Apresentação do PowerPoint

Report
Aço no Brasil e no Mundo
Convenção de Fornecedores - ArcelorMittal
Marco Polo de Mello Lopes
Presidente Executivo
07 de novembro de 2014
Índice
• Instituto Aço Brasil
• Indústria do Aço no Brasil e no Mundo
Evolução, situação atual e perspectivas
• Conclusões
2
Aço no dia-a-dia
3
3
O Instituto Aço Brasil
Entidade civil, sem fins lucrativos, que tem
como objetivo congregar e representar as
empresas brasileiras produtoras de aço,
defender seus interesses e promover seu
desenvolvimento.
4
Empresas Associadas
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Aperam South America
Arcelormittal Aços Longos
Arcelormittal Tubarão
Companhia Siderúrgica Nacional – CSN
Gerdau Açominas S.A.
Gerdau Aços Especiais S.A.
Gerdau Aços Longos S.A.
Siderúrgica Norte Brasil S.A. – Sinobras
Thyssenkrupp CSA Siderúrgica do
Atlântico
Usiminas
Vallourec & Sumitomo Tubos Do Brasil VSB
Vallourec Tubos Do Brasil S.A.
Villares Metals S.A.
Votorantim Siderurgia
Perfil do Parque Produtor | 2013
-
Parque Produtor de aço: 29 usinas (14
integradas e 15 mini-mills),
administradas por 10 grupos.
-
Capacidade Instalada: 48,4 milhões de
t/ano de aço bruto
-
Produção de Aço bruto: 34,2 milhões de
toneladas (2,1% do total mundial)
-
Colaboradores 129.498
-
Faturamento: 71,4 bilhões de reais
5
FORNECEDORES
CLIENTES
80%
Setor Automotivo
Minério de Ferro
Máquinas e Equip.
Sucata
Ferro gusa a CV
Energia Elétrica
Setor
Aço
Construção Civil
Utilidades Domésticas
e Comerciais
Tubos Peq. Diâmetro
Embalagens
Gás natural
Outros
Efeito Multiplicador
Sustentabilidade da Indústria
• Rentabilidade / Lucratividade
• Responsabilidade Social, Geração de Empregos e Renda
• Ecoeficiência nos Processos e Produtos
7
O impacto total* do setor do aço na
economia corresponde a 4% do PIB,
ou seja, R$ 146,8 bilhões. Esse valor
seria suficiente para resolver 50% do
déficit habitacional no Brasil.
As florestas plantadas para produzir
carvão vegetal permitem a
preservação de 496,1 mil hectares
de florestas, equivalente a 56 mil
campos de futebol oficiais.
Os 7 milhões de toneladas de
coprodutos do alto forno,
usados na fabricação de cimento, são
suficientes para construir 52 pontes
Rio-Niterói.
Os 12,5 milhões de m³ de água doce
recirculadas por dia são suficientes
para o consumo diário de água de
33% da população brasileira.
O valor total* da produção da
Indústria do Aço, equivale a 4,8%
da produção total do Brasil, o
que significa R$ 328 bilhões.
*Considerando os efeitos diretos, indiretos
e induzidos em 2010, segundo a FGV.
Setor
Aço
A média do menor salário da
indústria brasileira do aço (R$
915,24) é 30% superior ao
salário mínimo nacional.
A cada emprego gerado na
indústria brasileira do aço
são gerados outros 23 na
economia, o que significa 3,3
milhões de posições. Juntas
essas pessoas ocupariam 41
Maracanãs.
R$ 49,7 milhões foram investidos
em um ano nos programas de
capacitação, treinamento e
desenvolvimento dos
colaboradores da indústria
brasileira do aço. Esse valor daria
para pagar a graduação
de 345 engenheiros por ano ou
construir 10 escolas técnicas.
10 anos é o tempo médio de
permanência do trabalhador na
indústria brasileira do aço. O dobro
do tempo médio de trabalho no
mercado formal.
O AÇO é 100% reciclável.
Histórico
Fundado em 1963, o IBS – hoje Instituto Aço
Brasil – vem, há 5 décadas, atuando na
representação e na defesa dos interesses da
indústria do aço.
9
Competitividade
“Em média , 1/3 da rentabilidade da Empresa
é decorrente da Estrutura do Setor”.
M. Porter
11
Peculiaridades Entidade vs Empresas - INDG
Resultados da Entidade
Resultados das Empresas
Área sob autoridade
direta dos gestores
(fatores internos)
Área fora da
autoridade direta
dos gestores
(fatores externos)
ESSENCIALIDADE DA
MANUTENÇÃO E
EXPANSÃO DA
REDE DE
RELACIONAMENTOS
• ANGARIAR PARCERIAS
• NEUTRALIZAR ADVERSÁRIOS
12
Atuação do Instituto Aço Brasil
Informação/
Estudos
NATUREZA DOS
TRABALHOS
DESENVOLVIDOS
Avaliação/
Opinião
Representação
/ Coordenação
Necessidade
de permanente
revisão e
fortalecimento
Comitês Técnicos:
• Meio Ambiente
• Comércio Exterior
• Mercado e Economia
• Imagem e
Comunicação
• Assuntos Legislativos
• Relações Trabalhistas
Radar dos Interesses do Setor
• Instituições públicas e
privadas / nacionais e
internacionais
• Representações
- Conselhos
- Comitês
- GT’s
- Fóruns
- Comissões
Rentabilidade
Competitividade
Sustentabilidade
Fazendo
Acontecer
FORMA DE
ATUAÇÃO
Evitando que
Aconteça
Direcionamento Estratégico:
> Planejamento
> Metas (Ações e Projetos)
> Rotinas
Demandas Especiais/
Emergências
Imagem
EVITAR QUE ACONTEÇA - Estudo IPT
(2005)
14
Estudo IPT – Participação do aço no automóvel
15
QUANTO O AÇO FAZ PARTE DA SUA VIDA ?
Ter um carro é sonho de consumo do brasileiro. Poucos, entretanto
conhecem a participação do aço no peso e no valor do veículo.
55,7%
No peso do
carro
apenas
7,9%
Aço Brasil imagem
No valor de
venda do carro
16
16
Rede de Relacionamentos
Indústria do Aço
no Brasil e no Mundo
18
Não existe país desenvolvido
que não tenha indústria
forte e desenvolvida.
19
Consumo de Aço x
Desenvolvimento
Econômico (PIB)
20
PIB X Consumo Aparente
US$ bilhões
10³ t
10,000
800,000
9,000
700,000
PIB
Consumo Aparente
8,000
600,000
7,000
500,000
6,000
5,000
400,000
China
4,000
300,000
3,000
200,000
2,000
100,000
Brasil
1,000
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
2001
2000
1999
1998
1997
1996
1995
1994
1993
1992
1991
1990
1989
1988
1987
1986
1985
1984
1983
1982
1981
0
1980
0
Fonte: worldsteel – Worldbank – Aço Brasil
Nos últimos 25 anos, por 17 vezes a economia brasileira
cresceu menos do que a média mundial
Perda de Competitividade
10
6
4
2
0
-2
-4
-6
1988
1989
1990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
Crescimento dpo PIB (%)
8
Brasil
Mundo
Crescimento do PIB brasileiro entre 1989-2013: 2,6% a.a.
22
Consumo per capita de produtos
Unid: kg por habitante
1980
2000
China
34,1
97,9
Coréia do Sul
160,0
817,7
Japão
610,5
600,5
USA
376,0
425,3
Alemanha
469,4
474,8
Espanha
202,1
434,8
Brasil
100,6
92,6
Chile
56,4
96,7
México
120,2
141,5
Média Mundial
151,7
132,9
Fonte: worldsteel
23
Consumo per capita de produtos
Unid: kg por habitante
1980
2000
2013
China
34,1
97,9
515,1
Coréia do Sul
160,0
817,7
1.057,4
Japão
610,5
600,5
516,4
USA
376,0
425,3
300,2
Alemanha
469,4
474,8
460,2
Espanha
202,1
434,8
221,0
Brasil
100,6
92,6
131,4
Chile
56,4
96,7
155,3
México
120,2
141,5
158,1
Média Mundial
151,7
132,9
216,9
124,6
(2014)
Fonte: worldsteel
24
Evolução Mundo
25
Evolução da Produção Mundial de Aço Bruto
1950 - 2013
1600
106t
1400
1200
1000
800
600
ANO
PRODUÇÃO
1950
189
1960
347
1970
595
1980
717
1990
770
2000
848
2004
1.071
2005
1.144
2006
1.249
2007
1.347
2008
1.341
2009
1.236
2010
1.431
2011
1.537
2012
1.559
2013
1.607
Excedente de
capacidade
150 milhões de t
1º Choque
do Petróleo
Crise do
Subprime
Crescimento
Acelerado
da China
2º Choque
do Petróleo
Fragmentação
da URSS
400
Média de Crescimento Anual nos períodos
200
1,2 % a.a
5,9% a.a
4,2 % a.a
0
1950
1960
1970
1980
Fonte: worldsteel
1990
2000
2013
2011
26
Evolução da Produção Mundial de Aço Bruto
1800
1600
106t
China
Demais Países
Total Mundo
1400
1200
1000
800
600
400
200
0
1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
A China responde por 89% do aumento da produção mundial entre 2001 e 2013
Fonte: worldsteel
27
Produção de Aço Bruto - 2013
20 países maiores produtores
Produção mundial total = 1.607 milhões toneladas
106t
900,0
800,0
779,0
700,0
600,0
500,0
400,0
8,0
7,9
Áustria
UK
Canadá
Espanha
15,4 13,7 12,5 11,9
Irã
França
México
Taiwan
24,1 22,3 18,5 15,7
Itália
Ucrânia
34,2 32,8
Brasil
Turquia
42,6 34,7
Alemanha
Coreia do Sul
81,2 69,4 66,0
Rússia
Japão
China
0,0
EUA
110,6 87,0
100,0
India
200,0
Polônia
300,0
A produção da China em 2013 é maior do que a produção acumulada
dos 30 países seguintes no ranking mundial
28
28
EVOLUÇÃO DO CONSUMO APARENTE
DE AÇO NO MUNDO 2000/2013
2000
2013
Crescimento
Médio
Anual (%)
2000/2013
UE (27)
Outros Europa
CIS
NAFTA
América do Sul e Central
África
Oriente Médio
Asia
Oceania
167,7
17,7
32,9
152,0
28,1
14,5
19,5
321,5
6,6
134,9
36,7
58,9
132,1
48,5
28,0
49,5
979,6
6,9
-1,66
+5,77
+4,59
-1,08
+4,29
+5,18
+7,42
+8,95
+0,30
Mundo
China
Mundo (excl. China)
760,5
124,3
636,3
1.475,0
699,7
775,4
+5,23
+14,22
+1,53
16,0
26,4
+3,93
(106t)
Brasil
•
•
•
Mundo desenvolvido manteve-se estagnado ou cresceu pouco
Países em desenvolvimento cresceram a taxas modestas (3% a 6%)
China cresceu a taxas muito elevadas
Fonte: worldsteel
29
Privatização e Participação Estatal
•
MUNDO
A participação de empresas estatais na produção siderúrgica mundial que era de
ordem de 70% até meados dos anos 80 reduziu-se para cerca de 52% em 1992 após
a fragmentação/reestruturação da União Soviética e continuou em processo de
redução para níveis atuais inferiores a 30%. Presentemente poucos países grandes
produtores do aço apresentam participação estatal relevante, cabendo destaque
a China, Índia e Irã.
•
AMÉRICA LATINA
No caso da América Latina a participação estatal de 52% observada em 1990
reduziu-se a 7% ao final de 1993. Nesse ano apenas Cuba e Equador mantinham
siderúrgicas estatais. Presentemente somam-se a estes a Venezuela, após a
reestatização da SIDOR.
30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
17
21
26
31
41
42
51
63
Nippon
POSCO
Arbed
Ispat
Usinor
Corus
LNM
ThyssenKrupp
Baosteel
NKK
Riva
Kawasaki
US Steel
Nucor
Severstal
Gerdau
Kryvorizstal
Lucchini
CST
Dofasco
Tangshan
28,4
27,7
24,1
22,4
21,0
20,0
19,2
17,7
17,7
16,0
15,6
13,0
10,7
10,0
9,6
7,1
6,1
4,8
4,8
4,1
3,2
2006
1
Mittal
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
2005
2000
Maiores Produtores
Mittal 1
2
+
Arcelor
Arcelor
Nippon
POSCO
JFE 3
Baosteel
US Steel
Nucor
Corus
Riva
ThyssenKrupp
Tangshan
Evraz
Gerdau
Severstal
63,0
109,7
46,7
32,0
30,5
29,9
23,8
19,3
18,4
18,2
17,5
16,5
16,1
13,9
13,7
13,5
1. Ispat, ISG, LNM, Krivorozstal
2. Arbed, Usinor, Aceralia, CST, Acesita, Dofasco
3. NKK + Kawasaki
4. Severstal, Lucchini, Rouge
31
Consolidação – Participação de mercado
A indústria do aço é fragmentada . . .
90%
80%
65%
70%
60%
Fragmentação
48%
36%
30%
Fornecedores
Fonte: Metal Bulletin
Aço
Consumidores
Alumínio
Celulose
Produtos
Químicos Gases
Automobilística
Embalagens
Estaleiros
C. Civil
Aço
Carvão
Equipamentos
Siderúrgicos
Minério de
Ferro
19%
25% 27%
Outros Produtos
32
32
Situação Atual
Mundo
33
Situação atual
• Fator China
- 50% da produção mundial de aço;
- Aumento esperado de produção de 24Mt – somente 27% para o
mercado chinês.
• Excesso de capacidade.
• Volatilidade nos preços das matérias-primas.
• Desvios de comércio.
• Margens comprimidas.
34
Excesso de capacidade de aço por região - 2013
Em Mt
Europa
CIS
China
98
NAFTA
79
280
Ásia
(excl. China)
12
89
Américas Central
& do Sul
14
Capacidade: 2.168 Mt
Consumo: 1,598 Mt
Excesso: 570 Mt
Fontes: World Steel Association (abr/14) e análise Gerdau
Aumento de capacidade adicional de aço – 2014
a 2016
Em Mt
China
CIS
Turquia
NAFTA
5
7
28
4
69
Japão &
Coréia
2
MENA
Índia
31
Sudeste Asiático
17
América do Sul
7
Fonte: World Steel Association (abr/14)
Causas e consequências do excesso de
capacidade de produção
Diminuição da Margem EBITDA das empresas
siderúrgicas
Fonte: Mckinsey
Mercado Mundial de Aço
Regional Summary
Apparent Steel Use, finished steel (SRO October 2014)
39
Global Overview
40
SOE – State Owned Enterprises
41
Evolução Brasil
42
0
Importação
Exportação
Produção de Aço
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
2001
2000
1999
1998
1997
1996
1995
1994
1993
1992
1991
1990
1989
1988
1987
1986
1985
1984
1983
1982
1981
1980
1979
1978
1977
1976
1975
1974
1973
1972
Brasil – Histórico do crescimento do mercado de aço
40
35
30
25
20
15
10
5
Consumo Aparente
43
43
INDÚSTRIA DO AÇO NO BRASIL
Evolução das Exportações
Unid.: mil t
Exportações em 2013
Volume: 8,1 Mt
Valor: US$ 5,6 bilhões
9000
8000
7000
6000
5000
Semi-acabados
4000
Acabados
3000
2000
1000
0
80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13
1980
1985
44
1990
1995
2000
2006
2008
2009
2010
2011
2012
2013
Exportações (106t)
1,5
7,1
9,0
9,6
9,6
12,5
9,2
8,6
9,0
10,8
9,8
8,1
% nas vendas
11,6
43,0
51,1
45,1
39,1
41,8
29,6
34,6
30,3
33,6
31,2
26,2
Valor em U$ bilhões
0,6
1,7
2,8
3,4
2,7
6,9
8,0
4,7
5,8
8,4
7,0
5,6
Fonte: Aço Brasil
44
INDÚSTRIA DO AÇO NO BRASIL
ESTATAIS
PRIVADAS
(1978)
PRIVATIZAÇÃO
Período: 1991/1993
Empresas Privatizadas:
USIMINAS
AÇOS FINOS PIRATINI
CST
ACESITA
CSN
COSIPA
AÇOMINAS
FUSÃO ASP/IBS - 1993
45
Consolidação da Indústria do Aço no Brasil
Unid.: 10³ t
Participação na Produção de Aço
Bruto 2013
40
35
30
25
20
15
10
5
0
35
32,9
28
33,8
30,9
23
25,1
20,4 20,6
26,5
13
8
8
34,2
34,5
33,7
27,9
8
35,2
8
9
10
11
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
GRUPO GERDAU
ARCELORMITTAL
USIMINAS
CSN
CSA
8.063
VOTORANTIM SIDERURGIA
1.203
739
7.948
6.860
4.464
3.721
APERAM
VALLOUREC
SINOBRÁS
VSB
VILLARES METALS
421
314
304
141
11
1985 1990 1995 2000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Número de Empresas
Produção Total de Aço Bruto
(em milhões de toneladas)
Fonte: Aço Brasil
*Considerando Grupo ArcelorMittal: ArcelorMittal Tubarão + ArcelorMittal Aços longos + Aperam
46
Situação Atual
Brasil
47
Perfil da Indústria do Aço no Brasil
• Profissionais qualificados
• Capacidade para atendimento ao mercado interno;
• Parque industrial moderno
• Disponibilidade de minério de ferro de qualidade
• Experiência de sucesso nas rotas integradas e semi integradas.
• Capacidade para investir
• Agilidade e flexibilidade na gestão
• Desempenho operacional entre os melhores do mundo
• Proximidade entre usinas, mercado consumidor e portos
48
Logística e infraestrutura para
produção de aço no Brasil
892 km
Exportação de
Minário de Ferro
Carajás
± 1200 km
Os 4 Estados do Sudeste compreendem:
95,7% da produção brasileira
70,0% do consumo doméstico
Exportação de
Minário de
Ferro e
Produtos
Siderúrgicos
± 750 km
Usinas
Portos
Ferrovias
Minas
49
Perda de Competitividade
A indústria brasileira do aço vem deteriorando sua competitividade
nos últimos anos.
Evolução do custo da produção de placas no mundo em relação ao Brasil (%)
Fonte: elaboração própria a partir de dados do Bank of America Merrill Lynch. O custo médio
mundial era 39% superior ao brasileiro em 2004, mas esta diferença caiu 3% em 2012.
51
Perda da competitividade da Indústria
52
Saldo da Balança Comercial – Ind. de Transformação
Período: 2002/2007 = (+) US$ 120 bilhões
2008/2013 = (-) US$ 130 bilhões
Total = US$ 250 bilhões
Total de perda da ind. de transformação:
R$ 575 bilhões
O que pode ser feito no prazo de 05 anos:
- Gerar 1,5 milhões de empregos
- Investimentos da ordem de US$ 120 bilhões
53
Câmbio
54
Câmbio
55
Situação Atual
Perda de Competitividade Devido a
Fatores Sistêmicos
Cumulatividade de Impostos, energia
elétrica, gás natural, infraestrutura, etc.
Dificuldade em competir
Com o importado
Na exportação
Baixo grau de utilização da capacidade
El nivel de utilización de la capacidad de acero en Brasil está por
debajo del mundo desde 2005
100%
97%
Nivel de Utilización de la
Capacidad de Acero
95%
90%
85%
Mundo
Brasil
92%
89%
84%
88%
89% 90% 90%
86%
88%
87%
83%
79% 80%
83%
80%
81%
72%
75%
74% 74%
70%
65%
60%
76% 75%
72%
71%
78%
69%
63%
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014*
Fuentes: World Steel Association y Instituto Aço Brasil
* 2014 para el período enero-septembro
Indústria do Aço no Brasil - Síntese
Unid.: 103t
JAN/SET
14/13
ESPECIFICAÇÃO
2012
2013
13/12
14/13
(%)
(%)
2014 (***)
2013
2014
(%)
25.829
25.486
( 1,3)
34.524
34.163
33.314
( 1,0)
( 2,5)
17.336
15.870
( 8,5)
21.603
22.794
21.675
5,5
( 4,9)
6.118
4.194
6.757
4.867
10,4
16,0
9.723
7.021
8.091
5.567
8.403
6.162
(16,8)
(20,0)
3,9
10,7
2.764
3.140
13,6
3.784
3.704
3.770
( 2,1)
1,8
3.269
3.220
( 1,5)
4.542
4.252
3.955
( 4,4)
( 7,0)
20.041
18.947
( 5,5)
25.181
26.425
25.339
4,9
( 4,1)
PRODUÇÃO
AÇO BRUTO
VENDAS INTERNAS (*)
COMÉRCIO EXTERIOR
EXPORTAÇÕES
TOTAL (103 t)
(US$ Milhões)
IMPORTAÇÕES
TOTAL (103 t)
(US$ Milhões)
CONSUMO APARENTE (**)
(*) Exclui as vendas para dentro do parque.
(**) Vendas Internas + Importação por Distribuidores e Consumidores.
(***) Previsão
Fonte: Aço Brasil/MDIC-SECEX
58
Importações Diretas e Indiretas de Produtos Siderúrgicos
59
Capacidade x Demanda
Consumo e Capacidade de Aço Bruto /
Excedente de Capacidade Nacional
Unid: milhões de t
2010
2011
2012
2013
2014
A – Capacidade Instalada de
Produção em Aço Bruto
44,6
47,8
48,4
48,4
48,9
B – Demanda Interna
Prevista (em aço bruto
equivalente)
29,0
27,8
28,0
29,3
28,2
C – Sobra de Capacidade em
relação à demanda
doméstica (A-B)
15,6
20,0
20,4
19,1
20,7
D – Sobra de Capacidade em
relação à demanda
doméstica (C/B)
54%
72%
73%
65%
73%
60
Conclusões
• O mercado mundial de aço continuará extremamente difícil.
 Elevado excesso de capacidade no curto prazo.
61
Conclusões
• O mercado mundial de aço continuará extremamente difícil.
 Elevado excesso de capacidade no curto prazo;
 Intensa competição;
 Impacto da desaceleração do crescimento da China / aumento
das exportações;
 Desvios de comércio;
 Margens comprimidas;
 Volatilidade nos preços das matérias-primas.
63
Medidas Necessárias ao
Desenvolvimento do Setor
Promoção do
crescimento do
mercado interno /
ampliação dos
mecanismos de
incentivo ao
“Conteúdo Nacional”
64
Oportunidade de Crescimento Futuro
•
Potencial para alavancar o consumo per capita de aço no Brasil, que atualmente é menor do que
a maioria dos demais países em desenvolvimento, somente à frente de África do Sul e Índia;
Consumo per Capita de Aço em 2013
1057
Kg/hab. ano
793
547 516 515
460 425 415 415
378 369 354
302 300 267
235 221 219 206 196
158 132 106
58
Fonte: World Steel Association
Consumo de Aço
Consumo de Aço
• Diversos países já experimentaram booms de consumo doméstico de aço ao
entrarem em ciclos de desenvolvimento com elevados investimentos em
infraestrutura e consumo de massa.
CICLOS DE CRESCIMENTO DO CONSUMO DOMÉSTICO DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS (% a.a.)
Fonte: worldsteel, USGS, Laplace Conseli analysis
67
Medidas Necessárias ao
Desenvolvimento do Setor
Promoção do
crescimento do
mercado interno /
ampliação dos
mecanismos de
incentivo ao
“Conteúdo Nacional”
Eliminação de
Assimetrias que
favorecem importações
/ Defesa Comercial
O crescimento sustentado da indústria do aço no Brasil depende da elevação do nosso
consumo per capita que está estreitamente correlacionado com a elevação da taxa de
investimentos da economia do país.
68
Projeção 2023, se mantido o ritmo dos últimos 5 anos ...
Evolução de Importações da China
2000
África,
4.6%
América
Latina,
33.1%
2013
Oceania,
1.0%
África,
América 0.7%
Latina,
9.4%
Oceania,
1.8%
Europa,
33.1%
A produção anual de aço no
Brasil equivale a 18 dias de
produção na China.
China,
1.4%
Ásia, 8.8%
Europa,
48.0%
China,
37.8%
América
do Norte;
7,8%
Ásia, 14.1%
América
do Norte,
3.1%
• Em 13 anos a participação das importações da China aumentou em 36,4
pontos percentuais
• Além disso, o Brasil perdeu mercado para a China na América Latina.
70
Medidas Necessárias ao
Desenvolvimento do Setor
Promoção do
crescimento do
mercado interno /
ampliação dos
mecanismos de
incentivo ao
“Conteúdo Nacional”
Eliminação de
Assimetrias que
favorecem importações
/ Defesa Comercial
Melhoria da
Competitividade
do Setor
O crescimento sustentado da indústria do aço no Brasil depende da elevação do nosso
consumo per capita que está estreitamente correlacionado com a elevação da taxa de
investimentos da economia do país.
71
Correção de Assimetrias
• Câmbio apreciado
• Elevada carga tributária
• Impostos cumulativos e sobre investimentos
• Juros elevados
• Infraestrutura/Logística precárias
AÇO
Construindo
um Futuro
Sustentável
Obrigado

similar documents