Outubro - Viver Bem

Report
DICAS PARA UMA VIDA MAIS LEVE
03 de Outubro
Beber água mesmo sem ter sede
A água está para o corpo humano assim como o combustível para o
carro. Isso porque, sem manter os nossos níveis hídricos sempre
abastecidos, todo o organismo sofre. O líquido ajuda a aumentar a
saciedade, evitando compulsões que podem levar ao sobrepeso e
ao aparecimento de diversas doenças, ao mesmo tempo que
mantém a saúde do sistema renal. O baixo consumo de água que
resulta em urina concentrada e na maior precipitação de cristais,
justamente o que leva à formação das pedras nos rins
Levantar peso
A ideia não é apenas ficar forte. Um dos principais
benefícios é o aumento da densidade óssea, auxiliando
na prevenção da osteoporose e na reversão da sarcopenia
(diminuição no número de sarcômero, a unidade do músculo
esquelético). Isso evita a incapacidade funcional, muito comum
em idades avançadas
Respirar com consciência
Quando estiver precisando relaxar ou desacelerar seu ritmo, faça a respiração completa. "Inspire calmamente o ar pelo
nariz, contando três segundos. Então, bloqueie a respiração por um tempo, retendo o ar, e expire pela boca em seis
segundos. Assim, você estará atuando diretamente sobre o sistema nervoso autônomo", ensina o educador físico
Estélio Dantas, professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.
Cinco minutos de atividades ao ar livre melhoram
o humor e a autoestima
10 de Outubro
Estudo da Universidade de Essex, na Inglaterra, mostrou que passar pelo menos cinco
minutos em uma área verde, como um parque, fazendo exercícios, pode ser suficiente
para melhorar a saúde mental. A pesquisa constatou que praticantes de atividades físicas
ao ar livre apresentaram rápidas melhoras no humor e na autoestima. Há muito tempo, a
atividade física é defendida por especialistas como uma das formas de prevenir e
combater o estresse em médio e longo prazo. Os pesquisadores analisaram atividades
distintas, como caminhada, ciclismo, pesca, jardinagem, cavalgada e remo, em lugares
como parques, jardins, fazendas e reservas naturais. Ainda segundo a pesquisa, o maior
impacto ocorre entre as pessoas mais jovens. Os pesquisadores observaram que o efeito
era ainda maior se o local do exercício também tivesse água, como um lago ou um rio.
Para Jules Pretty, um dos autores do estudo, pessoas geralmente sedentárias,
estressadas, deprimidas ou com problemas de saúde mental seriam as mais beneficiadas
por atividades ao ar livre. De acordo com os cientistas, o maior efeito sobre o bem-estar
mental surgia em apenas cinco minutos. Com o passar do tempo, os efeitos positivos
continuavam aparentes, mas tinham menor magnitude.
Fonte: saudeplena.com.br
Vá para bem longe dos mitos da corrida
17 de Outubro
A prática da corrida é envolvida por muitos mitos, passados de atleta para atleta,
ao longo dos anos. Dentre eles, vários possuem algum fundamento científico,
sendo outros pura fantasia. Independentemente do grau de inconsistência das
más orientações é preciso cuidado com as orientações de leigos no assunto para
evitar lesões ou perder o seu tempo em atividades mal direcionadas ao seu
objetivo. A dica de saúde de hoje esclarece abaixo as principais proposições
equivocadas sobre a prática da corrida. Acompanhe e fuja dos seguintes mitos:
Ausência de dor na corrida é sempre sinal de saúde
O melhor exemplo são as mortes súbitas. De um modo geral a frase é verdadeira, mas a possibilidade da predisposição
a determinadas doenças requer a visita a um médico antes de iniciar as atividades.
Um dos maiores inimigos do corredor é o impacto repetitivo da corrida
O impacto em si não é o problema; tênis inadequado ou piso irregular é o que farão da repetição dos impactos um
potencializador de problemas.
Correr carregando pesos nas mãos ajuda a condicionar
Cada coisa na sua vez. Não corra levando pesos. Os pesos desequilibram o corpo forçando a corrida em uma postura
que não é a mais adequada ao movimento exercido na corrida.
Correr em jejum ajuda a emagrecer
O costume é contra-indicado por comprometer a saúde de um modo geral. O corredor em jejum está em débito
energético, que comprometerá a qualidade de seu treino.
Correr em jejum ajuda a emagrecer
O costume é contra-indicado por comprometer a saúde de um modo geral. O corredor em jejum está em débito
energético, que comprometerá a qualidade de seu treino.
Fonte: saudeplena.com.br
Musculação: fortalece ossos e músculos
evita a osteoporose
24 de Outubro
A osteoporose é uma doença de caráter degenerativo cujas principais características são a presença de
uma massa óssea baixa e a deterioração do tecido ósseo, resultando em maior fragilidade dos ossos e,
consequentemente, maiores riscos de deformações e fraturas. A principal causa é a perda mineral
óssea, ocasionada principalmente pelo processo de envelhecimento e pela inatividade física. O maior
problema associado à doença é a complicação decorrente de fraturas. Elas acometem principalmente a
coluna e a bacia de uma população idosa, levando à imobilidade e muita dor – com enormes
consequências para a qualidade de vida destas pessoas e, inclusive, complicações médicas mais sérias
decorrentes da imobilização prolongada. Os médicos indicam que, além de evitar o fumo e o uso
excessivo de bebidas alcoólicas ao longo da vida, o bom suprimento de Vitamina D e Cálcio aliado à
atividade física contribui muito na prevenção. Nesse último quesito, a musculação assume papel de
excelência, pois aumenta a força do músculo exercitado e também do osso. O osso submetido a cargas
por meio de exercícios físicos ganha estímulo a sua modelação e se fortalece.
Outro fator interessante da musculação enquanto estratégia de prevenção está associado à força
muscular. Mulheres após a menopausa e homens na terceira idade desenvolvem normalmente uma
rápida perda de massa muscular (conhecida como sarcopenia). Relacionada à idade, a sarcopenia é um
dos principais fatores que levam a distúrbios de marcha nos idosos e facilitam assim as quedas
frequentes que causam as fraturas. A musculação, além de aumentar a densidade do osso, atua também
melhorando a força muscular e, consequentemente, diminuindo o risco de fraturas.
Fonte: saudeplena.com.br
31 de Outubro
Resistência muscular localizada previne dores nas costas
De acordo com estatísticas das autoridades de saúde, cerca de 80% das pessoas já tiveram ou terão
dores nas costas, o que mostra que o problema é para lá de abrangente. Mesmo os praticantes
assíduos de atividade física, em nível profissional ou amador, não escapam dessa estatística. Em
muitos casos, as dores são passageiras e vão embora com o auxílio de analgésicos, mas segundo o
Ministério da Saúde, cerca de cinco milhões de brasileiros acabam procurando médicos para tratar a
dor nas costas, sentidas por períodos mais extensos. Nesses casos, uma atenção maior ao
funcionamento do corpo e alterações nos hábitos de postura são as únicas maneiras de aliviar o
desconforto. Especialistas defendem que, quanto mais resistentes os músculos, mais protegidos
ficamos do incômodo das dores. Por isso, muitos fisioterapeutas pedem para que os indivíduos que
precisam proteger as costas trabalhem os músculos do tronco (abdominais e eretores da espinha). Isso
foi observado em uma pesquisa que acompanhou os moradores da cidade de Copenhagen
(Dinamarca) por um ano concluiu, que resistência e não força foi o fator que aparentemente preveniu
o aparecimento de dores nas costas. E neste caso, é importante ponderar as diferenças entre
resistência e força na prevenção. O que vale a pena, de acordo com os resultados deste estudo, é
investir em mais repetições e menos carga (peso) para os exercícios nos músculos do tronco, já que a
fadiga muscular, comum nos grandes esforços, diminui a proteção contra as dores.
Fonte: saudeplena.com.br

similar documents