Slide 1

Report
Módulo de Transmissão e Ativos de Rede
Curso Técnico de Informática
Prof. George Silva
FTIN – FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA
CABEAMENTO ESTRUTURADO
AULA 02
Objetivo
• Compreender e entender como crimpar
um cabo de rede com os conectores
macho e fêmea.
• Conhecer as vantagens da integração
entre o cabeamento estruturado e a NR10
Introdução
Para que tudo o que vimos na aula
anterior funcione, precisamos cuidar
primeiramente do cabeamento, ou seja, a
parte essencial da nossa rede que será
responsável
por
transportar
as
informações, através de sinais elétricos.
O que será necessário?
•
•
•
•
•
•
Cabo UTP-CAT5e
8P8C macho (RJ45 macho)
8P8C fêmea (RJ45 fêmea)
Alicate de crimpagem
Punch down tool
Decapador
Outras ferramentas
• Estilete
• Testador de cabos
• Chave de fenda e philips
Padrões – EIA/TIA-568B e 568A
No cabeamento estruturado, seguimos o
padrão da EIA/TIA (“Electronics Industries
Alliance” /”Telecommunications Industry
Association”), mais especificamente, o padrão
EIA-568B (para cabos straight (“retos” ou
“diretos”).
Em cabos crossover para redes 10/100Mb,
utilizamos uma combinação do EIA-568B e
568A. Para cabos crossover de redes gigabit
(1000Mb)
EIA/TIA-568B – cabo straight
EIA/TIA-568B – cabo straight
EIA/TIA-568B + 568A – cabo
crossover
EIA/TIA-568B + 568A – cabo
crossover
Cabo crossover para redes gigabit
Etapas para conectores macho
1. Corte e desencape o cabo, com cuidado
para não ferir os fios internos;
2. Destrance os pares e “estique” os fios;
3. Verifique o padrão a ser usado (EIA-568B,
568A ou crossover) e coloque os fios na
ordem;
4. Faça o acabamento, cortando o excesso;
5. Crimpe o cabo;
Crimpagem do conector macho
Crimpagem do conector macho
Vídeo
Etapas para conectores fêmea
1. Corte e desencape o cabo, com cuidado
para não ferir os fios internos;
2. Destrance os pares e “estique” os fios;
3. Posicione os fios de acordo com a
marcação exibida no conector fêmea;
4. Com a punch down tool, crimpe os cabos;
5. Se for o caso, fixe a fêmea na parede,
fazendo o acabamento final.
Crimpagem do conector fêmea
Crimpagem do conector fêmea
Vídeo
Dica: mini cabo crossover
• Para emergências (e por questões de espaço)
podemos fazer um “mini” cabo crossover.
Dica: mini cabo crossover
• Esquema de cabo mini crossover
Dica: mini cabo crossover
• Esquema de cabo mini crossover
Dica: cabo de testes loopback
Também podemos fazer um cabo de testes loopback para
placas de rede:
1- Branco com laranja
2- Laranja
3- Branco com laranja (retornando)
4- nada
5- nada
6- Laranja (retornando)
7- nada
8- nada
NR-10 e cabeamento estruturado
• Com acesso a planta,
fica mais fácil e viável
planejar o cabeamento.
NR-10 e cabeamento estruturado
Podemos fazer o acabamento para o usuário
final de várias maneiras, dependendo apenas
das nossas possibilidades.
Cabeamento Estruturado(normas)
• Principais normas:
– ANSI/TIA/EIA 568B Requerimentos gerais
de Cabeamento Estruturado e
especificação dos componentes para
cabos e fibras; esta norma define os
principais conceitos do cabeamento
estruturado, seus elementos, a topologia,
tipos de cabos e tomadas, distancias,
testes de certificação.
Cabeamento Estruturado(normas)
– ANSI/TIA/EIA 569B: Construção e projeto
dentro e entre prédios comerciais,
relativas à infra-estrutura de
telecomunicações esta norma define a
área ocupada pelos elementos do
cabeamento estruturado, as dimensões e
taxa de ocupação dos encaminhamentos
e demais informações construtivas.
Cabeamento Estruturado(normas)
• Demais normas:
– ANSI/TIA/EIA 606
– ANSI/TIA/EIA 607
– TIA – 942
– ANSI/TIA/EIA 570ª
– TIA/EIA-TSB 72
– NBR 14565
Crimpando Patch Panel
Vídeo
Atividade
Grave 6 vídeos, narrados por você:
1. Crimpando um cabo de rede straight;
2. Crimpando um cabo de rede crossover;
3. Crimpando um cabo de testes loopback;
4. Demonstrando o que acontece quando você liga o
cabo loopback no computador.
5. Crimpando um cabo cross over de “emergência” e
aponte as diferenças do crossover padrão
6. Crimpando um cabo crossover gigabit e explique a
diferença para o crossover padrão
Observações
• Formem grupos de estudo, tanto para trocar
conhecimentos quanto para ajudar a quem
não tem como gravar os vídeos; o tamanho
do grupo não tem limite, mas cada aluno
deve enviar os seus vídeos, individualmente.
• Postem os vídeos no Youtube ou Vimeo e
mandem os links em um arquivo TXT para o
AVA;
• NÃO copiem! Nem de colegas, nem da
Internet.
Ferramentas de apoio e prazos
Apostilas e vídeos do AVASIS;
 Chat nas terças-feiras;
 Fórum durante o módulo, com resposta
em até 6 horas úteis;
 E-mail do professor;
 Prazo para postagem da atividade:
11 Maio 2013, às 23:55h.
 Bom estudo.
DÚVIDAS...
•Fórum.... Diariamente
•Chat Terça feira 07/05/2013 20:30 às 22:00

similar documents