Auditoria - Professor Sílvio Crepaldi

Report
AUDITORIA
PROF. DR. SILVIO APARECIDO CREPALDI
A sociedade deseja a
apresentação de
demonstrações
contábeis e
divulgações
à
opinião pública.
A
constitui o
que tem
por objetivo a
sobre sua adequação, consoante
os Princípios Fundamentais de
Contabilidade e pertinente à
legislação específica.
O
éo
elemento fundamental na
extensão que se traduz em
sinônimo de
.
:
 Recursos gerados e aplicados;
 Resultado operacional;
 Variação patrimonial;
Obedeceram a padrões usuais de
medição?
A
é aplicada
às companhias abertas,
sociedade e empresas que
integram o sistema de
distribuição de valores
mobiliários, art. 26 da Lei no
6.385/76.
Também terão suas demonstrações
auditadas regularmente as
empresas que:
 faturarem mais que R$ 300
milhões por ano;
 possuirem ativos superiores a R$
240 milhões, Lei no 11.638/07.
Atualmente não há qualquer imperativo
legal nos termos da Lei 11.638/2007 que
obrigue as sociedades limitadas de
grande porte a publicar suas
demonstrações financeiras.
Assim,
existe obrigação de
cumprir o art. 289 da Lei 6.404/76 –
publicação.
O DNRC – Departamento Nacional
do Registro do Comércio publicou
o Ofício-circular nº 99, que
estabeleceu ser facultativa a
publicação dos balanços pelas
sociedades limitadas de grande
porte.




Analisar eventos e transações.
Medir e registrar dados de transações.
Classificar e resumir dados registrados.
Preparar demonstrações contábeis de
acordo com os Princípios Fundamentais
de Contabilidade.
 Distribuir as demonstrações contábeis e
parecer de auditor aos acionistas
anualmente.
Valendo-se de normas e padrões de
natureza técnica e ética,
torna-se
um elemento fundamental:
 no sistema de informações;
 na medição de desempenho;
 na prestação de contas da administração.
O levantamento, estudo e avaliação sistemática
das transações, procedimentos, operações,
rotinas das demonstrações financeiras.
mensurar a exatidão dos registros e
das demonstrações contábeis.
em controlar áreas-chaves a fim de
evitar situações que propiciem fraudes, desfalques
e subornos.
, em termos
da adequação, comunicação, aceitação, aplicação e
controle,
 se é necessária na situação,
 se contribui para atingir os objetivos da empresa,
 se permite assegurar a correta utilização dos
recursos da empresa, tanto de natureza financeira,
econômica e humana.
Ser
tanto
quanto
, que, por meio da análise
das demonstrações financeiras,
devidamente acompanhadas do
, podem eleger
seguramente as empresas nas quais
efetuarão aplicações de sua poupança
pessoal em ações.
:







Assessoria no planejamento tributário;
Controle das atividades e do patrimônio;
Atualização de executivos;
Avaliação de sistemas de informação;
Assessoria na área de controle;
Planos de reorganização;
Expansão de atividades
Determinar se as demonstrações e
respectivos registros contábeis
, isto é,
verificar se refletem, ou não, a situação
patrimonial, assim como os resultados
das operações que estão sendo
examinada.
 Determinar exatamente o que o conjunto de
demonstrações pode representar.
 Decidir os procedimentos aplicáveis para
verificar a fidelidade dessas afirmações.
A seleção das
a serem aplicadas e dos
a serem seguidos é definida com o
.
:




Fiscaliza a eficiência dos controles internos;
Assegura melhor correção dos registros contábeis;
Opina sobre a adequação das demonstrações;
Dificulta desvios de bens patrimoniais e pagamentos
indevidos;
 Possibilita apuração de omissões no registro de
receitas;
 Aponta falhas na organização administrativa e nos
controles internos.
:
 Contribui para maior
exatidão das demonstrações
contábeis;
 Possibilita melhores
informações sobre a real
situação econômica,
patrimonial e financeira das
empresas;
 Assegura maior exatidão dos
resultados apurados.
:
 Permite maior exatidão das
demonstrações contábeis;
 Assegura maior exatidão dos resultados
apurados;
 Contribui para maior observância das leis
fiscais.
Os métodos aplicados são:
Pela retrospecção verificam-se os fatos
passados já vividos, em fatos patrimoniais já
sucedidos.
A análise é o fator predominante, o que
realmente caracteriza o método de realização
do trabalho.
É o exame das demonstrações
financeiras por um profissional
independente com a finalidade de
sobre a sua
finalidade.
Consiste de
de
programas, organizações, atividades ou
segmentos operacionais dos setores
público ou privado, com a
se os recursos da
organização estão sendo usados
eficientemente e se estão sendo alcançados
os objetivos operacionais.
Objetiva o exame e a avaliação de
planejamento tributário e a eficiência e
eficácia dos procedimentos e controles
adotados para a operação, pagamento e
recuperação de impostos, taxas e quaisquer
outros ônus de natureza fisco-tributária que
incidam nas operações, bens e documentos
da empresa.
Compreende o exame e avaliação dos
processos de planejamento, desenvolvimento,
teste e sistemas aplicativos.
Visa, também, ao exame e avaliação das
estruturas lógica, física, ambiental,
organizacional, de controle, segurança e
proteção de determinados ativos, sistemas
aplicativos, software e, notadamente, as
informações, visando à qualidade de controles
internos sistêmicos e de sua observância em
todos os níveis gerenciais.
Compliance significa estar em conformidade com as
leis, os regulamentos internos e externos e os
princípios corporativos que garantem as melhores
práticas do mercado.
Quando se objetiva determinar se certas atividades
financeiras ou operacionais de uma entidade
obedecem às regras ou regulamentos que a elas se
aplicam.
A função de Compliance atua mais na fase de
definições ou estabelecimento das normas, divulgação
e treinamento e no acompanhamento das transações
no dia a dia.
Tanto os usuários
quanto os
necessitam de informações
fidedignas, exatas, apresentadas
honestamente e isentas de distorções.
Para se ter essa
, as
informações devem ser examinadas por
pessoas devidamente capacitadas, que não
a encarregada de prepará-las, portanto, um
Auditor.
De acordo com a
,
a rotatividade na prestação de serviços
de auditoria de demonstrações
contábeis para a mesma entidade
realizada por auditor independente
deve ocorrer, no máximo,
consecutivos, com
para a sua
recontratação.
A International Accounting Standard Board
– IASB editou, em julho de 2099 as IFRS.
É um novo padrão contábil vigente no país,
que acompanha as normas internacionais.
Todas as companhias, que de acordo com
o Código Civil são obrigadas a levantar
balanços todos os anos.
O que se pode dizer diante dessa situação é que pelo menos
três coisas devem ocorrer:
 Mesmo com a obrigatoriedade a partir do exercício de 2010, a
adesão ao novo padrão será feita aos poucos e não atingirá
cedo boa parte das companhias já que não haverá
mecanismo automático de fiscalização.
 Os Contadores vão querer cobrar mais caro pelo serviço que
prestam atualmente, já que o trabalho tomará mais horas e
ficará mais sofisticado.
 A recompensadora consequência será uma melhora na
gestão das empresas brasileiras de menor porte, que
passarão a ter informações mais consistentes sobre seu
desempenho.
A grande novidade do padrão é
justamente a separação da
da
.
Estamos vivendo um período de
transição e na nova Contabilidade a
essência vai prevalecer sobre a forma.
Os
que não seguirem as normas
poderão perder o registro profissional.
A dúvida sobre a aplicação da nova norma
também passa pela questão de custo, uma
vez que os contadores podem deixar os
clientes contrariados ao tentar elevar o
preço cobrado pelo serviço sob o
argumento do IFRS.
OBRIGADO !
PERGUNTAS ?
Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi
www.professorcrepaldi.pro.br
[email protected]
.

similar documents