Storyboard - COB

Report
Fundamentos da Administração Esportiva
Fundamentos da
Administração Esportiva
FAE
Validador,
muito mais u
à validação de
responsável p
caso para guia
do título. Ela f
de Design Ins
por tratar o
curso uma ap
final, mas qu
que dispõe d
Power Point
produzido
fontes de sis
chegar até a e
na linha de p
com todos os
diagramação d
de imagens, con
Fundamentos da Administração Esportiva
Fundamentos da Administração Esportiva
Fundamentos da Administração Esportiva
Fundamentos da Administração Esportiva
Fundamentos
da Administração Esportiva
Fundamentos da
Administração Esportiva
Solidariedade Olímpic
Internacional
O curso FAE foi elaborado com base no conteúdo do livro
Managing Olympic Sport Organisations, lançado pela SOI.
Os módulos on-line acompanham a estrutura do curso e estão
divididos em oito áreas que abrangem as seguintes
competências-chave esperadas de funcionários e gestores de
OEOs.
Conheça cada área a seguir:
Organizações Esportivas
Olímpicas
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Apresenta a origem dos Jogos Olímpicos, seus símbolos e os objetivos
do Movimento Olímpico.
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Discute sobre importância do esporte dentro e fora da comunidade esportiva.
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Contribui para o desenvolvimento do dia a dia de trabalho em uma OEO,
melhorando o rendimento individual e coletivo das organizações.
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Apresenta as melhores práticas de administração do ambiente
organizacional das Organizações Esportivas Olímpicas, desde a constituição
de uma organização esportiva até a sua governança corporativa.”
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Apresenta as melhores práticas de administração do ambiente organizacional das
Organizações Esportivas Olímpicas, desde o seu planejamento estratégico até a
gestão financeira e de recursos (humanos e materiais).
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Apresenta as melhores práticas de gestão das Organizações Esportivas Olímpicas
para que possam se tornar reconhecidas dentro de sua comunidade esportiva e
dentro da sociedade, buscando alcançar um patamar de autossuficiência
administrativa, financeira e operacional.
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Introduzir conceitos e serviços que podem contribuir para o desenvolvimento de atletas
de elite em diferentes âmbitos: Ciência do Esporte; Medicina do Esporte; Antidoping;
Tecnologia Esportiva; desenvolvimento da liderança técnica; requisitos essenciais para o
desenvolvimento de atletas; e detecção de talentos.
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
Seleção para os Jogos Olímpicos e Missão
Apresenta os elementos de uma delegação olímpica, mostrando sobre quais pilares está
estabelecida, como funciona, os diferentes stakeholders envolvidos e quais os
preparativos necessários, desde a seleção dos atletas até o momento em que eles
entram nos espaços de competição.
Fundamentos da Administração Esportiva
História Olímpica
Valores e Questões
Habilidades Administrativas
Administrando o Ambiente
Gestão de Recursos
Gestão de Atividades
Desenvolvendo Atletas de Elite
TodosOlímpicos
os envolvidos
Seleção para os Jogos
e Missão
no processo
Apresenta os elementos de uma delegação olímpica, mostrando sobre quais pilares está
estabelecida, como funciona, os diferentes stakeholders envolvidos e quais os
preparativos necessários, desde a seleção dos atletas até o momento em que eles
entram nos espaços de competição.
Fundamentos da Administração Esportiva
Módulo
01
História Olímpica
Valida
muito
à valida
respon
foram c
Instru
o con
aparê
que ai
dos re
onde
que
de sis
até a
produçã
recurso
de texto
con
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
Entenda o surgimento e o desenvolvimento dos Jogos Olímpicos da antiguidade até os dias atuais.
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
Compreenda a função e a estrutura do COI.
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
Conheça o surgimento e a função dos CONs.
.
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
Aprenda a função das Fis e de outras instituições ligadas ao esporte.
.
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
Conheça outras instituições constituintes do Movimento Olímpico e suas respectivas
funções.
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
Analise os elementos que constituem os Jogos Olímpicos e o processo para candidatura
e seleção das cidades-sede.
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
Entenda o surgimento e os objetivos dos Jogos Olímpicos da Juventude.
8 - Jogos Continentais e Outros
Fundamentos da Administração Esportiva
Este módulo, História Olímpica, está dividido em oito tópicos.
Conheça cada um deles clicando nos itens abaixo:
1 - Origens do Movimento Olímpico e dos Jogos Olímpicos da Era Moderna
2 - O Comitê Olímpico Internacional (COI)
3 - Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs)
4 - As Federações Internacionais (FIs)
5 - Outros Constituintes do Movimento Olímpico
6 - Os Jogos Olímpicos
7 - Os Jogos Olímpicos da Juventude
8 - Jogos Continentais e Outros
Conheça os Jogos Continentais e outros.
Fundamentos da Administração Esportiva
Neste módulo abordaremos informações acerca da História dos Jogos Olímpicos,
como eles foram recriados e se mantêm a partir da Era Moderna.
Você aprenderá:
Como se desenvolveu todo o Movimento Olímpico até chegar ao quadro atual, o papel do COI e de
seus membros, dos demais comitês, federações e comissões; o processo de concepção e evolução dos
Jogos Olímpicos; o processo de candidatura internacional para escolha da cidade-sede dos Jogos
Olímpicos; sobre os Jogos Olímpicos de verão e inverno, os continentais, regionais e temáticos, entre
outros.
Ao final do módulo, você será capaz de:
1. compreender como os Jogos Olímpicos foram recriados na Era Moderna;
2. entender como os Jogos Olímpicos se mantêm;
3. identificar o COI, todos os comitês, federações, comissões e programas, como o Solidariedade
Olímpica, sua estrutura e principais funções;
4. reconhecer os itens relevantes da Carta Olímpica, em relação ao escopo do módulo;
5. entender o processo de candidatura para escolha da cidade-sede dos Jogos Olímpicos;
6. compreender os Jogos Olímpicos, em geral, todos os seus formatos, temas e/ou abrangência.
Fundamentos da Administração Esportiva
Tópico
01
Origens do
Movimento Olímpico
e dos jogos Olímpicos
da Era Moderna
Fundamentos da Administração Esportiva
1 - Entenda o surgimento e o desenvolvimento dos Jogos Olímpicos da antiguidade até os dias atuais.
O desenvolvimento do movimento olímpico, seus personagens e seu contexto histórico.
O renascimento dos Jogos Olímpicos e a criação do Comitê Olímpico Internacional.
Os princípios do Olimpismo e seus símbolos.
2 - Entenda a função e a estrutura do COI.
3 - Entenda a função e a estrutura do CON.
4 - Conheça a função das Fis e de outras instituições ligadas ao esporte.
5 - Conheça outras instituições constituintes do Movimento Olímpico e suas respectivas funções.
6 - Entenda os elementos que constituem os Jogos Olímpicos e o processo para candidatura e seleção das
cidades-sede.
7 - Entenda o surgimento e os objetivos dos Jogos Olímpicos da Juventude.
8 - Conheça os Jogos Continentais e outros.
Fundamentos da Administração Esportiva
O percurso do movimento olímpico <<
1863
Imagem de marcação, extraída
da Internet, a ser substituída
pela que está indicada no campo
de anotações.
1896 a 1925
1937
Fundamentos da Administração Esportiva
O percurso do movimento olímpico <<
1863
1896 a 1925
1937
Pierre de Frédy, Barão de Coubertin, nasceu em Paris, no dia 1º de
janeiro de 1863. Ainda jovem, interessou-se por história, sociologia
e pedagogia.
Imagem de marcação, extraída
da Internet, a ser substituída
pela que está indicada no campo
de anotações.
Depois de estudar em um colégio jesuíta, Coubertin ingressou na
Academia Militar Francesa e na Faculdade de Direito, mas
abandonou os dois cursos para se dedicar ao ideal de reforma
educacional e ao seu sonho de reviver os Jogos Olímpicos de uma
maneira moderna.
Clique no ícone para assistir ao vídeo:
Fundamentos da Administração Esportiva
O percurso do movimento olímpico <<
1863
Imagem de marcação, extraída
da Internet, a ser substituída
pela que está indicada no campo
de anotações.
1896 a 1925
1937
É a Coubertin que devemos o desenvolvimento, durante os
primórdios, do Movimento Olímpico, do Comitê Olímpico
Internacional (COI) e, portanto, dos Jogos Olímpicos da Era
Moderna.
A Carta Olímpica, o protocolo das Cerimônias de Abertura e
Encerramento, o juramento dos atletas, os aros olímpicos e a
bandeira olímpica foram criações sua. De 1896 a 1925, ele presidiu
pessoalmente o COI e, quando deixou o cargo, recebeu o título de
Presidente Honorário dos Jogos Olímpicos.
Fundamentos da Administração Esportiva
O percurso do movimento olímpico <<
1863
Imagem de marcação, extraída
da Internet, a ser substituída
pela que está indicada no campo
de anotações.
1896 a 1925
1937
O renascimento dos Jogos Olímpicos representa uma parcela
pequena do trabalho de Coubertin. Além de inúmeras publicações
sobre as técnicas e o ensino do esporte, foi o autor de importantes
estudos históricos, políticos e sociológicos. Sua obra totaliza 60 mil
páginas.
Pierre de Coubertin morreu em Genebra, no dia 2 de setembro de
1937. Foi enterrado em Lausanne, na Suíça. De acordo com os seus
últimos desejos, seu coração foi enterrado em Olímpia, na Grécia,
em uma estrela de mármore erigida para celebrar sua dedicação
ao ideal e espírito olímpico.
Clique no ícone para assistir ao vídeo:
Fundamentos da Administração Esportiva
As propostas de Pierre de Coubertin <<
Fundamentos da Administração Esportiva
As propostas de Pierre de Coubertin <<
As ideias de reforma educacional e
o sonho de fazer reviver os Jogos
Olímpicos demonstram claramente
que Pierre de Coubertin era um
homem além do seu tempo.
Ao realizar seu sonho de recriar os
Jogos Olímpicos, fica evidente que
Coubertin estava sendo influenciado
pelos
eventos
que
estavam
acontecendo à sua volta.
Fundamentos da Administração Esportiva
As propostas de Pierre de Coubertin <<
Ao escrever por que decidiu recriar
os Jogos Olímpicos, Coubertin
explicou que assim o fez “para
possibilitar e fortalecer o desporto,
assegurar sua independência e
duração e consequentemente
permitir que cumprisse o seu papel
educacional no mundo moderno,
para a glória do atleta individual
cuja
atividade
muscular
é
imprescindível para a manutenção
do espírito de competição.”
Fundamentos da Administração Esportiva
As propostas de Pierre de Coubertin <<
Coubertin
escreveria ainda:
“Ao fazer reviver os Jogos Olímpicos, não olhei para o que estava perto de
mim, mas para longe. Queria devolver, de forma sustentável, ao mundo de
hoje, uma instituição da antiguidade cujos princípios eram novamente
relevantes.”
Fundamentos da Administração Esportiva
Fontes de Inspiração de Pierre de Coubertin <<
Histórica
Educacional
O contexto da França era propício para Coubertin desenvolver seu projeto de recriação dos Jogos.
As escavações em Olímpia traziam para a
Europa os vestígios dos Jogos da Antiguidade,
além da importância do esporte para o
desenvolvimento da saúde e educação do
indivíduo. Além disso, a França vivia um
período delicado, após a derrota na Guerra
Franco-prussiana. O exército da Prússia
mostrou-se mais organizado e preparado
fisicamente.
Fundamentos da Administração Esportiva
Fontes de Inspiração de Pierre de Coubertin <<
Educacional
Histórica
Durante anos, Coubertin viajou aos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e
Inglaterra para estudar in loco os sistemas educacionais das escolas e
universidades daqueles países. De todos os exemplos que observou,
o que mais o impressionou foi o sistema de ensino adotado e, como
Coubertin acreditava, desenvolvido pelo Dr. Thomas Arnold, reitor do
Rugby College.
Fonte da imagem: http://commons.wikimedia.org/wiki/
File:Thomas_Arnold_(Educator).jpg
Os programas atléticos das escolas britânicas, para meninos, seriam
ótimos modelos. Observou que os esportes eram uma parte
fundamental do currículo escolar e que os meninos se sobressaíam
nas habilidades atléticas.
Fundamentos da Administração Esportiva
Fontes de Inspiração de Pierre de Coubertin <<
Educacional
Histórica
Durante anos, Coubertin viajou aos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e
Inglaterra para estudar in loco os sistemas educacionais das escolas e
universidades daqueles países. De todos os exemplos que observou,
o que mais o impressionou foi o sistema de ensino adotado e, como
Coubertin acreditava, desenvolvido pelo Dr. Thomas Arnold, reitor do
Rugby College.
Atenção
Igualmente importante para Coubertin
foi o conceito Inglês de educação
Fonte da imagem: http://commons.wikimedia.org/wiki/
do “Cavalheiro Cristão”. Um conceito
que impregnava o esporte de
File:Thomas_Arnold_(Educator).jpg
qualidades morais e sociais, além das físicas.
Os programas atléticos das escolas britânicas, para meninos, seriam
ótimos modelos. Observou que os esportes eram uma parte
fundamental do currículo escolar e que os meninos se sobressaíam
nas habilidades atléticas.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
3
4
5
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
Era natural que Coubertin, como muitos outros na Europa, fosse atraído pela excitação provocada
pelas descobertas arqueológicas em Olímpia, local onde eram realizados os Jogos Olímpicos da
Antiguidade. Os Jogos da Antiguidade eram, em parte, uma celebração religiosa em homenagem
ao deus grego Zeus e, em parte, jogos de competição. Pierre de Coubertin visualizou o potencial
de recriação dos Jogos, neles incluindo os valores educacionais do esporte do século XIX. Clique
no ícone e assista ao vídeo sobre os Jogos da Antiguidade:
2
3
4
5
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
Para Coubertin, era óbvio que o programa de esporte dos Jogos Olímpicos da Antiguidade precisava ser
adaptado. Em 776 a.C., os Jogos duravam um dia e incluíam somente um evento esportivo: uma corrida
cobrindo uma distância de um “stadia”. No ano 600 a.C., os Jogos duravam cinco dias e incluíam eventos
equestres, o pentatlo (salto em distância, lançamento de dardo, lançamento de disco, corrida e luta), boxe,
luta e pankration (um combinado de boxe e luta), bem como corridas com diversas distâncias.
3
4
5
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
3
Não foi somente o esporte que inspirou Coubertin ao estudar os Jogos Olímpicos da Antiguidade. As
cerimônias e o protocolo também chamaram a sua atenção. Coubertin se inspirou, por exemplo, no ritual do
juramento feito pelos atletas dos Jogos da Antiguidade para criar e introduzir uma versão moderna do
juramento do atleta nos Jogos da VII Olimpíada, em 1920. Além disso, os gregos viviam em guerras constantes,
mas durante os Jogos as batalhas eram interrompidas. Essa Trégua Olímpica inspirou Coubertin na criação de
um evento com capacidade de unir os povos.
4
5
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
3
4
Outros elementos dos Jogos Olímpicos de Pierre de Coubertin seriam exclusivamente modernos.
Diferentemente dos Jogos Olímpicos da Antiguidade, em que apenas o vencedor de um evento era festejado e
coroado com folhas de oliveira, nos Jogos da Era Moderna, o vencedor passa a receber também uma medalha.
5
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
3
4
5
Outra diferença importante entre os Jogos Olímpicos da Antiguidade e os da Era Moderna envolvia quem
podia competir. Diferentemente da celebração antiga, em que somente homens e meninos gregos e livres
podiam participar, Coubertin queria que os Jogos Olímpicos modernos fossem um festival internacional do
esporte.
6
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Jogos Olímpicos da Antiguidade <<
1
2
3
4
5
6
Além disso, nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, em Olímpia, as mulheres não podiam participar da
competição, excetuando-se os eventos equestres, em que a mulher, como proprietária do cavalo, podia ser
declarada vencedora. Diferentemente, já na segunda edição dos Jogos Olímpicos modernos, em 1900, foi
permitida a participação das mulheres em competições, apesar de esta inclusão não ter sido prevista por
Coubertin.
Fundamentos da Administração Esportiva
Outros Jogos Olímpicos <<
Pierre de Coubertin não estava sozinho no seu sonho de fazer
reviver os Jogos Olímpicos nem foi o primeiro a usar o termo
“olímpico” associado a um festival esportivo. Muito antes da
redescoberta e das escavações no sítio na antiga Olímpia
despertarem a atenção de Pierre de Coubertin, já existiam
outros exemplos de competições, de âmbito nacional, que o
inspiraram, tais como: os Jogos Olímpicos de Robert Dover,
realizados em Cotswolds; os Jogos Olímpicos de Ramlösa, na
Suécia, e os Jogos Olímpicos de Montreal.
Com todos esses exemplos, obviamente era a hora certa para
reviver os Jogos Olímpicos. Era o destino de Pierre de
Coubertin liderar o caminho e transformar seu sonho de um
festival internacional do esporte na recriação dos Jogos
Olímpicos em formato moderno.
Fundamentos da Administração Esportiva
Outros Jogos Olímpicos <<
Pierre de Coubertin não estava sozinho no seu sonho de fazer
reviver os Jogos Olímpicos. Nem foi o primeiro a usar o termo
“olímpico” associado
festival esportivo. Muito antes da
Inspiraçãoadeum
Coubertin
redescoberta e das escavações no sítio na antiga Olímpia
Além dos Jogos Olímpicos de Robert Dover, realizados em Cotswolds, os Jogos Olímpicos
despertarem a atenção de Pierre de Coubertin, já existiam
de Ramlösa e os Jogos Olímpicos de Montreal, já mencionados, Coubertin também assistiu
outros exemplos de competições, de âmbito nacional, que o
e se inspirou nos Jogos Olímpicos Zappian, na Grécia, e nos Jogos Olimpianos Much
inspiraram, tais como: os Jogos Olímpicos de Robert Dover,
Wenlock, na Inglaterra. Estes últimos foram organizados pelo Dr. William Penny Brookes.
realizados em Cotswolds; os Jogos Olímpicos de Ramlösa, na
Suécia, e os Jogos Olímpicos de Montreal.
Com todos esses exemplos, obviamente era a hora certa para
reviver os Jogos Olímpicos. Era o destino de Pierre de
Coubertin liderar o caminho e transformar seu sonho de um
festival internacional do esporte na recriação dos Jogos
Olímpicos em formato moderno.
Fundamentos da Administração Esportiva
O Congresso de 1894, Palco do Renascimento dos Jogos Olímpicos <<
A DECISÃO DE RECRIAR OS JOGOS OLÍMPICOS
Reunião
original
Mudança no
foco do
evento
Nova
tentativa
Os Jogos
Olímpicos da
Era Moderna
Fundamentos da Administração Esportiva
O Congresso de 1894, Palco do Renascimento dos Jogos Olímpicos <<
A DECISÃO DE RECRIAR OS JOGOS OLÍMPICOS
Coubertin havia, originalmente, programado
Reunião
original
uma reunião para se discutir o amadorismo
na França. Porém, por conta da chegada de
delegados à Sorbonne, em Paris, em junho
Mudança no
foco do
evento
de 1894, Coubertin achou por bem modificar
a pauta da reunião e renomeá-la para o novo
nome de “Congresso para a Recriação dos
Jogos Olímpicos”.
Nova
tentativa
Os Jogos
Olímpicos da
Era Moderna
Fundamentos da Administração Esportiva
O Congresso de 1894, Palco do Renascimento dos Jogos Olímpicos <<
A DECISÃO DE RECRIAR OS JOGOS OLÍMPICOS
Reunião
original
O evento foi modificado para servir como palco para o Barão apresentar sua proposta de
Mudança no
foco do
evento
organização dos Jogos Olímpicos modernos e da criação do Comitê Olímpico Internacional
(COI). Ao todo, 79 delegados, de 12 países, participaram do Congresso de 1894, na
Sorbonne, que incluiu músicas, canções, poemas e o hino a Apolo, descoberto em Delfos,
em 1893.
Nova
tentativa
Os Jogos
Olímpicos da
Era Moderna
Fundamentos da Administração Esportiva
O Congresso de 1894, Palco do Renascimento dos Jogos Olímpicos <<
A DECISÃO DE RECRIAR OS JOGOS OLÍMPICOS
Reunião
original
Mudança no
foco do
evento
Não era a primeira vez que Coubertin apresentava a ideia de fazer reviver os Jogos
Nova
tentativa
Olímpicos. Diferentemente da primeira vez, quando a ideia foi apresentada durante uma
conferência sobre educação inglesa e não despertou o interesse da plateia, os delegados
presentes ao Congresso apoiaram a ideia.
Os Jogos
Olímpicos da
Era Moderna
Fundamentos da Administração Esportiva
O Congresso de 1894, Palco do Renascimento dos Jogos Olímpicos <<
A DECISÃO DE RECRIAR OS JOGOS OLÍMPICOS
Reunião
original
Mudança no
foco do
evento
Nova
tentativa
Os Jogos
Olímpicos da
Era Moderna
No dia 23 de junho de 1894, a proposta de reviver os Jogos Olímpicos finalmente foi
aprovada e estabelecia que os jogos deveriam acontecer a cada quatro anos, sempre em
um local diferente. Nessa mesma data, a cidade de Atenas foi escolhida para sediar a
primeira edição dos jogos modernos, em 1896.
Fundamentos da Administração Esportiva
O nascimento do COI e do Movimento Olímpico <<
Além da decisão de reviver os Jogos Olímpicos em formato moderno, os delegados do Congresso de 1894
aprovaram a criação do Comitê Internacional dos Jogos Olímpicos que, mais tarde, seria chamado de Comitê
Olímpico Internacional (COI).
Como Coubertin escreveu em suas Memórias Olímpicas, ele recebeu carta branca para escolher os membros do
Comitê. Em consequência dessas decisões, o sonho de Pierre de Coubertin tornou-se realidade e nasceu o
Movimento Olímpico.
Leia: COUBERTIN, Pierre de. Olympism, Selected Writtings. International Olympic Committee: Lausanne, 2000.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica <<
Introdução
Temas
centrais
A Carta Olímpica afirma, em sua introdução:
“A Carta Olímpica é a codificação dos
Princípios Fundamentais do Olimpismo,
regras e regulamentos adotados pelo
Comitê Olímpico Internacional. Governa
a organização, ação e operação do
Movimento
Olímpico
e
define
as
condições para a celebração dos Jogos
Olímpicos.”
O Olimpismo moderno, conforme
concebido por Pierre de Coubertin ao
final do século XIX, evoluiu na medida
em que o Movimento Olímpico
cresceu e se desenvolveu.
O texto, na íntegra, da Carta Olímpica,
em inglês está disponível no link a
seguir:
http://www.olympic.org/Documents/
olympic_charter_en.pdf/
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica <<
Introdução
Temas
centrais
A Carta Olímpica, atualmente, inclui as regras
que definem o relacionamento das Federações
Internacionais e dos CONs com o Movimento
Olímpico, a discussão de elementos essenciais,
como o processo de seleção da cidade-sede dos Jogos Olímpicos, o
código de elegibilidade dos Jogos, a composição do programa de
esportes olímpicos e as regras de arbitragem para os casos
controversos.
O Olimpismo moderno, conforme
concebido por Pierre de Coubertin ao
final do século XIX, evoluiu na medida
em que o Movimento Olímpico
cresceu e se desenvolveu.
O texto, na íntegra, da Carta Olímpica,
em inglês está disponível no link a
seguir:
http://www.olympic.org/Documents/
olympic_charter_en.pdf/
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica <<
O Olimpismo moderno, conforme
Comitês
Olímpicos
Nacionais
A Carta Olímpica, atualmente, inclui as regras
concebido por Pierre de Coubertin ao
final do século XIX, evoluiu na medida
que definem o relacionamento das Federações
Temas
em que o Movimento Olímpico
Internacionais e dos CONs com o Movimento
centrais
cresceu e se desenvolveu.
Olímpico, a discussão de elementos essenciais,
O texto, na íntegra, da Carta Olímpica,
como o processo de seleção da cidade-sede dos Jogos Olímpicos, o
em inglês está disponível no link a
código de elegibilidade dos Jogos, a composição do programa de
seguir:
esportes olímpicos e as regras de arbitragem para os casos
http://www.olympic.org/Documents/
Introdução
controversos.
olympic_charter_en.pdf/
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
2.
3.
4.
5.
6.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
1.
2.
3.
4.
5.
6.
O Olimpismo é uma filosofia de vida que exalta e combina de forma equilibrada as qualidades do corpo, da
vontade e da mente. Aliando o esporte à cultura e à educação, o Olimpismo é criador de um estilo de vida
baseado no prazer do esforço, no valor educativo do bom exemplo e no respeito pelos princípios éticos
fundamentais universais.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
2.
2.
3.
4.
5.
6.
O objetivo do Olimpismo é colocar o desporto a serviço do desenvolvimento harmonioso do homem para
promover uma sociedade pacífica, preocupada com a preservação da dignidade humana.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
3.
2.
3.
4.
5.
6.
O Movimento Olímpico é a ação, concertada, organizada, universal e permanente de todos os indivíduos e
entidades que são inspirados pelos valores do Olimpismo, sob a autoridade suprema do COI. Estende-se aos
cinco continentes e atinge o seu auge com a reunião de atletas de todo o mundo no grande festival esportivo,
que são os Jogos Olímpicos. O seu símbolo é constituído por cinco aros entrelaçados.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
4.
2.
3.
4.
5.
6.
A prática do desporto é um direito do homem. Todo e qualquer indivíduo deve ter a possibilidade de praticar
esportes, sem qualquer forma de discriminação e de acordo com o espírito olímpico, o qual requer o
entendimento mútuo, o espírito de amizade, de solidariedade e de fair play (jogo limpo). A organização,
administração e gestão do desporto devem ser controladas por organizações desportivas independentes.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
5.
2.
3.
4.
5.
6.
Toda forma de discriminação a um país ou a uma pessoa com base na raça, religião, política, sexo ou outra é
incompatível com o Movimento Olímpico.
Fundamentos da Administração Esportiva
A Carta Olímpica – definição de Olimpismo <<
O Olimpismo está definido nos Princípios Fundamentais da Carta Olímpica (2010):
1.
6.
2.
3.
4.
5.
Pertencer ao Movimento Olímpico exige o respeito pela Carta Olímpica e o reconhecimento do COI.
6.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Chama e Tocha Olímpicas
Muitos acreditam, erroneamente, que
Coubertin fez uma ligação entre as cores
dos aros e os continentes. No entanto, as
cores selecionadas por Coubertin para os
aros e o fundo branco da Bandeira Olímpica
são cores encontradas nas diferentes
bandeiras nacionais existentes na época e
não
foram
escolhidas
por
sua
correspondência a continentes específicos.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Bandeira Olímpica
A Bandeira Olímpica, com o símbolo
olímpico no centro sobre um fundo branco,
foi desenhada por Pierre de Coubertin. A
bandeira foi confeccionada em Paris e
exibida, pela primeira vez, durante o
Congresso Olímpico de 1914. Sua primeira
aparição pública aconteceu por ocasião dos
Jogos Olímpicos de Antuérpia, em 1920.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Lema Olímpico
O Lema Olímpico, apresentado em 1894,
compreende três palavras em latim: “Citius,
Altius, Fortius”.
Pierre de Coubertin propôs o lema depois
de tomá-lo emprestado de seu amigo Henri
Didon, um frade dominicano e professor.
Em português, o lema significa “Mais
rápido, Mais alto, Mais forte”.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Hino Olímpico
O hino, com música de Spiros Samaras e
letra de Kostis Palamas, foi composto
originalmente para os primeiros Jogos
Olímpicos da Era Moderna, realizados em
Atenas, em 1896, onde foi executado pela
primeira vez. Mais tarde, foi substituído por
hinos especialmente encomendados pelos
organizadores dos Jogos, para as
cerimônias olímpicas subsequentes.
Em 1958, durante a Sessão do COI em
Tóquio, o Hino original de Samaras e
Palamas foi executado. Ele se mostrou tão
popular entre os membros do COI que, por
unanimidade, decidiu-se adotá-lo como o
Hino Olímpico oficial. Em 1960, o Hino foi
novamente executado, dessa vez durante
os VIII Jogos Olímpicos de Inverno. Desde
então, é executado em cada edição dos
Jogos de Inverno e de Verão.
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Em 1954, o COI organizou uma competição internacional para escolha do hino
Hino Olímpico
permanente dos Jogos. O vencedor foi Michael Spisak que musicou o texto de Píndaro.
A sua composição foi executada nos Jogos Olímpicos de 1956, mas ele exigiu uma
O Hino, com música de Spiros Samaras e Em 1958, durante a Sessão do COI em
remuneração tão alta que o COI desistiu de usá-la novamente.
letra de Kostis Palamas, foi composto Tóquio, o Hino original de Samaras e
Agora
que você conheceu
pouco mais
da história
Olímpico,
a tão
originalmente
para os um
primeiros
Jogos
PalamasdofoiHino
executado.
Eleconheça
se mostrou
versão
oficial,da
aquela
que foi adotada
durante
do entre
COI em
Olímpicos
Era Moderna,
realizados
ema Sessão
popular
os1958.
membros do COI que, por
Atenas, em 1896, onde foi executado pela unanimidade, decidiu-se adotá-lo como o
“Imortal
Antiguidade,
Clique no
ícone
primeira espírito
vez. Maisdatarde,
foi substituído por Hino Olímpico
oficial.
Emabaixo
1960, para
o Hino foi
Pai
da
verdade,
da
beleza
e
da
bondade,
ouvir
o
áudio
original
do
Hino
hinos especialmente encomendados pelos novamente executado, dessa vez durante
Desça,
apareça, derrame
sua luz sobre
Olímpico.
organizadores
dos Jogos,
para nós
as os VIII Jogos
Olímpicos de Inverno. Desde
Sobre
esta terra
e sobsubsequentes.
este céu
cerimônias
olímpicas
então, é executado em cada edição dos
Que primeiro testemunhou sua fama imortal. Jogos de Inverno e de Verão.
Dai vida e animação a estes nobres Jogos!
Derrame coroas de flores sobre os vitoriosos
Na raça e na luta!
Validador, onde está este
Faça nascer em nossos peitos corações de aço!
áudio?
Na sua luz, planícies, montanhas e mares
Brilham em róseo matiz e formam um vasto templo
Para onde acorrem todas as nações para adorá-lo,
Oh, espírito imortal da Antiguidade!”
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Chama e Tocha Olímpicas
A Chama Olímpica é acesa em Olímpia, na
Grécia, sob a autoridade do COI. Apesar de
uma chama simbólica ter sido usada por
ocasião dos Jogos de 1928, em Amsterdã, a
história moderna da Chama Olímpica iniciase com a proposta apresentada por Carl
D i em, S ecretá r i o G era l do Co mi tê
Organizador dos Jogos da XI Olimpíada.
I n s p i ra do n a s co r r i d a s co m to ch a
celebradas na antiga Grécia, Diem sugeriu
que, durante os Jogos de Verão de 1936, a
chama acesa em Olímpia fosse
transportada até Berlim, o que seria o
primeiro revezamento da tocha. Foi o início
do que agora é considerada uma tradição
olímpica. Com o passar do tempo, as tochas
usadas para carregar a chama foram criadas
especialmente para cada edição dos Jogos
e o revezamento da tocha, que traz a
chama de Olímpia até a cidade-sede,
tornou-se um dos mais simbólicos eventos
associados aos Jogos Olímpicos.
Clique no ícone e assista ao Revezamento
da Tocha em Atenas 2004:
Fundamentos da Administração Esportiva
Os Aros Olímpicos e a Bandeira Olímpica <<
O movimento olímpico é mundialmente conhecido por:
Chama e Tocha Olímpicas De acordo com a Regra 7.2 da Carta Olímpica
(2010), todos os direitos desses símbolos
olímpicos
“são
propriedade
exclusiva do
A Chama Olímpica é acesa em Olímpia,
na do
que
agora é considerada
umaCOI,
tradição
incluindo,
mas não Com
limitando
seudo
uso
com fins
Grécia, sob a autoridade do COI. Apesar
de olímpica.
o passar
tempo,
as tochas
lucrativos,
comerciais
ou publicitários.
O COIcriadas
uma chama simbólica ter sido usada
por usadas
para carregar
a chama foram
pode aceder
uma licença sobre
a totalidade
ou Jogos
ocasião dos Jogos de 1928, em Amsterdã,
especialmente
para cada
edição dos
nos termos
e condições
história moderna da Chama Olímpicaparte
inicia-dos eseus
o direitos
revezamento
da tocha,
que traz a
fixados
Comissão
se com a proposta apresentada por
Carl pela
chama
de Executiva
Olímpia do
atéCOI”.
a cidade-sede,
D i em, S ecretá r i o G era l do Co mi tê tornou-se um dos mais simbólicos eventos
Organizador dos Jogos da XI Olimpíada. associados aos Jogos Olímpicos.
I n s p i ra do n a s co r r i d a s co m to ch a Clique no ícone e assista ao Revezamento
celebradas na antiga Grécia, Diem sugeriu da Tocha em Atenas 2004:
que, durante os Jogos de Verão de 1936, a
chama acesa em Olímpia fosse
transportada até Berlim, o que seria o
primeiro revezamento da tocha. Foi o início

similar documents