Atlas de Vulnerabilidade a Inundações

Report
Apoio à Prevenção de
Desastres Naturais
Marcelo Jorge Medeiros
São Paulo, SP
29 de novembro de 2012
BRASIL
• Área:
– 8,57 milhões Km²
• População:
– 192 milhões (2010)
POPULAÇÃO
(MI HAB)
% POP
URBANA
1970
93,1
55,9
1980
118,0
67,6
1991
146,8
75,6
2000
169,0
81,2
2010
190,7
84,4
ANO
Eventos críticos no Brasil
• Maior número de eventos: estiagens
• Maiores danos devido às chuvas:
– movimentos de massa
– enxurradas
– inundações
Afetados por desastres entre 1991 e 2010: 96.494.755 hab.
Atlas Brasileiro de Desastres Naturais, Defesa Civil Nacional
Atlas Brasileiro de Desastres Naturais, Defesa Civil Nacional
Atlas Brasileiro de Desastres Naturais, Defesa Civil Nacional
Agência Nacional de Águas
• Atribuição legal de “planejar e promover ações
destinadas a prevenir ou minimizar os efeitos de
secas e inundações, no âmbito do Sistema
Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos,
em articulação com o órgão central do Sistema
Nacional de Defesa Civil, em apoio aos Estados e
Municípios”
Atlas de Vulnerabilidade a
Inundações
• Indicação das áreas mais
críticas a inundações
• Em elaboração pelo DAEE,
Defesa Civil do Estado e ANA
Atlas de Vulnerabilidade a Inundações
• Trechos inundáveis:
– Ocorrência de inundações em n anos
• Alta: ocorrem cheias a cada 5 anos;
• Média: ocorrem cheias a cada 10 anos;
• Baixa: somente ocorrem cheias em intervalos superiores
a 10 anos.
Ocorrências
≤ 5 anos
entre 5 e 10
anos
alta
média
> 10 anos
baixa
Tempo
Atlas de Vulnerabilidade a Inundações
• Trechos inundáveis:
– Estimativa dos impactos sociais e econômicos
decorrentes das inundações:
• Danos à vida ou à propriedade e interrupção dos
serviços públicos
Alto
• Alto risco de dano à vida humana e danos
significativos a os essenciais, instalações e obras de
infraestrutura públicas e residências
Médio
• Danos razoáveis a serviços essenciais, instalações e
obras de infraestrutura públicas e residências
Baixo
• Danos localizados
Mapeamento de risco –
Trechos de rios
vulneráveis a inundações
Alta vulnerabilidade
Média vulnerabilidade
Baixa Vulnerabilidade
Rede hidrometeorológica nacional
• Dados de níveis, vazão
e chuva
• Acesso público
universal
www.ana.gov.br/telemetria
www.ana.gov.br/telemetria
Reservatórios do setor elétrico
UHEs
PCHs
Sala de Situação
Salas de Situação
Estaduais
• Foco regional
• ANA fornece
equipamentos, estações
automáticas, software e
capacitação
• Estados provêm espaço
físico e pessoal
especializado
PLANO DE CONTROLE DE CHEIAS DA BACIA
DO PARAÍBA DO SUL
575
Seção 129 (SJC)
570
565
560
555
550
• Uso e ocupação
• Características
físicas
• Hidrologia
• Topografia
• Pontos críticos
• Barragens
545
540
0
200
400
600
800
1.000
1.200
1.400
354 seções transversais
MANCHAS DE INUNDAÇÃO
Cataguases
2 anos
10 anos
25 anos
50 anos
100 anos
500 anos
Fornecimento de Dados
CEMADEN
INMET , INPE,
DECEA/MD e CENTROS
ESTADUAIS
Informações meteorológicas
Monitoramento
e Alerta
CENAD
Alarme e
Articulação
MS, GSI, MT, FORÇAS ARMADAS
DEFESA
CIVIL
Mobilização e
Resposta
MI, MCid e IBGE
CPRM
ANA
Análise de Risco e
Vulnerabilidade a Desastres
Mapeamento
Informações
hidrológicas
geológico-geotécnico
Obrigado!
Marcelo Jorge Medeiros
Gerente de Eventos Críticos
[email protected] | (+55) (61) 2109 –5207
www.ana.gov.br
www.twitter.com/anagovbr
www.youtube.com/anagovbr

similar documents