rgcest - Altercexa

Report
24.10.2013
Eficiência energética e
energias renováveis na
indústria
Eugénia Coelho
[email protected]
Artur Serrano
[email protected]
Instrumentos de eficiência e gestão energética,
na indústria:
• SGCIE (Sistema de Gestão dos Consumos
Intensivos de Energia)
• ISO 50001 (Sistema de Gestão de Energia)
• RGCEST (Regulamento de Gestão dos
Consumos de Energia do Setor de Transportes)
Instrumentos de eficiência e gestão energética, na indústria:
Fonte : ADENE:
SGCIE:
• Aplicável a empresas CIE (>500 tep/ano) ou
voluntárias
• Exemplo: 2325,6 GWh/ano (só energia elétrica)
• Auditoria Energética com periodicidade
• Indicadores
• Planos de Racionalização dos Consumos de Energia
com periodicidade
• ARCE com DGEG
• Relatórios de acompanhamento
Fonte : ADENE:
Fonte : ADENE:
Fonte : ADENE:
Valor acrescentado SGCIE:
•
•
•
•
•
•
•
•
Isenção de ISP combustíveis industriais e energia elétrica
Redução dos consumos de energia
Redução dos custos de energia
Conhecimentos de consumos e custos de energia por
setor/produto
Monitorização de indicadores de eficiência energética
Adesão ao Fundo de Eficiência de Energia
Cumprimento de legislação
1º passo para a implementação de 1 SGE
Contrapartidas SGCIE:
•
•
•
•
Custos com Técnicos Reconhecidos (investimentos)
Taxas
Penalidades
Limitado ao sistema nacional
ISO 50001:
• Certificação de empresas: Sistema de Gestão de
Energia
• Melhoria continua do desempenho energético:
•
•
•
•
•
•
•
Política energética
Planeamento
Implementação
Monitorização, medição e análise
Auditoria interna
Não conformidades, ações corretivas e preventivas
Revisão pela gestão
Auditoria/
PREn
Correção
Acompanhamento
Verificação
(REP)
Implementação
Valor acrescentado da ISO 50001:
• Reconhecimento internacional
• Melhoria contínua do desempenho energético
• Alinhado com outros sistemas de gestão (com
possível integração)
• Aplicável a todas as variáveis que afetam o
desempenho energético
Contrapartidas ISO 50001:
• Custos de implementação
• Custos com entidades certificadoras
RGCEST:
•
•
•
•
•
Aplicável a empresas de transportes (>500 tep/ano)
Exemplo: 573016 litros/ano (só gasóleo)
Auditoria Energética com periodicidade
Indicador
Planos de Racionalização dos Consumos de Energia
com periodicidade
• Aprovação DGEG
• Relatórios de acompanhamento
Produção Consumo
"C"
"K2"*
" 0.9 x "C"
h
tep/ano
gep/h
gep/h
Ano de 2011
M=
C - Máquinas
K
N
Frota
x de Construção Civil
Total2
3
Produção
34 558
269.495
7.798
7.018
34 558
269.495
7.798
7.018
Consumo
"C"
"K2"*
" 0.9 x "C"
1000 V.k
tep/ano
gep/1000 V.k
gep/1000 V.k
Ano de 2011
Frota de transporte
53 752.38
280.104
5.211
4.690
Total
53 752.38
280.104
5.211
4.690
CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS MEDIDAS
2 0 12
Nº
1-
2-
Medida
Substituição de semi-reboques por outros de
estrutura mais leve que permitam reduzir os
consumos de combustível dos tractores P5 P7 e
P8
1
2 0 13
2
2 0 14
3
=>
Implementar acções de formação no sentido de
promover junto dos motoristas uma atitude
dirigida para a condução eficiente que permita a
redução dos consumos de gasóleo
=>
3-
Optimização da distribuição em termos logísticos
com eliminação gradual
de veículos de
transporte mais antigos com consumos mais
elevados e em pior estado.
=>
=> Início provável da implementação da medida
ECONOMIA ANUAL DE ENERGIA
Medida
Nº
1-
2-
3-
Substituição de semi-reboques por
outros de estrutura mais leve que
permitam reduzir os consumos de
combustível dos tractores P5 P7 e P8
Implementar acções de formação no
junto dos
sentido de promover
motoristas uma atitude dirigida para a
condução eficiente que permita a
redução dos consumos de gasóleo
Tipo de
Energia
Economia
Unidades
Economia Economia Economia Economia
(€)
(kgep/ano) tCO2 /ano (GJ/ano)
Investimento
(€)
Payback
(Anos)
Gasóleo
5 020.9 l
4 381
14
183
5 311
20 000
3.77
Gasóleo
9 447.9 l
8 244
26
345
9 993
1 500
0.15
Gasóleo
4 120.5 l
3 595
11
2 652
4 358
61 000
14.00
18 589.3 l
16 221
50
3 181
19 662
82 500
4.20
Optimização da distribuição em termos
logísticos com eliminação gradual de
veículos de transporte mais antigos
com consumos mais elevados e em
pior estado.
Total
-
Evolução do Consumo Específico
5.30
"C" = 5.211
5.20
5.124
5.10
5.037
kgep/1000 V.k
5.00
4.950
n = nº de referência do ano do Plano de Racionalização (1,2,3,4,5)
4.90
4.80
M= Meta - quantidade a reduzir ao "C" Consumo específico
encontrado
Evolução legal do Consumo específico médio anual previsto no PRCE de 2012 - 2014 [de acordo com a
formula (1)]
Evolução do consumo específico com a aplicação das medidas do PRCE
Consumo específico de referência "K" a adoptar para o PRCE de 2012 - 2014
"K" = 4.690
4.70
4.60
2 0 11
2012
2013
2014
4.909
Valor acrescentado RGCEST:
• Redução dos consumos de energia
• Redução dos custos de energia
• Conhecimentos dos consumos e custos de energia
por km, ex.
• Monitorização de indicadores de eficiência
energética
• Cumprimento de legislação
Contrapartidas RGCEST:
• Custos com Técnicos Reconhecidos
• Limitado ao sistema nacional
Energias Renováveis na indústria:
• Instalação de painéis fotovoltaicos para geração de
energia elétrica
• Instalação painéis solares térmicos para aquecimento
de água para: balneários, processo produtivo.
• Utilização de biomassa nas caldeiras de vapor
Medidas de racionalização dos consumos de
energia (exemplos):
• Recuperação de calor dos efluentes líquidos;
• Recuperação de calor de efluentes gasosos (râmulas,
secadores, fornos);
• Instalação de um Sistema de Gestão de Energia (com
contadores mais software);
• Isolamentos térmicos;
• Iluminação eficiente;
Medidas de racionalização dos consumos de
energia (exemplos):
•
•
•
•
•
•
Instalação de VEV’s;
Eliminação de fugas de vapor e ar comprimido;
Otimização do retorno de condensados;
Correção do fator de potência;
Otimização da eficiência de combustão;
Análise do contrato de energia elétrica.
Exaustão de gases
D1
Material
In
Forno Túnel
Material
Out
D2
O aquecimento de águas quentes da fábrica é feito com recurso a um
permutador instalado na zona de arrefecimento final do forno de telha
Nota: Na altura da visita, a temperatura
da água nos depósitos era de 71,1 ºC
Antes da aplicação da medida
Economias obtidas com
aplicação da medida
Consumo Anual
Estimado
[m3(n)/ano]
25 806
Custo Anual de
Combustível
[€/ano]
7 480
Emissões de
GEE
[tCO2e/ano]
62,6
Poupança Anual
Estimada
[m3(n)/ano]
Poupança Anual de
Gás Natural [€/ano]
Emissões de
GEE Evitadas
[tCO2e/ano]
25 806
7 480
62,6
140000
120000
Investimento (€)
Investimento: 130 000 euros
Payback: 17 anos
Muito
atractivo
100000
80000
60000
Mediamente
atractivo
Pouco
atractivo
40000
20000
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
Payback (anos)
Paineis solares fotovoltaicos = 150 m2
Potência a instalar = 20 kW
Produção = 32 000 kWh/ano (1 600 h/ano)
Economia = 11 600 €/ano
Investimento = 60 000 €
Payback Bonificado = 5.2 anos
Poupança = 0.9 % da factura de Energia Eléctrica
Payback Autoconsumo = 12 anos
MUITO OBRIGADO !!
Eugénia Coelho
[email protected]
Artur Serrano
[email protected]

similar documents