Receita bruta

Report
O que é Exercício Social?
O que é Resultado?
O que Regime de Competência?
EXERCÍCIO SOCIAL
É o espaço de tempo (12 meses), findo o qual as pessoas
jurídicas apuram seus resultados; ele pode coincidir, ou não, com
o ano-calendário, de acordo como que dispuser o estatuto ou o
contrato social. Perante a legislação do imposto de renda, é
chamado de período-base (mensal ou anual) de apuração da
base de cálculo do imposto devido.
Fonte: http://www.portaldecontabilidade.com.br/glossario.htm
Portanto, a cada exercício social a empresa deve
apurar os resultados de seus negócios para saber se
houve lucro ou prejuízo. Isto é feito pela confrontação
entre Receitas e despesas.
RESULTADO DO EXERCÍCIO
Aparece então a Demonstração do
Resultado do Exercício.
A DRE, que apresenta um resumo
ordenado das despesas e receitas do
período.
Desta forma facilita a tomada de decisão.
CONCEITO DE RECEITA E DESPESA
Receita: de forma geral
corresponde às vendas de
mercadorias e serviços. Reflete
no BP no caixa (vendas a vista) e
em direitos a receber (DP a
receber)
Toda receita aumenta o Ativo,
entretanto nem todo aumento do
ativo significa Receita
(empréstimos bancários,
financiamentos, etc.)
Sempre que entrar dinheiro
no caixa através de receita a
vista, chamaremos esta
operação de Encaixe.
CONCEITO DE DESPESA
Despesa: todo sacrifício da
empresa para obter receita.
É refletida no Balanço como redução
do caixa, quando a vista, ou
aumento do passivo, quando a
prazo. Pode ainda resultar de outras
deduções do ativo, como desgaste
de máquinas (depreciação).
Sempre que sair dinheiro do
caixa através de pagamento
de despesa, chamaremos a
operação de desembolso ou
desencaixe.
Quando o Ativo, de forma inesperada,
anormal, perder sua capacidade de
gerar benefícios, teremos o fenômeno
denominado PERDA.
Ex. incêndio, roubo, inundações.
RESUMO
OPERAÇÕES
A PRAZO
A VISTA
Receita
+ DP a receber (Ativo)
+ Caixa (encaixe) – (Ativo)
Despesa
+ Contas a Pagar (Passivo)
(-) Caixa (desembolso)
(Ativo)
DRE
BP
RECEITA DE COMPETÊNCIA
-
Universalmente adotado;
-
Aceito pela Teoria da Contabilidade;
-
Aceito pela Legislação do Imposto de Renda;
-
Evidência o resultado de forma mais adequada e completa;
-
Consiste em contabilizar a receita e despesa no período que for
gerada ou consumida independente do recebimento e
pagamento respectivamente.
REGIME DE CAIXA
-
Aplicado basicamente às microempresas ou entidades sem fins lucrativos.
(Igrejas, Clubes, Sociedades Filantrópicas);
-
Instrumento de apuração de resultado de forma simplificada e contabilidade;
-
As regras básicas deste regime são:
•
A receita será contabilizado no momento que entrar o dinheiro (encaixe).
•
A despesa será contabilizada no momento do pagamento (desembolso).
EXEMPLO DE REGIME DE COMPETÊNCIA E DE
CAIXA
A Cia. Ventríloca vendeu em X1 R$20.000 e só recebeu R$12.000 (o
restante receberá no futuro); teve como despesa incorrida R$16.000 e
pagou até e último dia do ano R$10.000. (fonte: Marion, 2009).
DRE
REGIME DE
COMPETÊNCIA
REGIME DE CAIXA
Receita
(-) Despesas
Lucro
20.000
(16.000)
4.000
12.000
(10.000)
2.000
BALANÇO PATRIMONIAL X DRE E REGIME DE
COMPETÊNCIA
-
Contas será sempre classificas no BP ou DRE.
No ativo figuram os itens que trazem benefícios para empresa,
no momento que esses itens perderem a capacidade de
produzir benefícios, passam a ser despesas.
Ex: Materias de escritório podem ser classificado no Ativo
Circulante (AC) pois trarão benefícios no futuro. Conforme são
consumido serão baixado do ativo e contabilizados como
despesas. O saldo em estoque (de um exercício pra outro) pode
figurar no AC como Despesa no Exercício Seguinte ou como
Materiais de Consumo.
EFEITOS DO LUCRO NO BALANÇO
Atenção
EFEITOS DO LUCRO NO BALANÇO
Sabemos que o lucro apurado pela empresa
pertence aos
proprietários, bem como o prejuízo deve ser assumido por eles.
Quando os proprietários não retiram totalmente o lucro chamamos de
lucros retidos ou lucros acumulados. Este lucro acumulado entrará no
PL , sendo aplicado no Ativo.
EXEMPLO DE LUCRO NO BP
Considerando um empresa que tenha inicialmente R$900,00 de capital aplicado no
caixa. Durante o ano tem receita de R$800,00 a vista, por prestação de serviços,
e uma despesa de R$500,00. Apurando o lucro, veremos os efeitos no balanço,
sabendo-se que não houve distribuição de dividendos:
DRE
Receita a vista R$ 800,00
(-) Despesas R$(500),00
Lucro
R$300,00
BALANÇO PATRIMONIAL (APÓS APURAÇÃO DO LUCRO)
ATIVO
Circulante
Caixa
Total
PASSIVO E PL
Início do Ano
Final do ano
900,00
1.200,00
900,00
1.200,00
P. Líquido
Capital
Lucros Acumulados
Total
Início do
Ano
Final do ano
900,00
900,00
-
300,00
900,00
1.200,00
DESPESA X CUSTO
Despesa: todo sacrifício
realizado pela empresa para
a obtenção de receita.
Custo: é todo sacrifício
relativo a bens e serviços
que serão utilizados na
produção de outros bens
e serviços.
DRE – DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO
EXERCÍCIO
Lembre-se:
DRE é a segunda
demonstração financeira
exigida pela legislação
brasileira. Indica o
resultado do exercício do
ano ou período contábil.
DRE
Demonstração dedutiva
É apresentada de forma dedutiva, ou seja, das
receitas subtraem-se as despesas e, em seguida,
indica-se o resultado.
Receita
(-) Despesas
Lucro
COMO APURAR A RECEITA BRUTA
Receita bruta: é o total vendido no período.
Estão inclusos na receita bruta os impostos sobre
as vendas que pertencem ao governo e são pagos
Receita Bruta
(-) Deduções
Receita Líquida
pelo consumidor , portanto não são despesas. São deduções.
Ainda não foram subtraídas as devoluções (vendas
Canceladas) e os abatimentos (descontos) ocorridos no período que também são
deduções.
Os impostos sobre as vendas são aqueles gerados no momento da venda e variam
proporcionalmente a elas.
IMPOSTOS E TAXAS SOBRE AS VENDAS MAIS
COMUNS:
IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados (Imposto federal e varia de 0 a
400%.
ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (governo estadual)
ISS – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (município)
PIS – Programa de Integração Social – (taxa sobre o faturamento – Governo
Federal)
Cofins – Contribuição para a Seguridade Social (Governo Federal)
IMPOSTOS E TAXAS SOBRE AS VENDAS MAIS
COMUNS:
RECEITA OPERACIONAL BRUTA
Vendas de Produtos
Vendas de Mercadorias
Prestação de Serviços
(-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA
Devoluções de Vendas
Abatimentos
Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas
= RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA
COMO APURAR O LUCRO BRUTO
Lucro Bruto é a diferença entre Venda de
Mercadorias e o Custo de Mercadoria Vendida,
Desconsiderando então, as despesas, sendo estas
Administrativas, de vendas ou financeiras.
O lucro bruto é portanto a fatia que é destinado
Receita Bruta
(-) Deduções
Receita Líquida
(-) Custo das Vendas
Lucro Bruto
Ao pagamento das despesas (vendas,
Administrativas e financeira) bem como à
Remuneração do governo (IR) e dos proprietários (lucro líquido).
CUSTO DAS VENDAS
CPV
•Empresas
Industriais
CMV
•Empresas
Comerciais
CSP
•Prestadoras de
Serviços
COMO APURAR O LUCRO OPERACIONAL
O Lucro Operacional é obtido pela
diferença entre Lucro Bruto e Despesas
Operacionais.
Receita Bruta
(-) Deduções
Receita Líquida
(-) Custo das Vendas
Lucro Bruto
(-) Despesas Operacionais
Lucro Operacional
COMO APURAR O LUCRO OPERACIONAL
Ver o restante diretamente no Livro, página 103
em diante.
REFERÊNCIAS
FRANCO, Hilário. Contabilidade geral, 23° Ed. São Paulo, Atlas, 2006.
FAVERO, Hamilton Luiz. LONARDONI, Mário. SOUZA, Clóvis de. TAKAKURA,
Massakazu. Contabilida de Teoria e Prática. São Paulo, Atlas S.A, 2006.
MARION, José C. Contabilidade Empresarial. São Paulo: Atlas, 1982.
IUDÍCIBUS, Sergio de. MARION, José Carlos. Introdução à Teoria da Contabilidade, 3º
Ed. São Paulo, Atlas, 2002.

similar documents