Economia Criativa – Apres Evento

Report
II Encontro de Arqueologia em Brasília
Mesa: Arqueologia e políticas públicas de cultura – construindo pontes
| Economia Criativa: conceito
Ciclos de criação, produção, distribuição ou circulação, consumo e fruição de
bens e serviços oriundos dos setores criativos, cujas atividades produtivas têm
como processo principal um ato criativo gerador de um produto (bem ou
serviço) cuja dimensão simbólica é determinante do seu valor, resultando em
produção de riqueza cultural, econômica e social.
| Economia Criativa Brasileira:
| Princípios
Diversidade
Cultural
Inovação
Economia
Criativa
Brasileira
Inclusão Social
Sustentabilidade
| Setores Criativos: nucleares
ATIVIDADES CULTURAIS NUCLEARES
ARTES DE ESPETÁCULO
PATRIMÔNIO CULTURAL E NATURAL
• Teatro • Circo
• Dança • Música
• Museus
• Sítioshistóricos e arqueológicos
ARTES VISUAIS
• Paisagens culturais
•
•
•
•
• Patrimônio natural
• Culturas tradicionais populares
• Culturas afro-brasileiras
• Culturas indígenas
• Artesanato
• Gastronomia
• Feiras, Festas e celebrações
• Ópera
• Musicais
Desenho
Pintura
Gravura
(3D trabalhos em 3 dimensões) Escultura,
Instalação, objeto, etc.
• Fotografia e filme (feitos por artistas), Vídeo
Arte, Arte Sonora (som / espaço)
• Intervenções em espaços institucionais,
urbanos ou naturais
• Performances
| Setores Criativos: indústrias culturais e criações funcionais
INDÚSTRIAS CULTURAIS
LITERATURA E MÍDIAS IMPRESSAS
AUDIOVISUAL E MÍDIAS INTERATIVAS
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Cinema e vídeo
TV e rádio
Animação
Jogos eletrônicos
Conteúdos digitais criativos (internet)
CRIAÇÕES FUNCIONAIS
•
•
•
•
•
Produção cultural
Moda
Design gráfico
Design de objetos
Arquitetura
Livros
Periódicos (Jornais e revistas)
Cordel
Histórias em quadrinhos
Partituras
Outras publicações
MÚSICA E MÍDIAS INTERATIVAS
| Economia Criativa: alguns dados
PIB do núcleo criativo e participação no PIB, países selecionados - 2011
PIB Criativo
(R$ Bilhões)
Participação
no PIB (%)
1011
3,3
Reino Unido
286
5,8
França
191
3,4
Alemanha
181
2,5
Brasil*
110
2,7
Itália
102
2,3
Espanha
70
2,3
Holanda
46
2,7
Noruega
32
3,2
Bélgica
27
2,6
Suécia
26
2,4
Dinamarca
21
3,1
Austria
15
1,8
Grécia
6
1
País
Estados Unidos
Fonte: FIRJAN; UNCTAD com base nos dados do PIB (2011) do Banco Mundial
| Economia Criativa: alguns dados
Número de empregados do núcleo criativo no Brasil, por segmento
2011 – Total e participação (%)
Segmentos
Empregados
Participação (%)
Arquitetura& Engenharia
230.258
28,4
Publicidade
116.425
14,4
Design
103.191
12,7
Software, computação & Telecom
97.241
12,0
Mercado Editorial
49.661
6,1
Moda
44.062
5,4
Pesquisa e Desenvolvimento
37.251
4,6
Artes
32.930
4,1
Televisão e Rádio
26.004
3,2
Biotecnologia
23.273
2,9
Filme & Vídeo
20.693
2,6
Música
11.878
1,5
Artes Cênicas
9.853
1,2
Expressões Culturais
6.813
0,8
809.533
100,0%
Total
Fonte: FIRJAN; UNCTAD com base nos dados do PIB (2011) do Banco Mundial
O Núcleo criativo possui 810 mil profissionais, 1,7% do total de trabalhadores brasileiros
| Economia Criativa: alguns dados
10 profissões mais numerosas do núcleo criativo
Profissão
Segmento
Empregados
Arquitetos& Engenheiros
Arquitetura& Engenharia
Programador de sistemas de informação
Software, computação & Telecom
50.440
Analista de negócios
Publicidade
45.324
Analista de pesquisa de mercado
Publicidade
25.141
Gerente de Marketing
Publicidade
20.382
Designer gráfico
Design
17.806
Biólogo
Biotecnologia
15.182
Agente publicitário
Publicidade
14.032
Gerente de P&D
Pesquisa e Desenvolvimento
13.414
Designer de calçados sob medida
Moda
13.068
Fonte: FIRJAN; UNCTAD com base nos dados do PIB (2011) do Banco Mundial
229.877
| Economia Criativa: alguns dados
Remuneração média do núcleo criativo no Brasil, por segmento – 2011 (R$)
Segmentos
Remuneração Média
(R$)
Pesquisa e Desenvolvimento
8.885
Arquitetura& Engenharia
7.518
Software, computação & Telecom
4.536
Publicidade
4.462
Biotecnologia
4.258
Mercado Editorial
3.324
Artes Cênicas
2.767
Design
2.363
Artes
2.195
Televisão e Rádio
2.015
Música
1.944
Filme & Vídeo
1.661
Moda
1.193
Expressões Culturais
Total
939
4.693
| Economia Criativa: alguns dados
Participação dos empregados criativos no total de empregados do estado – 2011 (R$)
311 mil trabalhadores
96 mil trabalhadores
Participação do Núcleo Criativo no Mercado de Trabalho Nacional: 1,7%
| Economia Criativa: alguns dados
Remuneração Média Mensal dos profissionais criativos, por estado – 2011
Remuneração Média do Núcleo Criativo Brasileiro: R$ 4.693
No setor de
audiovisual, a
ampliação dos
investimentos refletese no volume de
filmes: de 5 por ano,
na década de 1990,
saltou para 100 em
2010. O setor do
audiovisual figura
como a sétima área
criativa do país, com
3,6%dos
trabalhadores e 5,2%
das empresas.
(Fonte: FIRJAN, 2010)
Na última década, o setor
de software cresceu 20% ao
ano. Hoje, movimenta US$
18 bilhões. Seus principais
polos estão no Rio de
Janeiro, São Paulo, Recife,
Belo Horizonte e
Florianópolis. São 9 milas
companhias de tecnologia, a
maioria de micro ou
pequeno portes. Do total, só
2 milcriam programas.
(Fonte: IDC)
O setor de software é a
quarta maior indústria
criativa do Brasil, com 5% da
mão de obra e das
empresas. Sua participação
dobra em massa salarial
porque o setor é um dos
que têm melhor
remuneração. A renda
mensal é 83% maiorque a
média nacional.
(Fonte: FIRJAN, 2010)
No Pará, o estilo musical
Tecnobrega criou uma nova
indústria cultural que
movimenta R$ 120
milhõespor ano e emprega
7 mil pessoas só em Belém.
Mercado Editorial 2012
Movimentação da
compra de livros e
publicações:
R$ 8,23 bilhões
Crescimento: 14,5%
Consumo por classe
social:
• Classe A - 20,7%
• Classes D e E - 3,7%
• Classe C - 23,7%
Dados de 2011
Movimentação do
setor:
R$ 6,2 bilhões
Crescimento do número
de livros editados: 6%
E-books: 9% dos
lançamentos
O design e a
reputação de
marcas e estilistas
fazem com que 1 kg
de algodão,
exportado a US$
2,80, dispare para
US$ 250na forma
de um biquíni de
grife. No Brasil, isso
faz da moda a
segunda maior
indústria criativa,
atrás somente da
arquitetura, com
30% dos
profissionais e
empresas.
A Associação Brasileira de
Empresas de Design
(Abedesign) estima que
existam 2 mil escritórios
de design no país, que
empregam pelo menos 20
mil pessoas e
movimentam R$ 500
milhões ao ano.
Por seu potencial
interdisciplinar – presente
na moda, na arquitetura e
até nos softwares –, o
design é visto como a
atividade criativa mais
versátil. No Brasil, a
atividade de design é a
terceira mais importante
da economia criativa,
tanto em número de
trabalhadores como de
empresas. A renda dos
seus profissionais está
30% acima da médiados
demais setores criativos
brasileiros.
(Fonte: FIRJAN, 2010)
Até 2016, serão
investidos R$ 14,5
bilhões
nas 12 cidades-sede da
Copa em
infraestrutura. Como a
arquitetura
corresponde, em
média, a 5%do valor
de uma construção,
cerca de R$ 725
milhões devem ser
injetados na área.
(Fonte: Ernst&Young,
2010)
| Secretaria da Economia Criativa: Estrutura
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Fomento a empreendimentos criativos: Criativa Birô
Escritórios públicos instalados nas unidades federativas do país voltados para o
atendimento e suporte técnico a profissionais criativos, por meio da oferta de informação,
de serviços de consultoria e assessoria técnica nas áreas de gestão e de capacitação
profissional.
Publico Alvo: artistas, produtores e técnicos que atuam como profissionais autônomos,
microempreendedores individuais (MEI); pontos de cultura, coletivos, micro e pequenas
empresas, cooperativas e ONGs.
Parceiros: Governos estaduais, SEBRAE, SENAI, SESI, SENAC, SESC, SINE, universidades
públicas e privadas, pontos de cultura e demais organizações da sociedade civil.
Meta:
13 criativas birôs instalados
(conveniados com recursos de 2011 e 2012 no valor total de R$ 19.440.000,00).
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Fomento a empreendimentos criativos: Criativa Birô – Linhas de Atuação
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Fomento a empreendimentos criativos: Criativa Birô
 











da Federação
 Unidades
contempladas com Criativas Birôs
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Fomento a empreendimentos criativos
Incubadoras de empreendimentos criativos
Edital de apoio financeiro destinado à modernização e fortalecimento de incubadoras de
empreendimentos criativos. O edital será voltado para instituições de ensino superior,
públicas e privadas, que tenham interesse e expertise na implantação, ampliação e
modernização de incubadoras que ofereçam consultoria, assessoria e capacitação em gestão
e desenvolvimento de empreendimentos criativos.
Objetivos:
Apoio a modernização e fortalecimento de incubadoras para empreendimentos criativos
junto a Universidades públicas e privadas.
Parceiros:
ANPROTEC - Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Fomento a empreendimentos criativos
Oferta de Crédito e Microcrédito
Programa Crescer Microcrédito – Caixa Econômica Federal:
• Inclusão dos artesãos como beneficiários do Programa Crescer (crédito com recursos do
Fundo de Apoio ao Trabalhador – FAT);
• Credenciamento de artesãos moveleiros no cadastro de fornecedores do Programa Minha
Casa, Minha Vida.
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Formação para profissionais criativos
Gestão de projetos e empreendimentos criativos
Curso em formato EAD com carga horária prevista de 200 h/a, organizado em módulos
básicos e avançados, com conhecimentos e técnicas voltados para o desenvolvimento de
competências na área de gestão.
Parceiro: Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura – SEFIC
Formação Livre para Economia Criativa
Edital de fomento à formação dirigido a instituições de ensino superior, públicas e privadas,
para o desenvolvimento e oferta de cursos livres com conteúdos multidisciplinares voltados
para a temática do empreendedorismo, gestão de empreendimentos criativos e áreas
técnicas especificas das cadeias produtivas dos setores criativos, alinhadas com vocações
regionais.
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Estudos e pesquisas
Observatórios Estaduais de Economia Criativa – OBECES
Instância responsável pela produção e difusão de pesquisas, dados e informações sobre a
economia criativa brasileira em âmbito estadual.
- Implantação dos Observatórios Estaduais de Economia Criativa (OBECES)
Meta: 05 Observatórios Estaduais (OBECES) instalados, um em cada região do país.
Rede de Informações e Monitoramento da Economia Criativa Brasileira – RIMEC
A RIMEC é uma rede estruturante de informações e monitoramento da economia criativa
brasileira, liderada pelo OBEC, que integra as redes de informações lideradas pelos OBECES
nos estados, permitindo o acesso a dados e informações sobre os setores criativos.
• Ações a serem implementadas:
- Rede de pesquisadores em economia Criativa (1º semestre 2013);
- Primeiras pesquisas da Conta-satélite da Cultura:
a) “Sistema de Informações e Indicadores Culturais”
b) Pesquisa mensal de empregos na área da cultura
lançamento: agosto/2013
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Estudos e pesquisas
Colóquios Celso Furtado: Cultura e Desenvolvimento
Série de debates regionais sobre Cultura e Desenvolvimento, com objetivo de refletir sobre a
cultura como eixo estratégico de desenvolvimento do país.
• Meta | Edições 2013
III Colóquio – 21/03/2013 – Região Sul – Curitiba.
Tema: Inovação, Tecnologia, Cultura e Desenvolvimento
IV Colóquio – 23/05/2013 – Região Norte – Belém.
Tema: Cultura, Desenvolvimento e Sustentabilidade
V Colóquio – 21/08/2013 – Região Sudeste – Belo Horizonte.
Tema: Gestão Cultural e Políticas Públicas.
Lançamento dos Anais dos Colóquios: Novembro 2013
• Parceiros: Instituto Itaú Cultural e Centro Internacional Celso Furtado..
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Territórios Criativos
• Concessão de chancela a territórios criativos;
• Implementação da Rede Brasileira de Territórios Criativos;
• Promoção turística dos territórios criativos nas ações mercadológicas da Embratur;
• Catálogo de festas e celebrações dos Territórios Criativos.
Meta: 27 territórios chancelados
Parceiros: MTur /Embratur
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Territórios Criativos
Arranjos Produtivos Locais – APLs Criativos
Elaboração de Planos de Desenvolvimento Produtivo – PDPs
Meta: 27 APLs Criativos atendidos, sendo um em cada estado da federação
(agosto a novembro).
Parceiros: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, SEBRAE,
Núcleo Estadual de Apoio aos APLs, instituições de apoio com atuação no
território do APL escolhido.
| Secretaria da Economia Criativa: Projetos Estruturantes
Marcos Legais
• Proposição de um pacote de marcos legais e infralegais para os setores criativos
brasileiros: desoneração das folhas de pagamento dos setores criativos;
desoneração dos tributos federais incidentes sobre as atividades de produção
cultural e de eventos; ampliação do Super Simples.
• Regulamentação de profissões e inclusão de categorias profissionais criativas na
Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) – Artes visuais, artesanato, dança,
design, patrimônio e música.
http://www.cultura.gov.br/secretaria-da-economia-criativa-sec
Brasil Criativo SEC
Brasil Criativo SEC
Diretoria de Empreendedorismo, Gestão e Inovação | Equipe
[email protected]

similar documents