Climatizaodeambientes - Universidade Federal de Campina

Report
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS
CLIMATIZAÇÃO DE AMBIENTES EM EDIFICAÇÕES E
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
DISCIPLINA: FENÔMENOS DE TRANSPORTENETRAÇÃO
EQUIPE: ANTÔNIO EDSON
DEIVID ROBERTO
FERNANDO GOMES
IÚGUIO FELIPE
Introdução
 Os maiores gastos de energia numa edificação se dá em
função de trocas de calor não desejadas com o meio ou no
impedimento dessas trocas quando elas são necessárias
levando em consideração ventos e iluminação visando o
maior conforto possível do ambiente.
 Esse trabalho tem como objetivo mostrar soluções
construtivas e utilização de equipamentos para uma boa
climatização e eficiência energética da edificação.
Eficiência Energética
 Os gastos de energia são consideravelmente altos em
função de trocas de calor com o meio seja ele
excessivamente quente ou frio, ou no impedimento dessas
trocas quando elas são necessárias, visando o maior
conforto possível do ambiente.
 Tornar uma casa eficientemente energética consiste em
minimizar esses gastos com a implementação de técnicas
ou utilização de certos equipamentos que nos dão suporte
a isso.
Conforto Térmico
 Estado que expressa a satisfação do homem com o
ambiente térmico que o circunda. A não satisfação pode
ser causada pela sensação de desconforto pelo calor ou
pelo frio
 A climatização bem realizada garante o conforto térmico
para os residentes.
Conforto Térmico
 As variáveis de conforto térmico estão divididas em
variáveis ambientais e variáveis humanas.
Variáveis humanas
. metabolismo gerado pela
atividade física
. resistência térmica
oferecida pela vestimenta
Variáveis ambientais
. temperatura do ar
. temperatura radiante
média
. velocidade do ar
. umidade relativa do ar
Evolução das Edificações
 Necessidade da construção de edificações mais resistentes




para proteção do calor, frio, chuva.
Diversidade de edificações construídas com os materiais da
região e adequadas para o clima da região.
Cultura e preferências determinadas pelo clima.
Fator econômico.
Projetos mais eficientes.
Ventilação - Objetivos
 Manutenção das




condições do ar interno livre de
impurezas e poluição.
Reduzir a umidade do ar interno evitando a condensação
superficial.
Facilitar as trocas térmicas do corpo humano.
Resfriar os componentes da edificação
Retirar o calor acumulado no interior da edificação
Ventilação e Luz natural - Estratégias
Ventilação e Luz natural - Estratégias
Fonte: Ventilação e cobertas – Gildo A. Montenegro
Sistema Thermocomfort
 Tem alta reflexão da incidência
solar,
reduzindo
o
calor
transmitido entre a cobertura/laje
e o interior da residência em até 7
graus no sistema Thermocomfort
e em até 5 graus na própria telha.
 Permite o ciclo contínuo na troca
do ar quente pelo do ambiente,
aumentando ainda mais o
desempenho do produto.
Fonte: www.tegula.com.br
Brise Soleil
 O brise-soleil é um dispositivo arquitetônico utilizado para
impedir a incidência direta de radiação solar nos interiores
de um edifício, de forma a evitar aí a manifestação de um
calor excessivo.
 Geralmente utilizados em construções que necessitam
muito do aproveitamento da iluminação natural e bloqueio
do ofuscamento causado pelos raios solares. Com essas
características, os brises são cada vez mais utilizados em
prédios públicos, universidades, colégios, hospitais,
shoppings e centros comerciais.
Brise Soleil
Fonte: http://www.aecweb.com.br/brise-soleil/
Vidros
 Vidro
comum: geralmente deixa passar boa parte da
luminosidade e os raios infravermelhos que ficam aprisionados
no ambiente, não são bons isolantes térmicos.
 Vidro duplo com gás: são chapas de vidro com gás entre elas,
deixa passar toda a luminosidade e filtra boa parte dos raios
infravermelhos.
 Vidro baixo emissivo ou Low-e: Vidro com camada extrafina de
metal de baixa emissividade. Deixa passar a luz natural, mas
barra as radiações UV e IV. Reduz a perda de calor através das
janelas e retém a temperatura do ambiente.
 Vidros Reflexivos: Os vidros refletivos são vidros onde recebem
óxidos metálicos, com a finalidade de refletir os raios solares,
reduzindo a entrada de calor
Esquadrias de PVC
 As esquadrias de pvc são construídas já com o foco de suprir
necessidades de isolamento acústico e térmico, desde as
propriedades do material até o método de confecção, então
aberturas desse gênero possui qualidades para evitar a troca de
calor com o ambiente.
Torneiras com aeração
 Torneiras
com aerador, diminui o
volume de água e controlam a vazão
independente da pressão
Descargas
 Antes da NBR 15.097/04, as descargas consumiam em média
12 a 15 litros de água, depois fixou-se um gasto de 6 litros.
Hoje existem vasos ainda mais econômicos, com descarga
dupla que permite opção de 3 ou 6 litros.
 Existem ainda descargas a vácuo que utilizam de 1,2 a 1,5 litros
de água que já são utilizadas pelos aviões.
Sistemas LED
 Conjunto de lâmpadas LED que tem
potência de 1 watt, mas o conjunto
delas consegue fornecer a mesma
luminosidade
das
tradicionais,
gastando menos energia elétrica. O
problema ainda é o seu custo que é
muito alto.
Energia Solar
 Os métodos de conversão térmica da energia solar se
fundamentam na absorção da energia radiante por uma
superfície negra. Energia radiante se transforma em
calor. As moléculas das superfícies se excitam, ocorrendo
um incremento na temperatura.
Energia Solar
 Não degrada o meio ambiente
 Energia cerca de 3 vezes mais cara





que a convencional no Brasil
Forma de obtenção de energia
economicamente viável
O Brasil é um dos países com maior
incidência de irradiação solar.
A economia na sua conta de energia
mensal pode chegar até 40%.
Água quente em todos os pontos
de água
Durável, economia na conta de
energia, eficiente
Aquecedor solar de baixo custo
 Aquecedores solares de baixo custo, requerem para sua
fabricação utilização de materiais recicláveis, e o manuseio
artesanal que gera emprego e renda, além de diminuir em
até 60% a conta de luz.
Aquecedor solar de baixo custo
 O aquecedor deve ser instalado voltado para o norte e com
um ângulo de inclinação igual a latitude de sua cidade + 10
graus para um maior aproveitamento da incidência da luz
solar
Etiquetagem de Eletrodomésticos
 Optar pelo aparelho do tipo A que é mais econômico
consumindo assim menos energia
Sensores
• Os sensores são materiais que respondem a estímulos físicos
de maneira específica.
• Eles podem esta ligados a sistemas de bombeamento de água,
quando necessário, e assim evitando de ficar ligado por muito
tempo consumindo energia. São muito usados em sistemas de
automação.
• Servem também para detectar temperatura.
Captação de Água
 A captação da água da é um processo que desenvolve técnicas
de captação e armazenamento de água.
 O uso de água potável para atividades onde essa qualidade não
é requerida varia de 30 a 50% (SABESP 2004) nas residências,
nesse caso poderiam ser substituídas por águas de qualidade
inferior.
Referências
 http://www.tegula.com.br/site/produtos/thermocomfort.html
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Brise-soleil
 http://www.casaautonoma.com.br/pages/SOLUCOES.htm
 http://innsoma.blogspot.com/2008/10/design-sustentvel-captao-de-gua




da.html
http://www.hidro.ufcg.edu.br/twiki/bin/view/ChuvaNet/ChuvaSistemaCAP
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal
http://www.arq.ufsc.br/arq5661/caleidoscopio.htm
http://www.aecweb.com.br/brise-soleil/especificacao-produtosfabricantes/produto/7/46/113/0/1
www.solarminas.com.br

similar documents