2.2 Caso de estudo_Venda à rede

Report
www.advancedway.pt
O nosso know-how
vai mais longe que a
própria energia.
Chega ao futuro.
ÍNDICE
1. QUEM SOMOS
2. MINi PRODUÇÃO
2.1. Enquadramento legal
2.2. Caso de estudo_venda à rede
2.3. Caso de estudo_modelo investidor
3. Venda à rede VS Auto-consumo_dilema de amanhã
1
QUEM SOMOS
valores
missão
team spirit
win- win partnership
energy
life long learning
value added
empathy
contribuir para o crescimento e renovação das
organizações através de soluções e serviços
capazes de desenvolver competências pessoais e
organizacionais
2
MINI PRODUÇÃO
A atividade de pequena escala de produção
descentralizada de eletricidade, recorrendo, para tal,
a recursos renováveis e entregando, contra
remuneração, eletricidade à rede pública, na
condição que exista consumo efetivo de eletricidade
no local da instalação.
2.1 Enquadramento Legal
Directivas Europeias
A energia, surge nos dias de hoje como factor decisivo condicionante da actividade de
todos nós obrigando a que os organismos internacionais, nacionais e locais, procurem formas
de utilização de energia eficientes e promovendo a redução das emissões de CO2.
Assim, a União Europeia fez aparecer Directivas que por sua vez deram lugar a legislação
sobre consumos energéticos que visão o cumprimento dos objectivos da política 20-20-20:
20% de redução de emissões de CO2 na atmosfera;
20 % de aumento do contributo de energias renováveis no consumo;
20 % de redução do consumo energético;
Estima-se que o peso do consumo energético da Industria em Portugal seja de
aproximadamente 40% do consumo total do País.
2.1 Enquadramento Legal
Diplomas Nacionais
A mini produção de energia é consagrada pelo DL 34/2011, estabelecendo os requisitos para
o acesso à actividade de mini produtor:
Deter um contrato de fornecimento de electricidade com consumos relevantes na sua
instalação de consumo;
Instalar um sistema de mini produção de potência até 50% da potencia contratada;
O consumo da instalação ser igual ou superior a 50% da energia produzida pela unidade de
mini produção;
A tarifa de referência (regime bonificado) para o ano de 2013 é de 151 euros /MW,
dependendo o acesso a esta de:
A realização de uma auditoria de energia que determine a implementação de medidas de
eficiência energética com o seguinte período de retorno:
• Escalão I ( unidades até 20 KW) – até dois anos
• Escalão II ( unidades de 20 a 100 kW) – até três anos
• Escalão III ( unidades de 100 a 250 kW) – até quatro anos
2.2 Caso de estudo_Venda à rede
Instalação de consumo_Viseu
Consumo de energia elétrica anual = 105.027 KWh/ano
Consumo[ponta(20,01%) +cheia(59,5%)]=21.087+62.510= 83.597 KWh/ano
Custo médio de energia [2011]=0,125 euros/KWh
Custo médio E.activa= 0,088 euros/KWh
Medidas PRE:
Reconversão LED sistema de iluminação - Investimento 4380 euros
Poupança anual 11.398 KWh/ano (10,8%) – 1.818,20 euros/ano PRI=3,6 anos – 5.397 Kg CO2
2.2 Caso de estudo_Venda à rede
Implementação sistema Fotovoltaico_Viseu
Potência de ligação 20 KW (2x SMA Tripower 10.000 TL)
Potência de pico 24,91 KWp (106 módulos SCHUCO 235 PS09)
Área de cobertura=550 m2
Dimensão de painel= 1,65x0,99 [m]
Orientação módulos : azimute 0º (SUL) inclinação=30º
Produção estimada=35.307,10 KWh/ano ( 1417 KWh/ano)
Emissões evitadas =16.590,8 Kg CO2
2.2.1 Análise Financeira
Pressupostos do estudo
•
•
•
•
Não recurso a credito bancário
Custo de manutenção anual 2%
Seguro 1,5%
Tarifa do 16º ao 25º ano 0,13 euros/KWh evoluindo 3 % ao ano)
Produção estimada
TIR= 13,08%
VAL=34.619 euros
PRI =6,1 anos
Produção estimada VS Produção real (ano 2013)
2.3 Caso de estudo_modelo investidor
Instalação de consumo
Dados:
Consumo de energia elétrica anual = 34.127 KWh/ano
Custo médio de energia [2011]=0,141 e 0,153 euros/KWh
Medidas PRE:
Reconversão LED sistema de iluminação - Investimento 3.195,2 euros
Poupança anual 5.404 KWh/ano (15,8%) – 794,6 euros/ano PRI=4,0anos – 2.539 Kg CO2
2.3 Caso de estudo_modelo investidor
Implementação sistema Fotovoltaico Porto
Potência de ligação 17 KW ( SMA Tripower 10000 TL + SMA 7000 HV)
Potência de pico 19,38 KWp (76 módulos LG 255 S1C)
Localização: Matosinhos
Área de cobertura=1027 m2
Dimensão de painel= 1,65x0,99 [m]
Orientação módulos : azimute 20º (Sudoeste) inclinação=15º
Produção estimada=28.083 KWh/ano (1444 KWh/ano)
2.3.1 Análise Financeira
Pressupostos do estudo
• Não recurso a credito bancario
• Tarifa do 16º ao 25º ano 0,15 euros/KWh evoluindo 3 % ao ano)
Produção estimada
TIR= 15,71%
PRI =5,9 anos
Produção estimada VS Produção real (ano 2013)
3
Venda à rede VS Auto-consumo
o dilema de amanhã
3.1 Caso de estudo_venda à rede VS auto consumo 100%
Instalação de consumo: Lisboa
Consumo de energia elétrica anual = 102.800 KWh/ano
Consumo[ponta(20,01%) +cheia(59,5%)]=21.087+62510= 83.597 KWh/ano
Custo médio de energia [2011]=0,125 euros/KWh
Custo médio Energia em Ponta e Cheia = 0,11 euros/KWh
3.1 Caso de estudo_venda à rede VS auto consumo 100%
Sistema estudado
Potência 20 KW ( 2 x SMA TP 10000 TL)
Potência de pico 23,76 KWp (88 módulos LG 270 S1C A3)
Estimativa de produção=37.774,70 KWh/ano
1. Unidade MN 20 KW (23,76 KWp)
Energia produzida e injectada na Rede=37.774,70 KWh
2. Sistema de Auto consumo 100 % (sem acumulação)
Energia consumida= 32.886 KWh/ano
Energia desperdiçada=4.889 KWh/ano
Grau de autonomia 32%
Quota de consumo próprio=87,2%
3.2 Análise Financeira Venda à rede VS Auto consumo 100%
Mini Produção (tarifa 2013- 0,151 euros/KWh)
TIR= 12,9% Cash. Acum. 25 anos=100.707,78 euros
PRI =7,4 anos
Auto-consumo 100% (tarifa – 0,11 euros/KWh)
TIR= 9,4%
Cash. Acum. 25 anos=75.584,83 euros
PRI =10,3 anos
Net- Meetering
O FUTURO?
Permitiria a valorização da energia não consumida, recorrendo a um sistema de créditos a
usar em período posterior.
TIR = 11,02%
Cash acumulado 25 anos = 92.734,90 euros
PRI = 9,0 anos
O nosso know-how vai mais longe que a própria energia.
Chega ao futuro.
R. Prof. Augusto Nobre, 451 Esc. A | 4150-119 Porto | 22.600.71.20 | [email protected] | www.advancedway.pt

similar documents