Diapositivo 1 - Conservation Mozambique

Report
Conservation Science in Mozambique
Maputo, 21 e 22 de Abril de 2014
Mapeamento do Regime de Queimadas na Reserva
Nacional de Niassa (RNN) entre 2000 a 2012
Por:
Cangela, A., Bandeira, R.R., Ribeiro
A.I. e Ribeiro, N.S.
Sequência
Apresentação
Sequência da Apresentação
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
Introdução
Área de Estudo
Problema & Objectivos de Estudo
Material e Métodos
Resultados
Conclusão
Recomendações
Prioridades de Investigação
Agradecimentos
1. Introdução
1. Queimadas vs Áreas de Conservação em Moçambique:
–As áreas de conservação representam 22% dos cerca de
40.1 milhões de hectares cobertos por florestas em todo o país
–Todas as áreas de conservação anualmente são sujeitas às
queimadas antropogénicas.
–Entre 6 a 10 milhões de hectares de florestas e 9 a 15 milhões de
outras formações de vegetação são queimados anualmente em
todo o País;
• A alteração do Regime de queimadas ameaça a tolerância e a
resiliência de espécies ao fogo;
2. Área de
Estudo
Superfície total: 42000 Km2
PMA= 600-1400mm
Unid. Maneio=15
Fig1. Localização da RNN
TMA: 20-26 oC.
Altitude: 100-1400m
Vegt: Miombo (70%)
2.1. Biodiversidade da RNN
• A RNN é a maior área de conservação de
Moçambique
-800 Espécies de plantas, ½ Endémicas
• Fauna:
- Leões,Leopardo, cão selvagem africano
- 400 espécies de Pássaros
Craig (2009) & NNR Website
http://www.mfaucher.com/files/SouthAfrica12/675dpi/DSC_667
4.jpg
http://www.twma.co.tz/wma/mbarangandu
http://www.fredhoogervorst.com/photo/00393ddb/
3. Problema de Estudo
Queimadas descontroladas
% Area Queimada
1.00
40.000 habitantes
0.50
0.00
2002
2006
Ano
2010
Fig1: Extensão da Area Queimada
Extracção dos recursos
http://www.twma.co.tz/wma/mbarangandu
Caça Furtiva
3.1 Justificação de Estudo
• Em 2008: Ribeiro (2007) estudou o regime de 2000-2005
– 93% RNN foi queimada
-13% (anualmente);
-25 (3 a 4 vezes)
-20% (2 vezes)
• Em 2009: SGDRN iniciou 1programa de Gestão comunitária de Queimadas
e constatou que:
– Insuficiência de estudos de Regime de queimadas na RNN;
– O único estudo só cobre 5 anos sendo insuficiente para compreender
o regime de queimadas na RNN;
• Este estudo visa: Alargar a base de conhecimento sobre o regime de
queimadas para a definição de áreas prioritárias para a gestão das
queimadas.
3.2 Objectivos de Estudo
Geral:
– Estudar o regime de queimadas do ecossistema de miombo da
Reserva Nacional de Niassa como base para a elaboração do
plano de maneio de queimadas.
Específicos:
– Mapear o regime das queimadas na RNN através de técnicas de
teledetecção.
– Caracterizar o regime das queimadas na RNN através de
técnicas de teledetecção.
– Analisar os factores que determinam a ocorrência de queimadas
na região de estudo.
4. Materiais e Métodos
4.1. Caracterização do regime de queimadas
Input
Dados Teledetec.
-Terra_Aqua
-Modis
.MCD14M-1km
(>80% conf)
MCD45A1- 500m
Processamento
Output
Mapas & Graficos
Erdas:
_Image
Processing
&
ArcGis 9.3
_GIS Processing
_Frequência
_Int. de Retorno
_Extensão da
Área Queimada
_Densidade
_Intensidade
Intersecção pixéis de Focos e de áreas queimadas usando dias
julianos
4.2.Caracterização do Regime de Queimadas
Parâmetros usados:
IMRQ  T *
1- Intervalo de Retorno das Queimadas:
Onde : A = 42 000 Km2
a
a = área queimada;
1- Frequência de Queimadas:
A
(Eq1)
T = 12 anos
FQ 
1
(Eq2)
IMRQ
3 - Densidade
de Queimadas

nr pixeis
contendo
Área
4-Intensidade das Queimadas = (KW/m)
5-Extensão da área queimada = (Km2)
6- Sazonalidade das queimadas
fogos activos
(Eq3)
Análise dos factores determinantes da ocorrência de
queimadas
Inputs:
Mapas
•Freq Queim (MCD45A1)
•Uso e Cob. (Marzoli, 2007)
• Dns. Elef. (Craig, 2009 )
Processam
Output
Mapa
Dados MODIS +
Superfíciais + Clima
Arcgis. 9.3
Regressão Logística_Sas.9.0
•T oC (Hijmans et al, 2005)
•Prec (Hijmans et al, 2005)
•Altitude (CENACARTA)
•Dens Pop (INE, 2007)
•Dist Euclid. Ruas (CENACARTA)
R2
Factores que determinam a
ocorrência de queimadas
4.4. Recolha de dados de Campo
108 parcelas geo-referenciadas e associadas à
frequência de queimadas.
Parcela: R=15m
Dist=250m
Transecto 500 m
Fig 2. Alocação das Parcelas ao longo do
Transecto de 500m
Levantamentos de sinais de danos causadas pelo
fogo sobre a vegetação.
Tabela 1: Classes de
frequência usadas na
recolha de dados de campo
No de No de
Transe Parcel
ctos
as
Class
e
Freq. de
Queim.
1
0
6
18
2
1-2
6
18
3
2-3
6
18
4
3-5
6
18
5
5-8
6
18
6
8-12
6
18
36
108
Total
5. RESULTADOS
5.1 Frequência de Queimadas
Frequência
média =
0.36
vezes/ano
Fig3. Frequência de queimadas na RNN 2000 -2012.
5.2. Intervalo de
Retorno de
Queimadas
Area (%)
27%
7%
7%
7%
9%
29%
14%
- 43% da RNN
queimou-se em cada
1-2 anos
IRQ (Anos)
-IMRQ indica que o
fogo retorna a um
sitio particular a
cada 3.29 anos
Fig4. Intervalo de Retorno e
Extensão da área Queimada na
RNN 2000 -2012.
5.3. Extensão e Sazonalidade das queimadas
Início Época seca: Maio-Julho; Pico da Época seca: Agosto-Novembro ; Época chuvosa: Dezembro-Abril
20
Area Queimada
Focos de Queimada
15
10
10
5
5
0
0
20002001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
Fig5 Distribuição intra-anual dos focos e extensão da área queimada na RNN 2000 -2012.
Nr Fogos Activos (x102)
15
Nov
Jul
Out
Maio
Ag
Nov
Jul
Out
Maio
Ag
Nov
Jul
Out
Maio
Ag
Nov
Jul
Out
Maio
Ag
Nov
Jul
Out
Jun
Set
Dez
Jul
Out
Maio
Ag
Nov
Extensão da Area Queimada (x103 km2)
20
5.4. Densidade e Intensidade de Queimadas
Intensidade
Densidade
80
y = 2.3768x + 33.494
R² = 0.9012
80
70
70
60
60
50
50
40
40
y = -3.126x + 81.142
R² = 0.9089
30
30
20
20
10
10
0
0
0
2
4
6
8
10
Freqência de Queimada em 12 anos
12
14
Fig6 Relação Densidade e Intensidade de queimadas na RNN 2000 -2012.
Densidade de Queimadas (Fogos
activos/Km2)
Intensidade de Queimada (KW/m)
90
5.5. Avaliação da Acurácia
2500
Nr de Árvores ou arbustos/ha
2000
Legenda
Legen
1500
Morta pelo
Fogo
1000
Copa
Queimada
Tronco
Queimado
500
KAPPA
45.5%
Ajustamento
Moderado
Não Queimada
0
0
1_2
2_3
3a5
5_8
8 _ 12
Frequência de Queimadas (Vezes/12ano)
Fig7 Abundância de árvores e arbustos com sinais de queimadas por cada classe de frequência
5.6. Factores que influenciam o Regime de Queimadas na RNN
Tabela2: significância da participação individual das variávis sobre a ocorrência de
queimadas (teste chi-wald e odd ratios)
Abre
v
DF
-
1
Tipo de uso e cobertura da
Terra
Veg
5
Densidade de Elefantes
DE
Parâmetro
Intercept
Stand
Error
Wald
Chi_sq
P-value
(Pr>Chi_
sq)
Odd
Ratio
-35.46 1.1062
1027.59
< .0001
-
-
-
β
Intervalo de
Conf (Odd
Ratios)
-
-
5729.77
< .0001
-
-
-
1.564
0.0806
1128.99
< .0001
4.779
4.081
5.597
Precipitação
Prec
1
0.010
0.0003
837.17
< .0001
1.010
1.009
1.011
Temperatura
Tem
p
1
0.099
0.0032
281.23
< .0001
1.104
1.097
1.111
Distânia em relação as Ruas
DR
1
0.009
0.0005
277.07
< .0001
1.009
1.008
1.009
DPop
1
-0.021 0.0035
38.44
< .0001
0.979
0.972
0.986
Dens_Pop
5.7. Factores que influenciam o Regime de Queimadas na RNN
Tabela3: Chances de ocorrência de queimadas entre as áreas de prática de
agricultura itinerante e as zonas com outro tipo de uso e cobertura da terra.
ID
Tipo de Uso e
Cobertura da Terra
Código
β
Stand
Odd Ratio
Error
Intervalo de
Confiança (Odd
Ratios)
1
Floresta Aberta
decidua
2WD
0.5605 0.0491
3.763
2.955
4.794
2
Floresta Sempre verde
2FE
-0.5988 0.0367
1.181
0.963
1.448
3
Floresta densa decídua
2FD
1.0261 0.0427
5.995
4.784
7.513
4
Dambos(Pradaria
inundada)
2GL
-0.6488 0.0440
1.123
0.888
1.420
5
Vegetação Ribeirinha
2FEG
0.4258 0.0326
3.289
2.639
4.099
6
Agricultura
Intinerante*
2FXC
-
-
-
* Referência
-
-
5.8. Outros Factores que influenciam o Regime de Queimadas
na RNN
A
Exploração Ilegal da Madeira
C
Extração do mel
B
D
Caça Furtiva
Fonte: SNGRNN
6. Conclusão
• Cerca de 43% da RNN queima-se em cada 1 a 2 anos
principalmente durante a época seca com pico entre AgostoNovembro
• Em média, na RNN o fogo retorna a um sito particular em
cada 3.29 anos correspondendo a uma frequência de 0.36
vezes/ano.
• As regiões Central-Norte e Este da RNN, registaram
queimadas frequentes, chegando a registar entre 10 a 15
queimadas em 12 anos ;
6. Conclusão
• As queimadas coincidem com a distribuição da precipitação;
• A ocorrência de queimadas é favorecida pelo tipo de
cobertura da terra, densidade de elefantes e temperatura,
enquanto, a densidade da população concorre para a redução
da ocorrência das queimadas.
•
• Contudo, existem outros factores como por exemplo, a caça
furtiva, extracção do mel e a exploração ilegal da madeira,
entre outros, que são determinantes da ocorrência de
queimadas na RNN .
7. Recomendações
• Outros factores como por exemplo, a caça furtiva e extracção
do mel devem ser analisados para verificar a sua influência
sobre o regime de queimadas na RNN.
• As actividades de maneio de queimadas devem concentrar-se
nas área com intervalo de retorno abaixo de 2 anos.
• Queimadas frias no início da época seca (Maio - Julho) devem
ser feitas nestas zonas.
8. Prioridades de Investigação
1. Testagem de tecnicas de maneio de queimadas em areas
de elevada frequencia de queimadas;
2. Padroes de vegetacao em locais com elevada frequencia
de queimadas;
3. Impacto das mudanças climáticas sobre as alteração do
regime de queimadas nos ecossistemas florestais.
4. Impacto da alteração do regime de queimadas nos
ecossistemas florestais sobre a capacidade de adaptação e
resiliência das famílias rurais aos eventos resultantes das
alterações climáticas.
9. Agradecimentos

similar documents