidade, uma maior gama de textos
argumentativos, narrativos, expositivos, instrucionais e de relato, observando
diversas categorias ainda não atingidas anteriormente, tanto no interior do texto
quanto na comparação entre eles. Na intertextualidade, inferem diferentes
posicionamentos em relação ao mesmo assunto em textos de tipologias diferentes.
No tocante à análise de textos que conjugam diversas tipologias, são capazes
de identificá-las e analisá-las, reconhecendo seus objetivos separada ou
conjuntamente. Analisam gêneros textuais híbridos, considerando as condições de
produção e os efeitos de sentido pretendidos.
Em textos literários complexos, inferem o significado da metáfora e o efeito de
sentido pretendido com seu uso.
Portanto, os estudantes que se posicionam acima desse ponto
Proficiência podem ser considerados leitores proficientes, ou
capazes de selecionar informações, levantar hipóteses, realizar
autorregular sua leitura, corrigindo sua trajetória interpretativa
hipóteses não são confirmadas pelo texto.
na Escala de
seja, leitores
inferências e
quando suas
PARTICIPAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO DO
PERCENTUAL DE
ESTUDANTES POR
NÍVEL DE
PROFICIÊNCIA E
PADRÃO DE
DESEMPENHO
PROFICIÊNCIA
MÉDIA – MÉDIAS
COMPARADAS
APRESENTAÇÃO
DOS
RESULTADOS
EVOLUÇÃO DO
PERCENTUAL DE
ESTUDANTES POR
PADRÃO DE
DESEMPENHO
Escola
221
CRE 243,2
Rondônia 243,2
1. Compare a proficiência média da escola com as outras médias apresentadas.
2. Como você interpreta a posição da escola?
3. E a participação?
4. De que forma você pensa que a participação pode interferir nos resultados da
escola?
5. Calcule a quantidade de estudantes da escola em cada padrão de
desempenho.
Gestores
Professores
Estudantes
REDE
Gestores
ESCOLA
 Planejamento e execução de
políticas públicas.
 Criação de metas de qualidade
e equidade educacionais.
 Implementação de medidas de
responsabilização.
 Políticas de incentivos diretos ou
indiretos.
 Ações de formação continuada
de professores .
 Elaboração
do projeto da
escola.
 Monitoramento da qualidade de
ensino .
 Subsídio
para
avaliação
institucional.
Professores
Intervenção pedagógica.
Elaboração de projetos especiais.
Foco nos estudantes com dificuldades.
Ações de recuperação escolar.
Planejamento das ações de sala de
aula.
 Visão
proativa
quanto
ao
desenvolvimento de habilidades e
competências ao longo da educação
básica.





Estudantes
 Acompanhamento
individual
do
desempenho
escolar
pelos
estudantes e seus familiares.
 Informações sobre a qualidade dos
serviços educacionais oferecidos .

similar documents