FMU – Gestão de Riscos – Aula 3

Report
GESTÃO DE RISCOS
Master in Project Management
FMU 2014.1
Aula 3 – Módulo 4 – 20/05/2014
Gestão de Riscos - Programa
Módulo 1
06/05/14
Módulo 2
13/05/14
Módulo 3
17/05/14
Módulo 4
20/05/14
Módulo 5
27/05/14
Conceitos
Categorias de
Projetos
Sucesso em
Projetos
Visão do PGR
Identificação
de Riscos
Ferramentas e
Técnicas
Categorização
EAR
Atividade Extra
Classe
TG1
Associações
Guias
Normas
Referências
Apresentações
TG1
Análise Qualit
Análise Quant
Avaliação
Ferramentas
e Técnicas
Módulo 6
03/06/14
Módulo 7
07/06/14
Módulo 8
10/06/14
Módulo 9
17/06/14
Módulo 10
24/06/14
Gerenciamento
Prevenção
Contingenc.
Monitoram.
Controle
Atividade Extra
Classe
TG2
Custos
Estimativa
Orçamento
Controle
Riscos
Operacionais
Casos
Guias e Normas
Apresentações
TG2
O que discutimos na Aula 2 – Módulo 2
Planejamento
da Gestão
dos Riscos
Identificação
dos Riscos
Métodos e
Ferramentas
Relatório
Final da
Identificação
dos Riscos
Categorização
e EAR (RBS)
Finalização da Aula 2 – Módulo 2
Categorias de Riscos
EAR – Estrutura Analítica de Riscos
Exemplo 1: Casa de Eduardo e Mônica
Exemplo 2: Projeto de Software Banco Beta
Categorias de Riscos e a RBS (EAR)
Exemplo: Projeto da Casa de Eduardo e Mônica
(Figura extraída de Carvalho e Rabechini, 2011)
Exemplo: Projeto de Software
(Tabela extraída de Terlizzi e Bancolini – II SINGEP – 2013)
Exemplo: Projeto de Software (cont.)
Estudo realizado no Banco Beta (banco privado, 95.000
funcionários, presente em 19 países, varejo e atacado)
Área de tecnologia do banco tem investimentos previstos de
R$10,4 bilhões entre 2012 e 2015, conta com 6.000 pessoas,
possui um “Escritório de Projetos de Tecnologia” e uma “Área de
Metodologia e Qualidade de Software”
Dados extraídos em agosto de 2013 do relatório de riscos do
banco (com base em uma ferramenta de gestão de projetos)
Selecionados 16 projetos, cada projetos com mais de 15 riscos
cadastrados, gerando uma base de dados de cerca de 360 riscos
Exemplo: Projeto de Software (cont.)
Método:
Relatório de riscos
Taxonomia do SEI (TRBI)
Categorização
Gráfico de distribuição de frequência
Conclusões quanto aos maiores riscos em ordem decrescente:
1. Definição de requisitos (falha, incompleta)
2. Experiência do gestor (integração insuficiente com outros
gestores funcionais)
3. Restrição de recursos (indisponibilidade no tempo certo)
4. Métodos de desenvolvimento (instabilidade nos ambientes
de teste integrados e homologação; baixo volume e baixa
qualidade de dados para testes)
Aula 3 – Módulo 4
Associações
Guias
Normas
Referências
ApresentaçõesTG1
Associações, Guias, Normas e Referências
IPMA – INTERNATIONAL PROJECT MGT ASSOCIATION
- fundada em 1964 (sob diferente nome), constituiu-se na primeira
associação internacional de gerenciamento de projetos
- inicialmente com membros de vários países europeus (UK, FRA,
GER), hoje agrega cerca de 55 associações de vários países
- treina, qualifica e certifica seus membros
- publica guia (standart) denominado de ICB (IPMA Competence
Baseline), dividida em 3 áreas de competências: comportamentais,
técnicas e contextuais
APM – ASSOCIATION FOR PROJECT MANAGEMENT
- fundada em 1972, na Inglaterra
- cerca de 20.000 pessoas associadas e 500 empresas
- treina, qualifica e certifica seus membros
- tem guia de gerenciamento de projetos e em meados de 1990
publicou sua 1ª edição do PRAM (Project Risk Analysis and Mgt)
Associações, Guias, Normas e Referências (Cont.)
PMI – PROJECT MGT INSTITUTE
- fundada em 1969 , nos EUA
- atualmente conta com mais de 600 mil membros
- treina, qualifica e certifica seus membros
- publica guia (standart) denominado de PMBoK
- na sua 5ª Edição, trata de riscos de projetos no Capítulo 11
- tem uma filial em São Paulo, (chamada de capítulo do PMI no
Brasil), na Alameda dos Maracatins, 992 – Moema
ABGP – ASSOC. BRASILEIRA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
- fundada em 2001, com a finalidade de permitir o acesso do Brasil
ao IPMA
- sede em Curitiba, PR
- publicou versão em português do ICB, denominada de RCB
(Referencial Brasileiro de Competências em Gerenciamento de
Projetos)
Associações, Guias, Normas e Referências (Cont.)
ISO – INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARTIZATION
- fundada em 1947 em Genebra, Suiça
- em português, Associação Internacional de Padronização
- nome deriva do grego “isos” que significa igualdade, refletindo o
objetivo da organização, a padronização entre diversos países
- congrega associações de normalização/padronização de cerca de
170 países
- algumas das entidades responsáveis pelas normas ISO nos seus
países são DIN – Deutsches Institut fur Normung, ANSI – American
National Standards Institute e ABNT – Associação Brasileira de
Normas Técnicas
ABNT NBR ISO 31.010 – Técnicas de Avaliação de Riscos
ABNT NBR ISO 31.000 – Gestão de Riscos
Associações, Guias, Normas e Referências (Cont.)
FUNDAMENTOS EM GESTÃO DE PROJETOS (Construindo Competências para
Gerenciar Projetos) – M. M. de Carvalho e R. Rabechini Jr., Editora Atlas, 3ª
Edição, 2011.
IDENTIFYING AND MANAGING PROJECT RISK (Essential Tools for Failure
Proofing Your Project), T. Kendrick, Editado por AMACOM, 2ª Edição, 2009
PROJECT RISK MANAGEMENT (Processes, Techniques and Insights) – C.
Chapman e S. Ward, John Wiley, 1ª Edição, 2003
A GUIDE TO THE PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE (PMBOK
Guide) – 5ª Edição, 2013
RISK ANALYSIS AND MANAGEMENT FOR PROJECTS: RAMP GUIDE, O. Simon,
Publicado por Institution of Civil Engineers e Institute of Actuaries, Londres,
1998
TRABALHO EM GRUPO TG1
Projeto de Abastecimento de Água
Ana Lúcia de Souza Caldas
Marcus Vinicius Ferrari
Jonas Soares da Silva
Lucas Antonio Breder de Oliveira
Transposição do Rio São Francisco
Karen Rodrigues Paschoalato
Karien Carolline Mendonça Vital
Rejane Oliveira
Ramon dos Santos Souza
Exploração de Petróleo do Pré-Sal
Adriano Nonato de Carvalho
Aguinaldo Biffi da Silva
Cleber M. Scapin
Jeferson Telles Prado
Usinas Hidroelétricas de Grande Porte
Fernanda da Silva Emiliano
Elaine Thamires Pereira
Alex de Almeida Ferreira
Dorval Fernandes Rodrigues Júnior
Projetos de Infra-estrutura da Copa
Allan Gomes dos Santos
Eduardo Alves de Lima
Filipe de Carvalho Veronezzi
Rafael Vieira Vidal
Thiago Amaro dos Santos
TRABALHO EM GRUPO TG1
Projetos
Ferrovias
Pré-Sal
Privatização Portos
Privatização Aeroportos
Energia – Hidroelétricas
Copa 2014 – Itaquerão
Olimpíada 2016
Abastecimento Água
Apresentação
Descrição comentada do projeto (o que é, como está)
Quais principais riscos (ou quais principais problemas)
Como vocês gerenciariam estes riscos (problemas)
TRABALHO EM GRUPO TG2
Projetos
Escolha seu projeto e desenvolva para o mesmo um plano para
a gestão de seus riscos
Apresentação
Descrição comentada do projeto (o que é, como está)
Riscos identificados
Avaliação dos riscos (qualitativa e/ou quantitativa)
Estratégias de respostas aos riscos identificados
Comentários sobre monitoramento, controle e fechamento
Obrigado e até a próxima aula!

similar documents