Revolução Russa

Report
Rússia pré-Revolucionária
No século XIX a Rússia era atrasada em relação às
potências européias. A sua economia baseava-se na
produção agrícola.
Absolutismo
Regime Czarista
Criação do PSD
Proposta de mudanças
Guerra RussoJaponesa
Domingo Sangrento
FIM SÉC XIX - 20 MILHÕES DE
QUILÔMETROS QUADRADOS E MAIS
DE CEM MILHÕES DE HABITANTES,
SENDO SUA PRINCIPAL
CARACTERÍSTICA O GRANDE ATRASO
ECONÔMICO EM RELAÇÃO AOS PAÍSES
A EUROPA OCIDENTAL. ENQUANTO
INGLATERRA, FRANÇA E ALEMANHA
PASSAVAM POR UM PROCESSO
ACELERADO DE DESENVOLVIMENTO
URBANO-INDUSTRIAL, EVOLUÍAM
PARA REGIMES CONSTITUCIONALPARLAMENTARES E REALIZAVAM UM
ENORME AVANÇO TÉCNICOCIENTÍFICO, A RÚSSIA PERMANECIA
NO ATRASO ECONÔMICO, SOCIAL,
POLÍTICO E CULTURAL.
DESIGUALDADE
SOCIAL:
80%
da
população vivia no campo, 90% não sabia
ler
e
escrever.
Os
camponeses
trabalhavam como se fossem animais de
carga e viviam esfarrapados e famintos, o
povo era humilhado e maltratado.
Os nobres viviam no luxo e riqueza
vivendo da fartura e do desperdício com
festas, banquetes e roupas luxuosas.
País predominantemente agrário e
semifeudal, a aristocracia rural e o
clero ortodoxo detinham o controle da
propriedade da terra.
Ocidente
liberais
europeu:
regimes
Rússia:
absolutismo,
império
autocrático,
governado pelo
Czar Nicolau II
Nicolau recusava conceder a
seus súditos um governo
constitucional e parlamentar.
Partidos
políticos: proibidos
censura à imprensa e qualquer
rebeldia contra o governo era
duramente reprimida, podendo
o rebelde ser exilado na Sibéria.
Os COSSACOS - polícia czarista reprimia duramente
qualquer
ato contra o governo czarista
de Nicolau II.
CZAR NICOLAU II
Inspirados nas idéias socialistas, surgiram no país
vários partidos clandestinos de oposição à autocracia
czarista. O principal partido de oposição era o PARTIDO
SOCIAL DEMOCRATA, baseado no socialismo marxista (Karl
Marx). Em 1903 esse partido dividiu-se em duas facções: os
BOLCHEVIQUES e os MENCHEVIQUES.
*Mencheviques: (minoria)- eram
liderados
por
Martov,
esses
revolucionários defendiam a aliança
com a burguesia e a passagem
gradual ao socialismo através de um
lento processo de reformas políticas.
*Bolcheviques:(maioria)- liderados
por Lênin, eram revolucionários e
defendiam
a
instauração
do
socialismo na Rússia com base numa
aliança entre os camponeses e os
operários.
Fim do século XIX foi marcado
pela
expansão
colonial
e
imperialista
das
grandes
potências, com vistas à divisão
do mercado mundial em áreas
de influência. Também a Rússia
expandiu-se, mas em direção
ao Oriente, acabando por se
chocar com
o imperialismo
japonês na Manchúria e na
Coréia (região do Extremo
Oriente).
Essa rivalidade acabou por
provocar em 1904 a eclosão da
guerra
Russo-Japonesa.
O
Japão
obteve
esmagadora
vitória
sobre
a
Rússia
aumentando ainda mais as
dificuldades do povo russo.
Em janeiro de 1905, em Petrogrado, uma passeata
pacífica liderada por um padre, culminou no massacre
dos manifestantes pelo exército do Czar. Nesse
episódio, conhecido como “Domingo sangrento”, mais
de mil pessoas foram massacradas, tornou-se o
estopim para o início da revolução, chamada
posteriormente por Lênin de Ensaio Geral. O país foi
abalado por uma série de greves e revoltas.
Os
SOVIETES
(conselhos
de
operários,
camponeses e soldados) encabeçam a luta contra
o czarismo.
O Czar, pego de surpresa, foi obrigado a fazer
algumas concessões. Em 1906
reuniu-se a
DUMA (parlamento russo) controlada
pela
burguesia liberal e pelos grandes proprietários,
com
o
objetivo
de
elaborar
uma
constituição para o país. Porém em 1907 o
czar
Nicolau II, fortalecido
com
o
apoio
estrangeiro
e
pelo retorno das tropas que
estavam
no Oriente, desencadeou a contrarevolução, dissolvendo os sovietes e prendendo e
exilando
os
membros da oposição.
As
concessões liberais foram suprimidas e a Duma,
embora conservada, passou a ter uma existência
meramente simbólica.
1) Desorganização da economia
2) Penúria, fome, racionamento
3) Saques,
passeatas
protestos contra o Czar
e
Os desastres militares,
aliados
à crise econômica e financeira
que atingiu o país, aceleraram
o declínio da autocracia russa.
A política de Nicolau II ao
querer
dar
continuidade
à
guerra acelerou o início da
revolução e provocou a QUEDA
DO CZARISMO.
MENCHEVIQUES  responsáveis pela Revolução
de Fevereiro (1917)
O QUE FIZERAM  Derrubaram o regime czarista
através de uma greve geral e uma insurreição de
massas, com operários criando conselhos (os
sovietes) junto com os soldados, formados por
camponeses mobilizados para a guerra. Contudo,
não realizaram a reforma agrária.
O QUE NÃO FIZERAM
 Reforma agrária:
essencial para o
país, e não tiraram a
Rússia da guerra
devido às alianças
com a socialdemocracia
européia.
A REVOLUÇÃO DE OUTUBRO (1917)  tomada do
poder pelos bolcheviques  poder nas mãos dos
trabalhadores.
Objetivos:
 Implantar a pequena propriedade privada e não a
propriedade social;
 O setor social era composto basicamente por
operários urbanos interessados em destruir o
czarismo como regime político e as relações feudais
no campo;
 Construir a socialização da economia;
 A construção de um Estado socialista.
Quando se iniciou a sessão inaugural de um congresso de sovietes,
Lênin subiu a tribuna e falou: “O exercício de todo o poder é
transferido aos sovietes de deputados, operários, camponeses e
soldados. Passemos agora à construção da nova ordem socialista.”
Foi organizado em seguida um novo governo, o CONSELHO DOS
COMISSÁRIOS DO POVO, presidido por Lênin, que decretou a
reforma agrária e a estatização dos bancos e das fábricas, assim
como estabeleceu um armistício com a Alemanha.
Logo depois uma guerra civil
eclodia no país entre o Exército
Branco (formado pelos setores
interessados na restauração do
Antigo Regime e comandado por
militares ligados ao czarismo) e o
exército vermelho (organizado por
Trótski para lutar pela
conservação da nova ordem
socialista. Durante
a guerra
civil contra o Exército Branco foi
implantado na Rússia o
Comunismo de Guerra.
Finalmente em 1921 a
guerra civil chegava ao fim com a
vitória do Exército Vermelho sobre
o Branco, um saldo de nove
milhões de mortos e o completo
cerco da Rússia Soviética pelos
países capitalistas
AO FIM DA GUERRA CIVIL O PAÍS ESTAVA
TODO DEVASTADO E PARA PROMOVER A
RECONSTRUÇÃO ECONÔMICA DO PAÍS, LÊNIN
CONCEBEU A NOVA POLÍTICA ECONÔMICA (NEP),
DEFINIDA POR ELE COMO “UM PASSO ATRÁS
PARA DAR DOIS PASSOS À FRENTE”.
Cartaz de um filme soviético do tempo em
que o governo apoiava a arte moderna.
A NEP CONSISTIU NA RESTAURAÇÃO
PARCIAL DA ECONOMIA DE MERCADO
COM A ADOÇÃO DE ALGUMAS MEDIDAS
TÍPICAS DO CAPITALISMO. ASSIM, FORAM
SUPRIMIDAS AS REQUISIÇÕES AGRÍCOLAS
FORÇADAS,
DESNACIONALIZADAS
AS
FÁBRICAS
COM
MENOS
DE
VINTE
TRABALHADORES,
RESTABELECIDA
A
ESCALA DE SALÁRIOS, PERMITIDO O
COMÉRCIO INTERNO E INCENTIVADA A
ENTRADA DE CAPITAIS EXTERNOS NO
PAÍS.
Em 1924 a morte de Lênin desencadeou uma luta
pelo poder entre Trótski (comissário do povo para a
guerra) e Stálin (secretário Geral do Partido). Trótski
defendia a tese da revolução permanente e Stálin
defendia a tese do socialismo num só país. Stálin
saiu vitorioso, Trótski foi expulso do partido e exilado.
Leon Trótsky foi um intelectual e se opôs
a Stálin e a burocratização do Estado
socialista.
Joseph Stálin, seus inimigos o consideravam
traiçoeiro, mas ele teve o apoio popular.
A ascensão de Stálin assinalou o início
de uma nova política econômica, baseada
no abandono da NEP e na adoção dos
planos
qüinqüenais
que
visavam
à
criação
da
indústria
pesada
e
a
coletivização da agricultura. O êxito
alcançado com os planos contribuiu para
a vitória da URSS sobre o nazismo na
Segunda Guerra Mundial.
3

similar documents