trauma_vascular.

Report
Aula 3:
Trauma Vascular
Membro:
George Felipe
• Primórdios da Medicina e da Cirurgia
• Segunda Guerra Mundial e Guerra da Coréia
• Evolução da Cirurgia Vascular
• Classificação e aspectos epidemiológicos
Categorias
Demográficas
Histórico/Geográfico
Mecanismo
Anatômicas
Subgrupos
Idade
Sexo
Conflitos militares
Civis urbanos
Civis rurais
Penetrante
Fechado
Pescoço
Tronco
Extremidades
• Trauma Fechado:
• Ferimentos penetrantes
• Ferimentos iatrogênicos
• Trauma Fechado: - Fraturas e luxações
- Estiramento e torção
- Desaceleração e impacto direto
• Trauma penetrante: - Por arma de fogo
- Por arma branca
•
-
Trauma iatrogênico:
Aterosclerose
Número de punções
Diâmetro dos cateteres
Compressão inadequada
- Sexo
• Tipos:
- Lesão parcial da artéria  Hemorragia
- Secção completa  Isquemia distal
- Ferimento contuso  Oclusão
- Pseudoaneurisma  Trombose e embolia
- Fístula arteriovenosa  Insuficiência cardíaca de alto débito
•
•
•
•
Hemorragia
Hematoma tenso e pulsátil
Ausência de pulsos distais
Isquemia
Espasmo arterial
Trombose secundária
Circulação colateral
• Síndrome Hemorrágica
• Síndrome Compartimental
• Síndrome Tumoral
• Ultra sonografia
• Tomografia computadorizada
• Arteriografia
• Cirúrgico: - Convencional
- Endovascular
 Pré operatório: - Controle da hemorragia
- Tratamento do choque
- Redução do tempo de isquemia
 Intra operatório: - Lesões ortopédicas e lavagem exaustiva
- Remoção de trombo secundário
- Heparinização regional
- Restauração arterial Sutura simples
Anastomose T-T
- Fasciotomia
Enxerto
• Direto
Sutura
Endovascular
Derivação
• Indireto
Fasciotomia
Simpatectomia*
• Interposição de prótese: Tubo dácron – Cir. Aberta
Endoprótese – Endovascular
Acompanhamento para controle a cada seis meses
Pequeno número de casos
Zona 3
• Para diagnóstico há a divisão da região cervical anterior em 3
zonas:
• I – Lesões dos grandes vasos – arteriografia para
planejamento
Zona 2
• II – Lesões de esôfago, traquéia – Arteriografia, Endoscopia e
broncoscopia, além de USG e TC helicoidal
• III – Lesões carotídeas – arteriografia para planejamento
Zona 1
• Assintomática
• Raro a necessidade de procedimento cirúrgico
• Traumas penetrantes e fraturas de clavícula
• Difícil acesso cirúrgico, necessitando da esternotomia
• Fratura de colo de úmero e luxação do cotovelo
• Lesão iatrogênica dos nervos
• Grande incidência
• Posição do trauma: distal ou proximal à a. braquial profunda
• Opção da veia cefálica como enxerto
• Lesões isoladas não causam déficit: ligadura arterial
• Dupla lesão: reparo arterial
Exploração cirúrgica imediata
Grandes hematomas retroperitoneias
Lesões de vísceras ocas associadas, com maior risco de infecção
Recomendado a ligadura ao inves do reparo. Havendo
complicação enxerto femuro-femural cruzado.
• Grande complicação visto abundante vasculatura
• Maiores taxas de amputação.
• Semelhante ao que ocorre com as artérias ulnar e radial
• Trombose
• Hemorragia ou hematoma
• Infecção
• Sequelas neurologicas
• Complicações metabólicas

similar documents