Faça o da palestra

Report
EXATA ENGENHARIA E ASSESSORIA SS LTDA
ESTRUTURAS DE CONCRETO:
DO PROJETO A ACEITAÇÃO
Inicialmente esta posição do Engenheiro Projetista de Estruturas pode
parecer bastante confortável, pois inicialmente cabe a ele especificar as
características do concreto necessárias para atender a performance
prevista no projeto.
Entretanto o concreto pode ter suas características alteradas em relação
ao previsto por inúmeros fatores, em função da variação das matérias
primas e processo de fabricação.
Assim sendo com mais frequência que o desejado, os concretos não
atingem a qualidade esperada pelo projeto e nesta condição o engenheiro
projetista é novamente envolvido no processo.
Infelizmente de forma geral o projetista só é envolvido pontualmente
nestas circunstancias não agradáveis.
Sob o aspecto comportamental da estrutura, a resistência mecânica e o
modulo de elasticidade (Chamado de Módulo de Deformação no caso do
concreto) são as características fundamentais.
Entretanto hoje a preocupação do projetista deve ir além, pois deve se
preocupar também com a durabilidade e vida útil da estrutura.
Hoje a NBR 6118, apresenta subsídios para a definição de características
do concreto para atender a vida útil e durabilidade necessárias.
Estes subsídios podem ainda não ser os ideais, entretanto representam
uma grande evolução em relação as normas anteriores.
As estruturas de concreto armado são tidas genericamente como de
grande durabilidade, entretanto este conceito é correto desde que sejam
oferecidas as condições necessárias.
Há de se diferenciar as estruturas de concreto simples e de concreto
armado, pois sob o aspecto de durabilidade podem ter comportamentos
muito distintos.
A deterioração do concreto em si pode ser classificada como de menor
risco e velocidade, em relação ao aço.
Para o aço o simples contato com a umidade e o oxigênio já é suficiente
para o início de sua deterioração (oxidação/ corrosão).
O material concreto, pela sua constituição básica, cimento Portland, areia,
brita e água é naturalmente alcalina, criando, portanto um meio protetivo
para a armadura contra a corrosão.
O concreto por sua vez não é um sólido perfeito, ou seja, apresenta uma
porosidade/ capilaridade que estará associada a sua qualidade,
principalmente função do fator água/ cimento.
Com base nesta filosofia a NBR 6118 estabelece critérios mais rigorosos
para a espessura mínima de envolvimento da armadura que é o
denominado cobrimento.
A rigor, as especificações mínimas exigidas para o concreto e as
estruturas correspondentes, de acordo com a NBR 6118 e da classe de
agressividade do ambiente são:
fck resistência característica a compressão;
Ec -Módulo de deformação;
Fator água/ cimento;
Cobrimento nominal.
Há casos onde é recomendável ainda a especificação do consumo
mínimo de cimento.
As características referentes ao concreto ainda no estado fresco,
normalmente não tem nenhum controle do Engenheiro projetista.
Deve-se levar em contra ainda que toda a obra deve ter seu Engenheiro
residente e este deve estar preparado para esta fiscalização.
A verdade é que os trabalhos de controle da qualidade do concreto devem
se iniciar na seleção dos materiais e posterior preparação do concreto
através de um engenheiro ou técnico especializado em Tecnologia do
Concreto, que já trabalhará no sentido de atender as especificações do
projeto.
Durante o lançamento do concreto temos o controle das características do
concreto no estado fresco, principalmente a consistência e
trabalhabilidade, transporte e adensamento, e ainda as moldagens dos
corpos de prova que devem ser gerenciadas pelo Engenheiro Residente.
É fundamental que na operação de lançamento seja realizado um
mapeamento preciso das áreas de lançamento de cada betonada, para
que em caso de não conformidade possa se identificar o local
correspondente.
O envolvimento do Engenheiro projetista até a fase dos resultados dos
ensaios mecânicos deve ser de acompanhamento e informação das
atividades desenvolvidas, para que ao fazer a análise da conformidade
das características mecânicas tenha o conhecimento do histórico da obra.
É muito importante que estas atividades sejam correspondentes ao
andamento da obra e não apenas uma análise final.
É importante salientar também que ainda alguns colegas Engenheiros
Projetistas não estão preparados para estas análises e, portanto precisam
se capacitar ou ter um colega capacitado para seu suporte.
O momento atual é muito importante, pois a demanda de projetos e obras
é muito grande e por consequência a de concreto também.
E como em toda grande demanda o risco de se perder qualidade é quase
inevitável.
Desta forma a intensificação do controle da qualidade torna-se
fundamental para o bom resultado da obra.
Para finalizar a visão do Engenheiro projetista é de poder intervir no
processo e interagir com os demais técnicos especialistas, para que a
soma destes conhecimentos se transforme num concreto efetivamente de
qualidade.

similar documents