DAFO

Report
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Conselho Nacional de Saúde
Universidade Federal de Viçosa
Departamento de Nutrição e Saúde
“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos
caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o
tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado,
para sempre, à margem de nós mesmos.”
Fernando Pessoa
D.A.F.O.
 “Nunca conseguiríamos atingir a plenitude sem a Teoria.
Sobrepor-se-á sempre a prática, por uma simples razão: a prática
é estática. Consegue fazer bem apenas o que se sabe. Não tem,
contudo, nenhum princípio que lhe permita lidar alterações
bruscas em ambientes em constante mutação. A teoria
pressupõe, de modo contínuo, novas combinações e
possibilidades numa perspectiva futura. A teoria fornece uma
clara estrutura; sem ela, a prática reduz-se a uma série de atos
sem sentido, sem propósito ou direção.”
(adaptado de toward a theory of library administration – Alan Samuels and Charles Mclure)
Trabalhando conceitos...
 A análise D.A.F.O. produz uma capacidade de
visualização clara e transparente, tanto externa como
interna de um sistema, de uma organização, de uma
disciplina de uma proposta....Essencialmente, ela
objetiva possibilitar ao gestor (ao coordenador, ao
professor, ao educador....) maximizar os pontos
fortes, minimizar os pontos fracos, tirar proveito das
oportunidades e se proteger das ameaças.
Trabalhando conceitos...
 É importante destacar que esse tipo de
abordagem, isoladamente, não pode
satisfazer todas as necessidades
estratégicas e de ação dos tomadores de
decisão.
Objetivo...
 Propor um método e avaliar o mesmo em
consonância de sua aplicabilidade e simplicidade
no patamar do embasamento para o processo
decisório, tanto estratégico, como de gerência, de
ação ou de tomada de decisões e políticas,
suprindo (ou não) as necessidades dos atores da
situação
(sejam
gestores,
professores,
conselheiros...)
 Então vamos tentar ser simples...
Análise D.A.F.O.:
 Dafo (em inglês SWOT) é uma sigla utilizada nas teorias
administrativas, sendo uma ferramenta analítica que permite
trabalhar com toda a informação atual; sendo útil para examinar as
suas “Debilidades, Ameaças, Forças e Oportunidades.
 Este instrumento ele tem duas partes: a parte interna e a parte
externa.
interno
DAFO
externo
Análise D.A.F.O.:
 A parte interna tem a ver com as forças e as debilidades de sua área (ou
disciplina, ou conteúdo...) aspectos sobre os quais o “docente” , o
gestor, o “ator da situaçao” tem algum grau de controle.
 A parte externa descreve as oportunidades que o cenário atual oferece e
as ameaças que o meio, o momento político-social terá de enfrentar.
interno
desenvolver
ultrapassar
DAFO
explorar
minimizar
externo
Aqui terá que aplicar toda a
sua capacidade (ou do
grupo), bem como a
habilidade para aproveitar
essas oportunidades e para
minimizar ou anular essas
ameaças, circunstâncias os
quais o “gestor” há pouco ou
nenhum controle...
Análise D.A.F.O., Avaliando (utilizar o texto base
como referência):
FORÇAS
 Quais são as forças atuais no cenário da doença celíaca que poderiam ser
apontadas como o diferencial de conduta para diagnóstico e/ou
tratamento que contribuem na promoção da saúde do usuário portador
de DC no sistema de saúde no Brasil?
Ao avaliar as debilidades, que possam
interferir na implementação de NOVAS
AÇÕES no contexto da promoção da
saúde do portador da doença celíaca.
DEBILIDADES (fragilidades)
 Quais são os elementos do cenário atual que você acredita que possam
contribuir negativamente para a promoção da saúde do usuário portador
de DC no sistema de saúde no Brasil??
Análise D.A.F.O., Avaliando:
OPORTUNIDADES
 Quais setores da sociedade poderiam ser favoráveis à implementação de
um programa de assistência ao portador de D.C.?
Aqui terá que aplicar toda a sua capacidade (ou do
grupo), bem como a habilidade para aproveitar essas
oportunidades e para minimizar ou anular essas
ameaças, circunstâncias os quais o “gestor” há pouco
ou nenhum controle...
AMEAÇAS
 Quais setores e outros fatores externos poderiam atrapalhar à
implementação de um programa de assistência ao portador de D.C.?
Exemplo de uma DAFO em comunidade:
 Grupo de estudo: comunidade do litoral nordestino.
Maricultoras do Rio do Fogo.
 Situação problema: conseguiram local para beneficiamento de
algas marinhas (insumo para produtos de pesquisa para
produtos sem glúten), mas perderam por falta de
organização, planejamento e direcionamento prático de sua
ações.
 Resultado da análise DAFO a seguir:
Análise S.W.O.T.:
 Nossas forças(S): recursos humanos, tecnologia inovadora (produtos sem glúten), qualidade na produção;
 Nossas fraquezas (W): empresa desconhecida, conhecimento da tecnologia restrito a uma pessoa, poucas
parcerias, inexperiência em produzir em grandes quantidades;
 Oportunidades (O): a crescente procura de alimentos sem glúten, número elevado de portadores de D.C. e
S.G., aumento da informação pela população a cerca do tema, expansão do uso da internet;
 Ameaças (T): existência de tecnologias similares já patenteadas, legislação rígida em termos de comercialização
de alimentos, empresas concorrentes há mais tempo no mercado (fora da região.
interno
desenvolver
ultrapassar
S.W.O.T.
explorar
minimizar
externo
Aplicaremos esforços:
- atualizar sobre exigências do
mercado e se adequar a elas;
-entrar com o processo de patente
(proteção de propriedade
intelectual);
- pesquisa de mercado;
- investimento na pesquisa e
capacitação de novos
pesquisadores;
- fortalecer as palestras sobre o
glúten (pró-celíaco) para fora
dos muros da UFV.
Que Deus nos de a sabedoria para descobrir
o correto, a vontade para elegê-lo e a força
para fazer que seja duradouro...

similar documents