Apresentação do PowerPoint

Report
CONFERÊNCIA ESTADUAL
DOS BANCÁRIOS DO
PARANÁ
Cornélio Procópio, junho de 2014
As formas tradicionais das pessoas usarem os serviços dos bancos
migram para as outras modalidades
Total de agências, correspondentes, postos e ATMs no país
360,000
310,000
260,000
210,000
160,000
110,000
60,000
10,000
-40,000
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
**
número de agências 17,434 17,244 16,484 16,329 16,060 16,158 16,590 16,841 17,049 16,829 17,260 17,515 18,087 18,572 19,142 20,046 19,813 21,278 22,216
postos tradicionais * 15,482 15,075 9,229 8,342 8,153 7,265 9,495 10,241 10,140 10,045 9,837 9,527 10,220 10,555 11,661 12,131 12,690 12,957 12,957
postos eletrônicos
0
0
correspondentes
0
0
5,762 5,762 9,352 12,405 15,639 22,537 38,483 24,367 25,595 27,405 32,776 34,762 38,811 41,497 45,067 47,507 47,507
0
0
0
0
Fonte: Relatório Social da FEBRABAN.
13,731 18,653 32,511 36,474 46,035 69,546 73,031 95,849 108,07 149,50 165,22 160,94 358,41
Admitidos e desligados, por segmento
Brasil - janeiro a dezembro de 2012
Admitidos
Desligados
Setor de atividade
Nº de
Nº de
econômica
Part. (%)
Part. (%)
trab.
trab.
Saldo
Bancos comerciais
1.681
3,7%
1.802
4,3%
-121
Bancos múltiplos, com
carteira comercial
31.804
70,2%
35.894
85,8%
-4.090
Caixas econômicas
10.889
24,0%
3.431
8,2%
7.458
Bancos múltiplos, sem
carteira comercial
796
1,8%
553
1,3%
243
Bancos de investimento
152
0,3%
164
0,4%
-12
Total
45.322
100,0%
41.844
100,0%
3.478
Fonte: MTE/Caged
Elaboração: DIEESE –
Subseção Contraf CUT
Saldo do Emprego Bancário por CNAE
Brasil - Janeiro a Dezembro de 2013
Admitidos
Desligados
Nº de trab.
Rem.
Média
(em R$)
Nº de trab.
Rem. Média
(em R$)
Saldo
Diferença
da Rem.
Média
(%)
Bancos Comerciais
716
3.962,50
639
4.514,76
77
-12,2%
Bancos Múltiplos, com
Carteira Comercial
28.916
3.126,52
39.025
4.695,43
-10.109
-33,4%
Caixas Econômicas
7.982
2.167,80
2.496
4.361,11
5.486
-50,3%
Bancos Múltiplos, sem
Carteira Comercial
833
3.544,59
552
6.782,26
281
-47,7%
Bancos de
Investimento
116
7.725,76
180
12.186,22
-64
-36,6%
Total
38.563
2.966,47
42.892
4.731,57
-4.329
-37,3%
Setor de atividade
econômica
Saldo do Emprego Bancário por CNAE
Brasil - Janeiro a Dezembro de 2014
Admitidos
Nº de trab.
Rem.
Média
(em R$)
Nº de trab.
Rem. Média
(em R$)
Saldo
Diferenç
a da
Rem.
Média
(%)
Bancos Comerciais
182
3.854,97
186
4.955,56
-4
77,8%
Bancos Múltiplos, com
Carteira Comercial
6.425
3.284,70
9.410
5.415,11
-2.985
60,7%
Caixas Econômicas
1.444
2.176,43
312
3.219,68
1.132
67,6%
Bancos Múltiplos, sem
Carteira Comercial
179
3.669,40
162
6.242,39
17
58,8%
Bancos de
Investimento
36
7.231,83
45
9.872,33
-9
73,3%
Total
8.266
3.129,17
10.115
5.372,02
-1.849
58,2%
Setor de atividade
econômica
Desligados
1/4 dos auxílios-doença concedidos a bancários
afastados pelo INSS, no último trimestre de
2012, estão relacionados a doenças psíquicas e
neurológicas
Número de benefícios previdenciários e acidentários concedidos pelo INSS
3T2012
Transtornos mentais
Total
Tipo de instituição
Doenças do sistema nervoso
nº
%
nº
%
nº
%
Bancos comerciais
907
100
238
26,2
21
2,3
Bancos múltiplos c/ carteira comercial
2481
100
660
26,6
126
5,1
Caixas Econômicas
670
100
139
20,7
6
0,9
Bancos múltiplos s/ carteira comercial
5
100
1
20,0
1
20,0
Bancos de investimento
3
100
1
33,3
1
33,3
4066
100
1039
25,6
155
3,8
Total
Fonte: Previdência Social
Elaboração: DIEESE - Subseção Contraf-CUT
Principais causas de afastamento do trabalho nos bancos
Período: 2009-2013
Tipo de benefício: Previdenciário
Evolução dos benefícios previdenciários, por tipo de adoecimento - 2009-2013
Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo
Transtornos mentais e comportamentais
Doenças do sistema nervoso
Demais doenças
Total
2.009
2.209
2.177
233
6.198
10.817
2.010 2.011 2.012
2.514 2.649 3.017
2.578 2.676 3.228
248
281
302
6.898 7.336 7.898
12.238 12.942 14.445
2009
20.42%
2.013 2013/2009
3.094
40,06%
3.671
68,63%
319
36,91%
8.339
34,54%
15.423
42,58%
2013
Doenças do sistema
osteomuscular e do tecido
conjuntivo
20.06%
Transtornos mentais e
comportamentais
57.30%
20.13%
Doenças do sistema nervoso
54.07%
23.80%
Demais doenças
2.15%
2.07%
Fonte: INSS
Elaboração: Dieese/ Rede Bancários
AFASTAMENTO NO ÚLTIMO ANO
Você teve algum afastamento de trabalho por motivo de
doença nos últimos 12 meses?
6.424 respondentes declararam
ter se afastado por motivo de
doença nos últimos 12 meses
Sim
18%
Não
82%
USO DE REMÉDIO CONTROLADO NO ÚLTIMO ANO
Você usou nos últimos 12 meses ou está
usando medicação controlada?
6.980
respondentes declararam
uso de medicação controlada nos
últimos 12 meses.
Sim
Não
81%
19%
ROTATIVIDADE CONTINUA REBAIXANDO A
REMUNERAÇÃO...
Admitidos, desligados e remuneração média por gênero
Brasil - janeiro a dezembro de 2012
Admitidos
Gênero
Nº de
trab.
Desligados
Part.
(%)
Rem.
Média
(em R$)
Nº de
trab.
Part.
(%)
Rem.
Média
(em R$)
Saldo
Diferença
da Rem.
Média (%)
Masculino
23.724
52,3%
3.006,91
21.893
52,3%
4.994,99
1.831
-39,8%
Feminino
21.598
47,7%
2.318,33
19.951
47,7%
3.716,32
1.647
-37,6%
100,0% 4.385,33
3.478
-38,9%
Total
45.322
100,0% 2.678,77 41.844
Fonte: MTE/Caged.
Elaboração: Dieese – Subseção Contraf-CUT
Falta de regras para progressão e promoção (PCCS) e peso da
remuneração variável ampliam a defasagem salarial entre
bancários da ativa e aposentados
Simulação comparativa entre massa salarial anual bruta do bancário na ativa e aposentado num banco privado (com previdência
complementar)
Valores
Diferença
Verbas
Ativa (último ano) Aposentado
Remuneração Fixa Direta Mensal (1)
- Salário base
5.000,00
5.000,00
igual
-ATS
700,00
700,00
igual
- Gratificação de função
2.500,00
2.500,00
igual
- 13º salário (dividido por 12)
683,33
683,33
igual
- 1/3 férias (dividido por 12)
227,78
não recebe
Subtotal (1)
9.111,11
Remuneração Fixa Indireta Mensal (2)
- VR
472,12
não recebe
- Cesta Alimentação
367,92
não recebe
Subtotal (2)
840,04
não recebe
Remuneração Fixa Indireta Anual (3)
- 13a Cesta Alimentação
367,92
Remuneração Variável Semestral (3)
- PLR (CCT)
21.120,00
não recebe
- Programa próprio de PLR
8.200,00
não recebe
Subtotal (3)
29.320,00
Massa salarial anual bruta (4)
149.101,73 106.600,00
Redução da massa salarial em 28,5%
Elaboração: DIEESE - Subseção Contraf-CUT
ou R$ 42.501,70 a menos no ano
“Pico” de agências e centros
administrativos parados nas
últimas greves
2010 – 8.280
2011 – 9.254
2012 – 9.551
Aumento Real Acumulado 2004-2012 (base INPC)
116,2%
35,6%
85.3%
16,2%
61.4%
ICV DIEESE
59,5%
INPC IBGE
Fonte: CCT
Elaboração: DIEESE – Subseção Contraf CUT
REAJUSTE SALARIAL
CCT
Reajuste acumulado
Aumento real
PISO CCT
...mas a “Boca do Jacaré” aumenta
Evolução do PIB, da Remuneração Média dos bancários
e do lucro dos bancos
Fonte: Balanços dos cinco maiores bancos, RAIS 2011 e IBGE – Elaboração: DIEESE – Subseção Contraf CUT
...mas a “Boca do Jacaré” aumenta
Evolução do PIB, da Remuneração Média dos bancários
e do lucro dos bancos
Fonte: Balanços dos cinco maiores bancos, RAIS 2011 e IBGE – Elaboração: DIEESE – Subseção Contraf CUT
Desigualdade na distribuição de renda
segundo extratos de renda (Brasil, Censo
2010)
Os 10% mais ricos no País têm renda média mensal
trinta e nove vezes maior que a dos 10% mais pobres.
Ou seja, um brasileiro que está na faixa mais pobre
da população teria que reunir tudo o que ganha
durante três anos e três meses para chegar à renda
média mensal de um integrante do grupo mais rico.
Imensas diferenças entre a remuneração
anual dos executivos e dos bancários
Remuneração anual dos Executivos
Itaú
R$ 9.053.000,00
Santander
R$ 5.628.000,00
Bradesco
R$ 5.007.000,00
Comparações:
Itaú
Executivo da Diretoria: 190,45 vezes o que ganha o caixa em
um ano
Santander
Executivo da Diretoria: 118,40 vezes o que ganha o caixa em
um ano
Bradesco
Executivo da Diretoria: 105,33 vezes o que ganha o caixa em
um ano
Mas no sistema financeiro a concentração
de renda é ainda pior!
Para ganhar a remuneração mensal de um
executivo:
• O Caixa do Itaú tem que trabalhar 16 anos
• O Caixa do Bradesco tem que trabalhar 9
anos
Ranking por PIB
1º
Estados Unidos
2º
China
3º
Japão
4º
Alemanha
5º
França
6º Brasil
7º
Reino Unido
8º
Itália
9º
Canadá
10º
Índia
O Crédito e sua Importância para
o desenvolvimento de um país
A participação do crédito na Economia é baixa em comparação com outros países,
implicando numa reduzida taxa de investimentos para a economia nacional.
Volume de Crédito em relação ao PIB
Fonte: BCB e FMI (International Financial Statistics) – Janeiro 2013
Elaboração: DIEESE – Subseção Contraf CUT
* Dados do Brasil referente a dezembro de 2013
Elevado patamar do spread bancário no Brasil
 Alta taxa básica de juros da economia (Selic)

– uma
das três mais elevada do mundo.
DESAFIOS
Bancários se mobilizam contra o PL da
Terceirização
DESAFIOS
ESCOLHER O CAMINHO
CERTO
DISPUTAR A
DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

similar documents