Slide 1 - Unisul

Report
O que é o POC?
• É um programa institucional que atende
acadêmicos das diversas fases dos cursos de
graduação da Unisul, bem como estudantes
de Ensino Médio da região, nas questões de
Planejamento de Carreira e Orientação
Profissional.
Como são realizadas estas atividades
do POC?
• De uma forma mais ampla, o POC trabalha com
palestras e workshops que discutem questões
ligadas à vida profissional.
• Estas são atividades direcionados aos graduandos
da Unisul, voltadas ao Planejamento de Carreira.
• De uma forma mais específica, são realizados
atendimentos individuais e grupais na própria
universidade, para aprofundar as discussões
tanto para um Planejamento de Carreira quanto
para a Orientação Profissional.
A Fase Adulta
• Para efeitos jurídicos, a idade adulta inicia aos
18 anos.
• Para os teóricos da Psicologia, essa faixa pode
variar. Por convenção, entende-se:
– Adulto Jovem (ou Jovem Adulto): Dos 18 aos 39
anos;
– Adulto Médio ou Meia-idade: dos 40 aos 59 anos;
– Adulto Idoso ou Terceira Idade: A partir dos 60
anos.
O Adulto Jovem
TAREFAS EVOLUTIVAS: tipo de aprendizagem,
ou ajustamento, que deve ocorrer em
determinada fase do indivíduo, ou da vida
humana. Quando a aprendizagem ocorre, os
ajustamentos nas fases subsequentes realiza
de modo mais satisfatório. Quando a
aprendizagem não ocorre, esse ajustamento
se torna mais difícil, e pode deixar de ocorrer.
O Adulto Jovem: Tarefas Evolutivas
• Separação psicológica dos pais – terceira individuaçãoseparação;
• Fenômeno de independência emocional (e, muitas vezes,
sócio-econômica) em relação aos pais;
• Postura de maior auto-suficiência no mundo adulto
• Estabelecimento e manutenção de amizades adultas;
• Desenvolvimento da capacidade de viver intimamente com
alguém (afetiva e sexualmente);
• Formação de uma família própria;
O Adulto Jovem – Tarefas Evolutivas
•
•
•
•
Assunção da parentalidade - tornar-se pai e mãe
Inserção no mundo do trabalho
Formação de uma identidade profissional adulta;
Transcendência da moralidade convencional do contrato social, em
decorrência de uma conquista cognitiva (pensamento relativista);
• Tomada de consciência da limitação do tempo e da morte pessoal,
de forma integrada.
O Adulto Jovem - DESENVOLVIMENTO
SOCIAL E DO TRABALHO
• Trabalho para o Adulto Jovem: Fonte de contato social, meio de
sobrevivência, acontecimento social construtor de identidade,
papel sublimatório e obtenção de prazer.
• Encontrar um lugar gratificante no mundo do trabalho
• Tempo dos primeiros empregos e de ganhar dinheiro.
• Nível mais baixo de comprometimento, maior inclinação a mudar
de emprego; posicionamento mais crítico em relação ao emprego.
• Conflito trabalho-família.
• Stress ocupacional
• Economia formal e economia informal
• Empregabilidade
• Desemprego
Carreira
• Segundo Dutra (2002), a carreira está ligada às
organizações, sendo um trabalho de ajuda aos
sujeitos para avaliarem o seu potencial e
traduzi-lo em escolhas futuras.
• Conforme Soares e Lisboa, “é a continuidade
da vida do indivíduo no trabalho para produzir
algo; pode ser a sequência do envolvimento
deste nas experiências de trabalho ao longo
da vida” (2000, p. 36).
Trabalho e Empregabilidade
• O termo empregabilidade foi criado por José
Augusto Minarelli, no fim dos anos 90.
• Remete à capacidade de um profissional estar
empregado, mas muito mais do que isso, à
capacidade do profissional de ter a sua carreira
protegida dos riscos inerentes ao Mercado de
Trabalho.
• José Augusto Minarelli estabelece, o que ele
chama de seis pilares da empregabilidade, que
garantem a segurança profissional do indivíduo.
Pilares da Empregabilidade
1. Adequação da profissão à vocação
• Uma vez que para tornar-se um bom profissional e um ser humano
realizado, o indivíduo deve conciliar a sua função com a capacidade
e paixão pelo que faz.
2. Competências
• preparo técnico;
• capacidade de liderar pessoas;
• habilidade política;
• habilidade de comunicação oral e escrita em pelo menos dois
idiomas;
• habilidade em marketing;
• habilidade de vendas;
• capacidade de utilização dos recursos tecnológicos
Pilares da Empregabilidade
3. Idoneidade
• A idoneidade implica confiança de parte a parte e entre outros
fatores, podem-se considerar:
• ética;
• conduta;
• correção;
• respeito.
• responsabilidade
4. Saúde física e mental
• Cuidar do equilíbrio, do desgaste exagerado, cuidar do corpo,
pessoas saudáveis tem bons relacionamentos e interage de maneira
favorável, evitar vícios como fumo, álcool e drogas. Manter sua
autoestima e sua capacidade de realizar projetos.
Pilares da Empregabilidade
5. Reserva financeira e fontes alternativas de aquisição de renda
• A perda do emprego significa a perda da entrada de receita. Você
deve fazer uma reserva mês a mês; a reserva é uma defesa, uma
garantia que o sustenta. O projeto profissional deve ocorrer
paralelamente. Seu negócio próprio de qualquer dimensão,
também pode ser uma fonte alternativa de renda.
• Relacionamentos
• Quem conhece pessoas, adquire informações importantes e
relevantes, uma pessoa cuidadosa registra seus relacionamentos.
Guarda e cuida deles, retorna as ligações, que podem ser
oportunidades de trabalho. Em termos profissionais é muito
importante ter uma networking, uma forma de se manter
conectado a sua rede de relacionamentos. Mantenha contato com
essas pessoas.
Instruções gerais para a palestra
• Tempo total da palestra: de 40 a 50 minutos.
• Reservar os primeiros 05 minutos para:
– Apresentar a equipe para os participantes da palestra –
nomes, cursos, semestres – se possível usar um crachá.
– Explicar que a atividade a ser desenvolvida com o grupo
faz parte do PRODEL e explicar rapidamente este
programa.
– Informar sobre o tema e os objetivos da palestra.
– Informar que ao final da palestra os participantes deverão
preencher o Questionário de Aplicação – de forma
anônima – como requisito da Universidade para avaliar a
palestra e confirmar a sua realização.
Instruções gerais para a palestra
• Reservar os 10 últimos minutos para:
– o fechamento assunto e o esclarecimento de dúvidas;
– aplicação do Questionário;
– Registro fotográfico.
• Tempo para desenvolver o assunto: de 30 a 40
minutos.
• Número mínimo de participantes da palestra: 20
pessoas.
• Locais possíveis: Escolas ou Empresas.
Instruções gerais para a palestra
• Tópicos a serem abordados:
– Opções para a qualificação após o Ensino Médio:
cursos nos diversos níveis.
– Formas de ingressar em cada um dos níveis dos cursos
– processos seletivos;
– Programas de incentivo do governo para o ingresso e
permanência no Ensino Técnico e Superior;
– A importância da reflexão sobre si mesmo e seu
projeto de vida;
– Mercado de trabalho e perfil profissional;
– Carreira e Empregabilidade.
Bibliografia:
• PAPÁLIA, D. E. Desenvolvimento Humano.
Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.
• EIZIRIK, C. L.; KAPCZINSKI, F.; BASSOLS, A M. S.
O ciclo da vida humana: uma perspectiva
psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed Editora,
2001.
Roteiro para a palestra
• Equipe: Nome, Curso, semestre e contato (e-mail)
dos participantes.
• Locais possíveis para a realização da palestra:
• Datas previstas/pretendidas para a palestra:
• Metodologia: Descrição detalhada da palestra
– Sequência dos assuntos:
– Divisão dos assuntos entre os membros:
– Material de apoio utilizado:

similar documents