slides ena

Report
Política Internacional e Geopolítica
Programa
1.
Política Brasileira de Comércio Internacional
2.
Globalização Produtiva e Financeira
3.
Organizações Internacionais e Política
Externa Brasileira
1. Política Brasileira de Comércio
Internacional
Fundamento: Um país que não é competitivo –
isto é, que não produz qualquer bem de modo
mais barato que os demais – se beneficia do
comércio exterior? SIM
Vantagens relativas ou comparativas: a importância do
custo de oportunidade.
Um país não produz tudo o que produz melhor
do que os demais, mas apenas aqueles produtos
onde sua liderança em custos ou qualidade é
maior
Vantagem Comparativa e
Especialização
1. Política Brasileira de Comércio Internacional
Grande exceção: Comércio entre países ocorre
em produtos semelhantes (mas diferenciados).
Ex.: Automóveis, farmaceúticos.
Comércio intra-indústria:
Grandes empresas (economias de escala);
Produto diferenciado: design, marca, qualidade, pósvenda.
Segmentação de mercado.
Política Comercial: Tarifas
Ad valorem: quando o valor da tarifa incide
sobre o preço como um percentual. Ex. 8% sobre
US$ 100,00 = US$ 108,00.
Específica: quando o valor da tarifa incide sobre
o preço como um valor específico, Ex. US$9,00
sobre US$ 100,00 = US$ 109,00.
Tarifa MFN (most favoured nation): idéia é tarifa
multilateral (igual para todos países. Exceções
são acordos e blocos comerciais.
Política Comercial: Tarifas
País/Território
Média Simples
Tarifa Zero
Tarifas Específicas
MFN (%)
MFN (%)
MFN (%)
África do Sul
7,8
59,6
2,2
Argentina
12,0
13,1
12,1
Austrália
3,6
48,8
0,2
Brasil
12,2
5,5
0,0
China
9,9
6,7
0,4
Estados Unidos
3,5
47,1
8,2
Japão
5,1
52,3
3,7
México
12,6
15,1
0,7
Rússia
11,0
9,7
12,2
Comun. Européia
5,2
30,9
4,6
Política Comercial: Tarifas
País
Calçados de couro
Cigarros
Tratores
Veículos até
rodoviários
1.000cc
África do Sul
20,0
45,0
26,0
10,4
Argentina
20,0
20,0
33,6
35,0
Austrália
10,0
0,0
5,0
6,7
Brasil
20,0
20,0
35,0
35,0
China
24,0
25,0
6,0
30,0
Estados Unidos
20,8
-
4,0
2,5
Japão
21,9
0,0
0,0
0,0
México
35,0
67,0
50,0
35,0
União Européia
17,0
33,8
16,0
10,0
Escalada Tarifária: qdo em uma cadeia de valor, produtos com
mais valor agregado têm tarifa mais alta do que produtos mais
básicos. Ex: Tarifa sobre couro cru (Brasil)= 14% e calçados = 20%
Política Comercial: Barreiras Não-Tarifárias
Barreiras não-tarifárias (BNTs) são todas aquelas
medidas que restringem o comércio e que não
assumem a forma de uma tarifa.
Existem 32 tipos de BNTs:
Cotas de importação – é uma limitação física da
quantidade ou valor a ser importado de um bem de um
determinado país. Ex. Acordo Multifibras.
Exigências técnicas e fito-sanitárias – Ex: ISO; Embargo
russo à carne suína; FSC para móveis; Subsídio à
exportação (caso Bombardier e Embraer); Indicação
geográfica (caso do Vale dos Vinhedos).
Quotas de Importação


Medida de restrição física ou valor de importação
estabelecida no comércio bilateral. Estabelece limite
máximo de importação de determinado produto de
um dado país. Exemplo: Acordo Multifibras: países
ricos restringiram importações de produtos têxteis
1974-2004;
OMC é contrária a imposição de quotas. Logo países
têm mudado de cotas para sistemas tarifários
diferenciados: tarifa intra-quota e extra-quota
http://www.mdic.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=5&menu=734
Barreiras Técnicas


BT são medidas que visam garantir padrões
de segurança à saúde humana, animal e
vegetal e de regulação técnica. Estas medidas
não podem ser discriminatórias (i.e., devem
estabelecer exigências das importações
compatíveis com as locais).
Exemplos: Acordo de medidas sanitárias (e.g.
mal da vaca louca, febre aftosa, gripe
aviária); ISO (9000 e 14000). Ex: Embargo
russo a carne suína.
Subsídios e Medidas Antidumping


Subsídios à exportação: subsídios não podem
estabelecer condições desleais de comércio.
Exemplo: o caso Embraer vs Bombardier
Medidas antidumping: países podem reagir
ao fato de que outros países praticam preços
de exportação abaixo do preço do mercado
doméstico. Estas medidas antidumping são
na forma de tarifas e/ou quotas
Salvaguardas

Quando um determinado país sofre um
aumento significativo e com efeitos
adversos sobre a produção doméstica.
Neste caso, o país pode reagir (tarifas e
quotas) por um período limitado. É uma
reação a uma prática leal de comércio.
Ex: Disputa comercial entre Brasil e
Argentina na linha branca (2003-06)
Restrições voluntárias às exportações
de refrigeradores
1o requisito – Aumento das importações:
2,50
2,00
60.000.000
50.000.000
1,50
40.000.000
1,00
30.000.000
20.000.000
0,50
10.000.000
0
0,00
1996
1997 1998
1999
2000 2001
2002
2003 2004
2005
período
Importação Argentina de Refrigeradores do Brasil (eixo esquerdo)
Relação entre Importação e Produção (eixo direito)
Relação Importação/Produção
70.000.000
US$ FOB
Limite para
as
exportações
brasileiras
para 2005:
316.250
unidades
(50% do
mercado
argentino).
80.000.000
Restrições voluntárias às exportações
de refrigeradores
2o requisito – Análise de existência de prejuízo grave ou sua
ameaça:
450.000
400.000
350.000
Unidades
300.000
250.000
200.000
150.000
100.000
50.000
0
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
período
Importação Argentina de Refrigeradores do Brasil
Produção Argentina de Refrigeradores
2004
2005
Participação das
importações do
Brasil no mercado
argentino de
geladeiras:
2000 – 26,74%
2001 – 32,64%
2003 – 64,44%
2004 – 51,37%
Indicação Geográfica



A IG é um sinal distintivo da propriedade intelectual, que
assegura como diferencial do produto as características naturais
da sua origem (solo e vegetação onde é produzido), clima e
forma de cultivo. Ex.: Champagne, Queijo roqueford
Produtos com IG - Seis produtos já obtiveram o registro de
indicação geográfica: vinhos e derivados do Vale dos
Vinhedos/RS; café grão verde do Cerrado Mineiro, cachaça de
Paraty/RJ, carne e derivados do Pampa Gaúcho da Campanha
Meridional, couro acabado do Vale dos Sinos/RS e uva de mesa
e manga do Vale do Submédio do São Francisco/PE.
Produtos apoiados pelo Mapa para registro de IG: Queijo
Serrano Artesanal dos campos de altitude, de Santa Catarina e
Rio Grande do Sul;Uva e vinho Goethe, de Santa Catarina;
Política Comercial: O Papel do Mercosul
Tipos de Blocos Comercais
Área de Livre Comércio: estabelece um acordo de comércio
preferencial (em geral tarifa zero) entre os países membros.
Exemplos: NAFTA, ALCA, Acordos EUA-Chile, EUA-Jordânia);
União Aduaneira: caracterizado por uma área de livre comércio e
uma tarifa externa comum (TEC). Exemplos são o Mercosul e o
Caricom.
Mercado Comum: quando existe livre circulação de pessoas e
capital. O melhor exemplo é a Comunidade Econômica Européia.
União Econômica: é um mercado comum em que os países
membros têm a mesma política monetária (moeda única) e fiscal.
O primeiro e único exemplo deste nível de integração é a União
Européia dos 16 países que adotam o Euro
Principais Blocos Econômicos Mundiais
Principais Blocos Regionais
Bloco
Área
(mil Km)
População
(mil hab)
PIB
(US$bi PPP)
PIB per cap
(US$ PPP)
Membros
NAFTA
21.783
445.000
15.857
35.491
3
UE
4.324
497.000
14.953
28.213
27
SAARC
5.136
1.467.000
4.074
2.777
8
ASEAN
4.497
566.500
3.115
5.541
10
Mercosul
12.781
217.000
2.895
10.858
5
EURASEC
20.789
208.000
1.689
8.118
6
GAFTA
9.421
281.000
1.341
4.778
17
Blocos Regionais: Países Membros







União Européia Países Membros: Austria, Belgium, Bulgaria, Cyprus, Czech Republic, Denmark,
Estonia, Finland, France, Germany, Greece, Hungary, Ireland, Italy, Latvia, Lithuania, Luxembourg,
Malta, Netherlands, Poland, Portugal, Romania, Slovakia, Slovenia, Spain, Sweden, U K. União
aduaneira com Andorra, San Marino, Turkey
Caribbean Community (CARICOM)Países Membros: Antigua and Barbuda, Bahamas, Barbados,
Belize, Dominica, Grenada, Guyana, Haiti, Jamaica, Saint Kitts and Nevis, Saint Lucia, Saint Vincent ,
Suriname, Trinidad and Tobago
MERCOSULPaíses Membros: Brazil, Argentina, Paraguay, Uruguay, Venezuela
Southern African Customs Union (SACU)Países Membros: Botswana, Lesotho, Namibia, South
Africa, Swaziland
Greater Arab Free Trade Area (GAFTA) Países Membros: Egypt, Jordan, Morocco, Tunisia, Bahrain,
Kuwait, Oman, Qatar, Saudi Arabia, United Arab Emirates, Iraq, Lebanon, Libya, Palestinian Authority,
Syria, Yemen
North American Free Trade Agreement (NAFTA)Países Membros: Canada, Mexico, United States
of America
Association of Southeast Asian Nations (ASEAN)Países Membros: Brunei, Cambodia, Indonesia,
Laos, Malaysia, Myanmar, Philippines, Singapore, Thailand, Vietnam
O Novo Regionalismo





Velho Regionalismo – 1950-60: Exemplo – Alalc.
Fracasso em termos mundiais devido a não adesão dos
U.S.A
Novo Regionalismo – desde 1990: Europa, Nafta,
Mercosul.
GATT ineficiente para acordos multilaterais
9especialmente barreiras não-tarifárias)
Estratégia de desenvolvimento.
Sucesso: integração regional acompanhada de processo
de globalização produtiva e financeira + crescimento
econômico em países desenvolvidos + adesão dos USA.
O Brasil e o Mercosul
O Mercosul foi fundado pelo Tratado de Assunção em
março de 1991 e ratificado pelo importante Tratado de
Ouro Preto em 1994. Os quatro países signatários e
atuais membros plenos do Mercosul são: Argentina,
Brasil, Paraguai e Uruguai. Venezuela é candidata a
membro pleno. Aos lados: bandeira do Mercosul.
A sede do Mercosul é em Montevidéo. Além da candidatura
da Venezuela, a membro pleno, são membros
associados do Mercosul: Bolívia, Chile Colômbia,
Equador e Peru. Membro associado é quando o país
tem todos os benefícios do comércio entre os países
membros (comércio intra-bloco), mas não acata a TEC
Cronologia do Mercosul










nov/1985: Declaração de Iguaçu: Implementação de acordos
bilaterais de comércio entre Argentina e Brasil;
mar/1991: Tratado de Assunção; Implementação formal do
Mercosul (entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai);
jan/1995: Implementação da união aduaneira no Mercosul;
out/1996: Chile ingressa como membro associado;
mar/1997: Bolivia ingressa como membro associado;
jan/1999: Desvalorização do Real (Brasil);
jan/2002: Desvalorização do Peso (Argentina);
2003: Peru ingressa como membro associado;
2004: Colombia e Equador como membros associados; e
jul/2006: Adesão da Venezuela como membro pleno
Indicadores sócio-econômicos do
Mercosul
Indicador
População Total (mil habitantes)
Argentina
Brasil
Paraguai Uruguai
MERCOSUL
39.356
192.645
6.120
3.332
241.453
1,0
17,5
13,4
97,2
369.958
1,3
19,2
23,6
88,9
805.838
1,8
24,8
32,0
94,4
8.894
0,2
15,1
13,1
98,0
24.169
1,3
19,0
--90,5
1.208.860
PIB per capita (US$)
PIB – taxa de crescimento (% aa)
PIB per capita (US$ PPC)
Exportação Global FOB (US$ mi)
9.400
8,7
13.308
55.933
4.183
5,4
9.695
160.262
1.453
6,0
4.489
2.785
7.254
7,4
11.621
4.496
5.007
6,4
10.179
223.476
Importação Global CIF (US$ mi)
44.400
126.655
5.577
5.589
182.221
Export. Interregional/global (%)
Import. Interregional/global (%)
Dívida Externa Global (US$ mi)
39
42
116.188
23
17
191.358
65
53
---
40
60
11.910
28
26
---
Crescimento Demográfico (% aa)
Natalidade (por 1.000 hab)
Mortalidade Infantil (por 1.000 hab)
Alfabetismo (%)
PIB (US$ milhões)
2. Globalização Produtiva e Financeira
Exportação (via Globalização ou Liberalização
Comercial)
A empresa pode decidir acessar o mercado externo via
exportação.
É, em geral, o primeiro passo da internacionalização da
empresa (exportação e importação)
Investimento Direto Externo (IDE) (Globalização
Produtiva)
Investimento produtivo no mercado externo
Investimento novo (greenfield) ou fusões e aquisições
IDE horizontal (mesmo produto em vários países) e IDE
vertical (integração vertical, ao longo da cadeia)
Internacionalização de empresas:
Estratégias de IDE
Mercado
Consumidor
Local
Market
Seeking
Efficiency
Seeking
Insumos
Naturais e
Mão-de-Obra
Barata
Produção em
Rede
Internacional
Resource
Seeking
EMNs
Asset
Seeking
Empresas
Locais
Mercado
Consumidor
Internacional
Internacionalização de empresas:
Estratégias de IDE
Market-seeking strategy - investimentos orientados para o
mercado interno dos países receptores do IDE. Efeito de
substituição de importação e tática de tariff-jumping
Efficiency-seeking strategy - investimentos que buscam
menores custos de produção através de economias de
escala e escopo via gestão unificada de atividades dispersas
Resource-seeking strategy – busca-se acesso a matériasprimas e à mão-de-obra, com custos relativamente baixos
Asset-seeking strategy – refere-se a gestão de ativos das
empresas estrangeiras através da compra de novas plantas
fabris, fusões, aquisição ou operações de joint ventures.
Objetivo é patrimonial e estratégico em mercados regionais
Internacionalização de empresas
Multinacionais: empresas que atuam em
diversos países. Tecnicamente, quando 10% ou
mais do capital social da empresa pertence a
uma empresa estrangeira.
Multinacionais podem se produzir de forma
horizontal, quando operam com o mesmo
produto em diversos países ( McDonald’s), ou de
forma vertical, quando possuem unidades em
diferentes países que produzem componentes
ao longo da cadeia de valor (por exemplo,
Adidas).
Comércio exterior e câmbio
Como a taxa de
câmbio se
relaciona com a
competitividade
das
exportações?

similar documents