Os plasticos e os estilos de vida das sociedades actuais TAIPAS12C

Report
- A revolucionar a medicina, permitindo um
maior tempo médio de vida e vidas mais
saudáveis;
Ventrículo artificial
- A transformar a informação, o entretenimento e a
comunicação, dando conhecimentos que permitem
tomadas de decisão mais informadas;
- A transformar as casas tornando-as mais
seguras, maios saudáveis e mais adaptadas à
vida contemporânea;
- A mostrar novos caminhos para ajudar na proteção das crianças, dos
atletas, dos polícias e dos bombeiros;
- A aumentar a segurança, a eficiência e o
divertimento com o automóvel;
- Desenvolver processos para ajudar a proteger os
alimentos das bactérias;
1ª fase
Polímeros
naturais
da Antiguidade até
ao século XIX
2ª fase
Polímeros
naturais
modificados ou
semissintéticos
século XIX
3ª fase
Polímeros
sintéticos
finais do século
XIX até à
atualidade
Goma arábica (3000 a.C.): Resina natural composta por
polissacarídeos e glicoproteínas.
Âmbar
(79
a.C.):
Resina
muito
resistente proveniente de árvores fossilizadas
(por exemplo, os pinheiros).
Guta-percha
(800):
Resina
natural presente na casca de árvores da
Malaia.
Borracha (1530): Seiva da
seringueira,
já
descrita
pelos
espanhóis no início da invasão da
América do Sul.
Celulose (1838): Fibras
das árvores.
1839:
Charles
Goodyear,
desenvolve
a
vulcanização - processo que consiste na adição de
enxofre à borracha natural.
1839: Eduard Simon, descobriu o poliestireno.
1851: Nelson Goodyear, comercializou a
Ebonite – material produzido pela vulcanização da
borracha com excesso de enxofre.
1862: Alexander Parkes, desenvolveu a Parkesina, o
primeiro
material
plástico
produzido
a
partir
da
modificação do nitrato de celulose.
1870: Os irmãos Hyatt patentearam o uso de nitrato de
celulose e da cânfora, obtendo o celuloide.
1884: Hilaire Bernigaud, produziu a primeira
fibra têxtil artificial.
1887: Hannibal Goodwin, produziu um filme de
celuloide que foi utilizado como suporte para fotografia.
1892:
Primeira
síntese
do
celofane,
um
transparente produzido a partir da regeneração da celulose dissolvida.
1894: Crosse e Bevans
produziram
o
acetato
de
celulose.
1900: Frederic Stanley Kipping, descobriu
os silicones.
filme
1908: Jacques E. Brandenberger descoberta o Celofane.
1909: Leo Baekelande patenteou a
Bakelite, que foi a primeira resina produzida
industrialmente em larga escala.
1910: Início da produção de meias femininas de seda (rayon) na
Alemanha.
1919: Introdução à comercialização do acetato de celulose.
1928:
Ziegler
começou
os
seus
trabalhos
sobre
química
organometálica e lança os fundamentos para a catálise na polimerização do
polietileno e do polipropileno.
1930: Waldo Semon modificou o processo de
polimerização do PVC, de forma a melhorar sua transformação e
aumentar o seu potencial comercial.
1933: Ralph Wiley descobre acidentalmente o
poli(cloreto de vinilideno) – PVDC.
1933: Produção dos primeiros artigos de poliestireno,
moldados por injeção.
1933: Início da produção industrial do PVC nos EUA.
1933: Carleton Ellis, registou a patente das
resinas de poliéster insaturado.
1934: Wallace Hume Carothers, desenvolveu o Nylon
(poliamida), originalmente na forma de fibra.
1937: Otto Bayer, desenvolveu e registou a patente do poliuretano - PU.
1939: Waldo Semon, da BF Goodrich
Co., desenvolveu nos EUA a produção das borrachas
sintéticas de estireno e butabieno (SBR) e polibutadieno
(BR).
1940: A Du Pont desenvolveu a poliacrilonitrila (PAN).
1941: J. R. Whinfield e J. T. Dickson conseguem produzir fibras de
poli(tereflalato de etileno) – PET.
1946:
Earl
S.
Tupper,
fundador da Tupperware Plastics Company (1938),
iniciou na sua fábrica a produção de utensílios de
mesa feitos de polietileno, em escala comercial.
1960: Desenvolvimento da borracha de etileno e propileno (EPR).
1969: Homens e plásticos chegam à Lua através de Apollo 11.
1970: A Coca-Cola Company começou a
utilizar
garrafas
de
plástico
transparente
para
o
refrigerante.
1974: Ocorre o primeiro grande choque do petróleo após o início dos
conflitos no Oriente Médio (1973),
que consequentemente afeta
profundamente a indústria dos plásticos.
2000: Cerca de 85 % dos bioplásticos existentes no mercado
internacional são produzidos a partir do amido.
- Práticos;
- Baixo consumo de energia na sua produção;
- Poucos riscos no seu manuseamento;
- Maior versatilidade em termos de design;
- Baixo custo da recolha e destino final;
- Redução do peso do lixo;
- São combustíveis;
- Grandes coeficientes térmicos de expansão;
- Algumas situações de fraca resistência
mecânica e resistência ao calor.
- Algumas alterações nas propriedades físicas,
químicas e mecânicas com a luz, o calor e a
humidade;
Agricultura
Medicina
Indústria
Desporto
- Cobertura em estufas;
- Misturar no solo para promover o arejamento;
- Cobertura de armazéns para diferentes tipos de
produtos;
- Biomateriais (por exemplo, válvulas para o coração, vasos
sanguíneos);
- Instrumentos miniaturizados desenhados para alcançar estruturas
profundas do corpo;
- Microencapsulados para medicamentos, aromas e vestuário;
- Produtos oftalmológicos;
-Componentes para automóveis, aviões: consola, e estofes.
- Terminais de computadores, caixa de comandos…
- Moldes para diferentes tipos de indústria;
- Pavimentos para o chão, caixilharias de portas e janelas;
- Sacos para o lixo ou para compras e contentores variados;
- Tubagens e respetivos acessórios;
- Fitas de gravação em áudio e vídeo, CD;
-Escudos para a polícia antimotim
e brinquedos;
-Piscinas e equipamentos;
- Capacetes de proteção;
- Equipamentos de ginásio;
Portugal é um país com um Índice de Desenvolvimento
Humano bastante elevado, em que a qualidade de vida e tecnologia
usada é bastante superior a muitos outros países. Tem um dos
melhores serviços de saúde do planeta, e uma grande produção
industrial, maioritariamente de plásticos.
O plástico está, nas suas variadíssimas formas, presente no
nosso dia-a-dia, que na maioria das vezes nem nos damos conta da
sua presença.
Em Portugal, o primeiro plástico a ser produzido a nível
industrial, por volta dos anos 20, foi a baquelite (nome em homenagem
ao seu criador, Hendrik Baekeland) .
Após a segunda guerra mundial, Portugal assistiu à superprodução e massificação do consumo de novos plásticos:
– Aminoplásticos;
– Poliestireno;
– Policloreto de vinilo;
– Polietileno.
Estes novos materiais obtiveram
um estatuto significativo na sociedade
portuguesa, começando a existir uma
grande dependência. E desde então,
foram criados aperfeiçoamentos para
rentabilizar cada vez mais o processo de
produção do plástico, tornando-o mais
resistente, ou mais maleável, ou mais
leve… Porém, o plástico tem um sério
problema ambiental: o seu período de
degradação é muito longo. Qual é então,
a solução para este problema?
Ao ser descartado por pessoas e empresas, pode passar por um
processo de reciclagem que garante o seu reaproveitamento na
produção do plástico reciclado. O plástico reciclado tem praticamente
todas as características do plástico comum.
A reciclagem do plástico é de extrema importância para o meio
ambiente. Quando reciclamos o plástico ou compramos plástico
reciclado estamos contribuindo com o meio ambiente, pois este
material deixa de ir para os aterros sanitários, comunidades pobres ou
para a natureza, poluindo rios, lagos, solos e florestas.
Poupar a natureza da
extração inesgotável de
recursos
Reciclar causa menos poluição
ao ar, à água e ao solo.
Diminui o acúmulo de
dejetos
A reciclagem de materiais
plásticos é muito importante
Sabias que…
…com 5 garrafas de PET pode obter-se poliéster
suficiente para produzir uma T-Shirt do tamanho XL?
Os plásticos são divididos em duas categorias importantes:
Termofixos
Termoplásticos
Uma das etapas mais importantes no processo de reciclagem
de plástico é a separação e recolha seletiva do plástico, denominada
triagem. Nas empresas, condomínios e outros locais existem espaços
destinados ao descarte de plástico. Esta é uma atitude extremamente
positiva e ecologicamente correta.
Estas campanhas têm por base
oferecer uma cadeira de rodas por cada
tonelada de rolhas obtida. As pessoas
dão as rolhas com um fim nobre,
solidário.
Mas na verdade, o verdadeiro objetivo é
recolher o máximo de tampas possível para serem
recicladas. Este processo evita as rolhas, minúsculas,
de passarem pela triagem, onde estas são, muitas
vezes, indiferenciadas e mal separadas.
Outro aspeto é o facto de serem fabricadas com um polímero
muito específico, diferente de todo o resto da garrafa ou garrafão: o
polietileno. O polietileno é um polímero com propriedades vantajosas e
aplicabilidades diversas.
Em Portugal há, neste momento, pelo menos três empresas
recicladoras que estão a investir na reciclagem de plásticos mistos
(plastval, Facenova e Extruplas).
A capacidade global de reciclagem da Indústria Recicladora de
Plásticos em Portugal estima-se em cerca de 45 mil toneladas/ano.

similar documents