V 2

Report
CADEIA DE
SUPRIMENTOS
Definição: Entregar ao cliente o produto desejado:
No prazo combinado,se possível, o mais rápido possível,
Sem problemas na embalagem,
Com funcionamento perfeito,
O produto ser o desejado e
Sem reclamação futura (sac).
Facilitadores de uma entrega no prazo:
Ter um centro de distribuição(CD) perto da demanda maior
de clientes. Podemos ter vários CDs.
Facilitadores da disponibilidade do
produto(entrega no prazo):
Ter a fabricação do produto controlada.
Ter pequeno estoque para pedidos emergenciais.
Teorias de distribuição
Carteiro chinês (a pé) – Encontrar a rota de menor custo,
passando por todas as cidades pelo menos uma vez.Teoria
aceita hoje?
Carteiro chinês capacitado – Generalização do “Carteiro
chinês”, onde leva-se em consideração a capacidade do uso de
veículos.
Caixeiro viajante – deve-se encontrar a rota de menor custo,
visitando por todos as cidades apenas uma vez(a pé ou com
veículo).
Múltiplos caixeiros viajantes – Generalização do “Caixeiro
viajante”, onde são considerados mais de um “caixeiro
viajante”. Esse método é o utilizado hoje em dia.
Rotas
Roteirização com um único depósito e vários veículos –
os veículos saem da central de distribuição e atendem a todos
os nós(clientes), buscando diminuir a distância total.
Roteirização com vários depósitos e vários veículos –
Generalização do problema anterior, só que com múltiplos
depósitos.Mais usado hoje.
Roteirização com depósito único, vários veículos e demanda
estocástica – Generalização do problema anterior, só que a
demanda é desconhecida.Quando usar essa loucura?
Rota-exercícios
Partindo de “A”(CD), qual é o circuito
ótimo?Usar método do caixeiro viajante
Circuito ótimo
A–E-B-C-D-A
Comprimento do circuito
3 + 3 + 3 + 3 + 2 = 15
Circuito ótimo
A–C-B-E-D–A
Comprimento do circuito
2 + 3 + 3 + 5 + 2 = 15
Circuito ótimo
A–C-D-B-E-A
Comprimento do circuito
2 + 3 + 4 + 3 + 3 = 15
Neste caso específico encontramos 3 (três) circuitos ótimos.
CD – é um centro de distribuição onde são estocados vários
SKUs(itens de estoque) para a distribuição em diversos
pontos.
Quando terceirizar uma distribuição?
Quando ela ocorrer de maneira não habitual.
Como saber se é ou não habitual a distribuição
dos produtos?
Distribuir os produtos para os clientes:
a) Por conta própria ou
b) Terceirizando = atacadistas.
• “Debate em sala de aula”-momento de
“stress” na sala
Qual a situação em que os atacadistas(ganham dinheiro
nas nossas costas) são reis?
Exemplo:
Produto: Ovo de Páscoa
Época: março/abril.
Vai encarar?
Tomada de decisão difíceis as vezes......
A DECISÃO é um conjunto de conceitos e técnicas de caráter
interdisciplinar, que permite estruturar a analisar um
problema de maneira lógica, de forma a permitir a melhor
decisão possível face às informações disponíveis”.
Entendeu o que é interdisciplinar?analisar o problema não só
com os olhos de gerente de Distribuição Física mas com os
olhos de um Gestor de Logística(saber todas as matérias de
logística).
Cartilha de como tomar uma decisão correta
DIRECIONADORES :
•Definir o problema de maneira clara e precisa.
•Listar alternativas potenciais.Coisas boas.
•Listar vulnerabilidades potenciais.Coisas não boas.
•Identificar os custos e benefícios de cada alternativa.
•Criar um modelo para soluções futuras.
•Implantar a solução ótima na distribuição física.
Porque a tomada de decisão é um desafio cada vez maior?
Porque não posso repetir o passado recente em uma
distribuição física atual?
• Tecnologia da informação renovada constantemente;
•Um ritmo de mudanças acelerado (obras);
•Incerteza sobre os custos no futuro;
•Poucos precedentes históricos;
•Multi-modalidade e Inter-modalidade surgindo;
Maneiras de distribuir materiais
1-Sai da linha de produção com “ok” de qualidade – vai
para
o
estoque(CD)
para
cadastrar
e
aguarda
a
distribuição=Simple.
2-Sai da linha de produção com “ok” de qualidade – vai
para o estoque (CD) para cadastrar e imediatamente é
distribuido (não estoca ) = Cross-Docking
Sai da linha de produção com “ok” de qualidade e vai para
a distribuição(não passa pelo CD) = DSD. Cadastro por email.
Sistemas de distribuição de empurrar e puxar
EmpurrarOs Cds ficam perto da fabrica produtiva,entrega mais lenta e
cargas despachadas com caminhões incompletos.Rotas não
otimizadas
Empurrar = preciso de estímulo para sair da fabrica.
PuxarPequenos armazéns na fabrica, CDs avançados perto da
demanda e cargas completas.Rotas otimizadas
Puxar = puxa a mercadoria de dentro da fábrica para o
mercado
EXERCÍCIO
Loja situada na Nossa Senhora de Copacabana
de R$1,99, sucesso total de vendas.Como faria
a distribuição do produto?
Debate em sala: Poderia falar “o dia dia” desse
negócio?
Escolher:
EMPURRAR
PUXAR
EMPURRAR E PUXAR
Loja de R$1,99 feliz
Está preparado para a formatura?Está preparado
para uma entrevista de emprego?Está preparado
para ser Gerente? Quer ganhar em torno de R$15
a 20 mil reais?
Aconteceu: gerente(vc) se defronta com uma situação com
a qual não está familiarizado e para a qual não há
procedimentos pré-estabelecidos de como solucionar o
problema em seus arquivos.Nessa matéria pode acontecer
muito disso?
PRIMEIRO PASSO: CALMA. Agora faça:
Reconhecer a
necessidade de
uma decisão e
diagnosticar a
situação
Avaliar os
resultados
Gerar
alternativas
Avaliar
alternativas
Implementar a
alternativa
Escolher a
melhor
alternativa
SEGUNDO PASSO
A alternativa
é viável?
A alternativa
é
satisfatória?
Sim
Suas
consequências
são aceitáveis?
Sim
Sim
Não
Não
Não
Eliminar
Eliminar
Eliminar
AMÉM.
Exercício:Qual situação VC adotaria na
impossibilidade de usar o quadro 1?
100%
1-Decisões
tomadas sob
condição de
certeza
100%
100%
60%
2-Decisões
tomadas sob
condição de
risco
3-Decisões
tomadas sob
condição de
incerteza
30%
10%
33%
34%
33%
Alternativa 1
Alternativa 2
Alternativa 3
Alternativa 1
Alternativa 2
Alternativa 3
Alternativa 1
Alternativa 2
Alternativa 3
Centralizar ou descentralizar a distribuição?
VMI = VENDEDOR DE GESTÃO DE INVENTÁRIO.
É a principal função do gerente de distribuição física.
ESCOLHAS NORTEADORAS:
1-Puxar ou empurrar?
2-Distribuição escalonada(compartilhada) ou direta?
3-Dimensionamento da frota – peso / volume/ fragil/
validade/ tóxico/ preço.Limites aceitáveis?
4-Tempo-distância percorrida e tempo gasto.Vale a pena?
5-Integridade
acontecer.
da
embalagem
e
do
produto.Tem
que
Tipos de distribuição
•Estratégico- elaborado a longo prazo, empresas grandes
(vips),logística complicada de distribuição (mix de produtos
enormes –não pode misturar cargas).
•Tático – elaborado a curto prazo – cliente avulso mas
viável(R$)
•Operacional – a distribuição do seu dia a dia.Normas e
padrões já pré estabelecidos. Clientes de carteira.
Efeito chicote
O pior que pode acontecer na gerência de distribuição
física. Um pequeno problema ocorre na distribuição
e por motivos não sabidos, o mesmo não é
comunicado. Esse problema propicia um efeito
“dominó” em toda a distribuição, inclusive em rotas
diferentes da do problema principal.
Atenção: a tecnologia da informação deve estar
totalmente presente na DF pois é a única forma da
informação chegar rápido ao local certo e na pessoa
certa.
Árvores de Decisão
Localizando a origem do problema
• Nunca solucione problemas sem saber a causa
principal(detonador)
que
fez
o
efeito
chicote
surgir.Refaça todo o ciclo de distribuição até achar a
origem do problema.
DIAGRAMA DE ISHIKAWA
Exemplo:
MÁQUINAS
MÃO DE OBRA
PROBLEMA
MÉTODOS
MATERIAIS
Como evitar filas?Esperas......
Na logística da DF, podemos utilizar as técnicas da teoria das
filas para se evitar o congestionamento dentro de uma central
de distribuição(CD). Utilizando- se da técnica de janela de
horários, congestionamentos são evitados.
David Kendall em 1951 descreveu o comportamento de não
ter filas em uma única palavra:
X
S
K
m
B
A
Disciplina de serviço
Tamanho da população
Nº total de elementos no sistema
Número de servidores
Processo de atendimento
Processo de chegada
Podem acontecer em uma fila:
FCFS – First Come First Served (**FIFO)
Primeiro elemento que chega é o primeiro a ser atendido.
LCFS – Last Come First Served
Último elemento que chega é o primeiro a ser atendido.
SIRO – Service In a Random Order
Elementos são atendidos em ordem aleatória.
EXERCÍCIOS:
1-É correto afirmar sobre o Carteiro Chinês que:
a)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os arcos pelo menos uma vez.
b)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que visite
todos os nós uma única vez.
c)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que visite
todos os arcos uma única vez.
d)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os nós pelo menos uma vez.
e)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os arcos mais de uma vez.
2-É correto afirmar sobre o Caixeiro Viajante que:
a)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os arcos pelo menos uma vez.
b)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que visite
todos os arcos uma única vez.
c)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que visite
todos os nós uma única vez.
d)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os nós pelo menos uma vez
e)Consiste em determinar uma rota de custo mínimo que passe
por todos os arcos mais de uma vez.
Ao aplicar qualquer método de problemas de roteamento de
veículos, desejamos:
a)Sempre minimizar a distância percorrida.
b)Minimizar a distância percorrida, com o menor custo.
c)Minimizar a distância percorrida, com o maior custo.
d)Sempre chegar mais rápido.
e)Sempre gastar menos.
3-Ao aplicar qualquer método de problemas de roteamento
de veículos, desejamos:
a)Sempre minimizar a distância percorrida.
b)Minimizar a distância percorrida, com o menor custo.
c)Minimizar a distância percorrida, com o maior custo.
d)Sempre chegar mais rápido.
e)Sempre gastar menos.
4-Uma empresa contrata uma consultoria para determinar uma
rota de mínimo custo. Para isso ela passa algumas diretrizes
exigidas pela direção: As rotas deverão ser cumpridas por um
único veículo e que todos os caminhos (arcos) deverão ser
percorridos pelo menos uma vez, sem limitar a capacidade do
veículo. Que método pode ser utilizado para atender essas
diretrizes.
a)Caixeiro viajante
b)Caixeiro viajante Capacitado
c)Carteiro chinês Capacitado
d)Múltiplos caixeiros viajantes
e)Carteiro Chinês
5-Uma empresa contrata uma consultoria para determinar uma
rota de mínimo custo. Para isso ela passa algumas diretrizes
exigidas pela direção: As rotas deverão ser cumpridas por um
único veículo e que todos os caminhos (arcos) deverão ser
percorridos pelo menos uma vez, com limitação para a
capacidade do veículo. Que método pode ser utilizado para
atender essas diretrizes.
a)Carteiro Chinês
b)Caixeiro viajante
c)Múltiplos caixeiros viajantes
d)Carteiro chinês Capacitado
e)Caixeiro viajante Capacitado
• Um elemento muito importante em DF é a
Pesquisa
Operacional.
•A PO utiliza grafos(desenhos de situações de distribuição
-tipo mapa) facilitando em muito uma tomada de decisão.
• Nomenclaturas:
• Os “locais” de entrega de mercadorias são chamados de
vértices ou nós e as ligações entre os vértices são
chamadas de arestas ou arcos .
d
a
b
•
•
c
Conjunto de vértices: V= {a,b,c,d,}.
Arcos representam as ligações entre os vértices.
•
Arcos são representados como pares ordenados.
•
O par ordenado (a,b), por exemplo, representa o arco
que liga os vértices a e b.
•
Conjunto
de
A={(a,b),(a,d),(d,b),(b,c),(d,c)}
todos
os
arcos:
• Os vértices representam as cidades e os arcos representam
as ligações entre
•
as cidades.
• Se ab, então (a,b)(b,a)
•
mas, se estradas forem de mão dupla, por exemplo, os
arcos (a,b) e (b,a)
•
são iguais.
1. Uma aresta é dita incidente com os vértices que ela liga. Se
uma aresta é incidente em um único vértice é chamado de
laço.
2. Dois vértices são chamados de adjacentes se estão ligados
pôr aresta.
Um vértice é dito isolado, se não tem aresta incidindo
sobre ele.
V1
V2
V3
3. Define-se grau de um vértice como sendo o número de
arestas incidentes
Nele. Um grafo é dito regular de grau r se todos seus vértices
possuem
V1 grau r.
V2
V4
V3
Grafo regular de grau 3 (r = 3)
Ordem do grafo: V = 4 A = 6
.4 vértices e 6 arestas
4. Se o grafo é regular de grau zero, é dito nulo. Um vértice de
grau 1, é dito
pendente.
V1
V4
V2
V3
V1
V2
V4
V3
Grafo regular de grau zero (r = 0)
Ordem do grafo: V = 4 A = 0
V5
Vértices pendentes: (v4 e v5)
Ordem do grafo: V = 5 A = 1
5. Duas arestas que incidam sobre o mesmo vértice são ditas
adjacentes. Se os dois vértices de incidência são os mesmos, as
arestas são ditas paralelas.
V1
V4
V2
V3
Vértices (v1e v4) possuem arestas paralelas;
Ordem do grafo: V = 4 A = 5
V2
V1
V6
V4
V5
V3
Vértices adjacentes:
(V6,V2) (V6,V5) (V2,V3) (V2,V4) (V3,V5) (V4,V5)
Vértice isolado:
V1
V3 laço
V1
V6
V4
V3
V5
V2
Vértice de grau nulo: V4 Vértice Pendente: V2
Exemplos:
6. Um grafo é dito dirigido ou dígrafo se suas arestas possuem
orientação. Em caso contrário diz-se que o grafo é não dirigido.
Em um grafo dirigido as arestas são chamadas arcos.
•
7-Multígrafo é o grafo que contém arestas paralelas ou
laços.
•
8-Grafo simples é um grafo que não contém nenhum par de
arestas paralelas ou laços.
Exercícios:
1-É possível afirmar sobre uma aresta incidente em um
único vértice que:
a)É chamada de paralela
b)É chamada de laço ou paralela
c)É Chamado de nulo
d)É chamada de laço
e)É chamado de pendente
2 - Questão Proposta:
É dito que o “Grafo” é regular quando:
a) Existir o mesmo grau em todos os seus vértices.
b) Existir uma aresta entre cada par de seus vértices.
c) Existir uma aresta entre cada par de seus vértices e o
mesmo grau em todos os seus vértices.
d) Existir uma aresta entre pelo menos um par de seus
vértices.
e) Existir uma aresta entre quase todos os pares de seus
vértices.
3ª - Questão Proposta:
É possível afirmar sobre um vértice com seu Grau gr(v) = 0,
que:
a)É chamada de laço
b)É Chamado de nulo ou isolado
c)É chamada de paralela
d)É chamada de laço ou paralela
e)É chamado de pendente
4ª - Questão Proposta:
É possível afirmar sobre um vértice com seu Grau gr(v) = 1,
que:
a)É chamada de laço
b)É chamada de paralela
c)É chamado de pendente
d)É chamada de laço ou paralela
e)É Chamado de nulo
5ª - Questão Proposta:
É possível afirmar sobre duas arestas incidentes em dois
vértices sendo esses os mesmos vértices que:
a)São chamadas de laços
b)São chamadas de laços ou paralelas
c)São chamadas de nulas
d)São chamadas de pendentes
e)São chamadas de paralelas
A DF no processo logístico
1. O transporte usa 60% das despesas logísticas;
2. Pode variar entre 4% e 25% do faturamento
bruto, e em muitos casos supera o lucro
operacional;
3. Buscar soluções imediatas que satisfaçam o
cliente.
MODALIDADE
(UM MEIO DE TRANSPORTE)
MULTIMODALIDADE
(UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS)
INTERMODALIDADE
(UTILIZAÇÃO INTEGRADA DA CADEIA DE
TRANSPORTE)
OPERADORES LOGÍSTICOS
(FORNECEDOR DE SERVIÇOS INTEGRADOS)
Para escolher uma modalidade de transporte deve se
analisar os seguintes itens:
•
•
•
•
•
•
Custos do serviço
Tempo médio de entrega e a sua variabilidade
Perdas e danos
Tempo em trânsito
Fornecimento de informação situacional
Disponibilidade de serviço
Processo Decisório
Cadeia Logística
•
Característica da Carga
♦Carga Geral e a Granel
♦Natureza da Carga
•
Preparação para o Transporte
♦Embalagem
♦Unitização
•
Modos de Transporte
♦Vantagens e Desvantagens de cada modal
Tipos de transporte
•
•
•
•
•
Rodoviário
Fluvial/Marítimo
Dutoviário
Aéreo
Ferroviário
Comparativo Brasil X EUA
Brasil
0,1%
0,4%
4,5%
23,8%
15,1%
12,2%
39,6%
15,5%
29,5%
59,2%
Aéreo
Aquaviário
Ferrovia
Dutoviário
Rodoviário
Aéreo
Aquaviário
Ferrovia
Dutoviário
Rodoviário
Comparativo Internacional
Rússia
81%
Canadá
46%
43%
11%
Austrália
43%
53%
4%
EUA
43%
China
37%
Brasil
24%
Ferroviário
8% 11%
32%
50%
62%
25%
13%
14%
Rodoviário
Hidroviário
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”
- grandes tonelagens de produtos
- longas distâncias;
- Exemplos – minérios (ferro, manganês); carvões minerais;
derivados de petróleo, e grãos que são transportados a granel;
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”
Dos custos:
• Altos custos fixos – em equipamentos,
terminais e vias férreas, etc...
• Baixo custo variável;
• O custo do transporte ferroviário é bem menor
do que o transporte rodoviário, porém não é
amplamente utilizado no Brasil, por motivos
de problemas com a infra-estrutura e a falta
de investimentos nas ferrovias.
Características da Malha Ferroviária
• Malha Ferroviária Federal concedida
28.671 km
• 13 concessões operadas por 7 grupos privados e 1 estatal (Valec)
• Concessões da RFFSA
• Demais Concessões
25.896 km
2.776 km
Frota em Operação
•
•
Locomotivas
Vagões
2.125
74.400
Fonte: ANTT
Ministério dos
Transportes
Mapa Ferroviário
O sistema ferroviário brasileiro foi construído
por empresas estatais. As malhas eram operadas
pela RFFSA, FEPASA e CVRD (Companhia
Vale do Rio Doce).
Nova Configuração das Companhias
Ferroviárias
Fonte: Ministério dos Transportes
•América Latina Logística
•Companhia Ferroviária do Nordeste – CFN
•Estrada de Ferro Carajás – EFC
•Estrada de Ferro Vitória / Minas – EFVM
•Estrada de Ferro Trombetas – EFT
•Estrada de Ferro Jari – EFJ
•Estrada de Ferro do Amapá – EFA
•Ferrovia Centro-Atlântica S.A – FCA
•Ferrovia Bandeirantes S.A – FERROBAN
•Ferrovia Norte Brasil S.A – FERRONORTE
•Ferrovia Norte – Sul
•Ferrovia Novoeste S.A.
•Ferrovia Paraná S.A. – FERROPAR
•Ferrovia Tereza Cristina S.A. – FTC
•MRS – Logística S.A.
•Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA
Processo de Transporte
• Um vagão tem 20 Tons de tara
• Uma Locomotiva tem 120 Tons de tara
• Um vagão transporta até 96 tons
• Três Locomotivas transportam até 100 vagões
• O sistema roda-trilho reduz o atrito dos materiais
tornando altamente eficiente em termos energéticos
• O maior custo de operação de uma ferrovia é o custo fixo
Vantagens Logísticas
•
•
•
•
•
•
•
Transportam grande quantidade de carga por
viagem
Percorre longas distâncias
Flexível quanto às mercadorias
Custo menor em relação ao rodoviário para
grandes volumes de mercadoria
A velocidade é boa para longas distâncias
Não são prejudicadas pelo tempo ou tráfego
competitivo
Pode utilizar o vagão ou o próprio container
para o transporte
Desvantagens Logísticas
• Tem custos altos e baixa segurança
(Brasil) para produtos de alto valor
agregado e pequenos.
• Tem freqüências de saídas menores em
relação ao rodoviário
• Seu tempo de trânsito é maior
• Ineficiente para curtas distâncias
• Os custos de manuseio são altos
• Não serve para serviço à domicílio
• É ineficiente para alguns produtos
Principais problemas das Ferrovias
•
Invasão da faixa de domínio nos centros
urbanos e nos acessos aos portos;
•
Utilização compartilhada das linhas para
passageiros e cargas na Região
Metropolitana de São Paulo;
•
Idade média elevada e quantidade
insuficiente de vagões e locomotivas;
•
Interação operacional deficiente das
malhas;
•
Traçado das linhas incompatível com as
condições atuais.
“TRANSPORTE RODOVIÁRIO”
O mais expressivo transporte de carga hoje no Brasil,
atingindo praticamente todos os pontos do território
nacional;
Deu-se maior ênfase na década de 50 por conta da
implantação da indústria automobilística que
desencadeou a pavimentação das rodovias e cresce
cada dia, por isso é o mais procurado – eficiente em
porta a porta.
Difere do ferroviário – transporta produtos acabados
e semi-acabados em curtas distâncias;
É recomendado para mercadorias de alto valor ou
produtos perecíveis.
“TRANSPORTE RODOVIÁRIO”
Transp. Rodoviário não é recomendado para
produtos agrícola a granel, pois seu custo é
muito baixo para esse modal;
Esse transporte é dividido em:
- Transportadoras regulares;
- Frota própria;
- Transportadores contratados (que são
utilizados por um número limitado de usuários
com contratos de longa duração,
- Autonomos.
“TRANSPORTE RODOVIÁRIO”
Dos custos:
- Custos Fixos Baixos:
- Rodovias estabelecidas e construídas
com fundos públicos e privatizadas.
- Custos Variáveis Médio:
- Combustível; manutenção; mão de obra;
pedágio, etc...
“TRANSPORTE RODOVIÁRIO”
Vantagens:- Possibilidade de transporte integrado porta a
porta, adequação aos tempos pedidos, assim
como a freqüência e disponibilidade dos serviços;
Desvantagens:- Transporta somente cargas pequenas e médias;
- Custos elevados para longas distâncias.
•
•
•
É o mais importante economicamente
Possui vias (1,7 milhões de Km,
apenas 10% pavimentada)
As vias são algumas de
responsabilidade do Governo Federal,
Estadual, Municipal e outras são
privatizadas
Vantagens Logísticas
•
•
•
•
•
•
•
Flexibilidade do serviço am áreas
geográficas dispersas
Manipulação de lotes relativamente
pequenos
Serviço é extensivo e adaptável
Serviço rápido
Entrega à domicílio ou “porta a porta”
Transportam todo tipo de cargas e
embalagens
Altas Freqüências
Desvantagens Logísticas
•
•
•
•
•
Custos elevados para distâncias superiores à
700Km
Volume transportado menor em comparação
ao transporte ferroviário e marítimo (até 45
Tons)
Custo mais elevado em comparação ao
transporte ferroviário e marítimo
É prejudicado pelo tempo e pelo tráfego
Maior intensidade de risco
“TRANSPORTE HIDROVIÁRIO”
Utilização:- Transporte de granéis líquidos, produtos
químicos, areia, carvão, cereais e bens de
alto valor (nos operadores internacionais) e
em containeres.
Os tipos:- Navios dedicados; navios containeres e
navios bidirecionais para veículos.
“TRANSPORTE HIDROVIÁRIO”
Formas de navegação:- Cabotagem – é realizada entre portos ou
pontos do território nacional (até 12 milhas
da costa);
- Interior – é realizada em hidrovias interiores
em percurso nacional ou internacional;
- Longo Curso – realizada entre porto
brasileiros e estrangeiros.
“TRANSPORTE HIDROVIÁRIO”
Dos custos:- Custo Fixo Médio
- Navios e equipamentos;
- Custo Variável Baixo
- Capacidade de transportar grande quantidade de
tonelagem.
Este é o modal com o mais baixo custo
TRANSPORTE MARÍTIMO/HIDROVIÁRIO
40 PORTOS PÚBLICOS
• 21 administrados pelas 7 Companhias Docas pertencentes à União:
- Codesp
- CDRJ
- Codesa
- Codeba
- Codern
- CDC
- CDP
Processo de Transporte
•
Possui sistema de controle de tráfego e navegação marítima
•
Os sistemas de tráfego geralmente são oferecidos pelo
Governo de cada país
•
Atualmente alguns Portos são privatizados
•
Os terminais incluem todos os equipamentos
para a carga e descarga dos produtos
Vantagens Logísticas
• Transporta grande quantidade de carga por viagem
• Percorre longas distâncias
• Flexível quanto às mercadorias
• Transportam produtos perigosos, carga à granel, líquido, gasoso e
veículos ou containers
• Custo operacionais menores
• Característica de produtos com menor valor agregado
Desvantagens Logísticas
•
Não serve para cargas pequenas ou
emergenciais
•
Perda de tempo nas descargas e
transferência de transporte
•
Altos níveis de danos sobre a mercadoria
•
Tempo de transito longo
•
Baixa Freqüência / Periódica
“TRANSPORTE AEREOVIÁRIO”
Utilização:- Nos transportes de cargas de alto valor unitário
(artigos eletrônicos, relógios, alta moda, etc..) e
perecíveis (flores, frutas nobres, medicamentos,
pequenos animais, etc...);
“TRANSPORTE AEREOVIÁRIO”
Classificação:- linhas-tronco domésticas regulares,
- cargueiras (somente carga),
- locais (principais rotas e centros menos populosos,
passageiros e cargas),
- suplementares (charters, não tem programação regular),
- regionais (preenchem rotas abandonadas pelas
domésticas, aviões menores)
- táxi aéreo (cargas e passageiros entre centros da cidade e
grandes aeroportos)
- internacionais (cargas e passageiros)
“TRANSPORTE AEREOVIÁRIO”
Dos custos:- Custo Fixo Alto
(aeronaves, manuseio e sistemas de
cargas);
- Custo Variável Alto
(combustível, mão-de-obra, manutenção,
etc...)
“TRANSPORTE AEREOVIÁRIO”
Vantagens:- Velocidade elevada; distância alcançada,
segurança (roubos, danos e extravios); redução
de custo com estoque;
Desvantagens:- Custo alto de frete, tempos de coleta e entrega,
manuseio no solo e dimensões fiscais dos porões
de transporte dos aviões.
Processo de Transporte
• Possui sistema de controle de tráfego
e navegação aérea
• Os sistemas de tráfego geralmente
são oferecidos pelo Governo de cada
país
• As transportadoras são responsáveis
por oferecer seu próprio terminal e
instalações de manuseio
• A maioria dos custos são variáveis
(custo de operação)
• Existe container próprio para este
transporte
Vantagens Logísticas
• Transporte mais rápido
• Transportes emergenciais
• Redução de níveis de inventário e
conseqüente redução de custo de
estoque
• Prioridade para produtos perecíveis
• Menor custo de Seguro
Desvantagens Logísticas
•
•
•
•
•
•
Restrição de capacidade
Impossibilidade de transporte à granel
Inviabilidade de produtos de baixo custo unitário
Restrição a artigos perigosos
Custo de transporte elevado
É prejudicado pelo tempo e pelo tráfego
“TRANSPORTE DUTOVIÁRIOS”
Os dutos são tubos subterrâneos impulsionados
por bombeamento para superação dos
obstáculos do relevo.
Esse sistema de transporte diminui
consideravelmente o congestionamento das
rodovias e ferrovias; são exemplos de dutos:
oleoduto, gasoduto, mineroduto, aquaduto.
“TRANSPORTE DUTOVIÁRIOS”
Utilização:- Transporte de líquidos e gases em grandes
volumes; materiais que podem ficar
suspensos (petróleo brutos e derivados,
minérios, etc.)
Obs: Essa utilização ainda é muito limitada. A
movimentação é muito lenta, sendo
contrabalanceada pelo fato de ser um meio
de transporte que opera 24 horas por dia e 7
dias por semana.
“TRANSPORTE DUTOVIÁRIOS”
Dos custos:- Custo Fixo (muito) Alto
Direitos de acesso, construção, requisitos para
controle das estações e capacidade de
bombeamento;
- Custo Variável Baixo
Nenhum custo com mão-de-obra de grande
importância.
Obs. É o segundo modal com mais baixo custo,
ficando atrás apenas do transporte hidroviário.
Rodoviário
Brasil
61%
EUA
26%
Ferroviário
20%
38%
Aquaviário
13%
16%
Dutoviário
5%
20%
Aéroviário
« 1%
« 1%

similar documents