Clique aqui para baixar este arquivo!

Report
Questões Básicas
para Compreensão do
Apocalipse
O Significado Bíblico da História
A História na Bíblia é Teocêntrica.
No centro do conceito bíblico sobre história se encontra o Ser
Divino e tudo gira em torno dEle.
Deus é ativo e Soberano na história humana.
A história começa quando Deus cria os céus e a terra. Ele é quam
dá origem a História.
a) Gn 1-2 – Criador do universo e da humanidade;
b) Gn 1:1-25 – Estabelece o mundo físico, espaço no qual se
desenrola a história.
c) Gn 1:3-5 – O tempo é estabelecido por Ele. É a sequência na
qual a história acontece. Inclusive o tempo sagrado Gn 2:1-3.
d) Gn 1:26-28, 2:7-25 – Humanidade que são os personagens da
história.
Ex: Atos 17
O Papel do Ser Humano:Liberdade de Escolha e Auto Determinação
Se a história bíblica é Teocêntrica, ela no entanto, enfatiza
reiteradamente a importância do fator humano e da capacidade
do homem escolher, influenciar o futuro e os eventos históricos.
Ex.
- Gn 2:17 – Deus proíbe comer de uma determinada árvore
(Há uma proibição da parte de Deus).
- Gn 3:6-7 – O Homem desobedece e come (comeu do fruto –
escolhe).
Resultado Histórico da Escolha do Homem = queda, pecado e
morte (nossa história atual).
No lugar do plano de Deus, escolhe outro plano. Vê-se que a
capacidade humana de influenciar não é pouca.
A importância da liberdade humana é bem exemplificada na sessão:
Bênçãos e Maldições – no final de Deuteronômio.
Dt 28:1-2 – Se escolher obedecer – aceitar – haverá bênçãos.
Dt 28:15 – Se escolher desobedecer – rejeitar – haverá maldições.
Dt 30:1-3 – Se escolher mudar – haverá restauração.
Dt 30:15-20 – Reitera a noção de liberdade de escolha do homem.
Há uma interação da soberania de Deus e a liberdade humana.
Deus aceita e respeita a liberdade de escolha humana, tolerando-a
até um limite.
O limite desta liberdade é até aonde o plano de Deus para o futuro
não seja comprometido ou que seu remanescente seja extirpado da
face da terra.
Exs.
Exs.
- Noé – Dilúvio (paradigma do fim)
- Nm 13-14
- No Éden
– Plano de Deus é de Glória
– O homem escolheu outra direção (estrutura)
– Deus permitiu, mas colocou limites (condições de vida difícil)
– Deus reconduz sem forçar essa volta (Graça oferecida).
O Tema do Grande Conflito
(tudo que vimos está relacionado)
As hostes do mal e suas ações.
Satanás pode mudar a história – Queda Gn 3; Jó 1:6-12; 2:1-7
Satanás tem tanto domínio sobre as nações (permitem/aceitam) que
ele é confundido com elas e as nações se confundem com ele.
- Babilônia – Is 14:12-14
- Tiro – Ez 28:11-17
Porém, Deus limita as ações de Satanás – Gn 3:15; Is 14:15; Ez
28:18-19; Zc 3:1-10
Deus não permitiu que ele tivesse completo domínio sobre o
homem. Jesus garante isso.
Deus é Amor
Gn 1,2
Éden - Criação
Gn 3
Entrada Pecado
Caráter de
Deus – Maculado
(Promessa – Gn 3:15)
Ap 21,22
Éden Restaurado
Ap 20
Término Pecado
Caráter de Deus
Vindicado Justiça Feita
(Ap 20:11-15)
Apocalipse - Tudo que havia no Gênesis retorna. Jardim do Éden,
Árvore da Vida, Vida Eterna.
“Deus é amor. Sua natureza, Sua lei, são amor. Assim sempre foi;
assim sempre será. "O Alto e o Sublime, que habita na
eternidade", "cujos caminhos são eternos", não muda. NEle "não
há mudança nem sombra de variação."
Toda manifestação de poder criador é uma expressão de amor
infinito. A soberania de Deus compreende a plenitude de bênçãos
a todos os seres criados.” EGW – PP, 33.
“O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais
existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única palpitação
de harmonioso júbilo vibra por toda a vasta criação. DAquele que
tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do
espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até ao maior dos
mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena
beleza e perfeito gozo, declaram que Deus é amor.” EGW – GC, 678.
Apocalipse
- É um livro – Estilo Apocalíptico – único no NT
- 2 características básicas:
- Escrito em tempos de crise
- Externa e Interna
(linha histórica)
Epístolas de João (92)
Destruição de
Jerusalém/Templo
Evangelho de João (97)
Perseguição Intensa
75 dC
70 dC
Apocalipse
João em Patmos (96)
80 dC
85 dC
90 dC
95 dC
100 dC
105 dC
Heródes Agripa II (50-93)
Dirigido pelo Governo Romano (Império)
Vespasiano (69-79)
Domiciano (81-96)
Tito (79-81)
Marco Antonio Juliano
(64-70)
Trajano (98-117)
Nerva (96-98)
Apocalipse
- É um livro – Estilo Apocalíptico – único no NT
- 2 características básicas:
- Escrito em tempos de crise
- Externa e Interna
- Uso de linguagem simbólica
Linguagem Simbólica
- Não é abstrata
- Nascida num vácuo
- Fundamentada em uma realidade
- AT – (404-278vs)
- NT
- Contexto da Ásia Menor – 1º século
- Escritos Apocalípticos Judaicos – não inspirados
- Santuário (relação tipológica)
Métodos Tradicionais de Interpretação
- Preterismo
- Idealismo
- Futurismo
- Historicismo
Sustenta que o livro do Apocalipse oferece uma
apresentação simbólica do esboço profético do curso
da história. Desde os tempos apostólicos até o tempo
da 2ª Vinda – (enraizado no livro de Daniel)
Outras Características
- Não podemos lê-lo de forma “sequenciada – corrida” - retrospectiva
- Sumariado – retorna detalhando
- Interlúdio (“entre parênteses”)
Estrutura
Tríplice
Em cada visão introdutória Jesus é retratado de forma Única
1ª Mensagens para as 7 Igrejas (Ap 1:9-3:22)
A visão da abertura é de Cristo como Sumo Sacerdote (Ap 1:9-20)
2ª Mensagens dos 7 Selos e 7 Trombetas (Ap 4-11)
A visão da abertura é de Cristo como Governante Universal (Ap 4-5)
3ª Mensagens sobre as questões do fim (Ap 12-22:5)
A visão da abertura é de Cristo como o Guerreiro Apocalíptico (Ap 12)
A partir de Apocalipse 12,
vê-se os personagens
envolvidos e a disputa
global entre 2 poderes.
Quais serão as
questões envolvidas
na crise final?

similar documents