Apresentação do curso

Report
Ministério da Educação
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Diretoria de Graduação e Educação Profissional
Câmpus Curitiba
.
CURSO DE LICENCIATURA
EM
MATEMÁTICA
UTFPR - 2014
2013
IDENTIFICAÇÃO GERAL
 Coordenação: Profa. Neusa Nogas Tocha
 Início de funcionamento do Curso: 1º semestre de 2011
 Fundamentação legal: Resolução nº. 117/10-COEPP
 Duração do curso: oito semestres (prazo máximo 12
(doze semestres) - Matutino)
 Titulação conferida: Licenciado em Matemática
INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO E
LEGISLAÇÃO DA UTFPR
http://www.utfpr.edu.br/curitiba/estruturauniversitaria/diretorias/dirgrad/departamentos/matematic
a/licenciatura
(projeto
do
curso,
regulamentos
do
estágio
supervisionado, das atividades complementares, do TCC e
o regulamento didático-pedagógico)
http://www.damat.ct.utfpr.edu.br
http://www.utfpr.edu.br/alunos
REGULAMENTO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
Regime Acadêmico: (art. 6º) - Os cursos de graduação serão
desenvolvidos em regime semestral, sendo o ano civil
dividido em dois períodos letivos de, no mínimo, 100 (cem)
dias de trabalho acadêmico efetivo cada um.
Registro e matrículas: (art. 11) - Quando classificado e
cumpridas as exigências previstas no edital do processo
seletivo, o aluno será matriculado em todas as
disciplinas/unidades curriculares do primeiro período do
currículo do curso, em vigor, para o qual foi classificado.
REGULAMENTO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
Trancamento de matrícula: (art. 18, § 2º) - O trancamento de
matrícula no curso somente poderá ocorrer a partir da
segunda matrícula exceto nos casos previstos em lei ou por
motivo de força maior.
Cancelamento em disciplinas: (art. 19) - Não será
permitido
cancelamento
de
matrícula
em
disciplinas/unidades curriculares, exceto para realizar
Estágio Curricular Obrigatório ou por motivos de força
maior, devidamente comprovados.
CONCEPÇÃO DO CURSO
A Matemática auxilia na formação de posturas críticas, possibilita
o desenvolvimento da criatividade e da imaginação, incentiva a
iniciativa e favorece a capacidade de resolver problemas e
interpretar dados.
Os cursos de Licenciatura em Matemática devem ser engendrados
para formar profissionais com liderança intelectual, social e
política, capazes de intervir na realidade e melhorar as condições
de ensino e aprendizagem vigentes, possibilitando à população o
pleno exercício da cidadania.
OBJETIVO DO CURSO DE
LICENCIATURA EM MATEMÁTICA
Formar profissionais que detenham um sólido conhecimento
em Matemática para atuarem como professores de
Matemática na Educação Básica, assim como pesquisadores
da área de Educação Matemática e de Ensino de Matemática,
além de outras mais que estiverem no escopo de suas
competências.
O Curso procura fornecer as condições para que o graduado
detenha as necessárias dimensões do Ensino, da Pesquisa e
da Extensão em Matemática, tornando-o um profissional
com condições de seguir estudos na pós-graduação em
Educação Matemática, Matemática, Matemática Aplicada e
áreas afins à Matemática.
PERFIL ESPERADO DO FUTURO
PROFISSIONAL
Em termos gerais, o perfil do egresso deve ser o do
professor com formação generalista, humanista, crítica
e reflexiva, capacitado a absorver novas tecnologias e a
manipular
novas
mídias,
estimulado
pelas
potencialidades da Matemática, atuando com visão
ética, moral e humanística, em atendimento às
demandas da sociedade.
O QUE SE ESPERA DO LICENCIADO
EM MATEMÁTICA
Que se forme como educador, pesquisador e
gestor, atuando sempre com uma postura críticoreflexiva , atuando como:
Professor educador: envolvido de forma
interdisciplinar com o processo de ensino e
aprendizagem;
Professor crítico-reflexivo: consciente do seu
papel na formação de opiniões;
O QUE SE ESPERA DO LICENCIADO
EM MATEMÁTICA
Professor Pesquisador: ocupando-se da pesquisa,
utilizando metodologia adequada e aplicada a
diferentes campos de atuação de sua prática
pedagógica;
Professor Gestor: capaz de gerir diferentes
situações inerentes à sua prática profissional.
ÁREAS DE ATUAÇÃO
 professor em instituições de ensino que oferecem cursos de
nível fundamental e médio;
 editoras e em órgãos públicos e privados que produzem e
avaliam programas e materiais didáticos para o ensino presencial
e a distância;
 espaços de educação não-formal, como feiras de divulgação
científica, museus e em empresas que demandem sua formação
específica e em instituições que desenvolvem pesquisas
educacionais;
 pode também atuar de forma autônoma, em empresa própria ou
prestando consultoria.
ESPAÇOS CURRICULARES
 Conhecimentos Básicos de Matemática;
 Conhecimentos Básicos de Educação;
 Conhecimentos Complementares e/ou
Interdisciplinares de Matemática e de Educação;
 Conhecimentos Metodológicos;
 Estágio Curricular.
CARGA-HORÁRIA
 mínimo de 2.800 (duas mil e oitocentas) horas (Resolução CNE/CP nº 2/2002)
Distribuição:
 400 horas de prática como componente curricular,
vivenciadas ao longo do curso – APCC (distribuídas em
algumas disciplinas);
 405 horas de estágio curricular supervisionado a partir
do início da segunda metade do curso (5º período);
CARGA-HORÁRIA
Distribuição:
 1985 horas para os conteúdos curriculares de natureza
científico-cultural (180 horas em disciplinas optativas);
 120 horas para o Trabalho de Conclusão de Curso – TCC
(6º e 7º período);
 200 horas para as
complementares - ACC.
atividades
curriculares
PROFESSORES RESPONSÁVEIS
Responsável pelas ACC – Profa. Leônia
Negrelli Gabardo
Responsável pelo Estágio Supervisionado –
Prof. Marco Aurélio Kalinke
Responsável pelo TCC – Prof. André Fabiano
Steklain Lisboa
MATRIZ CURRICULAR
Uma aula corresponde a 50 minutos
* A partir do 6º período o aluno deverá cursar no mínimo
180 horas em disciplinas optativas
10 Período
•
•
•
•
•
•
Fundamentos de matemática 1 – 108 aulas
Geometria 1 – 108 aulas
Lógica matemática 1 – 72 aulas
História da educação – 36 aulas
Filosofia geral – 36 aulas
Comunicação oral e escrita – 36 aulas
TOTAL: 396 aulas
20 Período
•
•
•
•
•
•
Fundamentos de matemática 2 – 108 aulas
Geometria 2 – 108 aulas
Funções reais de uma variável real – 72 aulas
Construções geométricas e geometria descritiva – 72 aulas
Políticas educacionais – 36 aulas
Psicologia da educação – 54 aulas
TOTAL: 450 aulas
30 Período
•
•
•
•
•
•
•
•
Cálculo diferencial – 72 aulas
Geometria analítica – 108 aulas
Tecnologias no ensino de matemática – 54 aulas
Organização do trabalho pedagógico e gestão escolar – 36aulas
Laboratório de matemática – 54 aulas
Didática geral – 36 aulas
Metodologia da pesquisa em educação – 36 aulas
Libras – 36 aulas
TOTAL: 432 aulas
40 Período
•
•
•
•
•
•
•
Cálculo integral – 72 aulas
Álgebra linear 1 – 72 aulas
Álgebra – 72 aulas
Metodologia do ensino de matemática – 36 aulas
Didática da matemática – 36 aulas
Física – 90 aulas
Libras – 36 aulas
TOTAL: 414 aulas
50 Período
•
•
•
•
•
•
Estágio supervisionado 1 - 90 aulas
Cálculo de funções reais de várias variáveis reais – 90 aulas
Álgebra linear 2 – 72 aulas
Cálculo de probabilidades – 72 aulas
Modelagem matemática no ensino – 72 aulas
Computação – 72 aulas
TOTAL: 468 aulas
60 Período
•
•
•
•
•
Estágio supervisionado 2 – 90 aulas
TCC 1 – 72 aulas
Análise matemática 1 – 72 aulas
Equações diferenciais aplicadas – 72 aulas
Estatística – 72 aulas
TOTAL: 378 aulas
70 Período
•
•
•
•
Estágio supervisionado 3 – 144 aulas
TCC 2 – 72 aulas
Análise matemática 2 – 72 aulas
Cálculo numérico – 72 aulas
TOTAL: 360 aulas
80 Período
•
•
•
•
Estágio supervisionado 4 – 162 aulas
História da matemática – 72 aulas
Educação financeira – 72 aulas
Teoria de grupos – 72 aulas
TOTAL: 378 aulas
DEPARTAMENTOS ENVOLVIDOS NO
CURSO
 Departamento Acadêmico de Matemática (DAMAT) –
Chefe: profa. Silvana Heidemann Rocha
 Departamento Acadêmico de Educação (DEPED)
 Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão
(DACEX)
 Departamento Acadêmico de Estudos Sociais (DAESO)
 Departamento Acadêmico de Física (DAFIS)
 Departamento Acadêmico de Informática (DAINF)
Órgãos auxiliares à coordenação
NDE – Núcleo Docente Estruturante
É um órgão consultivo da coordenação de curso,
responsável pelo processo de concepção, consolidação e
contínua atualização do Projeto Pedagógico do curso.
Colegiado do curso
Órgão propositivo no âmbito do curso de para os assuntos
de ensino, pesquisa e extensão em conformidade com as
políticas da Instituição .
Representante discente: Willian Carlos Lesinhovski
DO RENDIMENTO ESCOLAR E DA
APROVAÇÃO
Art. 32 - O rendimento escolar será apurado através de:
I. verificação da frequência, quando couber;
II. avaliação do aproveitamento acadêmico.
Art. 34 - A aprovação nas disciplinas presenciais dar-se-á
por Nota Final, proveniente de avaliações realizadas ao
longo do semestre letivo, e por frequência.
§ 4º - Considerar-se-á aprovado na disciplina, o aluno que
tiver frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco
por cento) e Nota Final igual ou superior a 6,0 (seis),
consideradas todas as avaliações previstas no Plano de
Ensino.
COEFICIENTE DE RENDIMENTO - CR
Art. 16, § 2º - O coeficiente de rendimento do aluno
será calculado pela fórmula
CR = [Σ ( NF . CH )]/ 10 . Σ CH,
levando-se
em
consideração
todas
as
disciplinas/unidades curriculares cursadas.
Onde:
NF = nota final na disciplina/unidade curricular, expressa
de 0,0 a 10,0;
CH = carga horária total da disciplina/unidade curricular.
DESLIGAMENTO DO CURSO
Art. 20 - O desligamento do aluno do curso ocorrerá:
I. por transferência para outra instituição de ensino;
II. por expressa manifestação de vontade do aluno;
III. se o aluno não obtiver aprovação em pelo menos uma
disciplina do primeiro período;
IV. se o aluno não efetuar sua matrícula no curso, no período
estabelecido nas instruções de matrícula, em qualquer
período letivo;
V. se for ultrapassado o prazo de 04 (quatro) semestres letivos
de trancamento de matrícula, para os cursos semestrais, e
02 (dois) anos para os cursos anuais em andamento;
VI. por ato administrativo decorrente de motivos disciplinares;
VII. por ato administrativo decorrente de processo de
jubilamento.
MATRÍCULA
Art. 13 - A matrícula será feita por disciplina/unidade curricular, a
cada período letivo, observadas as exigências de pré-requisitos e a
compatibilidade de horários, devendo ser efetuada, pelo aluno, nos
prazos estabelecidos nas instruções de matrícula.
Art. 15 - É obrigatório o requerimento de matrícula em pelo menos
uma disciplina/unidade curricular em dependência que, dentro do
currículo do curso, esteja situada a três ou mais períodos anteriores
ao do período do aluno, respeitados os pré-requisitos.
Para efeito de matrícula, define-se como período do aluno aquele até o
qual a soma da carga horária semanal de disciplinas/unidades curriculares
em dependência totalize 16 aulas ou mais, excetuando-se Estágio Curricular
Obrigatório e Atividades Complementares(art. 13, § 4º).
Falta em dia de Avaliação
Art. 36 - No caso do aluno perder alguma avaliação
presencial e escrita, por motivo de doença ou força
maior, poderá requerer uma única segunda
chamada por avaliação, no período letivo.
§ 1º - O requerimento, com documentação
comprobatória, deverá ser protocolado no
Departamento de Registros Acadêmicos (DERAC)
até 5 (cinco) dias após a realização da avaliação.
ATIVIDADES ACADÊMICAS
Diretrizes dos cursos da UTFPR (art. 10)
Atividade Teórica (AT) – São as atividades utilizadas
para a exposição teórica de conteúdos, realizadas com a
presença de docentes e discentes.
•
Atividade Prática (AP) – São as atividades utilizadas
para o desenvolvimento prático de conteúdos, realizadas
com a presença de docentes e discentes. São
consideradas atividades práticas: as atividades de
laboratório, desenvolvimento de projetos, estudos de
caso, visitas técnicas, levantamentos em campo,
produção de textos dentre outras.
•
ATIVIDADES ACADÊMICAS
• Atividade Prática Supervisionada (APS) – São as atividades desenvolvidas
sob a orientação e supervisão de docentes e realizadas pelos discentes, em
horários diferentes daqueles destinados às atividades presenciais.
• Atividade à Distância (AD) – São as atividades realizadas nas disciplinas
semi-presenciais utilizando, obrigatoriamente, tecnologias de informação e
comunicação como ferramentas de apoio ao processo de ensino
aprendizagem.
• Atividade Prática como Componente Curricular (APCC) – São atividades a
serem desenvolvidas com ênfase nos procedimentos de observação e
reflexão, visando à atuação em situações contextualizadas, com o registro
dessas observações realizadas e a resolução de situações-problema
vivenciadas ao longo dos Cursos de Licenciatura.
Atividade Curricular Complementar
(art. 2º) - As Atividades Complementares têm por objetivo enriquecer o
processo de ensino-aprendizagem, privilegiando:
I. atividades de complementação da formação social, humana e cultural;
II. atividades de cunho comunitário e de interesse coletivo;
III. atividades de iniciação científica, tecnológica e de formação
profissional.
(art. 8º) - O aluno deverá protocolar junto ao professor responsável a
entrega da documentação comprobatória para avaliação em Atividades
Complementares, no momento que julgar ter os pontos necessários para
avaliação.
§1º - A documentação comprobatória deverá ser entregue até a data limite
prevista em Calendário Acadêmico.
§2º - Caso o aluno complete o número mínimo de pontos exigido para
aprovação em Atividades Complementares, a matrícula será realizada,
sendo o aluno considerado aprovado.
Atividade Curricular Complementar
§3º - Caso o aluno não complete o número mínimo de pontos exigido
para aprovação em Atividades Complementares, a matrícula não será
realizada.
§4º - Caso o aluno tenha como único requisito faltante para conclusão
do curso as Atividades Complementares e não complete o número
mínimo de pontos exigido para aprovação, a matrícula será realizada
e o aluno será considerado reprovado.
• Leia atentamente o Regulamento das Atividades Complementares
dos Cursos de Graduação da UTFPR e a tabela de pontuação da ACC
para o curso de Licenciatura em Matemática do Câmpus Curitiba,
disponível na página do curso;
• Esclarecimentos e orientações podem ser obtidos junto ao
professor responsável pelas Atividades Complementares do Curso.
ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL
NUAPE - Núcleo de Acompanhamento Psicopedagógico e Assistência Estudantil:
- propor e coordenar os programas de apoio
psicopedagógico e os programas institucionais de apoio
ao estudante;
- prestar
atendimento
médico-odontológico
aos
discentes;
- propor e coordenar ações de educação inclusiva;
- prestar atendimento aos discentes com necessidades
educacionais especiais;
- responsáveis pelo Programa de Bolsa-Permanência ao
Estudante da UTFPR.
Projetos e atividades em
desenvolvimento
 Semana Acadêmica
 PIBID
 PIBIC
 PLI
 Jovens Talentos
 PICME
 OBM
 Monitoria
 Estágio não obrigatório
 Projetos de pesquisas em agências de fomento
Referências Bibliográficas
 PROJETO DE ABERTURA DO CURSO DE LICENCIATURA EM
MATEMÁTICA, 2010.
 REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS
CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR, 2013.
 DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA
UTFPR, 2012.
BONS ESTUDOS e
SUCESSO!!!

similar documents