Avaliações como ponto de partida

Report
AVALIAÇÕES
COMO PONTO DE PARTIDA
Práticas de acompanhamento
Prof. Tiago Dias
Diretor da EE Pedro II
Prof. Vitor Lucas
NAPEM – SRE Metropolitana B
TÓPICOS
Pequena conceituação teórica a respeito das
avaliações de aprendizagem
 Legislação vigente (Resolução 2197/2012)
 Instrumentos avaliativos
 Como avaliar
 Análise de casos
 Apresentação de alternativas
 Avaliação dos profissionais

ESFERAS DE ATUAÇÃO DO DIRETOR
AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM
AVALIAÇÃO

“É um instrumento valioso e indispensável no
sistema
escolar,
podendo
descrever
os
conhecimentos, atitudes ou aptidões que os
alunos apropriaram. Sendo assim a avaliação
revela os objetivos de ensino já atingidos num
determinado ponto de percurso e também as
dificuldades
no
processo
de
ensino
aprendizagem.“
Maria Elisabeth Pereira Kraemer, 2006
AVALIAÇÃO

“Um processo pelo qual se procura identificar,
aferir, investigar e analisar as modificações do
comportamento e rendimento do aluno, do
educador, do sistema, confirmando se a
construção do conhecimento se processou, seja
este teórico (mental) ou prático.”
Ilza Martins Sant’anna, 1995
AVALIAÇÃO

“Refletir é também avaliar, e avaliar é também
planejar, estabelecer objetivos etc. Daí é
importante que os critérios de avaliação, que
condicionam seus resultados, estejam sempre
subordinados
a
finalidades
e
objetivos
previamente estabelecidos para qualquer prática,
seja ela educativa, social, política ou outra.”
Pedro Demo, 1999
AVALIAÇÃO

“A avaliação é uma tarefa complexa que não se
resume a realização de provas e atribuição de
notas. A mensuração apenas proporciona dados
que devem ser submetidos a uma apreciação
qualitativa. A avaliação, assim, cumpre funções
pedagógico-didáticas, de diagnóstico e de controle
em relação as quais se recorrem a instrumentos
de verificação do rendimento escolar”
José Carlos Libâneo, 1994
AVALIAÇÃO

“É uma forma de subsidiar a aprendizagem
satisfatória do educando, através de seu
acompanhamento rigoroso, tendo em vista o seu
desenvolvimento. Na avaliação não se classifica o
educando, mas tão somente ele é diagnosticado
em seu desempenho, o que consequentemente
implica em decisões a favor da melhoria de sua
aprendizagem e, por isso mesmo, do seu
desenvolvimento. Avaliar significa identificar
impasses e buscar soluções.”
Cipriano Carlos Luckesi, 2003
Avaliação Somativa
Ao final do processo
 Classifica
 Quantitativa
 Focada no professor
 Reprodução do
conhecimento
 Postura passiva
 Mensura

Avaliação Formativa
Durante o processo
 Orienta
 Qualitativa
 Focada no aluno
 Desenvolvimento da
habilidade
 Postura ativa
 Diagnostica

RESOLUÇÃO SEE 2197/2012
Art. 69 A avaliação da aprendizagem dos alunos,
realizada pelos professores, em conjunto com toda
a equipe pedagógica da escola, parte integrante
da proposta curricular e da implementação do
currículo, redimensionadora da ação pedagógica,
deve:
 I - assumir um caráter processual, formativo e
participativo;
 II - ser contínua, cumulativa e diagnóstica;
 III - utilizar vários instrumentos, recursos e
procedimentos;
 IV - fazer prevalecer os aspectos qualitativos do
aprendizado do aluno sobre os quantitativos;

RESOLUÇÃO SEE 2197/2012
V - assegurar tempos e espaços diversos para que
os alunos com menor rendimento tenham
condições de ser devidamente atendidos ao longo
do ano letivo;
 VI - prover, obrigatoriamente, intervenções
pedagógicas, ao longo do ano letivo, para garantir
a aprendizagem no tempo certo;
 VII - assegurar tempos e espaços de reposição de
temas ou tópicos dos Componentes Curriculares,
ao longo do ano letivo, aos alunos com freqüência
insuficiente;
 VIII - possibilitar a aceleração de estudos para os
alunos com distorção idade-ano de escolaridade.

AVALIAÇÕES EXTERNAS

Simave (Proalfa, Proeb e PAAE(?))

Saeb e Prova Brasil

Pisa
AVALIAÇÕES INTERNAS - INSTRUMENTOS

Prova objetiva
Correção rápida
 Gera dados objetivos


Prova dissertativa
Liberdade de escrita
 Análise mais pormenorizada


Seminário
Pesquisa e planejamento
 Desenvolve oralidade


Trabalho em grupo
Socialização
 Abrangência de conteúdos

AVALIAÇÕES INTERNAS - INSTRUMENTOS

Debate
Capacidade de argumentação
 Estimula a troca de informações


Relatório individual
Produção de textos
 Capacidade de síntese


Auto avaliação


Aluno como sujeito do processo
Observação
Avalia diversas características
 Analisa todo o processo

RESOLUÇÃO SEE 2197/2012

Art. 70 Na avaliação da aprendizagem, a Escola
deverá utilizar procedimentos, recursos de
acessibilidade e instrumentos diversos, tais como
a observação, o registro descritivo e reflexivo, os
trabalhos individuais e coletivos, os portifólios,
exercícios,
entrevistas,
provas,
testes,
questionários, adequando-os à faixa etária e às
características de desenvolvimento do educando e
utilizando a coleta de informações sobre a
aprendizagem dos alunos como diagnóstico para
as intervenções pedagógicas necessárias.
RESOLUÇÃO SEE 2197/2012

Parágrafo único. As formas e procedimentos
utilizados pela Escola para diagnosticar,
acompanhar e intervir, pedagogicamente, no
processo de aprendizagem dos alunos, devem
expressar, com clareza, o que é esperado do
educando em relação à sua aprendizagem e ao
que foi realizado pela Escola, devendo ser
registrados para subsidiar as decisões e
informações sobre sua vida escolar.
COMO AVALIAR?
Desmistificando provas e testes
Texto de Tânia Zagury, 2010





Definir critérios gerais e repassá-los de forma
clara ao aluno no início do ano.
Provas tradicionais não são antiquadas, mas não
podem ser o único instrumento.
Avaliar somente o que já foi discutido e da forma
como foi discutido.
Evitar “pegadinhas”. Os alunos não devem ser
induzidos ao erro.
Avaliar todas as habilidades já estudadas.

Caso seja possível, contemple questões básicas e
aprofundadas sobre uma mesma habilidade.

Questões claras e com objetivos bem definidos.

Analise os resultados e planeje com base neles.


Não penalize o aluno por atitudes que não tem
relação com seu desempenho na avaliação.
Mostre os resultados, corrija, discuta e interaja
com os alunos após a avaliação.
PRÁTICAS E SUGESTÕES
Análise de algumas ações reais
REFLEXÃO
“Sabe-se que o diretor de escola não atua
diretamente sobre a aprendizagem dos alunos, não
se constituindo, como os docentes, em fator
decisivo para a proficiência apurada na escola
pelos testes de avaliação. Entretanto, dele depende
a organização interna da unidade escolar e a
criação de condições adequadas para o trabalho
docente. O diretor é, sem dúvida, a autoridade
máxima na escola e o responsável último por ela”
Vitor Henrique Paro, 1995
RUMO A UMA AVALIAÇÃO FORMATIVA

Pulverização da distribuição de pontos






Máximo de 20% da pontuação do bimestre
Mínimo de 3 instrumentos diferentes
Extinção da avaliação bimestral
Acompanhamento contínuo do processo
Recuperação paralela à cada avaliação
Problemas enfrentados
Resistência dos professores
 Disciplinas com poucas aulas semanais
 Preparação para o ENEM

REUNIÕES DE ANÁLISE DE RESULTADOS

Módulo II
Programação antecipada
 Discussão com todo o corpo docente
 Momento de interação por área


Conselho de classe
Qualitativo
 Apresentação dos professores


Planilhas
ANÁLISE DE UM CASO PRÁTICO
Gráfico de resultados por disciplina - Turma 201 - 2º Bimestre
35
33
33
33
32
31
30
30
29
25
25
22
21
21
20
17
16
15
12
12
11
10
8
8
8
6
5
5
4
3
3
2 2
1
0 0
1 1
0
0 0
0 0
0
Língua
Matemática
Portuguesa
Biologia
Química
Física
Geografia
História
L.E.M.
Espanhol
Filosofia
Sociologia
Educação
Física
Arte
RESULTADOS APÓS PRIMEIRO SEMESTRE
LÍNGUA PORTUGUESA X
MATEMÁTICA
6º ano
7º ano
6º ano
7º ano
7%
19%
19%
34%
8º ano
93%
9º ano
8º ano
9º ano
34%
36%
34%
46%
66%
66%
81%
81%
64%
54%
66%
AVALIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS
Uma alternativa a avaliação de desempenho
institucional
SUBSÍDIO PARA ANÁLISE PROFISSIONAL

Elaboração de formulário online
Confidencialidade
 Simplicidade
 Resultados automáticos


Condições
Os alunos avaliam professores, supervisão e direção
 Os professores analisam a supervisão e a direção
 A supervisão analisa a direção
 Podem ser incluídas outras consultas

SUBSÍDIO PARA ANÁLISE PROFISSIONAL

Divulgação
A avaliação do diretor apresentada a todos
 Os demais individualmente


Detalhes
Apontar caminhos
 Não é punitiva
 Respalda decisões

AVALIAÇÃO DO MINI CURSO E ARQUIVOS
www.tiagodias.mat.br/encontro-de-diretores
[email protected]
OBRIGADO PELA PARTICIPAÇÃO!

similar documents