Aula 1 - WordPress.com

Report
Contextualização
Um caso que chocou o país!
http://www.youtube.com/watch?v=HVbzIC
CJu-U&list=WLFGpiEnH7QcQYrFWqPDFo-6D2QELjd5Y
Técnicas de microbiologia
Mariana Bridi Costa
https://www.youtube.com/watch?v=TnHCd4sY24&list=PL52AFB8EF8CB7E4C
D
MICROBIOLOGIA – AULA1
Fundamentos de Microbiologia e
Anatomia Funcional das
Células Procarióticas
• QUESTÕES PARA AS PROVAS;
• CONTEÚDO DAS AULAS;
• ATIVIDADES ON-LINE;
BLOG: http://chicoteixeira.wordpress.com
TWITTER: @ChicoMTeixeira
chico.m.teixeira
MSN: [email protected]
e-mail: [email protected]
Os micróbios em nossas vidas
Neve fabricada com Snomax, uma proteína
produzida por bactérias geneticamente
modificadas, que faz com que a água
congele em temperatura mais elevada que
a normal;
Os micróbios em nossas vidas
Tendência a associar microrganismos somente a
infecções desagradáveis;
No entanto,
Microrganismos e
síntese de
Microrganismos
dovitaminas
solo
Microrganismos
marinhos
Certas
bactérias e algas
realizam a fotossíntese
e de água doce
Os micróbios em nossas vidas
Os microrganismos também possuem muitas
aplicações comerciais;
•
•
•
Utilizados na síntese de produtos químicos;
Na produção de alimentos;
Na produção de substâncias terapêuticas através da
engenharia genética;
Embora somente uma minoria seja patogênica,
devemos considerar que as doenças infecciosas
ainda são a maior causa de morte no mundo;
Uma breve história da microbiologia
Observação das células em 1665 por Robert Hooke
Cartas de Leewenhoek à Sociedade Real de
Londres descrevendo os “animálculos
O debate sobre a geração espontânea
Muitos cientistas e filósofos acreditavam que
algumas formas de vida poderiam aparecer
espontaneamente da matéria morta;
GERAÇÃO ESPONTÂNEA
Outros cientistas preconizavam que células
vivas poderiam surgir somente a partir de células
vivas preexistentes;
BIOGÊNESE
Experimentos deTEORIA
Pasteur que DA
refutaram
a teoria da geração espontânea
A idade de ouro da Microbiologia
A idade de ouro da Microbiologia
Teoria do germe
e da doença
Postulados de
Koch
A idade de ouro da Microbiologia
Outras descobertas importantes:
1888 – Roux e Yersin – toxina diftérica;
1890 – Von Behring e kitasato – antitoxina no
sangue de indivíduos em recuperação da difteria;
Humoralistas
Celularistas
Técnicas de cultura pura
Os microrganismos na natureza
normalmente existem em culturas
mistas, com muitas espécies diferentes
ocupando o mesmo ambiente;
Portanto, o primeiro passo é isolar as
diferentes espécies contidas em uma
amostra;
Para o isolamento dos microrganismos devemos
utilizar técnicas de semeadura e meios indicados
de acordo com a espécie:
Técnicas de cultura pura
O equipamento necessário para a inoculação
primária de amostras é relativamente simples:
Técnicas de cultura pura
Aspecto da placa após a semeadura por estrias
Espalhamento nos
Ágar
semi-sólido
para
Repique
por picada
quatro quadrantes
provas
de motilidade
com movimento
em S
Técnicas de cultura pura
Pour Plate:
Consiste na transferência de alíquota de 1 a 2 mL da
diluição da amostra (de cada diluição a ser considerada)
para réplicas de placas de Petri estéreis (usualmente de 2
a 3 a cada diluição);
O meio de cultura estéril fundido e resfriado a 45 – 48°C,
em quantidade de cerca de 20 mL, é vertido sobre cada
uma das placas contendo amostra, realizamos então a
homogeneização com movimentos em S ou 8 sobre a
bancada de trabalho, as quais permanecem até
solidificação a temperatura ambiente;
Técnicas de cultura pura
Pour Plate:
Segue-se incubação das
placas, em estufa, na
posição invertida;
Após 2 a 5 dias de
incubação a 30 – 35°C,
para bactérias e 5 a 7 dias
para bolores e leveduras, a
20 – 25°C, as colônias são
contadas;
Técnicas de cultura pura
Semeadura da amostra em superfície:
O meio de cultura é preparado e distribuído previamente
em placas de Petri. Empregando-se pipetas estéreis,
volumes de 0,1 a 0,5 mL de cada diluição considerada são
distribuídos na superfície do gel já solidificado, sendo o
espalhamento efetuado com movimentos cuidadosos ou
com o auxílio de bastão de vidro ou alça de Drigalski;
A escolha do meio de cultura,
condições de incubação e
Na dependência da densidade da amostra,
cálculos para determinação
daabsorção
carga contaminante
haverá
total pelo meio. Asviável
placas
invertidas
são então
equivalem ao descrito para
a técnica
Pourincubadas;
Plate;
Técnicas de cultura pura
Staphylococcus aureus
Mycobacterium bovis
Para a conservação dos microrganismos há a
possibilidade de refrigeração ou liofilização;
Microscópios
O microscópio óptico pode ampliar um
objeto por aproximadamente 2000 vezes,
mas sua ampliação máxima útil é de
1000 vezes o tamanho original;
Existem lentes no condensador, nas
objetivas e na ocular;
As objetivas podem ser de baixo poder,
alto poder e de imersão;
A ampliação útil é limitada pela resolução;
Microscópios
Microscópio Eletrônico de varredura
(MEV)
Microscópio Eletrônico de
transmissão (MET)
Microscopia
Microscopia de campo claro:
Utiliza uma fonte de luz direta semelhante a uma lâmpada
de luz ou à luz do dia, que ilumina todo o campo contendo
a amostra, como a maioria das técnicas de coloração
mata os microrganismos esta é uma limitação;
Microscopia de campo escuro:
Utiliza um microscópio luminoso equipado com uma
objetiva e um condensador especial para iluminar os
microrganismos em uma amostra, contra um fundo
escuro;
Microscopia
Microscopia de fluorescência:
É a técnica de microscopia óptica utilizada na prática
clínica para a observação de espécimes corados com um
corante fluorescente que absorve a energia da luz com
comprimentos de onda curtos, como aqueles da luz azul;
Microscopia de contraste de fase:
Utiliza um microscópio luminoso modificado que permite
maior contraste entre materiais de espessuras ou
densidades diferentes. O resultado é uma imagem com
graus variáveis de luminosidade (contraste);
Microscopia
Microscopia Eletrônica de Transmissão (MET):
Geralmente são utilizadas quando utilizamos corantes ou
cortamos os microrganismos em seções finas. Aqui os
feixes de elétrons atravessam o espécime e transmissão
destes feixes forma uma imagem;
Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV):
O feixe de elétrons se move para trás e para frente da
superfície dos microrganismos. Fornece uma visão
tridimensional da superfície celular e dá uma ideia sobre
certos aspectos físicos, tais como aderência;
Microscopia
Par obter uma imagem clara e detalhada em um
microscópio óptico, as amostras devem ter um alto
contraste com seu meio. Assim devemos diferenciar o
índice de refração das amostras daquele do seu meio;
Microscopia de contraste de fase
Microscopia de campo escuro
Anatomia funcional das
células procarióticas
Teoria endossimbiôntica
Mitocôndria
Cloroplasto
Procarióticos e Eucarióticos
A célula procariótica
Estrutura da parede celular bacteriana
Estrutura da parede celular bacteriana
Estrutura da parede celular bacteriana
Técnica de coloração de Gram
OBRIGADO

similar documents