Slide 1

Report
AVALIAÇÃO ESCOLAR INTERNA:
PROCESSOS, INSTRUMENTOS E
ATORES ENVOLVIDOS
VISANDO QUE A AVALIAÇÃO
INTERNA E A AVALIAÇÃO EXTERNA
SEJAM REFLEXO UMA DA OUTRA.
O que costumamos ouvir sobre
“avaliação” nas nossas Escolas?
Então, no final do bimestre, eu levo os
alunos para o salão e aplico uma prova.
É aí que eu vou saber quem é quem; é aí
que eu vou saber quem o meu aluno é.
Como eu não tive tempo
para dar muitos trabalhos,
dei uma prova com peso
dois e ela acabou valendo
por duas avaliações.
O aluno tirou 10,0 no primeiro bimestre,
depois 6,5, 4,5 e finalmente, no último
bimestre, tirou 3,0.
Somando os valores temos vinte e quatro.
A média para passar é seis; logo, o aluno
está apto para a série seguinte.
A aluna não foi bem no primeiro
bimestre: ficou com zero. Depois, passou
a levar a sério, deu uma virada, foi
crescendo: tirou 7,0, 7,5 e 8,5.
E olha que a matéria era cumulativa, e a
complexidade ia aumentando.
Coitada, é uma pena que tenha que ficar
de recuperação em janeiro.
Ela se recuperou tanto, mas... não atingiu
a média que era 7,0...
Com essa aluna, eu não sei qual é o
problema: na hora da prova esquece tudo
o que sabia. Porque eu sei que ela sabia.
Mas... como é que eu vou dar uma nota?
MITOS POR TRÁS DESSAS FALAS
A prova escrita é um instrumento
objetivo e imparcial.
A média do aluno representa
fielmente a totalidade da
aprendizagem de um período.
O Professor sabe como e quando
utilizar instrumentos e com que
critérios fazer juízos de valor.
Linha de Raciocínio
Pontos comuns
LDB
Pontos específicos
GESTÃO
Linha de Raciocínio
Pessoas plenas
Personalização
em Relação
pelo Trabalho
Professor e Aluno
como PESSOAS
A AVALIAÇÃO NA LDB EM 5 ASPECTOS
Artigo de Andréa Ramal
1 - Objetivo do Processo de Avaliação
diagnóstico
da realidade
em função da qualidade
que se deseja atingir.
Não é
definitivo nem
rotulador,
não visa a
estagnar,
e sim a
superar as
deficiências.
Permite PLANEJAR e REPLANEJAR
Onde estamos?
Para onde
queremos ir?
Que passos
daremos?
2 - A avaliação pode definir o grau de
desenvolvimento e experiência do aluno;
pode e deve aproveitar o que ele sabe.
Mais um MITO a ser
trabalhado na Escola...
Apenas os saberes transmitidos no
mundo escolar seriam dignos de
serem considerados no registro do
desempenho discente.
Levar em conta valores,
visões de mundo,
aptidões, habilidades e
comportamentos que não
são observáveis ou
mensuráveis a partir dos
instrumentos usuais
ampliaria o conhecimento
das potencialidades dos
alunos e seu possível
aproveitamento no mundo
escolar.
3 - A avaliação deve ser contínua e
cumulativa, com prevalência do
qualitativo sobre o quantitativo;
deve ser voltada para a promoção, e
não para a estagnação.
Contínua ?????
Cumulativa???
Qualitativo ???
Quantitativo ??
Voltada para a PROMOÇÃO
e não para a ESTAGNAÇÃO ??
4 - A avaliação deve ter critérios
definidos, dados a conhecer aos
interessados.
Mais um MITO a ser
trabalhado na Escola...
O aluno seria o maior, talvez o único
responsável, pelo sucesso escolar.
Professor, que
nota você me
deu na redação?
Não fui eu que
dei; VOCÊ TIROU
quatro !!!
5 - A avaliação é um direito que deve
ser assegurado aos alunos, mas
também às instituições e aos
professores.
A AÇÃO GESTORA
NESTA PERSPECTIVA DE AVALIAÇÃO
A AÇÃO GESTORA
NESTA PERSPECTIVA DE AVALIAÇÃO
O gestor atual, mais do que o
domínio técnico de sua área,
apresenta capacidades e
conhecimentos que
permitem caracterizá-lo
como um especialista
 em resultados,
 em mudanças e
 em gente.
O papel
social da
escola se
concretiza no
trabalho da
sala de aula,
mediado por
diferentes
instâncias de
gestão.
Qual é o FOCO?
LIDERANÇA NA GESTÃO
Conceito de AUTORIDADE
LIDERANÇA NA GESTÃO
Diferentes opções teórico-práticas
Conceito de AUTORIDADE
Dom
pessoal
Reconhecimento e
Representação
Autoridade como
SERVIÇO
Augère
=
fazer crescer
Para o crescimento
do OUTRO
Individual e
comunitário
O TRABALHO NA SALA DE AULA
Índices e
Estatísticas
Importância relativa
A Escola que chega até o aluno é aquela
da experiência vivida na sala de aula
E que experiência de vida a Escola
pode fazer chegar aos Alunos?
Como tudo isso se reflete na Gestão
Escolar em seus diferentes níveis?
Diversas
instâncias de
governo
Secretarias
e suas
instâncias
NECESSIDADES
Gestores locais
Pessoal
da
Escola
Nossa própria experiência nos mostra
A experiência vivida na sala de aula
conteúdos
metodologias
de trabalho
avaliação
Grande parte dos valores
e fundamentos do que somos hoje.
conteúdos
metodologias
de trabalho
avaliação
Valores propostos pela SEDUC/CE:
qualidade,
equidade,
transparência,
eficiência,
ética e
participação.
Importância da Formação Docente
Habilidades
Técnicas
Habilidades
Relacionais
Planejar
Articular
Desenvolver
Mediar
Controlar
Coordenar
Avaliar
Capacitar
Por onde começar?
Avaliação objetiva
de como a Escola
avalia
(análise de
instrumentos,
processos e
resultados)
Por onde começar?
Auto-avaliação de como cada
Professor avalia
Como entendo avaliação?
 Como avalio?
 Que consequencias minha
avaliação provoca em meu aluno
e no meu trabalho?
Por onde começar?
Os Alunos avaliam a avaliação
(se for o caso, também a Comunidade)
Como me sinto a partir das
avaliações promovidas na e pela
Escola?
 Como eu gostaria que fosse a
avaliação?
Por onde começar?
Inserir a Avaliação no Plano de Gestão da
Equipe Técnico-Pedagógica
O que nos indicam os levantamentos
internos e externos?
 Que ações concretas devem ser
encaminhadas em termos de ação e
formação docente?
Encerrando...
[email protected]
Perguntas do Público

similar documents