Plano de gerenciamento de Resíduos Sólidos

Report
SINDIPOSTO
Departamento Ambiental
Plano de Gerenciamento de
Resíduos Sólidos
PGRS
Política Nacional dos Resíduos Sólidos
 Lei
N 12.305 de 02 de Agosto de 2010
O Que É?
• Levantamento Quantitativo
• Levantamento Qualitativo
IDENTIFICAÇÃO DO GERADOR
Empresa:
Posto XX
R. Social:
POSTO XXXXXXXX LTDA
o
N CNPJ:
Endereço:
Município:
Goiânia
Tel. 01:
CEP:
U.F.:
FAX:
Tel. 02:
E-mail:
[email protected]
Contato:
Afonso Antunes
Cargo:
Preposto
R.G.:
1.969.978
N o CPF:
Município:
Goiânia
CEP:
74.000
U.F.: GO
Tel. Com.:
(62) 3218-1100
FAX.:
E-mail:
[email protected]
Goiás
Site:
Endereço:
Celular:
MSN/Skype:
814.069.911-04
EMPRESA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PGRS
Empresa:
Ambiência Serviços Ambientais Ltda.
R. Social:
Ambiência Serviços Ambientais Ltda.
Endereço:
Rua 219 esq. c/ 6 Avenida, Quadra 74-A, N 254, Setor Leste Universitário
Município:
Goiânia
CEP:
Tel. 01:
(62) 3218-1100
FAX:
E-mail:
[email protected]
Contato:
Paulo Afonso A. de M. Moreira
Cargo:
Eng° Ambiental
R.G.:
Tel. Com.:
(62) 3218-1100
FAX.:
E-mail:
[email protected]
a
No
CNPJ:
07.265.000/000162
o
74.603-120
U.F.:
Goiás
Tel. 02:
(62) 9359-8193
N o CPF:
000.294.391-32
Celular:
(62) 9359-8193
Site:
4153550SPTC-GO
MSN/Skype:
Responsável pela implantação do PGRS
Nome:
CPF:
OBJETIVOS
O presente trabalho visa subsidiar o empreendimento, quanto ao
Gerenciamento de seus Resíduos Sólidos – constituindo-se num
documento baseado nos princípios da não geração e da
minimização da geração de resíduos, que aponta e descreve as
ações relativas ao seu manejo, contemplando os aspectos
referentes
à
minimização
na
geração,
segregação,
acondicionamento, identificação, coleta , armazenamento
temporário, coleta e transporte externo, e disposição final.
CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO
• Localização
• Caracterização das atividades do empreendimento
METODOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E
QUANTIFICAÇÃO DE RESÍDUOS
Esta etapa objetiva descrever o método utilizado para
classificar, quantificar, indicar formas para a correta
identificação e segregação na origem, dos resíduos
gerados pelo empreendimento.
Preparação:
• Foram identificados todos os pontos de geração de
resíduos;
• Foram identificados todos os vasilhames de coleta ;
Aquisição de dados:
• Estopas;
• Panos da Pista;
• Filtros de óleo;
• Todo material contaminado por resíduos derivado de
petróleo.
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Vasilhames de óleo lubrificantes;
Vasilhames de fluidos de freio;
Vasilhames de fluidos de bateria;
Vasilhame de fluido de radiador;
Vasilhame de STP Flex;
Vasilhame de STP FUELL INJETIOR;
Vasilhame de querosene;
Vasilhame de graxa;
Embalagens de papelão de filtro de óleo, filtro de ar e
outros.
IDENTIFICAÇÃO E CARCTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS
GERADOS
SETOR
RESÍDUO
CLS.
UNIDADE
UN. COLETA
TRATAMENTO
FRQ
Papel (diversos)
II-A
0,20 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Material plástico (diversos)
II-B
0,10 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Copos PL. descartáveis
(diversos)
II-B
0,05 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Papelão (diversos)
II-A
0,13 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Materiais (PL. e papéis) adesivos
II-B
0,04 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Embalagens laminadas (alim.)
II-B
0,12 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Embalagens plásticas
(alimentos)
II-B
0,12 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Orgânicos (restos de alimentos)
II-A
0,21 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
Embalagens Metálicas (latas)
II-B
0,05 Kg/sem
C.P. 18 L
*****
D
ADMINISTRAÇÃO
COPA
*****
*****
*****
*****
II-B
*****
II-B
*****
Material plástico (diversos)
II-B
Copos PL. descartáveis
(diversos)
II-B
Embalagens plásticas
Embalagens Metálicas (latas)
*****
D
*****
D
*****
*****
D
*****
*****
D
ABASTECIMENTO
Papel (diversos)
II-A
0,08 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Material plástico (diversos)
II-B
0,01 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Copos PL. descartáveis
(diversos)
II-B
0,02 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
I
0,01 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Embalagens plásticas
(alimentos)
II-B
0,02 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Orgânicos (restos de alimentos)
II-A
0,04 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Embalagens Metálicas (latas)
II-B
0,20 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Estopas e panos contam. por HC
I
0,04 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Efluente oleoso (pista)
I
0,3 m3/sem
N.A.
SSF - S.A.O.
Embalagens laminadas (alim.)
TROCA DE ÓLEO
Material plástico (diversos)
II-B
0,4 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Copos PL. descartáveis
(diversos)
II-B
0,35 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
I
0,11 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Embalagens plásticas
(alimentos)
II-B
0,04 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Embalagens Metálicas (latas)
II-B
0,10 Kg/sem
TB. MET 200 L
*****
D
Estopas e panos contam. por HC
I
1,30 Kg/sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Efluente oleoso (pisos)
I
0,30 m3/sem
*****
SSF - Cx. S.A.O.
D
Material Plástico contam.
I
1,50 Kg/sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Peças diversas substituídas
(veic.)
I
02 un./sem
TB. MET 200 L
Remessa Matriz
D
Embalagens laminadas (alim.)
Resíduos Metálicos (diversos)
II-B
02,60 Kg/sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Embalagens Plásticas contam.
I
25 un./sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Embalagens Metálicas contam.
I
08 un./sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Embalagens met. pressurizadas
I
2 un./sem
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Resíduos graxos diversos (borras)
I
*******
TB. MET 200 L
Segr. Grosseira
D
Embalagens de óleo lubrificante
I
60 un./sem
TB. MET 200 L
Ret. Distribuidor
D
Embalagens de fluidos diversos
I
15 un./sem
TB. MET 200 L
Ret. Distribuidor
D
Resíduos oleosos diversos
I
45 L/sem
TB. MET 200 L
Ret. p/ terceiro
D
Filtros de óleo substituídos
I
05 un./sem
TB. MET 200 L
Ret. Distribuidor
D
Filtros de combustível subst.
I
2 un./sem
TB. MET 200 L
Ret. Distribuidor
D
CXS S.A.O.
Sól. Sedimentados
contaminados
I
2 m3/trimestral
*****
Ret. p/ terceiro
D
Resíduo oleoso coletado
I
2.3
m3/06meses
*****
Ret. p/ terceiro
D
PROGRAMA DE REDUÇÃO NA FONTE GERADORA
Redução na Fonte: A redução na fonte consiste na
redução ou eliminação de geração de um resíduo do
processo através de modificações dentro do processo,
que se dividem nos seguintes tipos:
Alterações de matérias-primas:
Alterações de Tecnologia:
Mudanças de procedimentos/práticas
operacionais:
Reciclagem: A reciclagem através do reuso ou
recuperação de resíduos ou de seus constituintes que
apresentam algum valor econômico é uma das formas
mais atraentes de solução dos problemas de
gerenciamento de resíduos, tanto do ponto de vista
empresarial como dos órgãos estaduais de proteção do
meio ambiente.
SETOR
ESTRATÉGIA
FOCO
AÇÃO
ADMINISTRAÇÃO
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Adoção de papel reciclado para fim de uso geral
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de copos retornáveis pelos funcionários
Redução na fonte
Alteração de tecnologia
Intensificar uso de formulários eletrônicos
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Treinar funcionários em GRS
Reciclagem
Segregação
Obrigar a segregação de RS’s recicláveis
COPA
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de copos retornáveis pelos funcionários
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Treinar funcionários em GRS
Reciclagem
Segregação
Obrigar a segregação de RS’s recicláveis
Reciclagem
Segregação
Coletar e destinar óleo vegetal usado
ABASTECIMENTO
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Adoção de papel reciclado para fim de uso geral
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de copos retornáveis pelos funcionários
Redução na fonte
Alteração de tecnologia
Intensificar uso de formulários eletrônicos
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Treinar funcionários em GRS
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Reduzir uso de água na limpeza da pista
Reciclagem
Segregação
Obrigar a segregação de RS’s recicláveis
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de panos e estopas de retalhos reciclados
TROCA DE ÓLEO
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de copos retornáveis pelos funcionários
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Treinar funcionários em GRS
Reciclagem
Segregação
Obrigar a segregação de RS’s recicláveis
Redução na fonte
Mudança de procedimentos
Reduzir uso de água na limpeza de pisos
Redução na fonte
Substituição de matéria prima
Uso de panos e estopas de retalhos reciclados
SEGREGAÇÃO
Resíduos Orgânicos
Resíduos Secos
Resíduos Classe I
IDENTIFICAÇÃO DE RESÍDUOS
COLETA E TRANSPORTE
TRANSPORTE EXTERNO
Os resíduos classificados como Classe I – Perigosos,
necessitam de prévia autorização para o seu transporte,
denominada AUTORIZAÇÃO PARA O TRANSPORTE DE
RESÍDUOS PERIGOSOS. A ATRP deve ser solicitada pelo
gerador, mediante Requerimento acompanhado dos
seguintes documentos:
I - cópia da Licença de Operação da empresa geradora;
II - cópia da Licença de Operação da empresa receptora;
III - termo de responsabilidade da transportadora dos
resíduos;
IV - anuência da instalação receptora;
V - anuência do órgão ambiental do Estado de destino;
RECOMENDAÇÕES:
Criar Centro de Documentação
FICHA DE CONTROLE DE TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS
INFORMAÇÕES DO GERADOR
NOME ou RAZÃO SOCIAL
CPF ou CNPJ
ENDEREÇO DA RETIRADA
OBRA
1a Via Gerador
DATA
2a Via Transportador
Tipo de resíduo
Papel
Metal
Plástico
Material Contaminado (Óleo, Estopas, etc.)
3a Via Destinatário
Peso ou Volume
Unidade
Outros (Descrever)
TERMO DE RESPONSABILIDADE DA RETIRADA DE RESÍDUOS
Assumo a responsabilidade pela retirada do material acima descrito, na sua espécie e quantidade, comprometendo-me a
efetuar seu transporte até o local de sua destinação final, e observando todos os procedimentos de gestão ambiental e
segurança do trabalho com Supervisão Ambiental.
_________________________________
_________________________________
Nome por extenso ou Carimbo do responsável pela retirada
Assinatura
INFORMAÇÕES DO TRANSPORTADOR
NOME / RAZÃO SOCIAL
CPF / CNPJ
INSCRIÇÃO MUNICIPAL
TIPO DE VEÍCULO
PLACA
RETIRADA / QUANTIDADE
RETIRADA / VOLUME
INFORMAÇÕES DO DESTINATÁRIO
NOME OU RAZÃO SOCIAL
CPF / CNPJ
EMPRESA TERCEIRIZADA
ENDEREÇO DA DESTINAÇÃO
ASSINATURAS / CARIMBOS
______________________
______________________
______________________
GERADOR
TRANSPORTADOR
DESTINATÁRIO

similar documents