Tema : GESTAÇÃO DE PROVETA

Report
Alunas: Beatriz Alves de Menezes
Beatriz Guedes de Carvalho
Deborah Leal Santos
Déborah Cecília T. C. de Brito
Káren Myllena S. C. Gonçalves
Letícia Guedes
Professor: Ribamar Ferreira
Disciplina: Sociologia
Ano : 2° “C”
Temática : GESTAÇÃO DE PROVETA
O que é o “bebê de proveta”?
Vida proveniente de uma inseminação artificial
ou fertilização in vitro. O procedimento baseia-se na
aspiração de óvulos com uma agulha por via vaginal,
orientada por ultrassom e com duração de
aproximadamente 10 minutos. Para a coleta, a mulher
recebe dosagens de hormônios para estimular e
aumentar a normal ovulação, aumentando
consequentemente as chances de fertilização. Óvulos
maduros e espermatozoides em tamanho e qualidade
adequados são mantidos em uma incubadora, que
simula as condições do corpo feminino. Por meio de
um microscópio, o embriologista fecunda o óvulo e
coloca-o no útero.
Liberdade feminina?
A mulher antes resignada ao âmbito familiar e doméstico
vê na fertilização artificial, uma chance de aderir maior
independência em relação ao homem. Através da
inseminação artificial heteróloga, no caso da produção
independente, a mulher que quer ter filhos vai ao banco de
sêmen, para engravidar.
Vista no passado, única e exclusivamente, no papel de
esposa e mãe, a mulher dependia do homem para gerar
sua descendência. Além de aderir sua autonomia política,
por exemplo, a mulher consegue também independência
no âmbito familiar. Eis que a tradição foi quebrada e a
mulher não mais necessita de uma relação sexual e
conjugal para gerar descendência, o que diminui a
influência masculina.
Revolução para a medicina
contemporânea
O método de fertilização “in vitro” veio trazer
novas oportunidades aos casais inférteis,
abrindo uma nova era no tratamento da
infertilidade. Atualmente este método é
utilizado, em diversas situações como no caso
das trompas de Falópio, ou em caso de
espermatozoides deficientes ou em número
reduzido.
Revolução para o mundo moderno
Eis que a fertilização artificial veio trazer
oportunidade de descendência para casais
homossexuais. O que é um suspiro de
esperança, tendo em vista que o processo de
adoção para a causa homoafetiva é
complicado e difícil – enquanto se avança na
medicina, alguns estereótipos e preconceitos
continuam estagnados.
O que a Religião diz a respeito da
inseminação artificial?
O direito e a religião atuam juntos e divergem entre si, simultaneamente.
O conflito existe principalmente entre temas atuais, na qual a tendência do
direito é evoluir, quebrar e respirar os ares longe das normas estipuladas
pela sociedade conservadora.
A Igreja Católica não admite a inseminação artificial. Esta diz que as
inseminações artificiais heterólogas lesam o direito de a criança nascer de
um pai de mãe pelo casamento e isso é um tipo de desonestidade.
Sobre a inseminação artificial homóloga, a Igreja Católica é mais branda,
mas continua sendo moralmente inaceitáveis, porque não há o ato sexual
entre os procriadores. Há, subjetivamente, uma tranferência do poder de
Deus, para as mãos do médicos ou biólogos.
A igreja adventista, por sua vez, é a favor da inseminação artificial no caso
de dificuldades, entre o casal, para conceber o filho. Mas, se tratando da
inseminação heteróloga, como no caso da produção independente, a
Igreja Adventista não é a favor, sob a justificativa que tal ato foge dos
planos de Deus.
Riscos da Fertilização In Vitro
A gravidez ectópica é algo que pode colocar a vida da mulher em risco,
pois como o embrião é fecundado fora do útero e depois transferido
de volta, existe uma pequena chance de que ele se desenvolva fora do
útero. Para reduzir as chances desse tipo de gestação, o embrião
normalmente é colocado a 1 centímetro do fundo do útero.
Como mais de um embrião é transferido, há um risco de gravidez
gemelar que varia de 25 a 30% em mulheres abaixo de 35 anos. Esse
tipo de gestação é considerada de risco pois normalmente acarreta em
parto prematuro, perigosos para a mãe e para o feto.
Por haver estimulação dos ovários, pode ocorrer a Síndrome da
Hiperestimulação do Ovário (SHO). Nela há uma maior produção do
hormônio estradiol, que pode acarretar em trombose depois que a
mulher engravida e aumentar o inchaço do corpo.
A hora certa
Mulheres com idade avançada também
procuram alternativas como a inseminação.
Contudo, recomenda-se que essa procura não
seja muito tardia, pois quanto mais cedo se
iniciarem os procedimentos, maiores as chances
de engravidar. Essa possibilidade se justifica da
seguinte forma: quanto mais jovem, maior a
quantidade e a qualidade do óvulo feminino.
O primeiro bebê de proveta
No dia 25 de julho de 2013, a britânica Louise Joy Brown completa 35 anos.
Sua data de nascimento é um marco na história da Humanidade: Louise é o
primeiro bebê de proveta do mundo. Nasceu por intermédio do método
criado pelo cientista Robert Geoffrey Edwards. Pela descoberta, Edwards
ganhou o Nobel de Medicina. Louise veio ao mundo numa cesariana, no
Hospital Geral de Oldham, em Greater Manchester, na Inglaterra, em 1978.
Nasceu com pouco mais de 2,5 quilos, para alegria dos pais, Lesley e John,
que tentavam ter um filho havia nove anos. Seu parto foi filmado - coisa rara
na época - para que as gerações futuras tivessem uma lembrança do primeiro
bebê de proveta. Após o nascimento de Louise, seus pais ainda tentariam
mais uma fertilização in vitro. Nasceu Natalie, que, anos depois, iria se tornar
a primeira pessoa nascida de proveta a gerar um filho - e pelo método
tradicional.
A polêmica dos bebês de proveta
Em seus 35 anos, Louise se sente "orgulhosa" de ter a distinção de ser a primeira bebê conseguida por
inseminação artificial e afirma que desde os quatro anos - quando soube que era uma filha de proveta - se sente
contente de que seus pais tenham recorrido a este métodos para gerá-la . Entretanto, o caso de Louise não se repete
com freqüência entre os filhos de proveta, que costumam enfrentar um autêntico drama existencial ao saber sobre sua
origem. Um destes é Margaret R. Brown, uma jovem gerada in vitro com a ajuda de um doador anônimo dos Estados
Unidos.
"Tenho um sonho recorrente: me vejo flutuando em no meio da escuridão enquanto giro cada vez mais rápido em
uma região sem nome, fora do tempo, quase não terrenal. Fico angustiada e quero por os pés no chão. Mas não há
nada sobre o que plantar os pés. Este é meu pesadelo: sou uma pessoa gerada por inseminação artificial com esperma
de doador e nunca conhecerei metade de minha identidade". Este é o testemunho com o qual Margaret comoveu ao
mundo a alguns anos atrás.Após conhecer o modo como foi concebida, Margaret decidiu denunciar o trauma de ser
filha de proveta. "Sinto raiva e confusão e me vem milhares de perguntas: De quem são os olhos que tenho? Quem pôs
na cabeça de minha família a idéia de que minhas raízes biológicas não importavam? Não se pode negar a ninguém o
direito de conhecer suas origens biológicas".
É muito provável que o processo de fecundação de Margaret tenha começado igual aos outros, com a seleção do
doador de esperma, que deve cumprir com as usuais características requeridas pelos clientes, ou seja, a cor dos olhos,
a pele o cabelo. Segundo Margaret, de acordo a suas próprias pesquisas, "normalmente são feitas várias provas com
um doador diferente de cada vez, fato que torna praticamente impossível determinar quem é exatamente o pai
biológico, ainda mais quando depois da doação são eliminados os registros". Ao mesmo tempo, obtém-se vários óvulos
da mãe e então realiza-se a fecundação artificial. "Geralmente são realizadas várias inseminações como se fosse uma
espécie de loteria de fecundação para obter melhores resultados", explica Margaret. "a inseminação artificial responde
ao interesse da intimidade dos pais e do médico, em vez do interesse da criança… mas um filho não é uma mercadoria
nem propriedade, é uma pessoa que tem seus próprios direitos“ diz Margaret.
Contraindicações da Fertilização In
Vitro
O uso dos medicamentos para indução de ovulação
é contraindicado para mulheres com em carcinoma
ovariano, uterino ou mamário e tumores do
hipotálamo ou da glândula pituitária.
Onde encontrar o tratamento
Por ser um tratamento que envolve uma equipe
multidisciplinar com ginecologista, urologista e
embriologistas, o ideal é procurar uma clínica ou
hospital de confiança. Para isso, vale receber
indicações de quem já passou pela técnica e
pesquisar sobre os locais de sua escolha.
Bibliografia
• http://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/com-25-quilos-nasceprimeiro-bebe-de-proveta-do-mundo-na-inglaterra-em-1978-8998193
• http://www.acidigital.com/vida/probeta.htm
• http://www.minhavida.com.br/familia/tudo-sobre/16499-fertilizacao-invitro-o-famoso-bebe-de-proveta
• http://inseminacaoartificial.info/mos/view/Indica%C3%A7%C3%B5es_e_cuidados_da_insemi
na%C3%A7%C3%A3o_artificial/

similar documents