Slide 1 - SindusCon-SP

Report
Construção Civil no
Mercado Imobiliário:
cenário atual e
perspectivas
21/10/2013
Construção Civil no Mercado Imobiliário: cenário atual e
perspectivas
 A cadeia produtiva da construção
 O papel da construção no desenvolvimento sustentado
 Cenário recente
 Perspectivas para os próximos anos
2
A cadeia da construção em números, 2012
8,8% do PIB brasileiro
19,5%
5,7% do PIB brasileiro
8,9%
Fonte: FGV/ABRAMAT
65%
6,5%
13,4 milhões de ocupados
O setor da construção
 É o núcleo principal dentro da cadeia produtiva da construção
resultado das atividades das empresas (construtoras, incorporadoras
e prestadoras de serviços auxiliares da construção) e das famílias e
autônomos
 É bastante heterogêneo. Os produtos e serviços da construção civil
são bastante diversificados
 Por ser o destino da produção dos demais, o setor da construção civil
determina, em grande medida, o nível de atividade da própria cadeia
produtiva
4
Perfil do setor, % do PIB 2011
19,5%
89%
Fonte: IBGE
Perfil das empresas, 2011
Valor das obras ou serviços,
participação dos segmentos
19,5%
incorporação
6%
19%
40%
41%
89%
Fonte: PAIC
Edificação residencial
48%
infraestrutura
Edificação não residencial
30%
serviços
especializados
Outros
17%
edificações
O papel da construção no desenvolvimento
sustentado
 Há oito anos, o setor da construção iniciou um ciclo virtuoso de
crescimento:
 Esse ciclo foi pavimentado pela estabilização da economia a partir
de 1994
 A partir de 2005, a queda na taxa de juros, o crescimento da renda e a
forte expansão do crédito habitacional foram fundamentais na criação
de um ambiente de maior segurança e aumento do investimento
 Mudanças institucionais como a Lei 10.931, de 2 de agosto de 2004, que instituiu o
patrimônio de afetação foram fundamentais para o ciclo de crescimento que se
iniciou. A mesma lei disciplinou a aplicação da alienação fiduciária, criada em 1997,
no Novo Código Civil, e instituiu o valor incontroverso.
–
Nesse novo contexto as empresas se expandiram e comandaram o crescimento com
efeitos positivos na formalização das atividades da construção
7
Crédito habitacional – FGTS e SBPE
121,3
R$ bilhões de 2012
O volume de crédito
imobiliário aumentou 12
vezes ( já corrigido pela
inflação)
9,9
Fonte: Abecip e CEF
8
mar/2007
mai/2007
jul/2007
set/2007
nov/2007
jan/2008
mar/2008
mai/2008
jul/2008
set/2008
nov/2008
jan/2009
mar/2009
mai/2009
jul/2009
set/2009
nov/2009
jan/2010
mar/2010
mai/2010
jul/2010
set/2010
nov/2010
jan/2011
mar/2011
mai/2011
jul/2011
set/2011
nov/2011
jan/2012
mar/2012
mai/2012
jul/2012
set/2012
nov/2012
jan/2013
mar/2013
mai/2013
jul/2013
Crédito imobiliário como proporção do PIB
8.0%
7.0%
6.8%
6.0%
5.0%
4.0%
3.0%
2.0%
1.0%
0.0%
Fonte: Bacen
Taxas de crescimento* (%)
20.00%
Nos últimos 4 anos o PIB das empresas cresceu 61% enquanto o PIB total do setor cresceu 37%
18.00%
16.00%
14.00%
12.00%
10.00%
8.00%
6.00%
4.00%
2.00%
Empresas
Total do setor
0.00%
2008
2009
Fonte: IBGE (*) valores corrigidos pelo INCC-DI
2010
2011
Emprego com carteira, Brasil
4,000
Mil trabalhadores
3,500
3,000
3,374
Em menos de 10 anos, o
total de trabalhadores com
carteira mais que dobrou
2,500
2,000
1,500
1,222
1,000
500
dez/03
Fonte: MTE, FGV
dez/04
dez/05
dez/06
dez/07
dez/08
dez/09
dez/10
dez/11
dez/12
A valorização imobiliária
IVG-R, taxas 12 meses deflacionadas pelo IPCA
25.00%
19.42%
20.00%
15.00%
10.00%
5.00%
Fonte: Bacen
Oct-09
Jul-09
Apr-09
Jan-09
Oct-08
Jul-08
Apr-08
Jan-08
Oct-07
Jul-07
Apr-07
Jan-07
Oct-06
Jul-06
Apr-06
Jan-06
Oct-05
Jul-05
Apr-05
Jan-05
0.00%
Cenário recente
• Diversos indicadores de atividade da construção apontaram um
cenário em que prevalece um elevado patamar de atividade, mas com
taxas de crescimento decrescentes
• No segmento imobiliário, as construtoras, que vinham comandando as
contratações, seguraram os lançamentos nos últimos dois anos e
passaram a crescer menos:
• Os segmentos da fase final do ciclo de construção mostram maior
dinamismo que os da fase inicial
• Os preços passaram a crescer em ritmo menor
• As construtoras têm contribuído menos para a geração de
empregos formais
13
Cenário 2013
 O segundo semestre de 2013 está sendo marcado pela revisão das
expectativas de crescimento da construção
 Os indicadores do primeiro semestre frustraram a expectativa de
retomada que havia entre empresários e analistas do setor no início do
ano

A mudança de ânimo foi registrada pelos resultados das duas últimas
Sondagens da Construção SindusCon-SP/FGV, realizadas nos dois
últimos trimestres
 As projeções de crescimento setorial para o ano caíram de 3,5% no
início do ano para 2%. O emprego com carteira deve se manter estável
na comparação com 2012.
14
Emprego Brasil
3,550,000
3,500,000
3,511,882
3,450,000
3,400,000
3,350,000
3,300,000
3,250,000
3,200,000
Fonte MTE/FGV
3,373,808
Emprego São Paulo
910,000
902,664
900,000
890,000
880,000
870,000
860,000
850,000
840,000
Taxa 12 meses: 0,61%
Acumulado até agosto: 1,03%
Fonte MTE/FGV
Emprego, por Segmento, Brasil
Taxa acumulada até agosto
Imobiliário*
1.19%
Total dos segmentos
0.99%
Outros Serviços
Serviços de Engenharia
2.37%
0.09%
Incorporação de imóveis
5.29%
Obras de acabamento
5.91%
Obras de instalações
5.96%
Infraestrutura
Imobiliário
Preparação de terreno
-2.00%
-1.00%
0.58%
-1.42%
Segmentos
da fase final
do ciclo
mostram
maior
dinamismo
-0.15%
0.00%
1.00%
2.00%
3.00%
4.00%
5.00%
6.00%
7.00%
Imobiliário* inclui o imobiliário, incorporação, obras de instalações e obras de acabamento
Fonte MTE/FGV
Emprego imobiliário, participação
15%
9%
Centro-Oeste
28%
Nordeste
Norte
Sudeste
Sul
43%
5%
Fonte MTE/FGV
SP: 22%
RJ: 7,9%
Cenário 2014
 Lançamentos e vendas no mercado imobiliário começaram a se
recuperar em 2013 em algumas capitais como São Paulo, Recife,
Fortaleza
 O crescimento não foi generalizado, mas aponta o reinício do ciclo de
obras em algumas regiões
 No segmento de infraestrutura persistem mais incertezas, mas o ano
eleitoral deve fortalecer os investimentos dos estados
 As projeções de crescimento setorial para o ano são de 3%
19
LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS ATÉ AGOSTO
RMSP e Município de São Paulo
Acumulado 12 meses
40,000
38,000
36,000
34,000
32,000
30,000
Município SP
28,000
RMSP menos capital
26,000
24,000
22,000
Dec/2011
Jan/2012
Feb/2012
Mar/2012
Apr/2012
May/2012
Jun/2012
Jul/2012
Aug/2012
Sep/2012
Oct/2012
Nov/2012
Dec/2012
Jan/2013
Feb/2013
Mar/2013
Apr/2013
May/2013
Jun/2013
Jul/2013
Aug/2013
20,000
Fonte: Embraesp
Perspectivas para os próximos anos
 A dinâmica demográfica, o déficit habitacional e crescimento da renda
devem favorecer o setor pelos próximos 10 anos
 Mas atenção: há muitas pedras no meio do caminho!
21
Desafios para sustentar o crescimento nos próximos anos
 Aumentar o investimento em infraestrutura
 Desenvolvimento de novas fontes de financiamento para habitação
e infraestrutura
 Fonte perene para a Habitação de Interesse social
 Maior industrialização dos processos construtivos
 Avanço sustentável com ocupação adequada do solo
 Aumentar a produtividade
22

similar documents