O que é pesquisa?

Report
Métodos de Pesquisa
Bacharelado em Ciência da Computação, Mecatrônica
1. A PESQUISA COMO PRODUÇÃO DE
CONHECIMENTO
A ciência é uma atividade tipicamente humana
de busca sistemática do conhecimento da
natureza e dos seus fenômenos.
• Observação;
• Descrição;
• Experimentação;
• Teorização.
2
1. A PESQUISA COMO PRODUÇÃO DE
CONHECIMENTO
Dependendo do objeto de pesquisa:
• A experimentação (tentativa de reproduzir em laboratório,
de modo controlado, os fenômenos) poderá não existir;
• Modelo teórico, explicativo dos fenômenos naturais ou
sociais.
• A experimentação pode ser mais ou menos rigorosa,
dependendo dos recursos que se dispõe, inclusive o
conhecimento teórico pré-existente.
3
A pesquisa como produção de
conhecimento
Leitura Texto de Severino
4
A Pesquisa: Conceitos e Definições
O que é pesquisa?
• “Pesquisar, significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações
propostas.” (Silva e Menezes, 2001)
• “Pesquisa científica é a realização concreta de uma investigação planejada,
desenvolvida e redigida de acordo com as normas da metodologia consagradas
pela ciência.” (Ruiz, 1991)
• “A pesquisa é uma atividade voltada para a solução de problemas, através do
emprego de processos científicos.” (Gil apud Silva e Menezes, 2001)
• “Pesquisa científica é um conjunto de procedimentos sistemáticos, baseados no
raciocínio lógico, que tem por objetivo encontrar soluções para os problemas
propostos mediante o emprego de métodos científicos.” (Andrade, 2001)
5
Conceito de pesquisa
A pesquisa é o exercício ou a prática da busca do
conhecimento:
• Básica;
• Aplicada.
A Pesquisa: Conceitos e Definições
• Finalidades (Andrade, 2001):
– Pesquisa pura (básica): satisfação do desejo de adquirir
conhecimentos, sem que haja uma aplicação prática
prevista
– Pesquisa aplicada: os conhecimentos adquiridos são
utilizados para aplicação prática voltados para a solução de
problemas concretos da vida moderna
7
Quanto à Natureza
Pesquisa Básica.
Pesquisa Teórica.
Pesquisa Empírica.
Pesquisa Aplicada.
Tipos de Pesquisa
• Quanto à Natreza
– Pesquisa teórica – dedicada a estudar teorias
– Pesquisa metodológica – se ocupa dos modos de fazer
ciência
– Pesquisa empírica – dedicada a codificar a face mensurável
da realidade social
– Pesquisa prática – voltada para intervir na realidade social
(pesquisa-ação)
9
Tipos de Pesquisa
• Quanto aos objetivos
– Pesquisa exploratória
• Proporcionar maior familiaridade com o problema
• Levantamento bibliográfico ou entrevistas
• Pesquisa bibliográfica ou estudo de caso
– Pesquisa descritiva
• Fatos são observados, registrados, analisados, classificados e
interpretados, sem interferência do pesquisador
• Uso de técnicas padronizadas de coleta de dados (questionário e
observação sistemática)
– Pesquisa explicativa
• Identificar fatores determinantes para a ocorrência dos fenômenos
• Ciências naturais – método experimental; ciências sociais –
método observacional
10
Quanto aos objetivos
NÍVEIS
EXPLORATÓRIA
CONHECIMENTO
COMO
DESCRITIVA
O QUÊ
EXPLICATIVA
POR QUÊ
OBJETIVOS
Conhecer mais e
melhor um problem
Elaborar hipóteses
Aprimorar idéias
Descobrir intuições
Descrever
características de
população ou
fenômeno
Estabelecer relações
entre variáveis
Identificar variáveis
que determinam a
ocorrência de um
fenômeno
Explicar a razão do
fenômeno
Investigar
relações
de causa e efeito
a
MODALIDADES
Levantamentos
bibliográficos
Entrevistas
Estudos de caso
Estudos
etnográficos
Levantamentos
(opiniões, atitudes,
crenças...)
Experimental
Tipos de Pesquisa
•
•
Quanto aos procedimentos
– Pesquisa de campo – observação e coleta de dados diretamente no local da
ocorrência dos fatos
– Pesquisa de fonte de papel – pesquisa bibliográfica e documental
Quanto ao objeto
– Pesquisa bibliográfica – elaborada a partir de material já publicado (livros,
artigos de periódicos, etc.)
– Pesquisa de laboratório – pesquisador procura refazer as condições de um
fenômeno a ser estudado, para observá-lo sob controle
– Pesquisa de campo
• Construção de um modelo da realidade
• Formas de observá-la
• Campo da pesquisa
Meios de coleta e
• Formas de acesso a esse campo
análise de dados
• Participantes
12
Tipos de pesquisa
Quanto aos procedimentos
Pesquisa experimental
Manipula diretamente as variáveis relacionadas ao
objeto de estudo.
O que são variáveis?
Variáveis são características que são medidas,
controladas ou manipuladas em uma pesquisa.
• Dependentes;
• Independentes.
Interatividade
O gráfico mostra a variação do consumo de cerveja
com a temperatura.
Qual a variável dependente?
a) O consumo de cerveja
b) A temperatura
c) O preço da cerveja
d) N.D.A.
Resposta
Resposta a).
Qual a variável dependente?
O consumo de cerveja.
E a variável independente é a temperatura.
Quanto aos procedimentos
Pesquisa de Laboratório.
• Interfere artificialmente na produção do fato/
fenômeno/processo
• Artificializa o ambiente ou os mecanismos de
percepção para que o fato/fenômeno/processo
seja produzido/percebido adequadamente
Quanto aos procedimentos
Pesquisa Operacional.
É a investigação sistemática dos processos de
produção. Utiliza ferramentas estatísticas e
métodos matemáticos e visa selecionar os meios
para produção, comparando custos, eficiência e
valores
Quanto aos procedimentos
Levantamento
• Caracteriza-se pela interrogação direta das pessoas,
cuja opinião se quer conhecer. Permite
oconhecimento direto da realidade.
Etapas:
• Seleção da amostra
• Aplicação de questionários, formulários ou
entrevista
• Tabulação dos dados
• Análise com auxílio de ferramentas estatísticas
Quanto aos procedimentos
Pesquisa de Campo
• Observa o lugar natural onde ocorrem os
fenômenos e utiliza diversos procedimentos de
coleta como observações e entrevistas. É
realizada
onde
acontece
o
fato/fenômeno/processo e coleta de dados pela
observação do fato/fenômenos/ processo in
natura.
Quanto aos procedimentos
Estudo de caso:
•
•
•
•
Um caso pode ser...
Uma decisão,
Um programa;
Um processo de implantação.
Quanto aos procedimentos
Pesquisa-ação
• Pesquisa social com base
empírica na qual os
pesquisadores e os
participantes estão
envolvidos de modo
cooperativo ou
participativo.
Quanto à natureza da informação
Quanto à natureza da informação
Pesquisa Quantitativa:
• Considera que tudo pode ser quantificável, o que significa
traduzir em números opiniões e informações para
classificá-las e analisá-las. Requer o uso de recursos e de
técnicas estatísticas (percentagem, média, moda, mediana,
desvio-padrão, coeficiente de correlação, análise de
regressão, etc.)
• Apesar de criticada por reduzir as relações humanas a
números exatos, é utilizada para estudar o homem e a
sociedade quando é possível utilizar a mesma metodologia
e o mesmo instrumental das ciências naturais.
Exemplo: Pesquisa Quantitativa
As pessoas gostam mais de sorvete de chocolate ou
de morango?
55% das pessoas gosta de chocolate;
40% prefere morango;
5% não gosta de sorvete.
Técnicas Quantitativas
Questionário:
• É um instrumento de coleta de dados;
• O questionário deve seguir uma estrutura lógica, do mais
simples ao mais complexo;
• Os questionários devem ser acompanhados de uma carta
de apresentação detalhando:
– A finalidade do estudo;
– Como preencher o questionário;
– Se é preciso identificação pessoal;
– Como devolver o
questionário.
Técnicas Quantitativas
Entrevistas:
• Partem do encontro entre o pesquisador e o
objeto de estudo e servem para coleta de dados
não documentados. Possibilitam análises
qualitativas e quantitativas. O número de
entrevistados depende da variabilidade da
informação a obter. O roteiro da entrevista deve
considerar a distribuição do tempo por assunto e
a formulação de perguntas com respostas
descritivas.
Tipos de entrevistas
Entrevista Estruturada
Entrevistador usa um esquema de questões sobre um tema
Entrevista Semi-Estruturada
Há um esquema, mas o entrevistador estimula que o entrevistado fale
livremente sobre assuntos que vão surgindo
Entrevista Orientada
O entrevistador foca sua atenção sobre uma experiência e seus efeitos
Entrevista de grupo
Pequenos grupos respondem simultaneamente à um grupo de questões
Entrevista informal
Utilizada em estudos exploratórios, pode ajudar a encaminhar a
investigação, rever hipóteses.
Entrevista dirigida
O informante apenas escolhe uma entre várias possibilidades.
embora possa se expressar com suas próprias palavras, é importante
que as questões sejam fechadas.
Entrevistas
Quanto à natureza da informação
Pesquisa Qualitativa:
• Considera que há um vínculo entre o mundo
objetivo e a subjetividade do sujeito que não pode
ser traduzido em números;
• Não requer o uso de métodos e técnicas estatísticas;
• É descritiva.
Quanto à natureza da informação
Pesquisa Bibliográfica
Fontes primárias
São os elementos sobre os quais está escrevendo diretamente - as
matérias primas da pesquisa (livro, autor, experimento...)
Fontes secundárias
Livros e artigos nos quais os autores informam resultados de suas
pesquisas baseadas em dados ou fontes primárias
São citados como suporte para sua pesquisa
Fontes terciárias
Livros e artigos baseados em pesquisas secundárias, baseados nas
pesquisas de outros
Sintetizam e explicam a pesquisa feita em uma área
Úteis para início de pesquisa, mas não são atualizadas e dão suporte
fraco à pesquisa
Quanto à natureza da informação
Pesquisa Documental
• Documento
“Qualquer suporte que contenha informação
registrada, formando uma unidade, que possa servir
para consulta, estudo ou prova. Inclui impressos,
manuscritos, registros audiovisuais e sonoros,
imagens, sem modificações, independentemente do
período decorrido desde a primeira publicação.
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023, 2000)
Interatividade
Quando um pesquisador quer abordar um assunto e
apenas levantar os vários autores que escreveram
sobre este assunto, sua pesquisa é:
a) Pesquisa bibliográfica;
b)Pesquisa exploratória;
c) Pesquisa operacional;
d)Pesquisa descritiva;
e) Pesquisa ação.
Resposta
Resposta a).
Quando um pesquisador quer abordar um assunto
e apenas levantar os vários autores que escreveram
sobre este assunto, sua pesquisa é bibliográfica.
Conceito de tecnologia
A tecnologia é o estudo das
técnicas.
É a busca do conhecimento de
como produzir e desenvolver
instrumentos.
Na sua origem, a tecnologia era
uma atividade típica de artesãos.
Conceito de tecnologia
Conceito de desenvolvimento experimental - P&D
Desenvolvimento experimental: entende-se as
diversas etapas de transformação de uma
descoberta ou um invento em uma inovação, ou o
aprimoramento de uma inovação tecnológica, seja
esta um novo produto ou um novo processo
produtivo.
• Etapas de transformação de uma descoberta ou
um invento em uma inovação;
• O aprimoramento de uma
inovação tecnológica.
Conceito de estado do conhecimento ou
“estado da arte”
Estado do conhecimento é a avaliação do
conhecimento em um determinado momento, seja
ele referente a um campo da ciência ou a uma
determinada técnica. É também denominado como
"estado da arte"(state of the arts).
• Ciência - Descobertas ou invenções;
• Tecnologia- Inventos e inovações.
Processo de geração de conhecimento
A geração de conhecimento implica em que a
atividade nas áreas de C&T e de P&D, tenham
como resultado os produtos, as descobertas,
invenções ou inovações.
Interatividade
Qual a afirmação INCORRETA?
A geração de conhecimento:
a) Significa a atividade nas áreas de C&T e de P&D que têm
como resultado as descobertas, invenções ou inovações;
b) Dá-se em laboratórios de universidades e centros de
pesquisa;
c) Na área tecnológica tem lugar nos laboratórios, oficinas,
plantas-piloto e parques tecnológicos;
d) Nunca ocorre em incubadoras de empresas de
universidades e de centros de pesquisa ou em instalações
de pesquisa das indústrias;
e) Interessa de perto ao setor produtivo.
Resposta
Resposta d).
Nunca ocorre em incubadoras de empresas de
universidades e de centros de pesquisa ou em
instalações de pesquisa das indústrias.
Processo de geração de conhecimento
O desafio está em aumentar a colaboração e o
relacionamento entre a área tecnológica e a
científica.
Até aqui em 20/08
Inovação
A inovação é a invenção que tem condições de ser
absorvida pelo setor produtivo,
pode ser de produto ou de processo.
Inovação
Inovação
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
Ciência e Tecnologia não são somente elementos
da cultura de um povo, mas são elementos
delimitadores de um perfil moderno de um Estado
nação.
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
No Brasil:
• Há necessidade de que conhecimentos sejam
adaptados à realidade brasileira;
• Há necessidade de tornamos-nos menos
dependentes de produtos importados;
• Há necessidade de sermos eficientes na geração
autóctone do conhecimento.
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
• Menor dependência da importação de conhecimentos;
• Gerar oportunidades de investimentos;
• Explorar as vantagens de comércio internacional;
• Depender menos da pesquisa realizada fora das fronteiras
do Brasil;
• Evitar manter um elevado grau de vulnerabilidade da
economia.
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
O Brasil tem forte potencial para a geração de
conhecimento, mas ainda carece de um mecanismo
que faça com que este conhecimento alcance o
setor produtivo.
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
O papel da C&T na afirmação da soberania
nacional
Interatividade
C&T devem ser desenvolvidas no país:
a) Para adaptar o conhecimento à realidade
brasileira;
b) Para possibilitar sermos menos dependentes de
produtos importados;
c) Para gerar conhecimento autóctone;
d) Todas as anteriores.
Resposta
Resposta d.
C&T devem ser desenvolvidas no país para adaptar
o conhecimento à realidade brasileira, para
possibilitar sermos menos dependentes de
produtos importados e, também, para gerar
conhecimento autóctone.
Etapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa Científica
Escolha do tema
Revisão de literatura
Justificativa
4. Formulação do problema
5. Determinação de objetivos
6. Metodologia
7. Coleta de dados
8. Tabulação dos dados
9. Análise e discussão dos resultados
10. Conclusão da análise dos resultados
11. Redação e apresentação do trabalho científico
1.
2.
3.
56
Etapas da Pesquisa Científica
1.
Escolha do tema
–
–
–
–
–
2.
O que vou pesquisar?
Um aspecto ou uma área de interesse de um assunto que se deseja
provar ou desenvolver
Assunto interessante para o pesquisador
Originalidade não é pré-requisito
Fontes de assuntos: vivência diária, questões polêmicas, reflexão,
leituras, conversações, debates, discussões
Revisão de literatura
–
–
–
Quem já pesquisou algo semelhante?
Busca de trabalhos semelhantes ou idênticos
Pesquisas e publicações na área
57
Etapas da Pesquisa Científica
3.
–
–
–
–
–
4.
–
–
–
5.
–
–
–
Justificativa
Por que estudar esse tema?
Vantagens e benefícios que a pesquisa irá proporcionar
Importância pessoal ou cultural
Deve ser convincente
Deve ser algo factível de pesquisar.
Formulação do problema
Que respostas estou disposto a responder?
Definir claramente o problema
Delimitá-lo em termos de tempo e espaço
Determinação de objetivos
O que pretendo alcançar com a pesquisa?
Objetivo geral – qual o propósito da pesquisa?
Objetivos específicos – abertura do objetivo geral em outros menores (possíveis
capítulos)
58
Etapas da Pesquisa Científica
6.
Processo de formulação das Hipóteses
–
As suposições propostas como respostas plausíveis para o problema de pesquisa
são as hipóteses.
–
Um mesmo problema pode ter muitas hipóteses.
–
As hipóteses irão orientar o planejamento dos procedimentos metodológicos.
59
Etapas da Pesquisa Científica
7.
Metodologia
–










Como se procederá a pesquisa?
Caminhos para se chegar aos objetivos propostos
–
Qual o tipo de pesquisa?
Qual o universo da pesquisa?
Será utilizado a amostragem?
Quais os instrumentos de coleta de dados?
Como foram construídos os instrumentos de pesquisa?
Qual a forma que será usada para a tabulação de dados?
Como interpretará e analisará os dados e informações?
Explicitar a metodologia de pesquisas de campo ou de laboratório é bastante
importante
Pesquisa bibliográfica – leitura como material primordial
Indicar como pretende acessar suas fontes de consulta, fichá-las, lê-las e resumi-las,
construir seu texto, etc.
60
Etapas da Pesquisa Científica
8.
–
–
–
9.
–
–
10.
–
–
11.
–
–
–
Coleta de dados
Como será o processo de coleta de dados?
Como? Através de que meios? Por quem? Quando? Onde?
Paciência
Tabulação dos dados
Como organizar os dados obtidos?
Recursos: índices, cálculos estatísticos, tabelas, quadros e gráficos
Análise e discussão dos resultados
Como os dados coletados serão analisados?
Confirmar ou refutar hipótese anunciada
Conclusão da análise dos resultados
Sintetizar os resultados obtidos
Evidenciar as conquistas alcançadas com o estudo
Indicar as limitações e as reconsiderações
61
Etapas da Pesquisa Científica
11. Conclusão da análise dos resultados (cont.)
–
–
Apontar a relação entre fatos verificados e teoria
Contribuição da pesquisa para o meio acadêmico, empresarial ou
desenvolvimento da ciência e tecnologia
12. Redação e apresentação do trabalho científico
–
–
Redigir relatório de pesquisa: monografia, dissertação ou tese
Segundo normas pré-estabelecidas
62
Até aqui em27/08/2013
O Primeiro Projeto de Pesquisa
Elaboração de um projeto provisório
•
Orientar toda a pesquisa e documentação posteriores
–
Elementos do projeto:
•
Tema
–
•
–
–
–
–
–
Delimitação do tema
Revisão de literatura
Justificativa
Objetivo geral
Objetivos específicos
Metodologia
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
Escolha do tema
Revisão de literatura
Justificativa
Formulação do problema
Determinação de objetivos
Metodologia
Coleta de dados
Tabulação dos dados
Análise e discussão dos resultados
Conclusão da análise dos resultados
Redação e apresentação do
trabalho científico
63
Exemplo 2
Tema – Sistemas workflow
Delimitação do tema – Técnicas de modelagem de workflow (fluxo de
trabalho) aplicadas a um gerenciador de documentos
Revisão de literatura
•
•
•
–
–
–
–
AALST, W.M.P. Modelling and analysing workflow using a Petri-net based
approach. Eindhoven: Eindhoven University of Technology, 1995. Relatório
de Pesquisa.
BARROS, R.M. Alocação de Atividades em um Sistema de Gerência de
Workflow. 1997. Dissertação de Mestrado. CPGCC/UFRGS, Porto Alegre.
CASATI, F.; CERI, S.; PERCINI, B.; POZZI, G. Conceptual Modeling of
Workflows. In Proceedings of The Object-Oriented and Entity-Relationship
Conference, Gold Coast/Austrália: 1995.
GEORGAKOPOULOS, Dimitrios; HORNICK, Mark; SHETH, Amit: An
Overview of Workflow Management: from process modeling to workflow
automation infrastructure. In: Distributed and Parallel Databases, 3, 1995 –
págs. 119-153 – Kluwer Academic Publishers – Boston, 1995.
64
Exemplo 2
–
–
–
–
•
JOOSTEN, S. Trigger Modelling for Workflow Analysis. In: CON'94:
WORKFLOW MANAGEMENT, CHALLENGES, PARADIGMS AND
PRODUCTS, 1994. Viena. Proceedings. Viena: [s.n.], 1994.
NICOLAO, M. Modelagem de Workflow utilizando um Modelo de Dados
Temporal Orientado a Objetos com Papéis. 1998. Dissertação de
Mestrado. CPGCC/UFRGS, Porto Alegre.
WAINER, J.; BARTHELMES, P. Workflow Systems: a few definitions and a
few suggestions. ACM Conference in Organizational Computer Systems,
San Jose, CA, 1995. Anais.
WORKFLOW MANAGEMENT COALITION: The Workflow Reference
Model; Workflow Management Coalition – Winchester - Hampshire – UK –
1995. Disponível em <http://www.wfmc.org> Acesso em: 04 abril 2003.
Justificativa – Trata-se de um assunto extremamente atual, que tem chamado
a atenção de empresas que querem melhor controlar seus processos
65
Exemplo 2
•
•
•
Objetivo geral – Realizar a modelagem de um gerenciador de documentos
utilizando conceitos de workflow
Objetivos específicos
–
Definir workflow e suas características
–
Estudar as formas de modelagem
–
Definir qual a técnica mais apropriada para este trabalho
Metodologia
–
Utilização de pesquisa bibliográfica
–
Fazer levantamento bibliográfico
–
Fichar bibliografia
–
Aplicar questionários e fazer entrevistas com usuários que utilizam os
documentos a serem gerenciados
–
Aplicar técnica de modelagem escolhida ao sistema de gerenciamento de
documentos
66
Bibliografia
• ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho
científico: elaboração de trabalhos na graduação. 5 ed. São Paulo: Atlas,
2001.
• BASTOS, Cleverson; KELLER, Vicente. Aprendendo a Aprender – Introdução
à Metodologia Científica. 16 ed. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1991.
• MÁTTAR NETO, J.A. Metodologia Científica na Era da Informática. São
Paulo: Saraiva, 2002.
• MEDEIROS, F. A. S. Metodologia do Trabalho Científico. Manaus: Cesf,
2002. Apostila.
• RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência de estudos.
3 ed. São Paulo: Atlas, 1991.
• SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de
dissertação. 3 ed. Florianópolis: Laboratório de Ensino à Distância da
UFSC, 2001.
67
Origem desse Material
• Profas. Elaine Harada e Tayana Conte
• Metodologia Científica na Ciência da Computação
• Bacharelado em Ciência da Computação
• DCC/UFAM
68

similar documents