SEFAZ - SEFANET

Report
1
Operações de Câmbio
Siegfried August – FX Trader
[email protected]
(11) 3012-6422
2
Proposta da Apresentação
•
Apresentar o Santander enquanto um dos principais bancos do mercado de câmbio
brasileiro.
•
Esclarecer a dinâmica das transferências Internacionais.
•
Demonstrar como o Santander pode agregar valor nessas transações.
•
Quebrar paradigmas e costumes de mercado.
•
Estimular a concorrência saudável de mercado para a SEFAZ.
•
Agregar valor no relacionamento bancário.
2
3
Transferências
Internacionais
4
Entrada de Moeda
Estrangeira
5
Câmbio Banco Santander – Entrada de Recursos
Banco
A
Banc
o
C
Banco
B
USD
SEFAZ
USD
USD
Exterior
Brasil
R
$
Transferência
R$
Conversão
Serviço Bancário
Mercado de câmbio proporciona oportunidades
Estimular a Competição
Expertise na tratativa documental e operacional das transações
SEFAZ
6
Entrada de Recursos
1. SEFAZ fecha acordo de empréstimo com algum banco de fomento no exterior.
2. Nesse momento a SEFAZ tem um ativo a receber em moeda estrangeira. (Exposição)
3. SEFAZ será a beneficiaria de uma ordem de pagamento recebida no exterior. (Custódia
em conta de relacionamento local no exterior)
4. È necessário transferir os recursos em Moeda Estrangeira (M.E) para a SEFAZ no Brasil.
5. Contrata - se uma operação de câmbio para que a transferência em R$ seja feita.
(Conversão de M.E para R$).
6.
O Santander deseja prover o serviço de câmbio, oferecendo excelência em atendimento,
preços competitivos e assessoria operacional nas transações.
7. Caso a M.E não esteja com o Santander e as nossas condições forem melhores, basta
pedir a transferência da M.E do banco custodiante no exterior para a nossa conta também
no exterior.
8. Santander faz a transferência dos R$ para o banco indicado no Brasil
6
7
Envio de Moeda
Estrangeira
8
Câmbio Banco Santander – Envio de Recursos
Transferência
Exterior
Brasil
USD
USD
R$
Banco
B
Banc
o
C
Baco
A
Conversão
Serviço Bancário
Mercado de câmbio proporciona oportunidades
R
$
Estimular a Competição
Expertise na tratativa documental e operacional das transações
SEFAZ
9
Entrada de Recursos
1. SEFAZ necessita pagar os juros e amortizações de empréstimos contratados
anteriormente para o exterior.
2. Nesse momento a SEFAZ tem um passivo a pagar em moeda estrangeira. (Exposição)
3. Costumeiramente a SEFAZ viabiliza esse serviço com o banco de relacionamento local.
4. O Santander deseja prover o serviço de câmbio, oferecendo excelência em atendimento,
preços competitivos e assessoria operacional nas transações
5. Contrata - se uma operação de câmbio para que a transferência da M.E seja feita.
(Conversão de R$ para M.E).
6. Eventualmente os recursos em R$ não estejam com o Santander, e as nossas condições
foram melhores que a do concorrente, basta emitir uma TED para a conta indicada no
Santander Brasil.
7. Santander faz a transferência da M.E para o banco indicado no exterior.
9
Santander - Tesouraria
Marco Aurélio Gonçalves – Hedge of Fixed Income and Derivatives
[email protected]
Sergio Margutti – Trader of Fixed Income and Derivatives
[email protected]
(11) 3012-6160
Disclaimer
Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander S.A. e o seu conteúdo é estritamente
confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida, distribuída ou publicada pelo seu
destinatário para qualquer fim. O conteúdo desta apresentação não pode ser utilizado para outra
proposta sem o consentimento escrito do Santander. Apesar de as informações aqui contidas terem
sido obtidas de fontes consideradas confiáveis, o Santander não pode garantir a precisão e
veracidade das mesmas. As opiniões aqui apresentadas expressam o julgamento do Santander até a
presente data, estando sujeitas a alterações. O Santander não será responsável por perdas diretas
ou lucros cessantes que sejam decorrentes do uso desta apresentação.
This presentation was prepared by Santander and the content herein is strictly confidential. This
presentation cannot be reproduced, distributed or published by the recipient or used for any purpose
whatsoever without the prior written consent of Santander. Although the information contained herein
was obtained from sources deemed reliable, Santander cannot guarantee the accuracy and truth
thereof. The opinions presented herein represent those of Santander at the present time and are,
therefore, subject to amendment and alteration. Santander is not responsible for any direct losses or
reduced profits that may result from the use of the information contained herein.
Esta presentación ha sido preparada por el Banco Santander S.A y su contenido es estrictamente
confidencial. Esta presentación no podrá ser reproducida, distribuida o publicada por su destinatario
para cualquier fin. El contenido de la presentación no puede ser utilizado para otra propuesta sin el
consentimiento por escrito de Santander. Aunque las informaciones aquí contenidas hayan sido
obtenidas de fuentes confiables, el Santander no garantiza ni su exactitud, ni su veracidad. Las
opiniones aquí presentadas expresan el juicio del Santander hasta la presente fecha y están sujetas
a alteraciones. El Santander no será responsable por pérdidas directas o lucros Clientetes que
resulten del uso de la presentación.
11
O que são “Derivativos”?
Definição
Derivativos são instrumentos financeiros cujo valor deriva do
preço de mercado de um ativo/bem ou outro instrumento
financeiro que lhe serve de referência ativo (USD, Libor, TJLP,
Commodities, IPCA, IGPM, INCC etc). Podem ser negociados
em bolsa organizada ou no mercado de balcão.
Finalidade dos Derivativos
Proteção (Hedge)
Especulação
Arbitragem
Proteger o participante do mercado físico de um bem ou ativo contra
variações adversas de taxas, moedas ou preços. Equivale a ter uma
posição em mercado de derivativos oposta à posição assumida no
mercado a vista (por exemplo, empréstimos em USD), para minimizar o
risco de perda financeira decorrente de alteração adversa de preços.
Tomar uma posição no mercado futuro ou de opções sem uma posição
correspondente no mercado a vista. Nesse caso, o objetivo é operar a
tendência de preços do mercado.
Tirar proveito da diferença de preços de um mesmo produto/ativo
negociado em mercados diferentes. O objetivo é aproveitar as
discrepâncias no processo de formação de preços dos diversos ativos e
mercadorias e entre vencimentos.
12
O Mercado de Derivativos – Brasil x Mundo
O mercado de derivativos vem crescendo no
mundo todo, especialmente no Brasil, onde o
volume negociado ainda está abaixo do que
ocorre em outros países (vide gráfico).
Tal crescimento está fortemente associado ao
uso cada vez mais difundido de políticas de
hedge.
13
14
1º passo: identificar as exposições
Como já mencionado, o principal objetivo para que as Instituições atuem no mercado de
derivativos é a necessidade de contratação de hedge para reduzir os descasamentos existentes
em seu fluxo de caixa
DESCASAMENTO DE MOEDAS NO
fluxo de caixa
DESCASAMENTO DE TAXAS NO
fluxo de caixa
 Moedas G7*
 Moedas LatAm
 Casos específicos dependendo
da necessidade do cliente
Descrição das
Alternativas





CDI
IPCA
IGP-M
TJLP
INCC
Termo
Moedas
Juros
Swaps
Troca de dois fluxos de caixa - Principal e juros
Troca de dois fluxos de caixa – Apenas juros
Opções
Moedas
Juros
TR
Libor
Euribor
Swap
Conceituação
Definição de SWAP = TROCA.
Neste instrumento o cliente assume duas posições, uma ativa e outra passiva.
Exemplos:
 Swap de taxas de juros (flutuante para fixa, e vice-versa, sempre na mesma moeda)
 Swap de moedas (moeda A para moeda B, taxas fixas ou flutuantes)
 Swap de inflação (taxa fixa ou flutuante para inflação + cupom, e vice-versa)
 Outros...
O conceito fica mais claro ao exemplificarmos....
Suponha que uma Instituição tem um financiamento em USD de $5 milhões com vencimento
“bullet” em 1 ano. Esse empréstimo tem taxa de juros de 1,5% a.a. Supondo o dólar spot a
BRL 2.00, o principal da dívida seria equivalente hoje a R$ 10 milhões (valores de hoje):
Todos os recebíveis da Instituição estão em BRL.
USD $5 MM corrigidos pela variação do dólar + 1,5% a.a. = R$ ??? no vencimento
Para reduzir sua incerteza, a Instituição decide contratar uma operação de SWAP (troca de
indexadores) na qual receberá, ao término de 1 ano, US$ 5,075 milhões, e pagará uma taxa
pré-fixada de 7,8% a.a., o que neste exemplo resulta em R$10,780 milhões.
15
16
Swap
Conceituação
Ponta ativa do swap

USD 5 MM, corrigidos pela variação cambial + 1,5% a.a.
Ponta passiva do swap

BRL 10 MM, corrigidos por uma taxa pré de 7.8% a.a.
Cenário 1 – Dólar, no vencimento, cotado a R$ 1,90
USD 5,075 MM = BRL 9,642 MM
USD 5,075 MM = BRL 9,642MM
BRL 10,780 MM
DÍVIDA ORIGINAL
SWAP
Cenário 2 – Dólar, no vencimento, cotado a R$ 2,40
USD 5,075 MM = BRL 12,180 MM
USD 5,075 MM = BRL 12,180 MM
BRL 10,780 MM
DÍVIDA ORIGINAL
SWAP
Portanto, a Instituição teria atingido o objetivo de proteger sua dívida da variação
cambial. Qualquer que fosse o valor do dólar no vencimento da dívida, o resultado seria o
mesmo.
17
Termos
Características
Básicas
Negociação
Público - Alvo
 Compra ou venda de um ativo com um valor pré-fixado
 Liquidação ocorre pela diferença entre os índices no vencimento
 Não há a troca do valor principal da operação
 Negociado no mercado de Balcão (CETIP / OTC) e Bolsa (BM&F – Futuros)
 Ativos possíveis: taxas de câmbio, commodities, taxas de juros etc
 Instituições que tenham descasamento de fluxo de caixa, seja de prazo ou
de índice e desejam pré-fixar o valor a ser pago / recebido no futuro
Termos – NDF (Non Deliverable Forward)
18
O NDF pode ser melhor compreendido através de um exemplo:
A importadora B tem uma obrigação no valor de USD 1 MM com vencimento em 30 dias. Para se proteger
da variação cambial, compra dólar a termo (NDF) no mesmo valor e vencimento da obrigação. Supondo
que a taxa contratada foi de USD 1 = BRL 2, analisemos duas possibilidades ao final da operação:
Cenário 1 – Dólar no vencimento a BRL 2,30
Instituição receberá do banco (contraparte) R$ 0,30 por dólar
Instituição paga dívida de USD 1 MM x dólar R$2,30
300.000,00
-2.300.000,00
------------2.000.000,00
Ou seja, para pagar a dívida de R$ 2.300.000,00 a Instituição desembolsará apenas os R$ 2 MM
previstos no ínício da operação. O restante vem do ganho na operação de NDF, pago pelo banco.
Cenário 2 – Dólar no vencimento a BRL 1,85
Instituição pagará ao banco (contraparte) R$ 0,15 por dólar
Instituição paga dívida de USD 1 MM x dólar R$2,30
-150.000,00
-1.850.000,00
------------2.000.000,00
Neste caso, a Instituição paga um valor menor pela dívida, mas também paga para o banco o ajuste
da operação de NDF, de modo que desembolsa um total de R$ 2 MM, conforme previsto inicialmente.
Importante: não há entrega de dólares, apenas um ajuste financeiro entre as contrapartes!
Opções (“Seguros”)
Características
Básicas
Negociação
 Compra ou venda do direito de comprar (Call) ou vender (Put) um ativo
com um valor pré-fixado (Strike)
 Pagamento ou recebimento de um prêmio no início da operação
 Liquidação ocorre pela diferença entre os índices no vencimento
 Não há a troca do valor principal da operação
 Tipos de opções:
Americana: liquidação a qualquer momento da operação
Européia: liquidação somente no vencimento
 Negociado no mercado de Balcão (CETIP) e Bolsa (BM&F)
 Ativos possíveis: taxas de câmbio, commodities, taxas de juros, índices
de inflação etc.
Público - Alvo
 Para fins de Hedge: Instituições que tenham descasamento de fluxo de
caixa, seja de prazo ou de índice e desejam pré-fixar o valor a ser pago /
recebido no futuro, mas sem o risco de um ajuste negativo
Exemplo
O seguro do carro é uma opção de Venda que contratamos para nos
proteger de um evento indesejado. Quando há sinistro a opção é exercida e
somos ressarcidos. Quando não há sinistro, o prêmio da opção (o valor do
seguro) é perdido.
19
Fluxo do Empréstimo + Hedge
Empréstimo em US$
1
3
Futuros pagamentos de juros e
principal em US$
2
Instituição
20
Swap
Cambial
R$
US$
Fluxos da operação:
1) Desembolso do empréstimo externo. Secretaria da Fazenda fecha operação de
cambio pronto para converter os US$ para R$.
2) Swap Cambial no qual a Secretaria da Fazenda recebe fluxos em US$ e paga
fluxos em R$ para eliminar o risco de cambio do empréstimo.
3) Nas datas de pagamento de juros e amortização de principal a Secretaria da
Fazenda fecha operação de cambio pronto para pagar os US$ ao Banco/Órgão de
Fomento.
20

similar documents